Coloque um segurança

bodyguard-145447_1280

A dieta anti-gremlin — Parte 3

Já sabemos que aquele gremlin que se empoleira em nossos ombros para sugerir pensamentos negativos se alimenta dos sentimentos dramáticos que brotam do nosso coração quando ficamos ruminando esses pensamentos.

Enquanto andamos no modo automático, sem cuidado, apenas reagindo emocionalmente, deixando a vida nos levar, ele se fortalece. Mas quando tomamos as rédeas da nossa vida das mãos dele e passamos a nos responsabilizar pelo que colocamos diante de nossos olhos e ouvidos (conforme os posts anteriores), nos fortalecemos e o gremlin se enfraquece. Porém, além disso, também devemos nos responsabilizar pelo que permanece em nossa mente.

Os pensamentos que você alimenta e permite que fiquem passeando pela sua cabeça também são escolha sua. É claro, pensamentos vêm e, como você está habituado a deixar que entrem sem filtro e critério, talvez demore um pouco para perceber que entraram.

Mas imagine que agora tem um segurança na porta pedindo a identidade dos pensamentos. Só entra quem tiver uma marquinha positiva. Caso algum negativo-dramático entre, assim que for detectado deve ser expulso pelo segurança. Alerta total contra esses meliantes. Pensamentos negativos, mágoa, crenças negativas a respeito de si mesmo, dos outros e da vida, em geral, comentários outras pessoas, enfim, tudo o que intoxica a sua mente deve ser colocado para fora.

Algo que me ajudou muito foi descobrir esse versículo:

Não apliques o teu coração a todas as palavras que se disserem, para que não venhas a ouvir o teu servo amaldiçoar-te. Porque o teu coração também já confessou que muitas vezes tu amaldiçoaste a outros.”

Eclesiastes 7.21,22

O que é aplicar o coração? É ficar pensando no que ouviu, guardando dentro de si, levando extremamente a sério todas as bobagens que as pessoas dizem. Uma hora ou outra, você vai ouvir alguém dizendo algo que machuque (ainda mais se estiver em estado de drama) e aí o drama atinge picos quase insuportáveis.

Mas a Bíblia dá um chacoalhão na criatura com complexo de vítima: encare tudo com leveza. As pessoas dizem bobagem, mesmo. Você já disse bobagem muitas vezes. Pode ter falado algo que não queria em um momento de raiva ou de mágoa. Talvez nem se lembre, talvez nem tenha notado. Gostaria que a pessoa se apegasse ao que você disse? Gostaria que julgasse você por isso?

Principalmente se você se arrependeu do que disse ou se não queria ser maldoso no comentário, duvido que iria gostar de ser motivo para a pessoa se ofender e ficar guardando mágoa. Então não faça com os outros o que não gostaria que fizessem a você.

O gremlin é totalmente contrário ao Espírito de Sabedoria (caso contrário, não seria gremlin), então faz de tudo para que você aplique o coração a todas as palavras que dizem. Por isso a importância de interromper a ruminação de uma vez por todas.

Seus pensamentos sobre o pensamento inicial devem ser curtos e ter um único objetivo: lembrar você de que eles estão errados. “Isso é bobagem”, “deve ter outra explicação”, “não estou dentro da cabeça das pessoas para saber o que pensam”. E pronto!

Então, sempre que algo negativo entrar por seus olhos ou seus ouvidos ou mesmo quando um pensamento negativo ou potencialmente prejudicial aparecer em sua cabeça, coloque o segurança para agir. Remova o meliante imediatamente. Ainda que não o tenha percebido quando ele passou pela porta, remova assim que perceber. Não precisa ser muito educado, não, pode arrastá-lo pelos cabelos e atirar porta afora. Sua cabeça não é casa da mãe joana.

.

PS: Para ler os posts anteriores, clique:

Parte 1: O que você coloca diante dos seus olhos e ouvidos

Parte 2: Você não precisa disso

 

 

4 comentários sobre “Coloque um segurança

  1. No post anterior você falou sobre nos afastarmos das coisas que ativam o modo drama, as comidas personalizadas do gremlim . E quando essa comida está relacionada a outras pessoas? Pra mim se uma pessoa me trata com rispidez, e grosseria, imediatamente vou pra mil na escala drama, por exemplo, se estou no ônibus lotado e alguém fala rispidamente ‘ sai da frente menina!’, já é suficiente para meus olhos se encherem de água e eu me sentir péssima o dia inteiro.

    Eu moro a uma hora e vinte, uma hora e meia de Salvador e ontem tinha marcado um encontro com uma “amiga” em Salvador ás seis horas, peguei o ônibus ás quatro pra chegar bem adiantada. Só que peguei dois engarrafamentos ( imprevisto já que fui de expresso )e acabei chegando ás seis e meia, como estou sem celular no momento não pude ligar para avisar. Eu já estava muito chateada por estar tão atrasada ( sou pontual), e quando cheguei já na escada fui recebida com uma bronca, a impressão que tive foi de que ela estava “irremediavelmente” chateada ontem, conversamos rapidamente ( ainda neste clima) e tentei tirar proveito daquela conversa, apesar de me sentir ridícula .

    Este post veio na hora certa. A maneira como pessoas me trata muito me afeta, muito o como elas dizem do quê, o quê elas dizem. Quero me libertar disso, porque a sensação que tenho, ou melhor, as pessoas com quem convivo ou encontro sempre fortalecem os meus complexos . E eu preciso mudar, não posso depender de ninguém para me sentir,afinal essas pessoas podem não mudar nunca.

  2. Roni Santos disse:

    Prezada sra Vanessa Lampert, uma das cenas do capitulo de hoje dá A Terra Prometida Raabe falando para ex rainha de AÍ (Úla), para irmão de Mireu de como se falar com DEUS. Neste momento reprisa ela (Raabe), orando ao DEUS dos Hebreus. No momento da oração ela começa a ouvir vozes (gremlin (demônios)) lançando dúvidas, e ela põe as mãos sobre a cabeça dar ordem para que eles fiquem em silencio ou manda eles ((gremlin (demônios)) saírem, e ela prossegue na oração, e tem a plena certeza que foi ouvida. Agradece, ou seja, imediatamente e ela ativou o módulo de segurança.

    OBS: Está cena ocorre aos 27’23” – A Terra Prometida #175 – capítulo completo de 07/03/2017

    https://www.youtube.com/watch?v=PMKap8gURqo

  3. Paola disse:

    Colocar em prática toda essa coisa de botar os maus pensamentos para fora, tem me ajudado muito. Depois, quando estamos habituados a restringir o que entra em nossa mente, passa a ser natural. Minha fé tem sido mais alimentada sem esses pensamentos. como diz você Vanessa, “eu não preciso disso”.

  4. Amiga disse:

    Confesso que por muito tempo fiquei ativando o modo Maria do Bairro e me fazendo de coitada pra mim mesma dizendo:
    -poxa, por que será que isso acontece (ou não acontece) comigo?? Eu sou assim, não atrapalho ninguém, não faço mal pra ninguém, não entendo o por que…
    Querendo a atenção das pessoas e quando elas não reparavam que eu estava mal, começava outro drama, “poxa, tô vendo que não tenho amigos, tô sozinha. Se fossem meus amigos mesmo iam perguntar por que estou assim.”

    essas pessoas nem sonhavam que Maria do Bairro estava ativada esperando uma reação de preocupação, As pessoas têm uma vida, as pessoas também tem problemas.

    Acabei com isso quando decidi mudar. Aconteceu do dia pra noite? Quem me dera! Depois de ter decidido me peguei batendo um papo com Maria do bairro e por vezes tinha que acabar com aquele drama que continuava tentando me consumir.
    Não é impossível!! É fácil? Não mesmo! Mas imagina você lá na frente se tornando mais forte em vez de se diminuir cada vez mais diante das situações em que você pode escolher entre razão e Maria do Bairro dizendo “siga o seu coração”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *