O que você tem a dizer sobre 2015?

happy-new-year-images-free

Como hoje é o último dia do ano, proponho um desafio a você, leitor: pegue um papel e uma caneta (é, eu sou um dinossauro) e escreva todas as coisas que aconteceram em 2015 pelas quais você é grato. Revisite seus meses, de janeiro a dezembro, para se lembrar do que você fez e do que aconteceu de bom ou de ruim que tenha tido um resultado final positivo.

Se não quiser colocar nos comentários, não coloque, mas o importante é que anote para si mesmo. Pode incluir as coisas pequenas, aquilo que você aprendeu, alguém que você conheceu, uma situação inusitada, um presente inesperado, uma visita que o alegrou, uma reunião que o marcou, algo que você descobriu…

Lembro de um hino que eu ouvia quando era criança e que me veio à mente nesses últimos dias do ano. Eu achava engraçado porque começava com palavras incompreensíveis “se da vida as vagas procelosas são”…eu, interessadíssima em palavras e fã de dicionários, procurei saber o que isso significava — primeiro perguntando à minha mãe e depois confirmando no dicionário as palavras “vaga” e “proceloso” — e me achei toda importante ao ser uma das poucas pessoas que sabia que “vagas procelosas” eram algo como “ondas altas agitadas e tempestuosas” e eu traduziria “se da vida as vagas procelosas são” como “se as ondas enormes da sua vida são assustadoramente agitadas” — mas não caberia na melodia (meus comentários vão entre parênteses, abaixo):

Se da vida as vagas procelosas são (agora você já sabe o que significa. Se as coisas estão totalmente bagunçadas e assustadoras, parecendo que o mundo vai acabar)

Se com desalento julgas tudo vão (ou seja, se você está meio deprê e acha que tudo é inútil)

Conta as muitas bênçãos, dize-as de uma vez (faça uma listinha de todas as coisas bacanas ou úteis — nem tudo que é útil é, necessariamente, bacana. Às vezes algo aparentemente ruim acaba tendo uma consequência boa ou nos ajudando a entender alguma coisa essencial)

Hás de ver, surpreso, o quanto Deus já fez (isso é verdade! Vivemos tão focados no que não deu certo ou no que ainda falta que não prestamos atenção às coisas boas e felizes da nossa vida. Não somos gratos pelo que Deus tem feito por nós, pois somos treinados pela sociedade a manter os olhos naquilo que não conseguimos e que ainda não temos. Mas e o que temos? E o que já conseguimos? E o que já foi restaurado? Mesmo o que ainda não terminou de acontecer, mas já começou e está em processo, deve ser valorizado e comemorado)

Conta as bênçãos, conta quantas são (parecem poucas? Ative seu olhar positivo e comece a procurar as bênçãos dentro e fora de você. Na sua família. No seu trabalho. No seu interior. Em seu corpo. Em seus amigos. Nas coisas que você gosta de fazer. Nas situações, nos eventos, nas coisas ruins evitadas, nas encrencas de que você se livrou. Quantas são?)

Recebidas da Divina mão (coloque uma coisa na sua cabeça: Deus está cuidando de você. E quanto mais você se aproxima dEle, mais espaço há para que Ele cuide de você. Quanto mais obedece e se apega a Ele, mais Suas promessas começam a ser cumpridas em sua vida e mais bênçãos você terá para contar. Lembre-se de Provérbios 3.6: “Reconhece-O em todos os seus caminhos e Ele endireitará as suas veredas”. Está tudo torto? Eis uma forma de endireitar: passe a reconhecer Deus em todos os seus caminhos)

Uma a uma, dize-as de uma vez (pense em cada uma das bênçãos que Deus lhe deu…sua família, seus amigos, seu trabalho, sua saúde, aquele encontro inesperado com alguém que lhe deu uma palavra de fé, seu bichinho de estimação, algo que você aprendeu, algo que você descobriu, um vício de que você se libertou…liste uma a uma, maiores, menores, importantes ou aparentemente insignificantes bênçãos…depois, leia a lista de uma vez)

Hás de ver surpreso o quanto Deus já fez (você se surpreendeu? Por isso, a partir de 2016 desenvolva um novo hábito: escreva diariamente em uma agenda, bloco ou caderno as coisas boas que aconteceram durante o dia, por menores que sejam. Não se esqueça de colocar a data no alto da anotação. Faça isso todos os dias antes de dormir, pois ajudará a ser grato pelas coisas que Deus tem feito em sua vida e não permitirá que o diabo roube de sua mente essas pequenas e importantíssimas bênçãos diárias. Você continuará buscando melhorar, crescer e se desenvolver, mas com muito mais força e disposição do que se continuasse mantendo seu foco no negativo)

Tens acaso mágoas, triste é o teu lidar? (Sabe por que as pessoas ficam tristes e magoadas? Porque em vez de fazer o que estamos comentando aqui, elas focam sua atenção nas coisas ruins, no que o diabo tem feito, nas frustrações, decepções, enfim, em tudo de negativo. Se seus olhos forem maus, todo o teu corpo andará em trevas. Essa é uma grande verdade. O que esse hino ensina é exercício de bons olhos para com a própria vida)

É a cruz pesada que tens de levar? (As coisas ficam pesadas quando nossos olhos são maus. Quando nos focamos no que é negativo, tudo fica difícil, pois deixamos de usar a fé. Somos tomados pela dúvida, pelo medo, pela ansiedade e começamos a fazer tudo na força do nosso braço. Não tem como ficar leve assim)

Conta as muitas bênçãos, não duvidarás (Olha só, esse hino é de mil oitocentos e bolinha e os caras já sabiam das coisas naquela época. A dúvida é o maior inimigo da fé. Se você se foca no que Deus tem feito, isso ativa a sua fé e, por consequência, você afasta a dúvida. Quando a fé está em alta, a dúvida está em baixa e essa é a chave do equilíbrio espiritual e, consequentemente, emocional. São as dúvidas que nos deixam naquele estado lastimável de achar que nada deu certo ou que nada vai funcionar. Exercite sua fé e sua vida irá mudar)

E em canção alegre os dias passarás (a partir do momento em que seu foco passa para as bênçãos, elas se amplificam e você se conecta melhor com Deus. Impossível continuar deprimido depois que seu padrão de pensamento muda. Alegria, paz e tranquilidade são incompatíveis com reclamações e negatividade. Se a sua mente muda, sua vida muda)

Conta as bênçãos, conta quantas são/ Recebidas da Divina mão/ Uma a uma, dize-as de uma vez/ Hás de ver surpreso o quanto Deus já fez

Quando vires outros com seu ouro e bens (ah, quantas vezes você olha para o que os outros têm e fica preocupado por não ter conseguido ainda os bens que gostaria?)

Lembra que tesouros prometidos tens (quando você se foca nas coisas que Deus tem feito em sua vida em vez de ficar só preocupado com o que ainda não alcançou, é muito mais fácil se lembrar das promessas de Deus de que nada lhe faltará e se dar conta de que a salvação é o seu maior tesouro. Não que você vá se acomodar e desistir de melhorar sua situação financeira ou sentimental, mas você começará a perceber que o fato de ainda não ter chegado aonde quer não é razão para se desesperar, invejar os outros, deprimir ou desistir, pois não é o mais importante. As bênçãos de Deus vão muito além de meras conquistas materiais)

Nunca os bens da terra poderão comprar

A mansão celeste em que tu vais morar (ainda que Deus nos prometa bens materiais — e Ele promete, se você acha ruim, reclame com Quem escreveu a Bíblia — Ele sempre deixou bem claro que o mais importante é a Eternidade. Você pode ajuntar todos os tesouros deste mundo, mas, se não tiver a salvação da sua alma, eles serão inúteis. O dinheiro não exclui a mansão celeste se você tiver noção de prioridades e valorizar sua salvação acima de qualquer outra coisa. Mas você pode não ter dinheiro algum e se considerar imensamente rico, mais que bilionário, se já recebeu o bem mais valioso que alguém pode alcançar: a eternidade com Deus.

Conta as bênçãos, conta quantas são/ Recebidas da Divina mão/ Uma a uma, dize-as de uma vez/ Hás de ver surpreso o quanto Deus já fez

Seja o teu conflito fraco ou forte cá

Não te desanimes, Deus por cima está (não importa se os problemas parecem fortes ou fracos, se são internos ou externos. Deus é maior que todos eles. Ainda que você se sinta por baixo, o seu Deus está por cima de tudo e, por isso, você não deve desanimar. Pelo contrário, você enfrenta os problemas com ânimo e força, pois Ele é quem está lutando as suas guerras. Porque tem consciência do que Deus já fez em sua vida, você sabe que Ele fará muito mais)

Seu Divino auxílio minorando o mal (aqui eu tenho que discordar da escolha do tradutor. “Minorar” é abrandar, suavizar, diminuir. O auxílio de Deus não apenas diminui o mal, ele aniquila o mal. O que Deus suaviza é o impacto das coisas potencialmente ruins. O famoso “até o que era para dar errado, dá certo”. E pode ter sido isso o que o tradutor quis escrever. Mas o mal, o mal, mesmo, é completamente derrotado diante do auxílio Divino)

Te dará consolo e paz celestial (o auxílio de Deus nos traz consolo, conforto e paz. A paz celestial, não a paz terrena. A paz terrena é a ausência de problemas, coisa que ninguém alcança — ou não deveria alcançar, pois não tem coisa pior do que uma vida sem problemas para vencer. A paz celestial é a tranquilidade interior independentemente de problemas)

Conta as bênçãos, conta quantas são/ Recebidas da Divina mão/ Uma a uma, dize-as de uma vez/ Hás de ver surpreso o quanto Deus já fez *  :)

Eu ouço músicas assim. Pensando em cada uma das frases. Meditando no que elas estão dizendo (faça isso e você descobrirá que tem muita música gospel “bonita” atual por aí que fala, fala e não diz nada rs). No final das contas, você entende que se prestar atenção às bênçãos que Deus tem lhe dado (inclusive a maior delas, a possibilidade da vida eterna), terá alegria e paz interior para sair das situações difíceis, pois ativará a sua fé. Não dará a mínima para as “vagas procelosas” da vida, pois não viverá mais pelo que vê ou sente, mas pela certeza de que Deus está com você e de que Ele não falha.

Coloque seu foco no que foi positivo em 2015 e perceberá o quanto tem se desenvolvido. E quanto às coisas que ainda não aconteceram ou que não saíram como você queria ou que você ainda não conseguiu terminar…bem, aí é outra lista: a das metas para 2016. :) Mas com a tranquilidade de quem sabe o que Deus já fez e que, no próximo ano, Ele fará infinitamente mais.

*Esse hino se chama “Conta as bênçãos” e é o 28 no nosso hinário Louvores do Reino, 329 no Cantor Cristão, 564 na Harpa Cristã e ainda está nos hinários luteranos, adventistas, batistas e de várias outras denominações. O original chama-se “Count your blessings”, letra de John­son Oat­man, Jr. e música de Ed­win Ex­cell, publicado em 1897.

Bônus:

Preparei uma listinha de posts de 2015 que estão dentro da proposta do Jejum de Daniel, para uma retrospectiva simbólica (clique nos títulos para link):

Janeiro: Vencedores pensam assim

Fevereiro: Quem pode permanecer na presença de Deus? 

Março (do dia em que meu sogro faleceu): A Morte com Deus

Abril: Mais uma vantagem da confiança

Maio: A (má) sorte da ciência 

Julho: Mensagem ao fraco

Setembro: A voz do ladrão x A voz do pastor

Outubro: O deserto em mim

Novembro: Nem sempre tudo vai dar certo

Dezembro: Dentro de uma igreja, fique atento a isto se quiser acertar 

#JejumdeDaniel #Dia4

PS: A propósito, se quiser acessar todos os posts do Jejum de Daniel (inclusive do anterior), clique aqui: Jejum de Daniel.

O primeiro passo para conhecer a Deus

Amigas

Em sentido horário: Stephanie Mendes, eu e Thais Toledo (tirando a selfie rs): Amigas e escritoras

As coisas são muito simples. Muito, mesmo. Como você faz para conhecer uma pessoa? Como faz para considerar alguém seu amigo? Primeiro, você precisa ter contato com essa pessoa. Ouvir o que ela diz, além de ouvir o que pessoas confiáveis dizem dela. É possível ouvir o que Deus diz lendo a Bíblia e indo à igreja (nessa ordem, porque igreja não substitui a Bíblia), absorvendo conteúdo espiritual, como você está fazendo no Jejum de Daniel. Além de ouvir o que a pessoa diz, você também precisa conversar com ela (orações sinceras com suas próprias palavras) e observá-la.

Uma das características mais peculiares de um escritor é a capacidade de observação e análise. Você observa a outra pessoa sem julgamentos, apenas tentando entender suas atitudes, seus pensamentos e suas motivações, para compreender sua personalidade e seu caráter. A uma certa altura, consegue desenvolver empatia, a capacidade de se colocar no lugar do outro e entendê-lo. Por isso sabemos construir personagens que convencem, pela capacidade de observação e empatia.

De certa maneira, é um pouco assim que as pessoas fazem amizades verdadeiras. Mas além de agirem como um escritor que analisa um personagem, elas se abrem para esse personagem, expondo seus pensamentos, seus sentimentos e suas motivações para observação e análise externa. Elas dão e recebem. Elas se abrem para essa troca.

E por que raios você acha que para conhecer a Deus precisaria ser diferente? Você acha que precisa saber uma palavra mágica ou fazer um ritual complicado, ficar sem comer por sete dias plantando bananeira ou mergulhar em uma banheira de feijão temperada com azeite para alcançar uma elevação espiritual? De maneira nenhuma! Você só precisa parar de se distrair com bobagens e de ocupar seu tempo com inutilidades para prestar atenção a Alguém que está aí do seu lado esperando que você olhe para Ele, Lhe dê ouvidos e construa um relacionamento com Ele sem frescuras e sem complicações.

Uma coisa que as pessoas têm dificuldade absurda de entender (não sei por quê, pois não é difícil) e que eu também levei quase 30 anos para compreender é: não importa quantos problemas você tenha na sua vida, quantos dramas, quantos traumas, quantos horrores, conflitos e complicações. A coisa mais urgente que uma pessoa precisa na vida é conhecer a Deus. Esse é o princípio, o meio e o fim de absolutamente tudo.

A gente não fica sem problemas depois de conhecer a Deus, mas a perspectiva sobre as coisas muda radicalmente. Você começa a perceber que metade (ou mais) das coisas que tiravam sua paz eram absurdamente ridículas e não mereceriam todo aquele gasto de energia. Você aprende a confiar e se livra da maioria dos conflitos e de toda a depressão, ansiedade e medo.

O primeiro passo para conhecer a Deus é semelhante ao primeiro passo para conhecer um novo amigo. Ouvi-Lo, prestar atenção ao que Ele diz, ter interesse em entendê-Lo, dar atenção a Ele, passar tempo com Ele, se abrir para Ele, descobrir o que Ele gosta, querer agradá-Lo, se comunicar com Ele e construir esse relacionamento dia após dia, como prioridade.

Porém, eu garanto que não existe ninguém neste mundo que se compare à pessoa maravilhosa que você irá descobrir em Deus. Ele é o ser mais extraordinário que existe. É tão simples e tão sublime ao mesmo tempo que o próprio fato de termos oportunidade de construir um relacionamento com Ele é um lembrete diário do quanto Ele é o máximo. Só Ele é digno de ser admirado, seguido e honrado. Vale a pena o tempo, o esforço e todo o sacrifício necessário para se livrar das nossas frescuras humanas e conhecê-Lo de verdade.

#JejumdeDaniel #Dia3

 

PS: A partir de amanhã os posts estão agendados para aparecerem de manhã bem cedo (6h).

Você conhece Deus?

bible-1193107

As pessoas agem como se Deus fosse um ser misterioso e inatingível. Em grande parte, as religiões (todas elas) contribuíram muito para essa sensação de distanciamento.

Quando falo de religião, me refiro ao sistema de rituais e crenças mecânicas e institucionalizadas. Criados pelo homem, esses sistemas servem como mecanismos de coesão cultural e ideológica. Não têm absolutamente nada a ver com questões espirituais. A primeira coisa que você deve entender é que, para conhecer a Deus, você deve se esquecer do pseudo-Deus que as religiões lhe apresentaram.

Mas como saber quem Deus é de verdade? A maioria das pessoas que eu conheço tem o hábito (totalmente desprovido de sentido) de atribuir a Deus características que não sei de onde tiraram. Elas simplesmente criam um “Deus” (e aqui mantenho a inicial maiúscula porque elas realmente acreditam que ele é o Deus Altíssimo) de acordo com suas conveniências e começam a adorá-lo sem se darem conta de que estão adorando um ser que criaram.

A ficha de algumas um dia cai e elas chegam à incrível conclusão (santa ignorância) de que, se aquele “Deus” a quem adoravam era uma criação das suas cabeças, logo, Deus não existe (a lógica passou longe e deu tchauzinho).

Em vez de pensarem: “eu criei um “Deus” fake made in Paraguay e por isso minha vida estava uma porcaria! Puxa, como fui idiota! Vou me recolher à minha insignificância agora e tentar descobrir como Deus é de verdade, em vez de querer adivinhar como Ele é”, elas pensam: “Eu me enganei a vida inteira! Se Deus não é como eu pensava, então é melhor que Ele não exista, ou então eu terei de admitir que ainda estou errada”. Claro que esse pensamento não é consciente, mas, se a criatura fosse honesta consigo mesma, entenderia que a razão pela qual ela tem tanta resistência à ideia de Deus é não querer admitir seu erro e, com humildade, tentar descobrir como Ele realmente é.

Outras vivem tentando administrar seus problemas, achando que eles são parte de algum carma, ou cruz, ou provação, sem entender por que Deus permite as doenças, desgraças, miséria e problemas familiares sem fim. Elas acham que estão sendo testadas e chegam à conclusão de que as coisas de Deus são muito difíceis e que o jeito é depender de um sacerdote, de um padre, um pastor ou um líder religioso qualquer para tentar lidar melhor com aquelas encrencas todas. Elas realmente acham que conhecem a Deus, pois gostam da ideia de Deus, ouviram falar dEle e a vida toda, oram, são sinceras, não querem ficar sem uma religião ou sem fazer suas orações a esse Deus desconhecido e misterioso, ainda que não frequentem nenhum lugar.

E como podemos descobrir Quem Deus é? Como conhecê-Lo? É necessário ter um ponto de partida. Se estamos falando do Deus de Abraão, temos de recorrer à Bíblia. E alguém vai me dizer que aqui estou remetendo a alguma religião. Não estou. A Bíblia veio antes das religiões que a usam e ela não tem nada a ver com isso.

Ela nos esclarece os detalhes do caráter de Deus e pode ser compreendida à luz de Si mesma, sem necessidade de intermediários. O próprio Espírito que a inspirou nos ajuda a compreendê-la quando dependemos dEle para isso. E uma das principais chaves para entender o caráter de Deus é ler o que Ele diz de Si mesmo e o que aqueles que O conheceram dizem sobre Ele. Por isso gosto tanto das palavras de Davi nos Salmos. Ele O conhecia muito bem.

Mas como diagnosticar que você não conhece a Deus? Bem simples: comparando o resultado de sua vida com o que Ele diz que aconteceria com aqueles que O conhecem.

“ O SENHOR fará que sejam derrotados na tua presença os inimigos que se levantarem contra ti; por um caminho, sairão contra ti, mas, por sete caminhos, fugirão da tua presença. Deuteronômio 28.7” –  Você tem sido vencido pelos problemas? Ou, conforme essa promessa, o mal que se levanta contra você acaba derrotado?

“Porque a Mim se apegou com amor, Eu o livrarei; pô-lo-ei a salvo, porque conhece o Meu nome.” – Salmos 91.14   — Você tem percebido isso?

“Grande paz têm os que amam a Tua Lei; para eles não há tropeço. Salmos 119:165” — Você tem tido essa grande paz interior? Ou tem tropeçado na ansiedade?

 “E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. Ezequiel 36.26″ – Você recebeu esse novo coração e esse novo espírito? Você nasceu de novo?  Ou mudou apenas seus hábitos?

“E porei dentro de vós o Meu Espírito, e farei que andeis nos Meus estatutos, e guardeis os Meus juízos, e os observeis. Ezequiel 36:27” — Você recebeu o Espírito Santo?

Etc. Etc. Etc. Existem muitas promessas na Bíblia, para que possamos avaliar nossa vida, fazendo a vistoria para saber se está tudo em ordem.

Se essas promessas não estão sendo cumpridas, há três possibilidades:

  1. Você não conhece a Deus de verdade
  2. Você não tem cumprido os pré-requisitos para o cumprimento da promessa (por exemplo, confiar em Deus, se apegar a Ele, obedecer à Palavra dEle, ser fiel a Ele)
  3. Ambas as alternativas anteriores.

A alternativa “c” é a mais comum, porque como você pode confiar, se apegar e obedecer se não sabe exatamente como Deus é e o que Ele quer? Se você conhece a Deus e está cumprindo os pré-requisitos, então pode cobrar a promessa. Se você cobra de Deus a promessa, por crer no que Ele prometeu, e nada acontece, então reavalie sua própria vida.

Se você quer conhecer a Deus, pare de complicar as coisas. As pessoas agem como se Ele fosse muito misterioso e quisesse se esconder. Não! Ele quer que você O conheça. Ele quer estar próximo. Quer um relacionamento. Mas Deus não é homem, Ele é um ser completamente diferente de tudo o que você já conheceu. A cabeça dEle funciona de uma maneira muito superior à nossa, então você precisa abrir o seu entendimento para uma nova forma de enxergar as coisas. Mas isso não é difícil, basta apenas ter humildade de admitir que não sabe coisa nenhuma e pedir a Ele que o ajude a entender.

“Do céu olha o SENHOR para os filhos dos homens, para ver se há quem entenda, se há quem busque a Deus.” Salmos 14.2

 Já pensou? Deus olha para a Terra, para ver se há quem entenda e se há quem O busque. Por que Ele faria isso se não quisesse ser encontrado? Ele olhou agora e viu você, que O busca e que procura entender. Ele quer encontrar você. Que tal conversar com Ele agora sobre isso, com suas palavras e total sinceridade?

  . #JejumdeDaniel #Dia2

Dentro de uma igreja, fique atento a isto se quiser acertar

mechanical-clock-1234989

“O Senhor disse: Visto que este povo se aproxima de Mim e com a sua boca e com os seus lábios Me honra, mas o seu coração está longe de Mim, e o seu temor para Comigo consiste só em mandamentos de homens, que maquinalmente aprendeu(…)” Isaías 29.13

O ser humano tem uma tendência irritante a se comportar como uma máquina pré-programada e a encontrar fórmulas, fôrmas e padrões para se encaixar. Nosso cérebro opera em economia de energia e tende, naturalmente, a encontrar uma forma de trabalhar o mínimo possível obtendo o máximo de aproveitamento. Isso é muito útil em algumas situações, como, por exemplo, nos hábitos repetitivos do dia a dia, como dirigir ou lavar louça. Depois que aprende, você não precisa pensar em todos os movimentos que está fazendo, pois seu corpo os executa automaticamente.

O problema é fazer isso com as coisas de Deus. Isso é muito, muito grave. Entrar no modo automático em questões espirituais faz com que você caia na vala da religiosidade e destrua seu relacionamento com Deus ou qualquer chance de construir um.

Deus não é um burocrata sentado atrás de uma mesinha esperando você entregar seu relatório. Ele não está minimamente interessado em ver que você cumpriu uma obrigação ou executou os movimentos certos. Ele quer saber o porquê de você ter feito isso. Quer saber o que você fez, por qual razão você fez, o que esperava alcançar quando fez e o que você pensa a respeito daquilo que fez. Ele está mais interessado no que você tem dentro da cabeça e do coração quando executa algo para Ele. Os pensamentos dEle são muito mais profundos e concretos que os do fiscal que analisa se você marcou o “x” no quadradinho certo.

 O temor que consiste em mandamentos de homens não é temor. É falsificado. Não leva ao lugar que só o verdadeiro temor a Deus, construído com base em um relacionamento sincero com Ele, pode levar.

Aprender mandamentos de homens maquinalmente, executar uma tarefa só por ter recebido uma instrução, como quem segue um manual sem raciocinar, é inútil. Você pode se esforçar o quanto for, pode se desgastar e viver exausto, mas será inútil. Se você honra a Deus com seus lábios e se aproxima dEle com meras palavras, mas seu coração está longe dEle, pode ter certeza de que não O encontrará.  “Não posso suportar iniquidade associada ao ajuntamento solene”, desabafa Deus em Isaías 1.15.

Hoje começou o Jejum de Daniel. Por ser um jejum de informações em uma época de overdose de informações, não é difícil fazê-lo por fazer e se contentar com a sensação comprovadamente agradável de se manter mentalmente desintoxicado. Também não é difícil fazê-lo por fazer e se contentar com aquele sentimento doloroso de estar sacrificando alguma coisa, principalmente aquele torto, que beira a penitência e que alimenta o espírito religioso.

Jejum de Daniel não é penitência. Não é sofrimento, dor, angústia e desespero. Não se trata simplesmente de abrir mão de entretenimento e informação secular e se tornar supersanto por 21 dias. Jejum de Daniel se trata de criar espaço na sua vida para ouvir a voz de Deus – de todas as maneiras com que Ele se expressa. É abaixar o volume do mundo e aumentar o volume do céu no grande e metafórico fone de ouvido da vida (sim, eu escrevi isso). Trata-se de substituição inteligente. Trata-se de conexão. É a oportunidade preciosa e imperdível de conhecer a Deus profundamente.

Duas palavras para você ter em mente nos próximos 21 dias: intimidade e estrutura. São as duas coisas que devemos buscar. Intimidade com Deus e estrutura espiritual. Se você tiver essas duas coisas, saberá exatamente em que precisa mudar para crescer e o que deve fazer para que sua vida seja, finalmente, digna de ser chamada de VIDA.

E se você já acha que tem essas duas coisas, continue buscando, mesmo assim. Qualquer edifício bem construído passa por vistorias frequentes para analisar se a estrutura não está comprometida. Qualquer casamento sólido passa por avaliações frequentes de intimidade, para saber se o casal está realmente em sintonia. Use esses 21 dias para isso, de forma orgânica, real, profunda e sincera. Desligue a máquina religiosa, por favor. E você nunca mais se esquecerá desse Jejum de Daniel.

.

PS: Pelos próximos 21 dias, teremos posts diários aqui no blog.

PS2: Para quem questionou: o endereço vanessalampert.com está redirecionando para lampertop.com.br. Os dois abrem a mesma página.