Eu não tenho saco para a Copa

IMG_4329

Confesso que estou bem por fora da discussão “Vai ter Copa” x “Não vai ter Copa”. Atualmente, minha mente e meus esforços estão em coisas realmente práticas e úteis, e todas elas relacionadas ao meu trabalho e à minha vida pessoal (e quem me conhece sabe que ambos se fundem e eu não estou nem aí para quem diz que isso não deveria acontecer). A Copa – veja só – não faz a menor diferença na minha vida. Eu não posso parar o meu trabalho e a minha vida para ficar torcendo pela seleção de um punhado de homens que ganham muito mais do que a esmagadora maioria da população que para para vê-los jogar. Punhado esse que trabalha para um punhado ainda menor de homens que ganham ainda mais do que eles.

Mas sei que durante esse breve período, que a mídia alardeia ser um momento único e mágico (porque vendeu espaços publicitários mágicos no intervalo dos jogos, a preços estratosfericamente mágicos que aumentarão, magicamente, o recheio das contas bancárias de seus proprietários), a população, embevecida (desenterrei essa palavra), se esquece de seus problemas e atinge o êxtase ao ver a seleção lutar por uma vitória enquanto ela – a população – permanece estática, sem lutar e sem vencer coisa alguma. Mas se a seleção vence, é como se a vitória fosse de todos nós – olha que lindo! Então, a gente se sente menos mal por nossas frustrações particulares e públicas.

Anestesia. É mais ou menos isso o que esses momentos de emoção vazia trazem para quem bebe deles. Eu sou um ET que não gosta de feriados e um ET que não está minimamente interessado nesse mundial – e que também não está interessado em lutar contra o mundial. Não esperem por mim em passeatas segurando um cartaz escrito “Não vai ter Copa”. Vai ter Copa, a gente sabe que vai. Não sei exatamente como ela vai ser, com essa horda de bárbaros espalhada pelo país, principalmente perto das eleições, com a oposição desesperada para descredibilizar o Governo. Prefiro me ausentar um pouco do mundo, porque tudo promete caos e eu – sinceramente – tenho mais o que fazer.

Nessa vida cheia de guerras, lutas e batalhas (parecem a mesma coisa, mas nem toda luta é uma guerra, nem toda batalha é uma luta e poucas guerras têm só uma batalha), temos de escolher quais batalhas iremos lutar e de quais lutas vale a pena participar. Eu escolho as minhas guerras e a Copa não é uma delas. Eu amo o Brasil, amo ser brasileira e tenho simpatia por um certo patriotismo, mas não vejo nada disso nesse mundial. Vejo nesse mundial apenas interesses econômicos: da mídia, da Fifa, do Governo Federal, dos jogadores, dos governos estaduais, das empresas anunciantes que não estão nem aí para os figurantes que acompanham os jogos. Não estou advogando contra os interesses econômicos ou contra o capitalismo, estou apenas constatando um fato: a Copa nada tem a ver com patriotismo ou orgulho nacional. Sou contra a depredação do orgulho nacional, que os grupos políticos de oposição têm patrocinado, mas não posso tapar o sol com a peneira: a Copa não é do Brasil, não é pelo Brasil e não é para o Brasil.

Mas eu realmente espero que o Brasil sobreviva à guerra de interesses escusos que acontecerá travestida de festa do futebol. E que aqueles que também têm mais o que fazer não bebam desse alucinógeno verde e amarelo. Depois de nos induzirem a comprar alucinadamente no natal, festejar sei lá o que no carnaval, atrasar nossos trabalhos nos feriados absurdamente gigantescos do início do ano (em que também teríamos de comprar chocolates ovais superfaturados) e gastar horrores no dia das mães, agora querem nos fazer parar nossas vidas novamente, porque eles precisam ganhar mais um pouquinho do dinheiro que não temos. Não é isso que faz o Brasil ir para frente, me desculpem. Vou me isolar voluntariamente, com alívio. Tenho muita meditação a fazer, muitos livros para ler, muito trabalho para terminar e muitas pessoas para ajudar. Desculpe, Fifa e Globo, não vai dar para fazer figuração dessa vez.

4 comentários sobre “Eu não tenho saco para a Copa

  1. Isabela Lins Flores disse:

    “olha que lindo” -> eu ri rsrsrs

    Vanessa,
    Oi tudo bem?
    Concordo com você! Não verei copa, até pq estamos neste Jejum para um propósito maior!
    Minha expectativa não é ver os jogadores entrarem em campo, mas é ver a minha entrada no Templo de Salomão! Mal espero esse dia!

    A copa para mim perdeu a graça na última quando eu vi o quanto o negócio era comprado e como eles não queriam nem chutar a bola. Pois eu realmente achava legal quando tinham jogadas difíceis e incríveis. E não simplesmente quando ganhavam. Mas isso, como acho legal em qualquer esporte, ou coisa que alguém que treinou mais se sobressai! Pois a pessoa, em vez de reclamar da vida, decidiu aperfeiçoar o talento dela.
    Mas enfim, mas nesta copa, quem vai ganhar vai ser a gente com a aproximação ao único Deus, pois tem tanto material espiritual para aproveitar, que eu nem tenho tempo para querer ligar a tv! rsrs
    Agradeço a Deus pela direção ao bispo deste Jejum, e de todos os outros que também foram ótimos!
    E amei o post!
    Acho a forma que você escreve muito perfeita e divertida 😀
    Beijo grande, que Deus continue te abençoando sempre e te dando essa inspiração maravilhosa para textos!

  2. Edy disse:

    Eu amei ler isso, porque vou fazer a mesma coisa! 😉 navegando no seu blog e amando os posts rsrs! Parabéns!

  3. Fernanda Suaiden disse:

    Vanessa, seus textos me dão tanto orgulho!
    Por favor, não pare de escrever! rsrsrs
    Beijos querida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *