Clame ainda mais

clamando..

Vou colocar um trecho bíblico aqui, mas, antes, faço um alerta: se você já conhece essa história, esqueça que a conhece. Esqueça do que já ouviu a respeito dela, ainda que seja a mesma coisa que eu vou dizer. Faça um exercício: leia devagar, como se não a conhecesse, como se não soubesse nada sobre ela, tentando entendê-la como se fosse a primeira vez, como quem não sabe, como quem quer aprender. É uma forma de evitar que ela caia na gaveta da religiosidade, aquela que separa a Palavra do seu Espírito, como uma máquina que separa o arroz da palha e lhe dá a palha para comer. Zera tudo aí. Zerou? Então vamos continuar:

“E depois, foram para Jericó. E, saindo Ele de Jericó com Seus discípulos e uma grande multidão, Bartimeu, o cego, filho de Timeu, estava assentado junto do caminho, mendigando. E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim. E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava cada vez mais: Filho de Davi! tem misericórdia de mim.

E Jesus, parando, disse que o chamassem; e chamaram o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, que Ele te chama. E ele, lançando de si a sua capa, levantou-se, e foi ter com Jesus. E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça? E o cego lhe disse: Mestre, que eu tenha vista.
E Jesus lhe disse: Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho.”
Marcos 10:46-52

É óbvio que Jesus havia ouvido aquele homem chamar, Jesus não era surdo! Mas Ele não voltou para atendê-lo, esperou para ver sua perseverança.

Perceba qual foi a reação do cego ao ouvir as palavras que tentavam desanimá-lo e as vozes que o mandavam se calar e desistir. Ele clamava cada vez mais! Ele não apenas perseverou e foi “teimoso” contra aquelas vozes negativas, ele começou a buscar com mais força. Essa é uma dica preciosa: quanto mais pensamentos contrários e sensações conflitantes vierem tentando parar você, mais força você deve colocar na sua busca. Mantenha o foco, persevere e intensifique sua busca.

Note também que o cego não ficou ofendido por ser aparentemente ignorado por Jesus. Ele clamava por misericórdia, mas não por pena. Ele não se fez de coitado, aquele não foi um apelo emocional, foi um apelo de fé. A fé não se cala diante de vozes contrárias. A emoção se calaria e sofreria. A fé ergue ainda mais a voz.

O cego não estava nem aí para quem o mandava ficar quieto. Ele sabia do que precisava. Jesus, então, parou, mas não voltou correndo para encontrá-lo. Não ficou com peninha do cego. Ficou parado e mandou que o cego fosse até Ele.

O homem, por sua vez, não ficou magoadinho com Jesus por não ter dado a ele tratamento especial. Pelo contrário levantou, largou sua capa e correu até Jesus. Ele não ficou dizendo: “puxa, coitadinho de mim, Jesus não vê minha situação? Por que Ele não vem até aqui?”. Ele viu que a oportunidade estava ali, não olhou para as dificuldades, e tinha tanta certeza de que sua vida mudaria, que lançou de si a capa, que era tudo o que ele tinha, onde ele recolhia as moedas que recebia. Aquela capa era necessária para sua sobrevivência na rua mas ele sabia que não precisaria mais dela.

Jesus já tinha ouvido o cego. Com certeza queria atendê-lo. Mas não queria ir correndo até um homem que estava acostumado a comover as pessoas pelo sentimento e que recebia esmola, muitas vezes, por pena. O poder de Deus não é esmola. O Espírito Santo não é prêmio de consolação. A perseverança, a luta contra os pensamentos contrários, o fogo dessa batalha purifica a nossa fé e nos prepara para o encontro com o Senhor Jesus. Ele está esperando, pronto para nos dar aquilo de que mais precisamos. Quando as vozes contrárias perceberem que quanto mais repreenderem você, mais você clamará, elas vão se enfraquecer. E, então, você irá encontrá-Lo.

Quando chegou até Jesus, o Senhor perguntou o que ele queria! Como assim? Não era óbvio? O cara era cego e estava mendigando. Se estivesse na emoção, teria aí mais um motivo para se sentir magoadinho. “Pôxa, Jesus não está vendo o que eu preciso? Não está prestando atenção em mim?” Mas ele estava na fé. Não estava interpretando as atitudes de Jesus negativamente. A fé tem bons olhos.

Jesus queria que ele dissesse, que manifestasse sua fé. Ele pediu para voltar a enxergar, Jesus o curou e o ex-cego passou a segui-Lo. Não voltou para sua vida antiga, mudou totalmente o curso de sua vida. Não era mais cego. Não era mais mendigo. Era um servo do Rei.

#JejumdeDaniel  #Dia15

 

 

 Amanhã de manhã tem novo post aqui.

** Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão diários e voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia o post do dia 19 para entender melhor.

4 comentários sobre “Clame ainda mais

  1. Esse post me ajudou muito porque muitos tem sido os pensamentos que tem tentado tirar meu foco da minha vida espiritual, mas vou seguir esse conselho, vou clamar ainda mais. Obrigada!

  2. Boa noite Dona Vanessa td bem então eu tenho muita sede de conhecer Jesus mais ainda não estou liberta faz um ano e pouco q estou no caminho da fé mais tenho dificuldade para minha libertação completa não pq vivo no pecado pois já larguei td mais é pq não sei oq acontece comigo no passado visitei a umbanda e comi comida oferecida e cinto do na minha barriga e no meu pé e isso me agonia muito entrei no grupo de EVG da igreja e gosto muito de ajuda as pessoas mais eu não tenho o espírito de Deus e quero muito isto por favor me ajude… Tenho vergonha de passa mal pois conheço algumas pessoas daihreja e não quero envergonha o nome de Jesus pois agr estou no grupo
    Aguado sua ajuda.

  3. ” qndo as vozes contrarias perceberem que qnto mais repreenderem vc, mais vc clamará, elas vão se enfraquecer.”
    Isso é muito forte, muito forte. Muito importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *