Quem é o Espírito Santo?

sky-1571018

Fui membro de uma igreja evangélica adepta do movimento do “cai cai” (fanerose) em que o “Espírito Santo” é visto como uma energia mucho loca que derruba as pessoas no chão e faz elas tremerem como se estivessem manifestadas com um espírito maligno. O resultado era visível na vida das pessoas…muito exercício de maus olhos, igreja-clube, carnalidades e julgamentos. E esse espírito esquisito pairando sobre a coisa toda.

Como estamos em período de Jejum de Daniel, é bom que você saiba o que está buscando e tenha muito cuidado com o conteúdo que se apresenta como “espiritual”. Esse espírito que derruba pessoas e que faz com que elas fiquem gritando e se sacudindo descontroladamente não é o Espírito Santo. Sempre que afirmo isso, aparece alguém para me alertar que posso estar blasfemando contra o Espírito Santo ao dizer que aquilo é um espírito enganador. Eu asseguro: não estou. Por que tenho certeza disso? Porque essa imitação grosseira é tão grosseira que, depois de conhecer o verdadeiro Espírito Santo, não tem como duvidar da identidade do enganador.

As pessoas chegam ao cúmulo de dizer que minha experiência foi diferente da experiência do Benny Hinn porque “o Espírito Santo se manifesta como ele quiser”, como se houvesse um Espírito Santo personalizado, customizado, para cada tipo de pessoa. Isso é espírito de confusão, meus amigos. E Deus não é Deus de confusão. “Sentir” alguma coisa ou ter uma experiência sobrenatural não significa que essa experiência foi conduzida por Deus, ainda que tenha sido induzida por alguém que fale em nome dEle. Você precisa conhecer a Deus para reconhecê-Lo. Não podemos acreditar em qualquer espírito que se diga de Deus. Blinde sua fé, não se alimente da palavra de quem defende esse espírito confuso.

O Espírito Santo é UMA pessoa. Ele é Deus. Tem a personalidade de Deus. O caráter de Deus. Ele não se descaracteriza a ponto de se parecer com um demônio. Isso nunca aconteceu e nunca acontecerá. Se você ler a Bíblia de Gênesis a Apocalipse, verá nitidamente um Deus que valoriza a razão, a ordem, a inteligência, a fidelidade, liberdade e responsabilidade. Nunca um Deus de caos e bagunça, que derruba pessoas e lhes tira a autonomia, leva a transes, descontrole ou choques elétricos.

O problema é que as pessoas enveredam nessas mitologias criadas pela religião e se esquecem de que só há uma forma real e concreta de se conhecer verdadeiramente a Deus: por meio da Sua Palavra, sem tirá-la do contexto. Jesus é apresentado, no início do Evangelho de João, como “A Palavra que se fez carne”. Ele é o único mediador possível entre Deus e os homens porque a Palavra de Deus é o próprio Deus. Por meio do Espírito da Palavra, que é o Espírito Santo, você tem a oportunidade de conhecê-Lo não como uma energia descerebrada que faz as pessoas terem sensações, mas como Quem Ele realmente é.

O trabalho do Espírito Santo, descrito por Jesus, é um trabalho totalmente racional:

“Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em Meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.”
João 14:26

“E, quando Ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. Do pecado, porque não creem em Mim; da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais; e do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado.

Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora. Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, Ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de Si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele Me glorificará, porque há de receber do que é Meu, e vo-lo há de anunciar.”

João 16:7-14

Convencer o mundo, guiar em toda a verdade anunciando a Palavra de Deus, anunciar o que recebeu, ensinar e fazer lembrar das palavras…todas essas atividades exigem o uso da razão, e não do sentimento. Deus não é esquizofrênico. Deus não tem transtorno de personalidade múltipla. Ele é o que é. Tanto é assim que Ele se apresenta a Moisés, quando ele pergunta o Seu nome: “Eu sou o que sou”. Ele é o mesmo Deus de toda a Bíblia. Nunca mudou e nunca mudará. É por isso que vale a pena conhecê-Lo. Porque Ele não muda, podemos confiar em Sua Palavra e viver por ela.

“Quem de Mim se alimenta, por Mim viverá.” João 6.57

 

 

PS:  Os comentários indignadíssimos (que no meu blog eu deleto, porque podem causar confusão) são feitos nas resenhas dos livros que não são o que parecem. Essa série eu escrevi para que as pessoas aprendessem a ter cuidado com o que leem, pois nem tudo é o que parece na literatura evangélica. O que eu cito no post é o Bom dia, Espírito Santo, do Benny Hinn.

#JejumdeDaniel  #Dia16

 

 

 Amanhã de manhã tem novo post aqui.

** Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão diários e voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia o post do dia 19 para entender melhor.