Outro blog?

Não, o blog definitivo.  Ainda tentando me adaptar ao WordPress e pensando em um jeito de mudar esse template esquisito por um mais aconchegante. Esse é esquisito e faz com que eu me sinta meio apertada, limitada, como se o texto não conseguisse respirar muito bem. O início deste blog e o encerramento definitivo do Another Monster, do Maquinando e do Escrita Rupestre marcam a nova fase de minha vida, com o lançamento do site (ainda com um layout meio esquisitinho, mas também consertarei isso com o tempo) e o foco nas esculturas personalizadas em Porcelana Fria.

Eis aí uma prova de que eu não conto toda a minha vida no blog…risos… desde pequena gosto de modelar, na adolescência fazia rostos humanos em plastilina (massinha) e, posteriormente, em argila. Já testei de tudo: massa epóxi, polymer clay, plastilina, argila, papier machè…há pouco mais de um ano descobri a Porcelana Fria, mais conhecida no Brasil como Biscuit. Essa massa tem como base o poliacetato de vinila, muito usado como adesivo e que dá ao produto um acabamento mais resistente do que a cerâmica plástica (polymer clay), embora não suporte umidade.

No começo apanhei bastante do biscuit, porque é uma massa esquisita que incha, encolhe, deforma e dá vontade de atirar pela janela. Acho que insisti por birra, me…risos…não, brincadeira, não foi birra. Na verdade eu estava bem perdida em relação ao que eu queria fazer, por gostar de várias coisas diferentes e não poder fazer tudo ao mesmo tempo. Então, assistindo a uma reunião de final de ano na igreja, uma moça deu um testemunho sobre a segunda empresa que ela abriu. Não me lembro nem o ramo de atuação, mas uma frase me marcou, ela disse: “Eu não peço a Deus dinheiro, peço um empreendimento, para que eu possa trabalhar e permitir que Ele me abençoe ali”.

Na hora a ficha caiu tão forte que fez até barulho! Naquele mesmo dia eu fiz uma oração pedindo a Deus um empreendimento, uma direção sobre o que eu deveria fazer profissionalmente. Eu queria algo que me desse prazer em trabalhar, algo de que eu realmente gostasse, me desse bom retorno e fizesse outras pessoas felizes. Alguns dias depois, navegando pela internet, me deparei com o site da Flávia Pina. Naquele momento eu soube que era o que Deus queria que eu fizesse. Nunca havia pensado que era possível fazer figuras humanas tão…humanas em biscuit.

Quando eu modelava com massinha, várias pessoas me deram a idéia de modelar em biscuit, pois, segundo elas, era “uma massinha que endurecia”. No entanto, ninguém sabia direito como era, e me disseram que ia ao forno. Sabendo o quanto eu era desastrada na época, achei melhor deixar esse negócio de forno para lá. Também me disseram que tinha de pintar, e eu gostava muito de misturar as cores, formando outras. Mas só o fato de a peça realmente secar já me deixava animada.

Lembro de ter comprado uma massa de biscuit, um pacotinho colorido da Licyn. Dei um baita azar, ou melhor, vários, pois a Licyn é um pouco mais seca e esfarela, e eu comprei acreditando que encontraria a textura da plastilina. Obviamente detestei o biscuit! Pois a textura é totalmente diferente e eu não sabia dominar a massa.

Demorou uns quatro anos ou quase isso para que eu descobrisse o fotolog da Flávia e o site dela com as fotos. Passei um ano inteiro treinando e estudando as técnicas em Porcelana Fria, comprei DVD, apostila, li textos, participei de fóruns…não me lançaria no mercado enquanto não estivesse pronta, controlando a massa e fazendo algo pelo menos no meu mínimo aceitável, que já é bastante exigente.

Sou muito perfeccionista, e não tem como fazer algo “mais ou menos”. Ainda não estou no nível que gostaria, mas meu trabalho tem melhorado a cada peça. Realizei meu sonho de fazer um curso com a Flávia (quando descobri a escultura em biscuit ela não dava cursos. Felizmente logo ela abriu a primeira turma, mas não pude ir. Não deixei a segunda turma escapar!), que foi o melhor investimento da minha vida. Além de uma artista inigualável, Flávia é uma excelente pessoa e uma professora extraordinária. Finalmente consegui aprender o que faltava para ter em meu trabalho o acabamento que buscava.

Estou trabalhando muito, muito mesmo. Em breve tirarei fotos das novas peças para colocar no site. Por enquanto, a galeria conta apenas com um casal de noivinhos topo de bolo personalizados, ainda da minha fase beta, mas que servem como demonstração. Resolvi colocar o site no ar mesmo assim, pois ele já estava praticamente pronto.

Antes que alguém se preocupe e questione, como a Flávia me questionou, não vou deixar de escrever, não, pelo contrário! Encontrar algo que eu gosto tanto de fazer e que me desliga do mundo, como a escultura em porcelana fria, tira uma pressão enorme da minha produção literária e é bem capaz de eu conseguir escrever mais e muito melhor agora do que antes.

Ainda mais agora, tendo meu domínio próprio. Aliás, isso é tão importante que é bíblico, não é? Um dos frutos do Espírito. :-)

Na falta de um, temos vários domínios. http://lampert.com.br é o site principal, mas se você digitar http://vanessalampert.com.br abrirá o mesmo conteúdo, assim como http://esculturaspersonalizadas.com.br e http://lampertartstudio.com.br

Ah, outra boa notícia: também compramos o domínio http://autordesconhecido.com.br   que alguém já tinha comprado (???) em 2007 e, felizmente, parou de pagar, então ficou novamente disponível (o .com e o .net não estão disponíveis!!) Então, em breve, retomo o Autor Desconhecido em domínio próprio.

Depois disso será que já posso dominar o mundo?

PS: Ainda não consigo inserir links nessa coisa, mas logo, logo conseguirei. Prometo!

UPDATE – Já sei inserir links. Estou evoluindo!

Um comentário sobre “Outro blog?

  1. yoory disse:

    Parabens pelo trabalho!

    Que bom que vc conseguiu assistir o curso da Flavia Pina. TO em incondicao de assistir o curso dela.

    Eu ainda estou estudando o trabalho de biscuit e to tentando desenvolver o trabalho e estudo para poder estreiar no dia de casamento do meu manon que vai ser em esse ano.

    Fico em duvida de massa da Flavia Pina….Pq nao parece aquele massa basico de biscuit…

    Vc pode me dar uma maozinha de dica por favor???

  2. Oi, Vanessa. Vim conhecer vc e já estou gostando do que leio. Ainda não fui conhecer seus trabalhos, mas irei logo. Obrigada pela visita ao meu blog e parabéns por ter um marido que goste de cozinhar…rs…vc viu que o meu anda longe da cozinha, né? Mas me ajuda em outras coisas, graças a Deus. Bem, se quiser mandar sugestões de cardápio, não se acanhe..rs
    Bjs
    Veronica Arteira

  3. Ahh… essa é realmente a melhor forma de se pôr as coisas. Rezar para que ilumine suas idéias sobre o melhor caminho a ser seguido. :)
    Sempre sigo minha intuição. Simplesmente dá aquela luz e sinto como se um caminho me chamasse para lá. Assim eu sei que tenho experiências que preciso ter para crescer como pessoa. Ou talvez para ser a ficha de alguém — normalmente porque eu falo demais — e fazer cair alguma idéia, rs. (Tá, não sou assim tão influente, mas às vezes até aquele mega-chato consegue trazer boas idéias à tona, hahaha)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *