O Espírito e o sentimento

“Eu já li o livro “Bom dia Espírito Santo”, mas confesso somente absorvi o fato de aprender a tratá-Lo como pessoa, o que eu não fazia. O livro não teve influência no meu comportamento em sensações, pois tenho orado e pedido a Deus entendido para obedecer a Sua palavra e fazer a Sua vontade. Mas o que gerou dúvida aqui foi: como a irmã fala sobre experiência sobrenatural que não pode ser, mas nós sentimos a presença Dele, meu Deus tudo que senti é carne, falei em línguas ( e sabia o que falava), senti uma alegria que parecia não ter fim, estou tão confusa, porque eu sinto a presença do Espírito Santo em todo o tempo, converso com Ele 24 horas, sinto Ele como meu Fiel e verdadeiro amigo. “[…] vou derramar meu Espírito sobre todo tipo de gente – Seus filhos vão profetizar e também suas filhas. Seus jovens terão visões e seus velhos terão sonhos. Vou derramar meu Espírito até sobre os escravos, tanto homens quanto mulheres” (Jl 2.28-29). Mas pareceu tudo irreal ao ler a resenha. Como se as sensações que tive foram mentiras. E eu sinto Ele comigo, pois é quem me direciona em toda minha vida.”

Rosângela

Rosângela, se você está buscando em Deus entendimento para obedecer à Palavra dEle, então com certeza Ele lhe dará. Vou tentar explicar melhor, espero que esclareça sua dúvida. Sim, falar em línguas é um dom do Espírito Santo e, como humanos, podemos ter emoções relacionadas à experiência sobrenatural. Sentir-se bem na presença de Deus é natural também, afinal de contas, Ele é Deus, não tem como nos sentirmos mal em Sua presença. Isso, porém, não é indicativo de que Deus está conosco ou não.

Se em vez de “porque eu sinto a presença do Espírito Santo em todo o tempo, converso com Ele 24 horas, sinto Ele como meu Fiel e verdadeiro amigo. […] eu sinto Ele comigo, pois é quem me direciona em toda minha vida.” o que você quis dizer foi “porque eu sei que o Espírito Santo está comigo em todo o tempo, converso com Ele 24 horas, tenho Ele como meu Fiel e verdadeiro amigo. […] eu sei que Ele está comigo, pois é quem me direciona em toda minha vida.”, significa que sua certeza independe do que você sente. Se um dia acordar desanimada, com TPM, vendo tudo cinza, ou se algo acontecer e virar sua vida de cabeça para baixo, sua convicção se manterá e você correrá para falar com Deus, sentindo a presença dEle ou não, porque SABE que Ele é com você em TODO o tempo. Mas se você realmente quis dizer o que disse, aí tem toda razão de estar confusa, pois está misturando sentimento e fé.

Podemos não sentir a presença de Deus em algum determinado momento, mas se a Palavra dEle afirma que Ele está conosco, Ele está conosco, mesmo quando não O sentimos. É um problema quando a pessoa fica querendo definir sua vida espiritual pelo que sente ou deixa de sentir. Se sente a presença de Deus, sua fé fica forte diante dos problemas, mas se por alguma razão não sente a presença de Deus, então se inunda de dúvidas e se enfraquece. A fé bíblica não é assim, ela não é definida por sentimentos e sensações. Ela não pode depender de sentir ou deixar de sentir. E é justamente por isso que o Espírito Santo não pode ser medido pelo que sentimos ou que não sentimos. O que nos mostra que alguém foi batizado é a presença da totalidade do Fruto do Espírito (e a ausência dos frutos da carne):

“Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.
Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
Gálatas 5.19-22

A alegria (gozo) que faz parte do fruto do Espírito não é um sentimento, é um estado constante. Durante a busca, podemos, sim, sentir uma alegria extrema, podemos até chorar de emoção. Como eu disse, somos humanos. Mas a Alegria que define a presença do Espírito é muito mais profunda do que uma simples emoção. A palavra usada para descrevê-la significa algo como “prazer calmo”, é um preenchimento profundo que nos acalma e dá prazer permanente.

O amor do fruto do Espírito também não é um sentimento. É uma disposição de espírito que nos leva a dar aos outros aquilo que desejaríamos receber (o amor de 1 Coríntios 13, por exemplo, não é um sentimento, pois é contrário à inclinação egoísta do coração humano). A longanimidade do fruto do Espírito é uma força espiritual paciente, que nos permite suportar o que nosso impulso emocional jamais permitiria, mesmo com toda a paciência do mundo. A benignidade do fruto do Espírito é a integridade de caráter e a bondade é aquela expressa no cuidado com os outros.

A paz do fruto do Espírito é o descanso profundo da alma, que independe do que acontece do lado de fora. Está ligada à confiança na Palavra de Deus e é o contrário de ansiedade e desespero. A mansidão do fruto do Espírito é um caráter humilde, ou seja, o contrário do orgulhoso e inflexível. O manso sabe ouvir, obedece a Deus e reconhece seus erros.

A fé é a convicção daquilo que não se vê. É a certeza. O contrário da dúvida. Ela também independe do que se sente ou do que se vê, porque é definida pela convicção do que não se vê. A pessoa pode estar sentindo e vendo o contrário, mas nada disso muda o que ela crê. E a temperança é o autocontrole, o domínio de si mesmo, a capacidade sobrenatural de controlar suas ações, reações e temperamento.

Como vê, absolutamente NADA do Fruto do Espírito tem relação com sentimento ou emoção. É tudo do Espírito, afinal, e não do coração. Esse é o critério que a Bíblia nos dá para avaliar a presença do Espírito Santo em nós. Se temos todos esses traços de caráter, temos o Espírito Santo. Se não temos essas características, não O temos em nós.

Aliás, foi justamente isso que me levou a enxergar que não tinha o Espírito Santo — e passar a buscá-Lo pelos motivos certos. Já tinha sentido a presença de Deus, já tinha sentido isso e aquilo, mas era uma pessoa que não tinha domínio próprio, nem alegria, nem paz, muito menos mansidão e longanimidade, e a fé tinha altos e baixos, pois estava ligada ao que eu via e sentia.

Um dia essa Palavra veio do Altar e me acertou em cheio, como uma panela atirada na minha cabeça. Na mesma hora, vi que tudo aquilo que achava que tinha sido experiência com o Espírito Santo não tinha valor. Não importava se eu tinha sentido isso ou aquilo; enquanto não tivesse o caráter dEle em mim, eu não O tinha. De que adiantava sentir ou deixar de sentir? Eu só seria dEle quando O tivesse. E por isso eu abriria mão de minha própria vida — e foi exatamente o que fiz. Ainda demorou algum tempo até que eu recebesse o Espírito Santo, mas quando O recebi, entendi que aquilo que Ele trazia era muito superior a qualquer sensação que eu tinha tido no passado. Sério, mesmo, não tem comparação.

Sem o que tenho hoje, não teria resistido a metade da metade do que já passei. Ele vive em mim. Seus pensamentos, Sua forma de ver o mundo, Sua maneira de reagir e de agir são muito mais fortes em mim do que aquilo que me era natural. E eu posso estar passando por dificuldades, posso estar triste, posso estar feliz, posso estar brava com alguém, posso estar casada, posso estar solteira, posso estar doente, posso estar saudável, posso ter recebido uma péssima notícia, posso estar com um problema aparentemente sem solução — não importa. Pode passar o pensamento que for na minha cabeça. Não importa. Eu SEI que Ele é comigo. E essa é a alegria que ninguém pode tirar. NINGUÉM. 

“Na verdade, na verdade vos digo que vós chorareis e vos lamentareis, e o mundo se alegrará, e vós estareis tristes, mas a vossa tristeza se converterá em alegria. A mulher, quando está para dar à luz, sente tristeza, porque é chegada a sua hora; mas, depois de ter dado à luz a criança, já não se lembra da aflição, pelo prazer de haver nascido um homem no mundo. Assim também vós agora, na verdade, tendes tristeza; mas outra vez vos verei, e o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém poderá tirar.”
João 16.20-22

.

Leia também: O deserto em mim

.

PS1. Dito isso, reforço o que afirmei na resenha do livro do Benny Hinn: quanto a “cair no poder”, sentir choques elétricos, ver vultos, ouvir vozes e ser possuído por um espírito que fala como Deus, isso, de fato, não é manifestação do Espírito Santo. Talvez a linguagem da resenha seja um pouco incisiva demais e soe um tanto quanto desrespeitosa para quem acha que o cara é de Deus. Talvez se fosse hoje, eu escrevesse de outra forma, não sei. Mas mantenho o conteúdo e espero que agora esteja mais claro o que eu quis dizer.

PS2. Imagino que a Rosângela seja de outra denominação e talvez nem volte para ler a resposta, mas acredito que esse post possa ajudar outras pessoas a separar sentimento de espírito e entender que não é por não depender de sentimento que o Espírito é sem graça ou menos especial. Experimenta só, para você ver.

 

 

#JejumdeDaniel #Dia2 #Dia3

.

Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel, de 25 de janeiro a 14 de fevereiro. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Cuidado com as casquinhas de banana

4b5983cb-d11f-4367-ae00-9878431dcfba

Pensamentos aparecem o tempo todo. Quer venham por sugestão de pessoas, quer pelo que a gente vê ou ouve, ou quer venham do nada, não conseguimos impedir. Mas não é porque um pensamento chegou que você precisa chamá-lo para tomar um café com bolinhos e bater papo com ele.

Estava meditando naquele famoso versículo que a gente já conhece de cor:

“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.”

Filipenses 4.8

O que traduziram por “nisso pensai” na versão Fiel e por “seja isso o que ocupe vosso pensamento” na Revista e Atualizada, significa, literalmente, “levar em consideração. Quer dizer, o que não está nessa lista, não deve nem ser levado em consideração.

Vou dar um exemplo bobo de hoje, mas é nas coisas bobas que a gente escorrega sem perceber. Já caí nas micro casquinhas de banana do diabo no passado vezes suficientes para levá-las a sério. Olha só: o gato ao qual eu era mais apegada morreu em junho, após um breve período doente. Sofri na época, mas foi em junho e não fico olhando fotos dele, logo, não faz sentido isso vir à minha cabeça agora. Mas hoje, do nada, me veio a vontade de pensar nele. Pensamentos do tipo: “puxa, que saudade do Tiggy!”, tentando me fazer puxar lembranças dele. Se eu não estivesse atenta, provavelmente teria dado continuidade àqueles pensamentos, me lembrando dele, talvez olhando uma foto, e desviando minha atenção do que eu estava fazendo no momento para pensar em algo que só alimentaria minhas emoções com tristeza.

Aparentemente, pensar no gato era uma coisa inofensiva. Que mal faz lembrar de alguém de quem você gostou e com quem passou momentos felizes? Porém, o problema é o que isso traria. Eu poderia dizer que consigo lidar com isso, que não vai me causar nada de ruim, pois sou forte. Assim, conseguiria uma justificativa para fazer o que estava sentindo vontade de fazer. Mas não acho prudente confiar na minha força em se tratando de um pensamento que não me ajuda em nada.

Não me custa muita coisa dizer NÃO para a vontade de lembrar do gato, né? Eu não preciso disso. Sabe-se lá quais outros tipos de pensamentos e lembranças poderiam vir se eu abrisse a porta para esse (aparentemente inofensivo). Pensamentos dão filhotes, como casaizinhos de hamster (meu irmão me contou que comprou um casal e poucos dias depois já tinha uns 22 hamsters em casa…).

Ficar pensando em algo que já passou, que tem potencial de gerar tristeza/drama, não é a coisa mais inteligente que eu poderia fazer e, portanto, não se encaixaria nessa listinha de Filipenses 4.8, porque não há nenhuma virtude e nenhum louvor em fazer uma coisa que não é inteligente e que poderia me deixar triste, abatida, desanimada ou, no mínimo, com inclinação para o sentimento em vez de para a inteligência (e, se eu falasse crentês, poderia dizer: “com inclinação para a carne em vez de para o Espírito).

Hoje é o primeiro dia do Jejum de Daniel, então qualquer pensamento ou sentimento suspeito deve ser encarado como terrorista. Não se negocia com terrorista. Chame o atirador de elite chamado Sr. SAI DAQUI EM NOME DE JESUS e nem considere aquele pensamento. Eu já sei, previamente, que tudo vai tentar me desviar do foco, principalmente nesses primeiros dias. Então, sabendo disso, deliberadamente escolho só levar em consideração o que vai me ajudar.

Li a Bíblia, orei pela manhã, ao meio-dia e à tarde. Para o trabalho, passei horas lendo trechos de um livro novo de um bispo da igreja, que ainda não foi publicado, depois assisti a alguns episódios do Estudo do Apocalipse no Univer e, no final do dia, assisti à novela Apocalipse. O foco de absolutamente tudo o que vi hoje foi um só: vigiar os pensamentos, não considerar a palavra do diabo e dar crédito apenas à Palavra de Deus. Essa, aliás, nos garante que se nos sujeitarmos a Deus e resistirmos ao diabo, ele vai sair correndo.

 

 

.

PS: Sobre o livro novo da igreja (sim, eu leio seus pensamentos hahaha), acho que ainda não posso dizer qual é, pelo menos não me parece de bom tom divulgar antes do autor, né? Mas deve estar nas livrarias muito em breve e prometo que, assim que puder, aviso do que se trata. E recomendo fortemente que você leia esse livro, mesmo que, aparentemente, você pareça não ser o público-alvo. Vá por mim, o conteúdo que tem ali pode ajudar qualquer pessoa.

PS2: Aliás, recomendo que você desconsidere completamente esse negócio de “público-alvo” em relação aos livros da igreja. Soube de gente que nunca tinha lido Namoro Blindado por já ser casada e achar que não precisava! Não faça isso com você. Namoro Blindado me ajudou até no relacionamento comigo mesma. É sério, me tornei uma pessoa melhor depois de Namoro Blindado. Casamento Blindado revolucionou meu casamento, mas também me ensinou a entender melhor as outras pessoas. E 50 Tons Para o Sucesso me ajudou a crescer como pessoa, mesmo que na época eu não estivesse minimamente interessada em empreender, abrir meu próprio negócio ou conquistar o mundo e mais três territórios à minha escolha. Vá por mim, se o autor tem conteúdo para passar, até a lista de supermercado será edificante.

 

Leia também: Você não precisa disso.

#JejumdeDaniel #Dia1

.

* Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel, de 25 de janeiro a 14 de fevereiro. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Por um mundo coerente

city-3000060_640

Deixei de lado a maioria das bandeiras que costumava apoiar (e não levantei nenhuma bandeira oposta no lugar das antigas) simplesmente por ver que, no tocante a opiniões divergentes em assuntos sensíveis, o mundo tem se mostrado extremamente incoerente.

Quem critica aqueles que jogam no time adversário (seja em qual assunto for), reclamando do modo injusto de fazerem as coisas e, na primeira oportunidade, usa as mesmas estratégias que critica nos outros, merece credibilidade?

Vejo a hipocrisia do mundo gritando nas redes sociais, a qualquer hora do dia ou da noite, quer o indivíduo esteja defendendo x ou y, direita ou esquerda, religião ou ateísmo, Inter ou Grêmio. A maioria sequer enxerga o que faz e não consegue entender o que diz. Se revolta quando vê uma mentira contra si mesmo ou contra os seus, mas fecha os olhos quando a mentira vai beneficiar aqueles que são seus amigos ou prejudicar os que considera inimigos.

Como exemplo, já vi sites que eu admirava pelo compromisso com a verdade (assim eu acreditava) publicarem coisas que eu sabia que eram mentira. Alertei e mostrei que era mentira, mas preferiram ignorar e manter a mentira lá. Mas fazem o maior estardalhaço quando encontram outro site, revista ou jornal publicando mentira contra aquilo que eles defendem. Dois pesos, duas medidas.

Isso acontece porque o mundo vive na injustiça. Chafurda na injustiça como porquinhos na lama. Não podemos mudar a cabeça das pessoas, mas podemos avaliar nossa própria justiça. Será que você realmente gosta do que é justo ou só quando lhe convém? Será que está disposto a defender o direito de um desafeto ser visto como inocente, até provas concretas em contrário serem apresentadas, ou prefere acreditar em qualquer denúncia/fofoca? Será que está disposto a dar ao seu inimigo aquilo que você mesmo gostaria de receber?

Se você quer ser justo, seja justo com todos, não apenas com aqueles que pensam como você. Quem critica o preconceito no outro tem de ser capaz de identificar o preconceito em si mesmo e rejeitá-lo imediatamente, com a mesma fúria que usaria ao se deparar com qualquer outro preconceituoso. Quem odeia mentira, não tolera a mentira que lhe convém. Quem não aceita maledicência, não é conivente quando ela vem contra um desafeto seu.

Isso é coerência no discurso. É o mínimo que se espera de quem se diz racional, de quem não se une à maioria para torcer o direito. É o mínimo que se espera de quem quer ser justo.

 

.

O amor do noivado

maldives-698501_640

“Vai, e clama aos ouvidos de Jerusalém, dizendo: assim diz o Senhor: Lembro-Me de ti, da afeição da tua mocidade, e do amor do teu noivado, quando Me seguias no deserto, numa terra em que não se semeava.” Jeremias 2.2

A afeição da mocidade aqui tem a ver com a fidelidade e lealdade que Deus encontrou em Seu povo assim que fez uma aliança com eles quando os tirou do Egito. Você deve se lembrar. Como quando Deus tirou você daquele buraco em que você se encontrava.

Ele se lembra da lealdade do início. O amor do noivado está explicado no próprio versículo: segui-Lo, mesmo no deserto. O deserto é uma terra em que não se semeia, isto é, um lugar em que temos que depender de Deus integralmente. Isso é amar. Depender dEle, segui-Lo, manter-se fiel.

Essa noiva seguia o Noivo pelo deserto porque confiava nEle. Sabia que, com Ele, nada lhe faltaria. Confiança, fidelidade e lealdade corriam dos dois lados. O pacto feito entre o Noivo e a noiva é sério e puro. Há responsabilidade de ambas as partes. Ele cuida dela; ela confia nEle.

Isso independe do que está acontecendo em nossa vida. Independe de haver recurso ou não no deserto. Independe do que estamos sentindo e mesmo do que se passa dentro da nossa cabeça. Nós confiamos e sabemos que Ele é digno de nossa confiança.

Queremos Sua companhia muito mais do que queremos respostas ou resolução de problemas. Queremos experimentar do Maná muito mais do que queremos plantar em uma terra fértil. A hora da terra fértil vai chegar. Enquanto estamos no deserto, queremos segui-Lo. Essa é a afeição da mocidade. Esse é o amor do noivado.

Então, a pessoa sai do deserto e se acomoda. Está em uma situação em que seria até mais fácil segui-Lo, mas começa a se ocupar com o trabalho de plantar e colher, como se tudo dependesse da força do seu braço. Na verdade, isso muitas vezes acontece mesmo antes de sair do deserto…depois de um tempo, a pessoa se envolve demais nos cuidados do dia a dia, ocupa seu tempo e sua cabeça com outras coisas e se esquece de Deus. Ela se esquece da aliança que fez com Ele. Mas Ele nunca se esquece.

Para Deus, uma aliança é coisa séria. E Ele leva a sério, até o fim. Ele permanece fiel, pois não pode negar a Si mesmo. Por isso, Ele não desiste de nós. E a razão de Ele dizer que Se lembra do amor do seu noivado e da lealdade do início é para que você também se lembre e retome aquelas atitudes, ainda que, no começo, o sentimento não acompanhe.

Nossas decisões e pensamentos geram atitudes e nossas atitudes geram sentimentos. Para o bem ou para o mal. A disposição que você apresenta ao buscar a Deus em oração é muito mais importante do que as palavras que usa. Se chegar até Ele como a noiva que segue seu noivo até o Altar, com certeza O encontrará lá.

 

.

PS: Se você nunca foi essa noiva, aproveite a oportunidade para se tornar, fazendo uma aliança com Ele. E se já foi, volte a segui-Lo, mesmo no deserto.

PS2: Na frase “afeição da tua mocidade”, desse versículo de Jeremias, a palavra original, chesed, em algumas versões traduzida por “afeição”, em outras por “piedade”, “misericórdia”, ou “devoção”, tem muito mais a ver com a lealdade que deve haver entre as duas pessoas que fizeram um pacto do que meramente com algum sentimento.

Mate os monstrengos

monster-1274723_640

Os pensamentos negativos vêm para todo mundo. Mas por que algumas pessoas parecem receber toneladas deles diariamente e vivem ansiosas e sobrecarregadas enquanto outras recebem um ou outro e vivem tranquilas e leves?

A resposta está no que cada uma faz com os pensamentos que recebe. Enquanto uma se entrega aos pensamentos, ruminando, aceitando, se entregando aos medos e dúvidas mesmo depois de perceber que eles estão lhe fazendo mal e colocando para baixo, a outra se recusa a aceitar, os amarra em um tijolo e rejeita, jogando longe. E fica fazendo isso, amarrando, rejeitando e se recusando a acreditar neles ou a falar sobre eles, substituindo esses pensamentos por um pensamento de Deus, até que eles se enfraqueçam e sumam.

Porque se você ficar cedendo aos seus medos e alimentando pensamentos que sabe que fazem mal, eles terão filhotes e mais filhotes. E é por isso que crescem e se tornam monstrengos pesados nas suas costas e na sua cabeça.

E é por isso também que não vale a pena perder tempo tentando dirimir dúvida pontual por dúvida pontual quando você percebe que, ao resolver uma dúvida, outra nasce no lugar.

O problema aí não é a dúvida, em si, mas o que está gerando aquela dúvida. E entregar-se aos pensamentos sugadores de energia é o que mais coloca em movimento o gerador de dúvidas.

O primeiro pensamento contra o qual temos que lutar é o que nos diz que não temos em nós essa força e capacidade de resistência. Temos, sim. Todos temos.

Para conseguir vencer isso de uma vez por todas, é importante saber que todos os nossos recursos naturais e sobrenaturais que podem ser usados contra as dúvidas não vão impedi-las de aparecer. A solução é fortalecer o músculo do chute na dúvida. Esse músculo se chama Fé.

Quando não o exercitamos, ele fica flácido e nós ficamos fracos. Às vezes essa fraqueza espiritual acaba se refletindo no físico, também. Porque traz ansiedade e a ansiedade aumenta o cortisol, bagunça seus neurotransmissores e o resultado é fadiga, desânimo e até depressão (sem contar problemas de memória e concentração).

Se você está acostumado a viver com sua fé flácida, recebendo passivamente as dúvidas, comece a exercitar esse músculo agora mesmo. No começo dói, pois negar a nossa vontade de acreditar naquele pensamento, de ruminar aquele sentimento, de ficar se lembrando das coisas negativas ou tentando adivinhar o que fulano está pensando a nosso respeito causa dor.

É sacrifício.

Mas como todo sacrifício focado em um objetivo maior, vale a pena.

A boa notícia

shadow-198682_640

Os padrões de Deus são altos. Não que Ele seja um chato exigente, mas é que Sua natureza é perfeita. É como se uma luz muito forte em uma sala vazia e branca quisesse a companhia de uma sombra. Por mais que luz e sombra queiram a companhia uma da outra, assim que a sombra tentar entrar na sala da luz, será destruída.

Quando o homem foi criado, ele também era luz, como Deus é. Tanto que diz que o homem foi criado à Sua imagem e semelhança. Como luz, o homem andava com Deus, literalmente. Deus descia todas as tardes para bater um papo, dando um rolê pelo jardim. O ser humano seria o representante de Deus neste Universo tridimensional recém-criado. Até que deu ouvidos à voz da sombra e se tornou sombra, também.

A luz é vida, a sombra é morte. A única chance da sombra ser reabilitada a viver na presença da luz que tanto a queria, era outra luz se tornar sombra em seu lugar. Por isso Deus instituiu o sacrifício de substituição. Uma criatura inocente, como um cordeiro, uma pequena luz, daria sua luz para cobrir a sombra do ser humano, por algum tempo. Como um animal não era humano, aquele sacrifício precisava ser repetido a cada vez que a sombra retornasse. Sacrifício perfeito seria um humano adulto perfeito para substituir o humano adulto imperfeito.  

A exigência para conseguir permanecer na presença de Deus é ser perfeito, ser luz, como Ele é luz. Mas quem consegue ser perfeito? Se essa é a exigência, não sobra muita esperança para pessoas como eu e você, não é mesmo? Podemos agir do modo mais perfeito que um ser humano imperfeito poderia agir, mas mesmo assim, ainda seríamos sombra.

O que muitos chamam de “pecado” já está tão atrelado à natureza humana pós-sombra que é impossível encontrar alguém que nunca mentiu, que nunca roubou (já fez um download de produto pirata, pelo menos), que nunca sentiu ódio, mágoa ou nunca nutriu um mau pensamento. Somos todos sombra.

Mas Ele nos queria de volta. Desde o momento em que nos tornamos sombra, Ele queria nos dar novamente a oportunidade de ser luz. E nós desejamos essa luz. Ansiamos por ela desesperadamente, mesmo antes de sabermos que ela existe. Nascemos sentindo a falta do nosso estado original.

Para nos dar a chance de poder chegar até Ele novamente — e definitivamente — Deus pegou aquilo que tinha de mais precioso, Sua própria Palavra, a perfeita Palavra, e A enviou a este mundo em forma humana para viver na perfeição em que não conseguimos mais viver. Era um ser humano, mas nunca foi sombra. E permaneceu puro, como um cordeiro, mas, por ser homem, cumpriria definitivamente a nossa pena de morte, em nosso lugar.

Quem, sendo inocente, voluntariamente cumpriria a pena de morte no lugar de um criminoso? O que essa atitude diz a respeito do caráter dEle? Para nos trazer de volta à Luz, Ele tomou nossas sombras, morreu nossa morte e voltou a ser luz, pois a sombra não Lhe pertencia. E, quando voluntariamente entregamos a Ele nossa vida de sombra, assinamos esse pacto de substituição, e o sacrifício que Ele fez por todos passa a valer para nós. Ele, então, nos envolve com Sua luz e podemos, assim, nos aproximar da Luz, para sempre.

Pela perfeição dEle, e não pela nossa, somos acolhidos. Pelo sacrifício dEle, fomos perdoados. O sacrifício perfeito que pagou nosso resgate. O sacrifício de amor, planejado desde o dia em que nos tornamos sombra. O nosso sacrifício diário, de negar a nós mesmos para andar corretamente, é negar a voz da sombra para viver na luz. Sem exigência de perfeição inalcançável, apenas cumprindo aquilo que Ele nos orientou para o nosso bem.

Essa é a boa notícia! Estamos lavados da nossa sujeira. Livres das nossas sombras. Libertos do nosso pecado. Podemos ficar na presença da Luz por toda a eternidade. Mas essa condição não é automática. É necessário assinar o contrato com Ele, pois mesmo algo tão maravilhoso assim precisa de nossa anuência. Deus jamais nos imporia nada, nem mesmo a salvação da nossa alma. E esse contrato é assinado entre você e Ele. Você aceita o sacrifício que foi feito e Ele aceita a sua vida. Um pacto. Um casamento. Uma aliança. A partir de agora, tudo será diferente. Pela perfeição dEle, Ele nos aperfeiçoou.

Registrado na Tanakh, muitos anos antes:

“Ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos. Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.

Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido. E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca.

Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias; e o bom prazer do Senhor prosperará na sua mão. Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as iniquidades deles levará sobre si.

Por isso lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores. “

Isaías 53.5-12

O amor vem depois

couple-168191_640

Falei no post anterior sobre o livro Casamento Blindado 2.0 e estava pensando no quanto o fato de não saber o que é o verdadeiro amor prejudica a vida espiritual das pessoas. Cansei de ver crentes (e outros nem tão crentes) por aí dizendo que Jesus pregava o amor no sentido de que ele pregaria encobrimento de erros ou que tinha peninha das pessoas. Quando ouvem que Deus é amor, por exemplo, já esperam que Ele seja puro sentimento e se confundem ao ver tanto mal no mundo, sem entender como um deus-sentimento poderia permitir tanta coisa ruim (sim, porque um deus-sentimento jamais conseguiria dar liberdade de escolha às pessoas, ele brincaria de marionetes com todo mundo, em nome do “amor”).

Outras ficam com sentimento de culpa por se entregarem para Deus por interesse próprio, querendo resolver seus problemas e se livrar da velha vida, em vez de buscá-LO por amor, como se fosse possível amar a Deus sobre todas as coisas e com toda a nossa força antes de saber algo sobre Ele. Infelizmente, ninguém chega a Deus morrendo de amores por Ele. E Ele já sabia que seria assim, tanto que sua relação com o homem sempre começa com Ele oferecendo alguma coisa que supra a necessidade humana. Quando se apresentou à Moisés, deu-lhe poder para operar alguns sinais que fariam o povo crer no que ele dizia. Do mesmo modo, o primeiro contato de Jesus com o povo sempre era por meio de algum milagre.

E é claro que Ele Se incomoda quando o relacionamento não evolui e a pessoa, na fase em que deveria estar se interessando por quem Ele é, ainda está focada apenas naquilo que Ele pode dar, sempre mais atraída (ou distraída) por outras coisas e pessoas. Em vários pontos da Bíblia Ele deixa isso claro. Porém, também faz questão de Se revelar, dizendo Quem Ele é e como Ele é, para que a pessoa consiga conhecê-lo e aprender mais a respeito dEle. Ou seja, já temos todos os recursos disponíveis para buscá-LO e conhecê-LO: a fé, a Bíblia, o Espírito Santo (que está conosco mesmo antes de estar dentro de nós) e a nossa inteligência. Basta só colocar esses recursos para trabalhar em conjunto.

O Amor Inteligente abre os nossos olhos para o que é o amor de verdade e conseguimos diferenciá-lo do amor pirata, falsificado e vazio, que o mundo nos apresenta nos filmes, novelas e livros. O falso amor é puro sentimento descontrolado e instável. Completamente diferente do amor capaz de manter um casamento feliz, uma família estruturada e o relacionamento com Deus. Porque enquanto a pessoa acha que amor é só sentimento e espera ter esse amor por Deus, a vida dela fica bem complicada. Como amar quem não conhecemos? Ninguém chega morrendo de amores por Ele. A gente se entrega a Ele porque cansou de sofrer e quer uma nova vida. O amor vem depois. Aliás, sobre o que é o amor como amar:

“O primeiro passo é saber que a única maneira de se amar uma pessoa é conhecer mais a respeito dela. Muitos pensam, erroneamente, que amor é um sentimento. Amor produz sentimentos bons, sim, mas não é um sentimento em si […] Amar não é sentir. Amar é conhecer a outra pessoa, admirar o que você conhece dela e olhar seus defeitos positivamente. Se nos dedicarmos, podemos aprender a amar praticamente qualquer pessoa ou coisa” (Casamento Blindado 2.0, p 14).

Conhecer para aprender a admirar o que você conhece de Deus é o primeiro passo para amá-LO como Ele merece. Mas atenção: conhecer o Deus VERDADEIRO e não a imitação barata que o mundo ou as religiões nos oferecem. Não o deus vingativo, punitivo e mimado; não o deus permissivo e que não está nem aí com ninguém; não o deus sentimental com o coração para fora do peito e cara de coitado que alguns penduram na parede; aliás, não um deus pendurável na parede. Se realmente se dispuser a conhecer Deus por quem Ele é, apague da sua mente a imagem daquele deus distante e esquisito e se prepare para conhecer Alguém tão extraordinário como você nunca imaginou que fosse possível.

 

.

#JejumdeDaniel #Dia15

.

Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel, de 14 de agosto a 3 de setembro. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Casamento Blindado 2.0

321318a2-5d5e-45d6-9008-8ad1d4894d10

No lançamento da primeira edição do livro Casamento Blindado (Ed. Thomas Nelson Brasil), já ficou claro que esse não seria só mais um livro sobre relacionamentos. A fila na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, a maior livraria do país, dava voltas e mais voltas. Todo mundo com no mínimo um exemplar nas mãos, esperando a assinatura dos autores e apresentadores do programa The Love School (na Record TV), Renato Cardoso e Cristiane Cardoso.

Casamento Blindado 2.0 é a segunda edição, revista, atualizada e ampliada desse mega-seller. É o mesmo Casamento Blindado de que a gente já gostava e que funciona, mas melhorado e aumentado. Os pontos-chave do livro permanecem lá, alguns pouco modificados e outros mais explicados, para facilitar a compreensão, mas a abordagem continua sendo racional e bem embasada.

Os assuntos que mais geram brigas e discussões ganharam espaço para ajudar ainda mais os leitores. Novas dicas sobre como criar os filhos e sobre como lidar com filhos de outros relacionamentos, orientações sobre  finanças, sobre o papel da mulher e sobre diferenças de personalidade, ampliação do capítulo “Sexo”, novas ferramentas, inclusive uma sobre redes sociais, entre outros assuntos, fazem desse livro um manual ainda mais completo que a versão anterior.

O livro marcou presença constante nas listas de mais vendidos por anos. Mais de três milhões de exemplares foram vendidos e ele é, ao mesmo tempo, um mega-seller e long-seller. Mas o melhor não é contar os números e ver o nome da obra em listas de mais vendidos. O melhor, mesmo, é ouvir de casais que o que aprenderam ao ler mudou sua maneira de lidar com o casamento e restaurou a família. Não consigo nem explicar o que é, para quem cresceu com pais separados, ver casamentos fracassados se transformarem em relacionamentos saudáveis e felizes.

Quantas iniciativas deste mundo têm trabalhado para restaurar famílias? Sinceramente, acho que nenhuma. O casamento hoje em dia é desacreditado e descartável. E o mundo pinta como se fosse tudo tranquilo, como se divórcio não trouxesse consequência.

Ninguém aprende a escolher direito antes de casar (pelo contrário, o discurso é que “o amor é cego”…), ninguém aprende o que fazer para construir um relacionamento sólido e feliz (as pessoas acham que isso tem que cair do céu), ninguém recebe educação amorosa e, depois, quando o troço desmorona por falta de cuidado, a culpa é de quem? Do casamento!

Típico do ser humano: faz tudo errado, age sem usar a cabeça e depois joga a responsabilidade sobre qualquer coisa ou pessoa que não ele mesmo. Mas Casamento Blindado ensina a aplicar o conceito do Amor Inteligente, que é o amor baseado naquilo que as pessoas escolhem fazer conscientemente, e não em seus impulsos irracionais (que mudam ao sabor dos hormônios).

O Amor Inteligente assume responsabilidade. O problema não é mais da sogra, do marido, da esposa, da cunhada, da avó, do papagaio ou do hamster da vizinha. O problema É MEU e eu é que tenho de resolver. Assumir responsabilidade e agir com base em escolhas conscientes em vez de viver pela emoção é o que diferencia pessoas maduras de pessoas imaturas. Casamento Blindado trouxe essa maturidade aos leitores que decidiram colocar em prática os princípios do livro.

E, na minha opinião, o que aprendemos ali nos ajuda tanto no casamento quanto em qualquer relacionamento interpessoal — e até no relacionamento com Deus. Porque entender a diferença entre o amor verdadeiro e o amor pirata, por exemplo, muda tudo. Você consegue entender melhor o que é amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo e aprende a alimentar esse amor. Se torna uma pessoa mais justa e seu umbigo não é mais o centro do universo. Só por isso, eu já o consideraria um serviço de utilidade pública.

O livro Casamento Blindado 2.0 é para casados e solteiros, tanto para quem já leu a primeira edição quanto para quem ainda não leu. É o que sempre digo: a gente muda muito com o passar dos meses e dos anos. Uma leitura feita hoje vai lhe dar uma visão diferente da leitura feita oito meses atrás, pois as experiências que vivemos muda nosso olhar e ampliam nossos horizontes. Por isso, livro bom relido não é perda de tempo, mas investimento de tempo. É aproveitar a oportunidade de aprender e melhorar.

.

Ps. O livro está chegando às livrarias esta semana, mas já é possível comprar em algumas livrarias virtuais, vou colocar aqui os links de alguns sites em que já fiz mais de uma compra e sei que são confiáveis:

Amazon

Arca Center

Livraria Cultura

Livraria Saraiva

 

A injustiça como oportunidade

Vi esse testemunho na Palavra Amiga, estava torcendo para colocarem logo no canal do Bp Clodomir e hoje saiu no blog do Bispo um email de uma amiga do rapaz contando essa história (e o vídeo saiu no canal do Bp Clodomir!).  

Fiquei impressionada com a naturalidade com que ele conta a história. Sofreu uma injustiça violenta: foi acusado de homicídio e preso injustamente. No momento em que chegou à cela, ele olhou ao redor e viu que estava com 25 pessoas…e diz que viu ali uma oportunidade de ganhar almas. O natural seria o rapaz se sentir injustiçado, ficar abalado, se perguntando o porquê. Mas ele enxergou aquela injustiça como OPORTUNIDADE de ajudar aquelas pessoas.

Quantas vezes sofremos injustiças e enxergamos como OPORTUNIDADE de fazer daquele limão uma limonada que faça a diferença na vida das pessoas? Quantas? Se nosso ego se enfia na frente, a gente logo fica pensando no quanto a injustiça NOS prejudica, colocando o umbigo no centro do mundo e nos sentindo isso e aquilo.

Mas quem é de Deus tem o pensamento de Deus. Porque estava andando no Espírito, esse rapaz sabia que estava ali com uma missão. Deus o tinha resgatado do lixão deste mundo para que ele ajudasse a salvar outras pessoas e, portanto, essa era sua missão ali. E sabia que Deus iria cuidar dele e defendê-lo daquela injustiça. Mas enquanto estivesse passando por aquela situação, tiraria o melhor dela.

Ele começou a fazer reuniões dentro do cárcere, por conta própria, como se fosse um pastor. A tal ponto que o diabo deve ter se arrependido profundamente de ter criado aquela injustiça. E é isso que devemos ter em mente. Quando o diabo cria uma injustiça ou um problema, em vez de reagir com a emoção e cair feito um patinho, temos que usar nossa inteligência e pensar: como posso aproveitar essa situação para agradar a Deus e fazer o diabo se arrepender de ter inventado isso?

Quando você sabe que Deus está cuidando da sua vida, não precisa temer nenhuma injustiça. Você pode estar no meio da fornalha acesa, com o fogo sete vezes mais forte que o normal, mas confia que Ele vai livrá-lo do fogo. E se não livrar, ainda assim o diabo não terá o gostinho de ver você se curvar às circunstâncias que ele criou.

E no final das contas, como Ele sempre faz, até o que era para ser uma maldição, se transforma em bênção. E o mal termina com um resultado tão bom que parece até ter sido enviado para o bem desde o início. E o diabo fica com a cara no chão, se sentindo a criatura mais burra do universo, por ter criado condições de fazer com que você se aliasse ainda mais a Deus e causasse um dano irreversível para o reino das trevas.

Imagina só a cara do diabo (metaforicamente falando, não precisa tentar imaginar a cara do diabo, não, tá?) quando viu que ter criado uma acusação falsa fez com que o rapaz e Deus se unissem para salvar dezenas de almas que estavam naquele lugar?

.

*Promessa e garantia:

“a salvação dos justos vem do Senhor; Ele é a sua fortaleza no tempo da angústia. E o Senhor os ajudará e os livrará; Ele os livrará dos ímpios e os salvará, porquanto confiam nEle.”  Salmos 37.39,40

“Eis que os olhos do Senhor estão sobre os que O temem, sobre os que esperam na Sua misericórdia” Salmos 33.18.

“[…] o Senhor teu Deus trocou em bênção a maldição; porquanto o Senhor teu Deus te amava.” Deuteronômio 23.5

 

#JejumdeDaniel #Dia13

.

Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel, de 14 de agosto a 3 de setembro. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Ladrão na noite

thief-1562699_1280

Falamos esses dias sobre a Grande Tribulação e sobre como será este mundo quando o Espírito Santo for retirado. Não sei se você já percebeu, mas estamos vivendo os últimos dias do mundo como o conhecemos. O planeta, em si, ainda tem muitos anos pela frente, mas a sociedade estruturada e a vida em condições decentes estão com os dias contados. Mais alguns anos e tudo entrará em colapso. As coisas com as quais as pessoas se preocupam hoje desaparecerão. O mundo viverá uma distopia muito pior do que o escritor mais imaginativo poderia antecipar.

A preocupação de Deus é fazer chegar ao maior número de pessoas a palavra que pode salvar suas almas. A notícia de que elas estão separadas de Deus por terem errado o alvo, sim, mas ainda há tempo de se consertar, começar a acertar e viver uma nova vida com Ele, por toda a eternidade. Basta se render.

E é por isso que a Terra não vai explodir de uma vez. É por isso que as pessoas continuam recebendo chance. Mas não será para sempre.

“Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão.” 2 Pedro 3.10

Ladrão de noite significa não só algo súbito e destrutivo, mas algo que atinge a quem está dormindo. Quem dorme não está atento. Dorme espiritualmente aquele que se permite distrair por pensamentos contrários, que se permite perder tempo pensando abobrinha, tomando chazinho com o diabo (enquanto conversam sobre a vida…sabe como é). Dorme espiritualmente aquele que continua no erro, que continua adiando sua decisão, que continua enrolando, que continua se entregando às preocupações e medos quanto ao dia de amanhã, de hoje, de ontem… Dorme espiritualmente aquele que fica ouvindo gente que já morreu e esqueceram de enterrar. Gente que só sabe falar mal dos outros, que coloca maus olhos em tudo, que não tem o menor compromisso com a verdade.

O dia do Senhor virá como o ladrão de noite para quem ainda se recusa a acordar para o fato de que não há mais tempo para se sentir injustiçado, para ter pena de si mesmo ou para encenar a novela mexicana interior (você que até hoje sofria com o complexo de drama, boa notícia: você pode terminar essa novela hoje, é só ficar com raiva dela e desligar a TV).  

Mas outro trecho bíblico deixa claro que o dia do Senhor só virá como ladrão para aqueles que andam em trevas (andar em trevas não é só fazer coisas classicamente erradas como matar ou roubar. Tem muito religioso andando em trevas por aí). Quem está sendo avisado, pode andar na Luz e, assim, permanecer vigilante e alerta, para não dormir na fé. Dessa forma, conseguirá ver o dia do Senhor se aproximando e não será pego de surpresa. Conseguirá ver, aliás, como temos visto hoje. Fica o alerta:

“Porque vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão.

Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão; porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas. Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos, e sejamos sóbrios” 1Tessalonicenses 5.2-6.

.

PS: Quem não leu o post sobre a Grande Tribulação, siga o link: Choque de Realidade

#JejumdeDaniel #Dia12

.

Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel, de 14 de agosto a 3 de setembro. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Para não tropeçar

“Desejaria Eu, de qualquer maneira, a morte do ímpio? diz o Senhor Deus; Não desejo antes que se converta dos seus caminhos, e viva?”

Ezequiel 18.23

O que tem de pseudocristão por aí desejando a morte dos ímpios, dizendo que “bandido bom é bandido morto”, dizendo “bem feito!” em notícias de sofrimento ou morte daqueles que eles julgam inferiores, comemorando, dizendo que é punição Divina, desejando que o outro vá parar no inferno e que o diabo o torture bastante…

Essas pessoas sem noção não têm a menor ideia do quanto isso mostra que estão afastadas do Deus a quem dizem servir (e a Quem, obviamente, não conhecem). Bem mais distantes dEle do que o tal “pecador”, aliás. Porque na maioria das vezes, o ímpio tem consciência de que está no caminho errado e, portanto, tem mais chances de se arrepender a tempo de alcançar a salvação. Ou, pelo menos, tem mais chance de perceber que está perdido e se arrepender.

Já quem acha que está tão bem a ponto de poder olhar com crueldade para os outros simplesmente por julgá-los inferiores, não entende que está perdido e, portanto, como vai buscar a salvação? Quem está próximo de Deus tem o pensamento de Deus. E quem tem o pensamento de Deus não deseja o mal de ninguém. Quem tem outro pensamento, não está perto de Deus. E se não está perto de Deus, está, no mínimo, na mesma situação da pessoa para quem está desejando o mal. É por isso que será julgado com a mesma medida que usa para julgar os outros.

Porque diante de Deus ninguém é justo. Só somos justificados por Ele, quando nossa vida é dEle. Porém, há salvação mesmo para o LOUCO que deseja o mal para os outros e ainda tem a insensatez de usar o nome de Deus. Basta que ele se converta desse pecado, dessa iniquidade. E se volte para Deus, com humildade.

“Mas se o ímpio se converter de todos os pecados que cometeu, e guardar todos os Meus estatutos, e proceder com retidão e justiça, certamente viverá; não morrerá. De todas as transgressões que cometeu não haverá lembrança contra ele; pela justiça que praticou viverá.

Desejaria Eu, de qualquer maneira, a morte do ímpio? diz o Senhor DEUS; Não desejo antes que se converta dos seus caminhos, e viva? Mas, desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo a iniquidade, fazendo conforme todas as abominações que faz o ímpio, porventura viverá? De todas as justiças que tiver feito não se fará memória; na sua transgressão com que transgrediu, e no seu pecado com que pecou, neles morrerá. […]

Desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo iniquidade, morrerá por ela; na iniquidade que cometeu, morrerá. Mas, convertendo-se o ímpio da impiedade que cometeu, e procedendo com retidão e justiça, conservará este a sua alma em vida. Pois que reconsidera, e se converte de todas as suas transgressões que cometeu; certamente viverá, não morrerá. […]

Portanto, Eu vos julgarei, cada um conforme os seus caminhos, diz o Senhor Deus. Tornai-vos, e convertei-vos de todas as vossas transgressões, e a iniquidade não vos servirá de tropeço. Lançai de vós todas as vossas transgressões com que transgredistes, e fazei-vos um coração novo e um espírito novo; pois, por que razão morreríeis?

Porque não tenho prazer na morte do que morre, diz o Senhor DEUS; convertei-vos, pois, e vivei.”

Ezequiel 18.21-24; 26-28;30-32

 

#JejumdeDaniel #Dia11

Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel, de 14 de agosto a 3 de setembro. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Choque de realidade

police-275875_640

Vivemos em um mundo que está cada vez pior. Porém, é uma época em que o Espírito Santo está agindo. É claro, Ele não pode interferir em um mundo que O rejeita, mas Ele está aqui para ajudar aqueles que O buscam. Ainda que você não tenha sido batizado com o Espírito Santo, se você O busca, Ele está ao seu lado, guiando, cuidando, confortando e mostrando quando você erra, para lhe dar a chance de salvação.

O mundo que conhecemos só não é insuportável por causa dEle. O mal não está operando com toda a força neste mundo ainda por causa dEle. E, repito, mesmo que você não tenha sido ainda batizado com o Espírito Santo, não deixa de se beneficiar do que Ele oferece (inclusive da possibilidade de receber esse batismo, já que é o que Ele mais quer). Você não precisa ser polícia para se beneficiar do trabalho da polícia.

Se está em uma área perigosa, mas tem um bom policiamento ao seu redor, você se sente seguro. Da mesma forma, você tem se beneficiado do fato de o Espírito Santo estar neste mundo. No entanto, o mundo como conhecemos está com os dias contados. Em breve — e MUITO BREVE, mesmo — os salvos serão arrebatados (para quem não está familiarizado com o termo: em breve milhares de pessoas desaparecerão, inclusive todos os bebês e crianças pequenas) e o Espírito Santo será retirado do mundo. Você tem noção do que é um mundo sem o Espírito Santo?

As pessoas serão ainda mais cruéis, ainda mais irracionais, o mal estará totalmente livre, com força total. É como se soltassem os piores bandidos das penitenciárias de segurança máxima do mundo inteiro e toda a polícia simplesmente sumisse. Você se lembra de quando o estado brasileiro do Espírito Santo ficou sem policiamento por causa de uma greve? Os bandidos saíram às ruas e foi o caos. Sem o Espírito de Deus neste mundo, os piores espíritos dominarão tudo.

E se você está acostumado a encarar todas as bobagenzinhas que acontecem na vida com lente de aumento, dramatizando tudo, nessa época não vai dar mais para fazer isso. Vai ser obrigado a deixar de frescura rapidinho, porque a luta pela sobrevivência não deixa espaço para nhenhenhém. Se quiser ser salvo (até porque, se o mundo vai estar ruim, o inferno é bem pior), vai ter que manter a confissão de sua fé até o fim — e será executado de um modo lento de doloroso por uma milícia a la Estado Islâmico (se não for o próprio).

Sem contar que conviver com o grupo que sobrar da igreja aqui não vai ser fácil. Vai ficar muita gente problemática, que pode se juntar ao grupo por medo inicialmente, mas que não é confiável, capaz de delatar o grupo inteiro às autoridades, se lhe for mais vantajoso. Não vai ser gente legal como um grupo de convertidos nesta realidade em que o Espírito Santo ainda está no mundo (como a gente vê em alguns filmes sobre o apocalipse), não tem como! Os legais serão minoria.

E será um pouco estressante tentar manter a fé sem ter o Espírito Santo por perto, no meio da perseguição, tentando entender a Bíblia sozinho ou com a ajuda de pastores que, se ficaram por aqui, é porque já não a entendiam direito antes… Se você acha difícil agora, será MUITO MAIS DIFÍCIL depois. E é justamente por isso que o trabalho do diabo agora é fazer a pessoa ficar perdendo tempo com distrações, com dúvidas, palavras falsas dele e excesso de pensamentos inúteis. Enquanto se jogar nos braços do Único que pode salvar é uma questão urgente, de vida ou morte.

“Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-O enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar.” Isaías 55.6-7

 

#JejumdeDaniel #Dia10

 

PS: Uma boa dica para este Jejum de Daniel é assistir às palestras do Estudo do Apocalipse, no Univer. Entre lá e procure por “Apocalipse”, é fácil de achar e tem todas as temporadas. Comece pelo começo, obviamente. São vídeos curtos e vale a pena acompanhar. Dá um choque de realidade e ajuda a focar. Para quem estava precisando de uma motivação para buscar com mais intensidade, é perfeito. Fala não só sobre o futuro, mas dá dicas práticas para viver a fé no dia a dia, fala de salvação, do amor, da justiça e coloca as coisas em perspectiva. 

 

Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel, de 14 de agosto a 3 de setembro. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Ansiedade

baby-21249_640

Recebi dois comentários que gostaria de responder juntos, pois talvez isso possa ajudar outras pessoas. Mas por favor, prestem atenção ao post.

“Vanessa, o que fazer no meu caso? Sou uma pessoa ansiosa em vários sentidos e isso muito me atrapalha, principalmente na minha concentração. Muitas vezes chego a ter sintomas físicos, sei que nesta questão só me resta orar e aprender a entregar as minhas necessidades a Deus enquanto busco o que realmente vale a pena. Mas com a falta de concentração não sei como lidar, por exemplo, geralmente leio seus textos várias vezes ao dia para fixar o que aprendi, faço anotações, converso sobre o assunto e quando vou ver, já esqueci tudo. E isso não só acontece aqui, mas essa ansiedade e falta de concentração me atrapalha nos estudos e no trabalho. Sei que vc já falou sobre aplicar o espírito, mas acredito que não entendi profundamente, porque não consigo colocar em prática. E acontece que nunca aprendo nada! (Danuza)

“Olá Danuza. Eu também passo os mesmos problemas que estás a passar. Ansiedade e falta de concentração atrapalham o meu raciocínio que está muito lento para processar o que li. Tenho imensa dificuldades de fixar as Palavras de Deus na minha mente. Esqueço facilmente mesmo tendo anotado no papel para não esquecer. Aquilo me deixa frustrada ao ponto de não ter ânimo nas coisas de Deus. (Lenny)

Antes, um recadinho para a Lenny: Lenny, o objetivo é esse mesmo, fazer com que você desanime e não insista em fazer a única coisa que pode quebrar esse ciclo. A reação mais eficiente contra isso é insistir mesmo que pareça um caso perdido. Mesmo contra a sensação de que o esforço é inútil. Entenda o que está sendo dito na hora em que lê ou ouve, ainda que não esteja conseguindo memorizar.

Nossa sociedade tem forçado a barra para manter as pessoas em um estado constante de ansiedade. Então, é natural que as pessoas se treinem a serem ansiosas. O mundo traz uma sensação de insegurança porque, de fato, não há segurança no mundo.

Já sofri muito com isso. Muito, mesmo. Porque quando você não sabe o que vai acontecer, não tem certeza de nada, vive mergulhado na dúvida. E a dúvida é a maior geradora de insegurança e alimentadora de demônios da mente. Eles multiplicam os pensamentos de ansiedade que causam estresse e nos levam à exaustão mental.

Nesse estado, me espantaria se alguém conseguisse manter concentração ou se lembrar de alguma coisa. Eu, particularmente, tive um problema tão sério que parte da minha memória foi literalmente apagada. Meu problema começou a se resolver quando li um livretinho antigo cujo nome não me lembro, mas que trazia os seguintes versículos:

“Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a Seu tempo vos exalte; lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós.”

1Pedro 5.6,7

Essa é a segurança que eu queria. Se eu lançasse sobre Ele minha ansiedade, meus problemas, minhas dúvidas, minhas questões, meus medos, minha insegurança, eu poderia confiar, porque ELE TEM CUIDADO DE MIM. Então comecei a ocupar minha cabeça com apenas esse pensamento: Deus está cuidando de mim.

Se a dúvida drenava a minha fé, colocar esse pensamento dentro da minha cabeça começou a dar pedacinhos de comida para aquela fé raquítica que estava em um cantinho do calabouço, quase morrendo. Se Deus está cuidando de você, então você pode contar com a ajuda dEle em absolutamente TUDO. Esse foi o início da minha mudança. Foi com essa pequena palavra que comecei a reagir e evitei o colapso mental.

Depois disso, caí em umas duas armadilhas do diabo para me afastar da igreja justamente quando estava começando a buscar. Mas eu tinha colocado na cabeça que iria me recuperar e que Deus estava cuidando de mim. Então aquele pequeno pensamento de fé começou a crescer e me dar forças para tomar pequenas atitudes, como começar a ler o blog do Bispo e orar. Eu sentia como se estivesse me arrastando para sair do poço de areia movediça. Mas tanto insisti que consegui agarrar o cajado que Deus me estendeu e acabei saindo de lá.

E aí está uma característica importante da Palavra de Deus: não precisa se preocupar com quantidade de informação. UMA palavra, uma palavra pequena, já se espalha dentro de você de tal forma que é capaz de fazer uma revolução e mudar toda a sua vida.

 

#JejumdeDaniel #Dia9

 

.

Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel, de 14 de agosto a 3 de setembro. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Como aprender

arqueologia

Muitas pessoas (muitas, mesmo, independentemente de inteligência ou grau de escolaridade) foram alfabetizadas direitinho, mas nunca foram ensinadas a como ler e realmente entender o que leem. Se isso já é ruim quando se trata de aprender algo secular (não “decorar” para passar na prova, mas aprender, mesmo, para saber), muito pior se torna quando se trata de ler a Bíblia ou algum outro conteúdo espiritual.

Você provavelmente já ouviu dizer que a leitura Bíblica não deve ser uma leitura corrida, mas uma meditação pausada. Se realmente quiser entender e absorver qualquer leitura, o processo é semelhante. Seja um post do blog do Bispo, seja um livro da igreja ou um versículo Bíblico, é necessário ler pausadamente, pensar em cada palavra e na relação entre elas. O texto é uma corrente em que cada elo leva ao outro elo, nos conduzindo pelo raciocínio do autor até nos levar a uma conclusão lógica. Então, cada palavra importa. Cada frase se conecta à outra frase.

Falando especificamente da Bíblia, antes de começar a leitura, você deve pedir a Deus que o ajude a entender e a pensar sobre aquilo que vai ler. O rei Davi, que meditava dia e noite nesses ensinamentos, pedia a Ele o entendimento:

Faze-me entender o caminho dos Teus preceitos; assim falarei das Tuas maravilhas.

Ensina-me, ó Senhor, o caminho dos Teus estatutos, e o guardá-lo-ei até o fim.

Dá-me entendimento, e guardarei a Tua lei, e observá-la-ei de todo o meu coração.” (Salmos 119.27;33-34)

Enquanto estiver lendo, preste atenção a tudo. Qualquer texto é comida para o espírito (alguns têm nutrientes, outros, não, mas nosso espírito ingere tudo o que a gente lê — então escolha bem suas leituras). Mastigue, lentamente, para sentir o sabor.

Se surgir algum questionamento durante a leitura, pense a respeito, use o fantástico equipamento que Deus colocou entre suas orelhas. Geralmente, o próprio texto traz a chave para o leitor compreender, seja observando a frase dentro do contexto, seja fazendo conexão com alguma outra parte que você conheça da Bíblia e que fale sobre o assunto…e às vezes a gente lê até o final e só então consegue entender melhor o início. Não é incomum ter de ler mais de uma vez um texto para melhor compreendê-lo.

E se encontrar alguma palavra desconhecida, não interrompa a leitura, só anote a palavra. No final, se não tiver um dicionário à mão, pode consultar nosso amigo Michaelis Online que ele costuma dar conta do recado. Sabendo o significado, releia a frase e veja se tinha entendido certo.

Se ao final da leitura você só tiver uma ideia geral e vaga do que foi dito, você provavelmente não passou do primeiro estágio de leitura. É importante entender o pensamento do autor, saber o que aquele texto realmente está dizendo, ter um olhar de investigador, de explorador, de profundo interesse.

Anotar os pontos mais importantes e o que você entendeu de cada um deles também ajuda. Algumas pessoas imprimem o texto para fazer marcações. É importante escavar, abrir, cortar, tirar pedaço, mastigar, separar as bolachas do recheio…

Arqueólogos, quando encontram um sítio arqueológico, não vêm com uma retroescavadeira arrancando pedaços gigantes do lugar para “terem uma ideia geral” do que tem ali. Não! Eles tiram pedacinho por pedacinho, usando uma colher de pedreiro, com uma lentidão quase irritante. Todo o trabalho é feito em etapas, com muita atenção e cuidado. Eles trabalham muito com um pincel e peneira, pois qualquer lasquinha de qualquer coisa pode ser muito mais importante do que parece à primeira vista.

É mais ou menos assim que deve ser a leitura de quem realmente quer descobrir um tesouro naquilo que lê. Caso contrário, a pessoa pode estar desperdiçando a oportunidade de se enriquecer. De repente, em todas as suas leituras bíblicas, você já passou pelas respostas que procura umas vinte vezes, mas nunca viu, pois não estava fazendo uma meditação minuciosa com peneira e pincel… Que tal começar a partir de agora?

.

#JejumdeDaniel #Dia8

 

.

Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Sobre Novo Nascimento

baby-718146_1920

O que mais tem nas igrejas é gente que não faz a menor ideia do que é nascer de Deus. Muitos acham que o fato de não fazerem o que faziam antes (não fumam mais, não bebem mais, não vão a baladas, não saem com várias pessoas, não usam drogas, etc. etc.) é indicativo de que nasceram de novo. Na verdade, mudança de hábitos qualquer um pode fazer, estando ou não em uma igreja.

Muitos acham que pelo muito fazer serão justificados. Então se preocupam com as doutrinas de sua religião e em aprender a como se parecer com alguém daquela religião (e aqui estou colocando todas as religiões no balaio, sim, mas falando mais especificamente da religião evangélica).

Ser religioso é fácil. Exige algum esforço, dependendo do quão complicadas são as doutrinas da igreja em questão. Nascer de novo é que não é fácil. Nascer de novo é se transformar em uma nova pessoa. Sua forma de pensar muda. Sua forma de entender o mundo, de enxergar as pessoas…seu caráter é corrigido, seus pensamentos são outros, suas prioridades são outras…

Para isso, você deve estar disposto a abrir mão da sua velha vida, da velha criatura, do velho modo de entender a vida e deixar Deus transformar seu interior. É quando você não suporta mais a sua vida, não suporta mais quem você é e decide morrer. Aí em vez de fazer uma coisa estúpida como se suicidar, você decide formatar sua vida. Apaga tudo e faz de novo, mas desta vez, da maneira certa.

É assim que pessoas aparentemente irrecuperáveis ganham uma nova chance e se transformam em cidadãos de bem. E pessoas que por fora pareciam pessoas de bem, mas por dentro eram terríveis, conseguem se livrar da vida de hipocrisia. Pessoas que mentem, que enganam, que qalimentam um gerador de dúvidas, que enganam a si mesmas, que querem levar vantagem, que distorcem o que ouvem e o que veem, que interpretam tudo de uma forma negativa, que falam mal dos outros, que são pessimistas, maldosas, temperamentais ou emotivas demais se tornam equilibradas, honestas, positivas, pacientes e otimistas. Não é mágica. É sacrifício.

Para se tornar uma nova criatura, a pessoa tem que pagar o preço. Caso contrário, só muda por fora. Negar a si mesmo às vezes é renunciar à sua vontade (ou mesmo ao seu direito) de avaliar uma a uma das dúvidas para ver se têm algum fundamento (enquanto você SABE que aquelas são dúvidas que vêm para minar sua fé). Negar a si mesmo também pode ser considerar a Palavra de Deus como verdade mesmo quando ela contraria os seus interesses. É fácil simplesmente mudar de hábitos. Não precisa de muito sacrifício, não. Não comparado a mudar a sua forma de pensar, de reagir, de encarar o mundo e de lidar com as outras pessoas.

É absolutamente necessário que esse novo nascimento aconteça, porque a única forma de deixar de ser apenas criatura de Deus e se tornar filho dEle é nascendo de Deus. Essa transformação interior é operada pelo próprio Espírito Santo, nos aproxima do caráter de Deus e nos garante tudo o que Ele reserva aos Seus filhos.

Eu demorei muito tempo para conseguir isso porque demorei muito tempo para querer isso e mais tempo ainda para perceber que precisava disso. É o problema de crescer como uma pessoa religiosa e achar que já está com Deus simplesmente por ir à igreja e decorar versículos. Quando eu percebi que precisava e decidi morrer para todas aquelas porcarias que tinha dentro de mim, não foi nenhum bicho de sete cabeças nascer de novo. O próprio Deus opera esse milagre.

Porque, pensa bem, se você morre dentro de você e seu corpo continua andando por aí sem você nascer de novo, temos o início do apocalipse zumbi. Um morto-vivo caminhando em busca de cérebros para comer… Então, não tem muita escolha. Se chegou o momento em que a ficha caiu, você olhou para dentro de si e abominou o que viu, resolve morrer para este mundo, entregando a sua vida para Deus, Deus faz a parte dEle. E é preciso se lembrar de que Deus existe e que Ele realmente faz o que diz que faz. Como diz a Bíblia, é necessário crer que Ele existe e que recompensa os que O buscam (Hebreus 11.6).

E a sua parte você também faz, é claro, renunciando à vontade de continuar sendo a mesma pessoa de antes, de pensar do mesmo jeito de antes, reagir do mesmo jeito de antes…se colocando à disposição de Deus para que Ele transforme você na pessoa que Ele quer que você seja. Fácil não é, mas é perfeitamente possível — e necessário.

 

#JejumdeDaniel #Dia7

.

PS. Parte deste post já tinha sido publicada muitos séculos atrás, mas achei importante atualizar e republicar.

.

Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .