Dentro de uma igreja, fique atento a isto se quiser acertar

mechanical-clock-1234989

“O Senhor disse: Visto que este povo se aproxima de Mim e com a sua boca e com os seus lábios Me honra, mas o seu coração está longe de Mim, e o seu temor para Comigo consiste só em mandamentos de homens, que maquinalmente aprendeu(…)” Isaías 29.13

O ser humano tem uma tendência irritante a se comportar como uma máquina pré-programada e a encontrar fórmulas, fôrmas e padrões para se encaixar. Nosso cérebro opera em economia de energia e tende, naturalmente, a encontrar uma forma de trabalhar o mínimo possível obtendo o máximo de aproveitamento. Isso é muito útil em algumas situações, como, por exemplo, nos hábitos repetitivos do dia a dia, como dirigir ou lavar louça. Depois que aprende, você não precisa pensar em todos os movimentos que está fazendo, pois seu corpo os executa automaticamente.

O problema é fazer isso com as coisas de Deus. Isso é muito, muito grave. Entrar no modo automático em questões espirituais faz com que você caia na vala da religiosidade e destrua seu relacionamento com Deus ou qualquer chance de construir um.

Deus não é um burocrata sentado atrás de uma mesinha esperando você entregar seu relatório. Ele não está minimamente interessado em ver que você cumpriu uma obrigação ou executou os movimentos certos. Ele quer saber o porquê de você ter feito isso. Quer saber o que você fez, por qual razão você fez, o que esperava alcançar quando fez e o que você pensa a respeito daquilo que fez. Ele está mais interessado no que você tem dentro da cabeça e do coração quando executa algo para Ele. Os pensamentos dEle são muito mais profundos e concretos que os do fiscal que analisa se você marcou o “x” no quadradinho certo.

 O temor que consiste em mandamentos de homens não é temor. É falsificado. Não leva ao lugar que só o verdadeiro temor a Deus, construído com base em um relacionamento sincero com Ele, pode levar.

Aprender mandamentos de homens maquinalmente, executar uma tarefa só por ter recebido uma instrução, como quem segue um manual sem raciocinar, é inútil. Você pode se esforçar o quanto for, pode se desgastar e viver exausto, mas será inútil. Se você honra a Deus com seus lábios e se aproxima dEle com meras palavras, mas seu coração está longe dEle, pode ter certeza de que não O encontrará.  “Não posso suportar iniquidade associada ao ajuntamento solene”, desabafa Deus em Isaías 1.15.

Hoje começou o Jejum de Daniel. Por ser um jejum de informações em uma época de overdose de informações, não é difícil fazê-lo por fazer e se contentar com a sensação comprovadamente agradável de se manter mentalmente desintoxicado. Também não é difícil fazê-lo por fazer e se contentar com aquele sentimento doloroso de estar sacrificando alguma coisa, principalmente aquele torto, que beira a penitência e que alimenta o espírito religioso.

Jejum de Daniel não é penitência. Não é sofrimento, dor, angústia e desespero. Não se trata simplesmente de abrir mão de entretenimento e informação secular e se tornar supersanto por 21 dias. Jejum de Daniel se trata de criar espaço na sua vida para ouvir a voz de Deus – de todas as maneiras com que Ele se expressa. É abaixar o volume do mundo e aumentar o volume do céu no grande e metafórico fone de ouvido da vida (sim, eu escrevi isso). Trata-se de substituição inteligente. Trata-se de conexão. É a oportunidade preciosa e imperdível de conhecer a Deus profundamente.

Duas palavras para você ter em mente nos próximos 21 dias: intimidade e estrutura. São as duas coisas que devemos buscar. Intimidade com Deus e estrutura espiritual. Se você tiver essas duas coisas, saberá exatamente em que precisa mudar para crescer e o que deve fazer para que sua vida seja, finalmente, digna de ser chamada de VIDA.

E se você já acha que tem essas duas coisas, continue buscando, mesmo assim. Qualquer edifício bem construído passa por vistorias frequentes para analisar se a estrutura não está comprometida. Qualquer casamento sólido passa por avaliações frequentes de intimidade, para saber se o casal está realmente em sintonia. Use esses 21 dias para isso, de forma orgânica, real, profunda e sincera. Desligue a máquina religiosa, por favor. E você nunca mais se esquecerá desse Jejum de Daniel.

.

PS: Pelos próximos 21 dias, teremos posts diários aqui no blog.

PS2: Para quem questionou: o endereço vanessalampert.com está redirecionando para lampertop.com.br. Os dois abrem a mesma página.