Limites e limitações

478566_57900204

Limites são linhas estabelecidas para nos proteger de nós mesmos, dos outros ou de alguma situação (boa definição que peguei quinta-feira, da palestra do casal CrisRenato). Já limitações são situações que existem para nos impedir de chegar a algum lugar. É importante saber diferenciar esses dois, pois confundir traz sempre péssimos resultados.

Se respeitarmos os limites, eles nos ajudarão a progredir e avançar. Se nos curvarmos às limitações, elas nos aprisionarão. Na ânsia de provar que é livre, muita gente desrespeita os limites por vê-los como limitações. E, na vontade de ser correto, há quem aceite limitações, pensando que, assim, conseguirá crescer com segurança.

Se desrespeitarmos limites, jamais seremos livres, mas, sim, escravos de nossas vontades e impulsos. Respeitar limites exige esforço consciente, autocontrole e sacrifício. Isso nos faz mais fortes e nos ajuda a crescer. Se aceitarmos as limitações, jamais nos desenvolveremos. Limitações nos fazem escravos de nossos medos e angústias. Aceitá-las não exige nenhum autocontrole, é só se render ao medo.

Como diferenciar um limite de uma limitação? Limites não causam medo, não nos dão vontade de correr para um lugar seguro. Eles desafiam nossas emoções e exigem que liguemos nosso autocontrole. O limite de velocidade em uma rodovia não causa medo, ele apenas exige de você o máximo de seu autocontrole para não meter o pé no acelerador e sair voando feito um urubu desgovernado. Meu marido estabeleceu um limite para mim em nosso relacionamento logo no namoro. Estávamos no carro e, durante uma discussão, eu fiquei quieta e olhei para fora do carro. Era um hábito que eu tinha. Quando percebia que a conversa não estava evoluindo, simplesmente parava de falar. Ele, então, parou o carro e, calmamente, me disse:

 – Olha, eu não suporto gente emburrada. Grita comigo, briga, mas fala alguma coisa. Se for ficar emburrada, me avisa agora, que a gente termina tudo agora mesmo. Eu não vou casar com você e passar por isso todas as vezes em que a gente discutir.

Eu não tinha percebido que aquilo era um problema. Claro que, depois disso, nunca mais fiquei emburrada…rs. Era algo que eu havia feito minha vida toda, que tinha visto minha mãe fazer, meu avô fazer…mas consegui me controlar. E consigo até hoje. :-)

Isso era um limite, porque desafiou minhas emoções e minha vontade de me fechar na minha concha silenciosa e obrigou meu autocontrole a dar o seu melhor para que eu conseguisse respeitar aquela linha.

Uma limitação causa medo, dúvida e tenta obrigar você a se enquadrar em uma caixinha limitante. Achar que não gosta de ler, por exemplo, é uma limitação, porque pegar um livro causa em você uma angústia, uma sensação de que não vai conseguir ler até o final que, você não sabe, mas é nada mais nada menos do que um medo de não conseguir e se deparar com aquela sensação horrorosa de incapacidade. Para vencer isso, é necessário usar seu autocontrole para crer que você vai, sim, conseguir. Lutar contra sua resistência e contra a sua dificuldade, para ultrapassar aquela barreira e conseguir superar.

Tanto respeitar os limites quanto ultrapassar as limitações trazem o mesmo resultado: crescimento e segurança.

Um comentário sobre “Limites e limitações

  1. Li e reli seu texto várias vezes! Consegui entender a diferença entre essas duas coisas e identificar limitações em mim, que eu encarava como limites!

    Obrigada por compartilhar! Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *