Nem sempre tudo vai dar certo

pledge

A formatura no Godllywood foi inesquecível. A expectativa era chegar às 16h50, encontrar minhas convidadas, guardar o celular, entrar no santuário, sentar nas primeiras fileiras e meditar antes da reunião começar. Para não correr o risco de me atrasar, fui ao cabeleireiro no dia anterior e fiz as unhas em casa na noite de sexta. Deixei a bolsa, a roupa, o sapato e a maquiagem preparados para o dia seguinte.

Meus planos eram tão bonitinhos! Tinham até uma pequena margem de segurança para o caso de um ou outro imprevisto. Porém, na realidade, a única coisa que se cumpriu foi a parte de chegar às 16h50 e guardar o celular. O resto saiu de minha programação de tal forma que, por uma sucessão de fatores, só estava liberada para entrar no salão às 19h, quando todo mundo já estava lá dentro e eu tive que ficar em uma das últimas fileiras. Com os pés doendo, as pernas cansadas e a maquiagem indo para o céu das maquiagens.

Se fosse antes, eu teria entrado arrasada e demoraria muito para conseguir prestar atenção à reunião. O fato de situações saírem do planejado fazia com que eu questionasse cada uma das decisões tomadas e me culpasse por todas elas. “Eu não deveria ter aceitado ajudar em tal coisa”, “devia ter dito não quando me chamaram”, “deveria ter controlado o tempo no relógio”, “como fui burra!”, “não deveria ter continuado em pé quando percebi que minhas pernas estavam doendo”, “será que eu fiz certo?”. Vivia e revivia a situação que não existia mais, me torturando pelo passado, sem perceber que aquilo só me levava a um lugar: para baixo.

Sim, se você considerar meu planejamento inicial como parâmetro para o “certo”, poderia dizer que deu tudo errado. Mas, hoje, depois de tudo, não posso dizer isso, pois ainda que eu não tenha sentado no lugar que eu queria, ainda que não tenha tido o tempo que eu precisava para desacelerar antes da reunião começar, o resultado foi positivo.

Pensei: ok, meus planos não deram certo. Mas as escolhas que fiz já foram feitas, não posso desfazer. O que posso fazer agora é escolher certo de agora em diante. A escolha errada seria ficar remoendo e me focar no que não deu certo. Por outro lado, a escolha correta seria aceitar que as coisas não saíram como eu planejava, mas que, nem por isso, eu tinha sido derrotada. Para sair dali com um resultado positivo, eu deveria prestar bastante atenção à palestra e praticar tudo o que aprendesse. Afinal de contas, era o que importava.

Então, esqueci tudo o que estava me incomodando: o fato de entrar em cima da hora, o fato de não conseguir enxergar perfeitamente a pessoinha no Altar de onde eu estava, o fato de não ter conseguido sentar junto com ninguém. Me foquei no que tinha de positivo: a visão panorâmica do fundo do Templo é incrível, sentar sozinha permite melhor concentração, e eu poderia anotar tudo sem chamar muita atenção.

No Altar, tivemos o Bp Macedo, D. Ester e Cristiane falando sobre a importância da mulher na sociedade e o papel crucial que temos na construção do Reino de Deus. E sobre como é necessário manter nossos pensamentos nas coisas do Alto, ajudando os aflitos e nos preparando para o dia de nos encontraremos com Deus, seja na volta de Jesus ou no dia da nossa morte, o que vier primeiro. O assunto, de uma certa forma, também teve tudo a ver com manter o foco no que realmente importa.

Nos preparamos tanto, planejei cada horário, cada detalhe…mas, se não conseguirmos lidar de forma sábia com as dificuldades, as situações adversas e os imprevistos, corremos o risco de perder o mais importante.

Porque nem sempre tudo vai dar “certo”, do jeito que você planejou ou acha que deveria ser. Às vezes, situações vão mudar diante do seu nariz. Uma curva brusca na estrada. Uma escolha equivocada. Uma omissão em hora de ação. Ou uma atitude em hora de análise.

O que importa não é o que já aconteceu e que você não pode mais mudar, mas, sim, como você escolherá reagir agora. Se continuar no padrão de reações emocionais, continuará errando. Mas se parar e decidir reagir com a cabeça, independentemente de como estiver se sentindo, alcançará o resultado positivo.

E, pelo menos para mim, a formatura não foi para celebrar a entrada das meninas no grupo, a aprovação no Rush ou qualquer coisa assim. Foi, na verdade, para honrar Deus pela oportunidade indescritível que Ele deu àquele pequeno grão de areia revoltadinho e inútil que Ele tirou do fundo do poço. A oportunidade de aprender a fazer as escolhas certas, mesmo depois das curvas fechadas e dos solavancos da estrada. A oportunidade de ensinar. A oportunidade de ser útil.

Isso não é mérito meu. A Vanessa, sozinha, só fazia bobagem. Foi com Ele que aprendi a colocar meu raciocínio a serviço do progresso. Foi com Ele que aprendi o segredo de usar a fé de modo racional e consciente, para que, até o que parecia destinado a dar errado, desse certo. Tive a exata compreensão disso quando chamaram as formandas à frente. E essa experiência fez da noite de ontem uma das melhores de toda a minha vida.

 

 

.

PS: Cheguei tão esgualepada fisicamente que não consegui escrever no blog ontem. Sorry.

PS2: Vai entender…eu tiro selfies no carro quando estou vestida de mendiga para ir ao supermercado (ok, isso é um exagero, eu não me visto de mendiga para ir ao supermercado rs), mas me esqueci completamente de tirar uma selfie com o celular do meu marido na ida, com luz do sol e maquiagem bonitinha. Só fiquei com essa foto desfocada tirada com a câmera frontal do meu celular (não tem filtro, é a imagem dela à noite…), que abre o post. Eu estava exausta, com os pés doendo muuuito, por isso esse sorrisinho desmaiado rs. Mas estava MUITO feliz. :)

 

5 comentários sobre “Nem sempre tudo vai dar certo

  1. Parabéns pela formatura, Vanessa! Esta linda. Mesmo que tudo não tenha saído exatamente como planejou, Deus vê a sua disposição. Mais importante que nossos planos, são os planos de Deus em nossas vidas. Os planos Dele não falham, são perfeitos. Deus viu sua disposição em ajudar e quando você foi chamada, disse “eis me aqui”. Deus abençoa mesmo quando menos imaginamos, mesmo com os pés doendo, e mesmo sem sentar nas primeiras fileiras. Deus abençoa aquele cujo coração é sincero e está disponível para toda a Sua boa obra.

  2. Admiro muito seu trabalho Vanessa! E realmente nossa formatura foi maravilhosa e maior ainda foi a experiência de entender que podemos fazer certas e novas escolhas em meio a milhares de desafios que não questionam se nos programamos ou não (rsrs). E vida segue mais viva com Jesus!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *