O convite do Espírito Santo

sailboat-459794_1920

A igreja dos primeiros cristãos não tinha nome. Ela surgiu quando o Espírito Santo foi derramado na reunião em que estavam aquelas 120 pessoas que obedeceram à ordem de Jesus de esperar em Jerusalém até serem revestidos de poder do Alto. Mais de 500 pessoas O viram ressuscitado, mas apenas aquelas 120 estavam em Jerusalém naquele dia. Eles estavam escondidos, inseguros, sem saber o que deveriam fazer. Mas no dia de Pentecostes, assim que foram cheios do Espírito Santo, todo aquele medo acabou.

Imediatamente começaram a falar com ousadia das grandezas de Deus. Pedro se levantou, começou a pregar e, naquele mesmo dia, entre os curiosos que se aproximaram para ver o que estava acontecendo, quase três mil pessoas se converteram. Quase três mil almas se juntaram àquelas primeiras cento e vinte, de uma só vez. Quase oito vezes mais do que os que viram o Senhor ressuscitado, mas não estavam em Jerusalém no dia de receber o Espírito Santo pela primeira vez.

Deus nunca perde. Ele alcançou os que esperaram e também alcançou os que estavam por perto e se interessaram em ouvir. Hoje, quem quer ouvir e se aproxima, ainda que não tenha religião, ainda que não saiba nada de Deus, também pode recebê-LO, se estiver disposto a entregar sua vida a Ele. Quem for suficientemente honesto para admitir que sozinho não tem conseguido; que fez escolhas erradas e quer, sinceramente, ser guiado pelo Espírito do Deus Vivo, tem hoje a chance de receber uma nova vida.

O Jejum de Daniel é como o convite do Espírito Santo àqueles três mil homens no dia de Pentecostes:

E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa.

Atos 2:40

Se desliguem das coisas que fazem com que este mundo esteja mergulhado no caos. Saiam das trevas e venham para a Luz. Mudem sua maneira de pensar. Recebam o Espírito da Sabedoria. Salvem-se do sistema perverso que domina este mundo. Venham conhecer o Reino de Deus. Mas que tipo de reino é este? É um reino em que ficamos tomando chazinho de cogumelo e tocando harpa, vestidos de branco? Nããão! É guerra, todos os dias! O reino de paz está dentro de nós. E precisamos disso para guerrear decentemente e não morrer no campo de batalha.

Explicando (porque nesse tempo de crente jihadista, é preciso explicar) que a guerra não é contra as pessoas. Não é contra os homossexuais, não é contra políticos, não é contra nenhum ser humano. A guerra é contra o mal e contra nós mesmos. A guerra é contra as vozes dos gremlins invisíveis que se empoleiram em nosso ombro e tentam desviar nossa atenção. A guerra é contra o tempo que tenta nos vencer pelo cansaço. A guerra é contra as dúvidas, o medo, a falta de confiança.

Nessa guerra, precisamos da armadura do Espírito Santo. Precisamos das armas e do escudo, que são a Fé e a Palavra de Deus. Por isso o convite da salvação foi feito assim que o Espírito Santo veio. Ele nos convida a entrar no barco e viver de acordo com a Sua Palavra, mas cada um de nós decide se sobe ou não. E como se decide subir? Sentindo que quer subir? Esperando ver que subiu? Não. Agindo como quem quer subir e…subindo. A vontade e o sentimento vêm (se vierem) depois da decisão e da ação. 

.

#JejumdeDaniel  #Dia8

 Amanhã tem novo post aqui.

** Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão diários e voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

PS: Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

6 comentários sobre “O convite do Espírito Santo

  1. Mariana Letícia disse:

    Fico sempre esperando a senhora postar…muito bom! Tem me ajudado muito! Obrigada!

  2. Fernanda Ferreira disse:

    O melhor é saber que mesmo não merecendo, conscientes de que somos limitados ele nos concede o Espírito Santo de graça.
    Deus a abençoe cada vez mais, Vanessa!

  3. Regina disse:

    Concordo com tudo, mas só uma coisa me deixa um pouco cismada, que embora a nossa luta não seja contra as pessoas, as coisas ruins exteriores acontecem por causa de muitas delas, e nisso cito os políticos. Por mais que não vivamos no mundo mas não façamos parte dele, infelizmente a nossa vida acaba sendo influenciada pelas leis e o sistema de um país, e nisso, os políticos têm sido os maiores inimigos, não só dos cristãos como também da população em geral. Mesmo que os mesmos estejam sendo guiados pelo diabo, determinada parte da luta tem que ser desviada sim contra eles. Não com ataques físicos ou verbais, mas através da expressão de indignação da população que se une para mostrar para eles que lutamos pela verdadeira democracia.

    • Regina, essa é outra questão, que exige outro tipo de post, em outra época do ano. Nossa luta (a luta dos cristãos) não é contra as pessoas, está escrito. As pessoas são usadas pelos demônios e não serão menos usadas se lutarmos contra elas. O que pode ser feito é escolher quem dê menos espaço para eles. E lutar contra propostas, não contra pessoas.
      Os políticos não são os maiores inimigos da população, acredite. Eles são parte de um sistema que é dominado por algo muito maior e pior do que qualquer sistema político. Consciência política é algo bem diferente do que nossa mídia manipuladora e viciada tenta nos fazer acreditar. E se as coisas não mudarem no âmbito espiritual, não mudarão em âmbito nenhum.

  4. Karina disse:

    Oi Vanessa, Bom dia tudo bem?
    Será que você pode me ajudar?!
    Estou passando por uma situação que não estou sabendo resolver, é isso está me desanimando ao extremo!!!

    Esses dias vi uma postagens que você estava falando ter sede de Deus, e abriu os meus olhos. Vi que estava confundindo ter sede e ter “sentir que tenho sede”porque um dia eu sentia vontade de buscar e no outro não queria mais.
    Comecei o jejum de Daniel cheia de ânimo e confiante, mas ao passar 3 dias desanimei… e não estou sabendo aproveitar, não consigo ficar em espírito no meu ambiente de trabalho, sem contar que as falhas que tento corrigir, nunca consigo.
    Às vezes me pego mentindo, e quando vou ver já falei, já fiz… o pior é que só percebo depois que já fiz, é isso me desanima e me chateia profundamente, minha consciência me acusa e o gremlin também, não sei mais oq fazer pois sei que isso me afasta de Deus, e tenho dentro de mim que dessa forma nunca vou nascer de Deus ou receber o Espírito Santo.

    Agradeço desde já.

  5. Débora disse:

    Poxa vida, Vanessa! Eu reconheço todas essas necessidades de ter o Espírito, também o desejo para alcançar os aflitos. Tenho vizinhos que sofrem e embora as vezes perca o sono pensando no que dizer, em ir até lá para ajudá-los nunca consigo por causa do medo de falhar. Mas não quero ser como Elias que foi substituído por ter medo de ir, não quero que seja necessário que Deus ponha outro em meu lugar, quer dizer, preciso desse Espírito a fim de ganhar os aflitos, de estar habilitada a isso. No entanto , hoje percebi que estou imersa na preocupação do que comer, beber, vestir, como pagar transporte para ir as aulas , visto que tenho vivido em serias dificuldades. Já orei a respeito mas de fato não sei como lançar fora toda preocupação que na maioria das vezes está implícita. Preciso desse Espírito, ainda que Deus envie outros para ajudar meus vizinhos… preciso que Deus possa contar comigo, preciso pertencer a Ele. Mas como lançar fora toda essa preocupação????

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *