Deixe o alicate de lado

beauty-salon-4-1570299

Ontem estava assistindo à Palavra Amiga ao meio-dia pela rádio e o Bispo ficou um tempão falando da importância de, se possível, parar tudo o que estava fazendo para prestar atenção ao que ele estava falando. Eu estava em casa, já tinha almoçado e estava aproveitando para arrancar pedacinhos do meu dedo com um alicate (o termo mais bonitinho para isso é “fazer as unhas”) enquanto ouvia. No começo, continuei no trabalho com o alicate porque pensei que não faria tanta diferença assim, afinal de contas, era um esforço mecânico que exigia muito pouco da minha mente ou do meu foco. Então (acho que ele me viu via rádio rs) ele disse que era importante parar o que estivesse fazendo, mesmo que fosse uma coisa pequena.

Oi, eu.

Pois é, parei o que estava fazendo. Coloquei o alicate de lado e fiquei exclusivamente ouvindo o rádio. E preciso dizer que fez uma diferença brutal na compreensão do assunto. Porque quando o foco é 100%, a conexão também é 100%. Você se desliga do resto e se conecta a quem está falando, ao que está fazendo ou ao que está acontecendo.

Isso serve também para quando você está na igreja. Não que a gente faça altas atividades paralelas durante a reunião, mas é muito comum a mente “escapar” para um problema que você precisa resolver mais tarde, para o trabalho, o filho, a vizinha, o papagaio… Muitos alicates. Ou o pastor fala alguma coisa e você já faz a conexão com outra e sua mente viaja… Ou o pastor pede para abrir a Bíblia, ele termina a leitura e começa a explicação e a pequena criaturinha humana continua lendo os versículos seguintes, como se não tivesse Bíblia em casa (a propósito, caso você não saiba, vai um alerta: o pastor terminou a leitura, feche a Bíblia e volte a olhar para ele, imediatamente).

É uma dica preciosa, que irá potencializar tudo o que você fizer, inclusive a busca pelo Espírito Santo: esteja presente no lugar em que você estiver. Vou repetir: esteja presente onde você estiver. Isso é deixar o alicate de lado. Force sua mente a estar onde seu corpo está. Isso é totalmente possível. O primeiro passo é aprender a renunciar, a sacrificar. Eu posso dizer não para o alicate e aplicar meu espírito integralmente a ouvir a mensagem no rádio. Eu posso dizer não para minhas preocupações e aplicar meu espírito integralmente à oração. Tudo é uma questão de saber o que merece o primeiro lugar naquele momento.

“Então Me invocareis, passareis a orar a Mim e Eu vos ouvirei. Buscar-Me-eis e Me achareis quando Me buscardes de todo o vosso coração. Serei achado de vós, diz o SENHOR, e farei mudar a vossa sorte; congregar-vos-ei de todas as nações e de todos os lugares para onde vos lancei, diz o SENHOR, e tornarei a trazer-vos ao lugar donde vos mandei para o exílio.” Jeremias 29.13,14

Só O acharemos quando buscarmos a Ele de todo o nosso coração. E o que significa isso? Com toda a nossa força, com toda a nossa atenção, sem alicatezinho. O seu alicate pode ser uma preocupação, uma ansiedade, um medo, uma dúvida… Hoje, quando for buscar a Deus, coloque seu alicate de lado, conscientemente, e foque toda a sua atenção nEle. A Palavra dEle promete que Ele vai ouvir e se deixará achar.

#JejumdeDaniel  #Dia11

 

 

 Amanhã de manhã tem novo post aqui.

** Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão diários e voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia o post do dia 19 para entender melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *