Acordo de paz em Israel?

Quando vejo alguém dizer, a respeito do conflito na faixa de Gaza, que os dois lados devem estabelecer (e cumprir) algum acordo de paz, percebo que as pessoas não entendem nada a respeito do espírito do Hamas. Para esclarecer, vamos começar com parte do estatuto do Hamas:

“Os judeus nunca ficarão contentes, tampouco os cristãos, ao menos que se siga a religião deles. Dizei: ‘A orientação de Alá é a orientação certa.’ Mas se seguirdes os desejos deles, depois de saberdes quem foi que veio até vós, então não tereis a proteção e a guarda se Alá. (Alcorão 2- 120).

Não há solução para o problema palestino a não ser pela jihad (guerra santa).

Iniciativas de paz, propostas e conferências internacionais são perda de tempo e uma farsa. O povo palestino é muito importante para que se brinque com seu futuro, seus direitos e seu destino. Como consta do Hadith: “O povo de Al-Sha’m é o açoite (de Alá) na Sua terra. Por meio dele, Ele se vinga de quem Ele quer, dentre os Seus servos. Os hipócritas não podem ser superiores aos crentes, e devem morrer em desgraça e aflição.”

Notem que o Hamas foi construído sobre a premissa de que iniciativas de paz e conferências internacionais são uma farsa. Outra premissa é que a única solução é a jihad. Mais adiante vamos ver nesse mesmo documento que o objetivo é a aniquilação dos judeus. Eles realmente acreditam que os judeus são do mal e que devem ser exterminados (utilizam um trecho do Corão para justificar isso). Logo, não há “acordo de paz” ou forma de coexistir um estado israelense e um estado palestino enquanto um dos lados achar que a única saída é a aniquilação do outro lado e que vale tudo para que isso aconteça. Então, é mais do que compreensível que, mais cedo ou mais tarde, Israel resolva destruir o Hamas. E fazer isso enquanto a organização está fraca (pois perdeu apoio dos países vizinhos) seria uma ideia interessante, se não houvesse outro ponto importante nesse espírito do Hamas: vale tudo pelo objetivo.

O Hamas é uma organização criada com um propósito claro: destruir os judeus e tomar posse do país inteiro. Seus membros são doutrinados a viver e morrer por essa causa. Eles aprendem que judeus são inimigos cruéis e que, por isso, qualquer atitude é válida para destruí-los. Inclusive o uso de escudos humanos. Além de esconderem seus arsenais propositalmente em escolas e hospitais, eles usam seus próprios filhos e a população civil para que sejam mortos e virem mártires na televisão. Há no estatuto várias passagens que exaltam a morte dos que forem sacrificados na jihad. É algo nobre morrer (ou ser morto) pela causa, mesmo que o morto seja civil ou criança. Eu estranho o fato de que a maior parte das vítimas palestinas sejam civis e muitas crianças estejam envolvidas, pois não é assim que Israel age e nem faria sentido que atacassem esse tipo de alvo, sendo que isso faz com que a opinião pública se volte contra eles. O espírito do Hamas quer gerar em todos o mesmo ódio e indignação contra Israel que ele tem. Mas quando a emoção está envolvida (e o que causa tanta emoção quanto ver crianças feridas?) todo mundo para de pensar.

É estranho para nossa realidade ocidental imaginar um grupo que coloque seus filhos e sua população civil no meio de uma guerra deliberadamente, não acredite em iniciativas diplomáticas de paz e busque a morte daqueles que pensam diferente deles. Eles não fazem isso por mal, eles fazem isso porque acreditam e são doutrinados a isso desde a infância. O espírito que orienta isso tudo não está nem aí com o número de pessoas que ele vai conseguir levar. O que ele quer é destruir os judeus (e quem está lutando por isso crê que luta pela posse total do território para a Palestina). O que, obviamente, não acontecerá (ou a Bíblia deixaria de existir, já que faz promessas para o futuro de Israel), mas nada o impede de tentar. O Hamas acredita que os “infiéis” devem ser mortos e glorifica os muçulmanos que morrem pela jihad. Então, morrer pela Palestina é algo positivo para eles. E entendem que os palestinos que eles mesmos matam serão recebidos como mártires pelo deus deles. Veem como honra, pois lutam por um ideal. Mais um trecho do estatuto do HAMAS:

“o Movimento de Resistência Islâmica (HAMAS)  aspira concretizar a promessa de Alá, não importando quanto tempo levará. O Profeta, que as bênçãos e a paz de Alá recaiam sobre ele, disse; “A hora do julgamento não chegará até que os muçulmanos combatam os judeus e terminem por matá-los e mesmo que os judeus se abriguem por detrás de árvores e pedras, cada árvore e cada pedra gritará: Oh! Muçulmanos, Oh! Servos de Alá, há um judeu por detrás de mim, venha e mate-o, exceto se se tratar da árvore Gharkad, porque ela é uma árvore dos judeus.” (registrado na coleção de Hadith de Bukhari e Muslim).

O Lema do Movimento de Resistência Islâmica

Art. 8º Alá é a finalidade, o Profeta o modelo a ser seguido, Alcorão a Constituição, a Jihad é o caminho e a morte por Alá é a sublime aspiração.”

Ao ler o trecho acima, imediatamente me lembrei do trecho abaixo, do Antigo Testamento, em que Deus fala contra os Edomitas (descendentes de Esaú, que não existem mais) e a favor de Israel (filhos de Judá e casa de Jacó):

“Mas tu não devias ter olhado com prazer para o dia de teu irmão, o dia da sua calamidade nem ter-te alegrado sobre os filhos de Judá, no dia da sua ruína; nem ter falado de boca cheia, no dia da angústia; não devias ter entrado pela porta do Meu povo, no dia da sua calamidade; tu não devias ter olhado com prazer para o seu mal, no dia da sua calamidade; nem ter lançado mão nos seus bens, no dia da sua calamidade; não devias ter parado nas encruzilhadas, para exterminares os que escapassem; nem ter entregado os que lhe restassem, no dia da angústia. Porque o Dia do SENHOR está prestes a vir sobre todas as nações; como tu fizeste, assim se fará contigo; o teu malfeito tornará sobre a tua cabeça. Porque como bebestes no Meu santo monte, assim beberão, de contínuo, todas as nações; beberão, sorverão e serão como se nunca tivessem sido. Mas, no monte Sião, haverá livramento; o monte será santo; e os da casa de Jacó possuirão as suas herdades.” (Obadias 1.12-17)

No vídeo abaixo, o porta-voz do Hamas admite o uso de escudo humano. (As legendas estão em inglês, mas a transcrição está logo abaixo.)

 

Transcrição do vídeo, em português:

Âncora: As pessoas ainda estão indo para os telhados?
 
voz do repórter Ayad Abu Rida: Testemunhas nos disseram que é uma grande reunião e que as pessoas ainda estão indo para a casa da família Kawari, a fim de evitar que os aviões Sionistas atinjam a área.
 
Âncora, para Sami Abu Zuhri: Qual é seu comentário a respeito disso? As pessoas estão adotando o método de escudos humanos, que provou ser bem-sucedido nos dias do mártir Nizar Riyan.
 
Sami Abu Zuhri, Porta-voz do Hamas: Isso atesta o caráter de nosso nobre povo combatente da Jihad, que defende seus direitos e suas casas com seus peitos nus e seu sangue. A política de pessoas enfrentando o avião de guerra israelense com seus peitos nus, a fim de proteger suas casas provou ser eficaz contra a ocupação. Essa política também reflete o caráter do nosso bravo e corajoso povo. Nós no Hamas convocamos o nosso povo a adotar essa prática, a fim de proteger as casas palestinas.

Por esse pensamento, tantos civis palestinos estão morrendo. Por que a estratégia havia se provado eficaz contra a ocupação? Israel não pretendia atingir civis. Porém, se quiser evitar o pior, terá de enfrentar o pior. O Hamas é determinado, tem um objetivo bem claro, acredita nele, é perseverante e não poupará meios de atingi-lo. E, principalmente, tem convicção de que a única maneira de conseguir a posse total da terra (e eles não querem dividi-la com os judeus) é por meio da jihad, da guerra que poderíamos entender como suja, mas que eles veem como limpa e santa. Como Israel está bem familiarizado com os objetivos do seu oponente, não dá para estranhar que não queiram baixar as armas. Posso não gostar de guerra, mas entendo a situação ali.

Israel entrou por terra, para evitar mísseis em escudos humanos. A guerra começou. É claro que ninguém (além do Hamas) está feliz com a guerra, mas ela era inevitável (e ainda há muita água para rolar debaixo do Apocalipse até que tudo se resolva). No entanto, é necessário evitar entrar na conversa de parte da mídia em relação a isso, que tem ignorado as intenções do Hamas, por ignorância ou por beber do mesmo espírito. E, sem emocionalismos, sigamos racionalmente o conselho bíblico:

“Orai pela paz de Jerusalém! Sejam prósperos os que te amam. Reine paz dentro de teus muros e prosperidade nos teus palácios. Por amor dos meus irmãos e amigos, eu peço: haja paz em ti! Por amor da Casa do SENHOR, nosso Deus, buscarei o teu bem.” (Salmos 122.6-9)

 

 

2 comentários sobre “Acordo de paz em Israel?

  1. Raquel Ribeiro disse:

    Amiga que forte esse relato, estou cada vez entendendo melhor essa história desgraçada e triste do islamismo. (gostaria de saber seu testemunho de como saiu dessa religião maldita).

  2. Amiga disse:

    Bom dia Vanessa!
    Parabéns pelo texto!!! É exatamente isso que tento explicar para as pessoas mas elas não entendem e de quebra ainda me chamam de sionista kkk.
    Sou ex muçulmana e sei mto bem de onde vem a raiz de todo este ódio contra os judeus que é alimentado não só pelos palestinos mas por todos os muçulmanos do mundo. O desejo dos muçulmanos é que todo o povo de Israel seja exterminado da face da terra. De onde vem este ódio? Este ódio contra o povo judeu deu-se iniciu a mais ou menos 1431 anos atrás com o falso profeta Muhammad. Tudo pq os judeus que até então viviam em paz com os árabes de Medina não o aceitaram como profeta e riram dele por causa das mtas contradições que ele estava propagando. Por pura vaidade e desejo de ser melhor que Jesus Maomé expulsou os judeus de Medina pois não soube lidar com a rejeição.

    Em Bukhari Volume 5, Livro 58, Número 277 encontramos a seguinte revelação: “Narrado por Abu Huraira: O Profeta disse, “se apenas dez judeus (entre os seus chefes) tivesse acreditado em mim, todos os judeus iriam ter acreditado em mim.”

    Então ele começou a INSULTAR os Judeus nos versos do Alcorão:

    Na Sura 5:60, Allah os amaldiçoou e os converteu em MACACOS, PORCOS e ADORADORES DE SATANÁS. O verso diz assim: “Dize ainda: Poderia anunciar-vos um caso pior do que este, ante os olhos de Deus? São aqueles a quem Deus amaldiçoou, abominou e converteu em símios, suínos e adoradores do sedutor; estes, encontram-se em pior situação, e mais desencaminhados da verdadeira senda”. Muitos muçulmanos acreditam que todos os macacos e porcos do mundo são descendentes dos Judeus que foram amaldiçoados e transformados por Allah.

    Na Sura 2:65 e 7:166, Allah amaldiçoou os Judeus porque eles profanaram o SÁBADO e os transformou em MACACOS. “Já sabeis o que ocorreu àqueles, dentre vós, que profanaram o sábado; a esses dissemos: “Sede símios desprezíveis!”

    Nem os Cristãos escaparam da critica de Mohamed. Ele diz que os Adeptos do Livro (Judeus e Cristãos) estão destinados ao FOGO do INFERNO e que eles são AS PIORES DAS CRIATURAS. Veja você mesmo na Sura 98:6 “Em verdade, os incrédulos, entre os adeptos do Livro, bem como os idólatras, entrarão no fogo infernal, onde permanecerão eternamente. Estas são as piores das criaturas!

    Muitos muçulmanos acreditam que os macacos que existem hj na face da terra são descendentes dos judeus que allah transformou em macaco no passado.

    Ah! Vc sabe pq eles morrem como ‘mártires’ da jihad? Pq eles acreditam que irão direto para o paraíso sem precisar passar uma temporada no inferno expurgando os pecados. Eles acreditam tbm que terão direito a interceder por 70 pessoas da família e todas elas irão direto para o paraíso mesmo que estejam queimando no inferno. As 70 pessoas tbm terão direito a salvação devido ao sacrifício do tal ‘mártir da jihad. E eles ainda acreditam que chegando no paraíso terão o direto de usufruir de 70 huris ou virgens de olhos negros e seios firmes. Que essas mulheres são eternas jovens virgens que a após cada relação sexual voltam a ser virgens novamente e seus corpos jamais envelhecem.
    Mas, a loucura não para por aí. Tem mtos líderes islâmicos (sheikhs, muftis e imanes) que acreditam que para cada esposa que o muçulmano tiver nesta vida elas terão direito a 70 huris cada uma para servi-las no paraíso e, claro, o marido poderá usufruir de todas elas. Então, se o homem muçulmano tiver 4 esposas nesta vida e cada uma de suas esposas tem o direito a 70 huris para as servirem seriam 280 huris para o cara usufruir mais suas 4 esposas, 284 mulheres para que o cara faça sexo a vontade no paraíso islâmico.
    Existe um propósito bem maior por trás do sacrifício de cada mártir.
    Eles só não entendem que um Deus puro e santo jamais iria criar um bordel celestial. Que depois da morte não haverá mais orgias sexuais. Que Deus tem um lugar preparado para os fiéis sim, mas é um lugar de louvor e adoração e não de prostituição.

    PS1: os muçulmanos acreditam que a maioria deles qdo morrem passam uma temporada no inferno ‘expurgando’ os pecados. Eles rezam por seus mortos pq acreditam que suas orações os livrarão do inferno. Então, o sacrifício do mártir em nome da guerra santa ou jihad, seria o caminho mais curto para ‘salvar’ os entes queridos do inferno e levá-los ao paraíso.
    PS2: agora imagine só a decepção deles qdo a alma descola do corpo e eles se dão conta de que tudo não passava de um mentira e eles irão passar a eternidade no inferno rodeado de demônios e não no paraíso tendo relações sexuais com as belas huris. Deve ser mto tenso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *