Diálogos Insanos – O romantismo

Quem começa o diálogo é o Davison, me alimentando enquanto eu trabalho, um fofo:

– Trouxe seu lanchinho, cuidado para não derrubar.

– Obrigada, amor…

– De nada, amora!

-… Meu grande amor…

– Minha grande amora…

amora ???

Não sei por que, mas eu não achei a imagem muito elogiosa…

.

2 comentários sobre “Diálogos Insanos – O romantismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *