Ainda sobre o post anterior

Vejo a velocidade com a qual um hoax se espalha e gostaria de pedir encarecidamente a um escritor de hoaxes e correntes que me ajude a fazer um texto suficientemente viral para o caso relatado no post anterior.

Desaparecimentos falsos são muito mais atraentes e hoaxes já foram parar no jornal televisivo em horário nobre (né, Rede Globo?), sem que jamais fossem desmentidos. Por que um caso sério e real não é tratado com o mesmo interesse e velocidade?

Não que não tenhamos obtido algum sucesso na divulgação, vários amigos solidários estão me ajudando a divulgar via email, twitter e facebook (aos quais sou imensamente grata), mas penso que se fosse um hoax eu já teria recebido de volta de um desconhecido. Não posso fazer muito por este caso, mas não me custa nada repassar o email, retuitar o link, compartilhar no facebook e ficar de olho nas mulheres na rua.

Amanhã completa 15 dias que essa senhora saiu de casa e infelizmente ainda não temos nenhuma notícia, mas ainda acredito na força da mobilização e conto com quem também acredita e quer fazer parte desta corrente. Não vai trazer seu amor de volta em três dias, não vai cair um dedo se você não repassar o email, nem será severamente punido por quebrar a corrente, mas se divulgar, certamente ajudará uma vida e uma família a se libertar do peso da incerteza. Não gostaria que fizessem isso por você?


.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *