O que sai da sua boca

803735205_64070_4867087084750508003

A dieta anti-gremlin — Parte 4 — O que sai da sua boca

A última parte da dieta anti-gremlin talvez seja a que exige mais esforço. Porque quem se deixa guiar pelo sentimento também tem o péssimo hábito de falar sem pensar. Normalmente, a pessoa não tem a menor noção do que sai de sua boca (ou dos dedos, quando digita rs). Para quem está vivendo sua novela mexicana particular, a linguagem negativa soa natural, pois combina perfeitamente com sua forma de ver o mundo.

A linguagem negativa alimenta a visão negativa que confirma a linguagem negativa que reforça a visão negativa, em um ciclo autodestrutivo de negatividade. Corte uma e a outra perde a força. Então, além dos dois passos anteriores, fique atento também ao que sai da sua boca.

Coloque aquele segurança para cuidar disso, também. Evite palavras negativas, críticas a si mesmo e aos outros (ainda que você pense que é “verdade” ou que está “só comentando”), maldições — por exemplo, dizer: “eu nunca vou conseguir” é se autoamaldiçoar. Dizer “espero que ela se dê mal” é amaldiçoar os outros. “Esse país está perdido” é amaldiçoar o país.

Não é muito fácil identificar porque, como eu disse, se você está habituado a esse linguajar, ele entra em seus ouvidos com naturalidade. Cuidado com as palavras que usa para falar dos outros, de si mesmo e das situações.

“Mas, o que sai da boca, procede do coração, e isso contamina o homem. Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, fornicação, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.” Mateus 15.18,19

Note como boa parte do que tem envenenado sua vida está relacionado ao que sai da sua boca. Isso é o que contamina o homem. As palavras negativas são fruto de maus pensamentos e podem ser mães da injustiça. Às vezes podem parecer inocentes, mas não são. Você pode achar que não está prejudicando ninguém ao criticar um político ou um bandido depois de ver uma notícia na TV, mas está prejudicando alguém, sim: você mesmo.

Lembre-se de que a ideia toda é parar de alimentar o gremlin até enfraquecê-lo e, para isso, é imprescindível tirar a linguagem negativa do seu vocabulário. Uma boa ideia é seguir o seguinte conselho:

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem.” Efésios 4.29

Note que “palavra torpe” aqui está sendo usada como oposto a “palavra boa para promover a edificação”. Ou seja, palavra torpe é qualquer palavra destrutiva, não apenas as que nos parecem “feias”. Críticas a si mesmo (já ouviu em algum lugar? rs) são palavras torpes. Falar mal ou usar linguagem maldosa para falar de alguém é palavra torpe. Mentir, obviamente, é palavra torpe.

Além disso, palavras negativas são torpes. Palavra de derrota é palavra torpe (afinal de contas, a última coisa que uma palavra de derrota poderia fazer é ser boa para edificação), espalhar boatos é palavra torpe, falar de coisas negativas do passado é torpe (serve para quê?)… Enfim, pense aí em algumas alternativas que sejam contrárias a “palavra boa para edificação”… Reclamação! Isso, reclamação se encaixa perfeitamente na definição de palavra torpe. Que tal, a partir de hoje, deixar de torpeza?

O mesmo versículo explica o que deve sair da nossa boca: “só a que for boa para promover a edificação”. SOMENTE esse tipo de linguagem útil, construtiva, que ajude, que coloque para cima…pense…seu alvo é chegar a um ponto em que todas as palavras que saem da sua boa sejam construtivas e positivas, inclusive aquelas sobre si mesmo ou sobre situações difíceis. Uau, quem disse que esse negócio de “graça” é fácil, hein? Mas Deus não nos pede nada sem que antes já tenha nos dado capacidade e plenas condições de cumprir. Só precisamos acreditar, obedecer e insistir até conseguir cumprir.

Enfim, você não vai morrer se uma ou outra palavra negativa escapar, o importante é ficar atento. No começo é mais complicado porque você está tão habituado a falar bobagens que as bobagens fluem naturalmente. O importante é ficar atento para identificar o monstrinho e eliminá-lo. Aos poucos sua sensibilidade a palavras negativas vai aumentar e vai ser cada vez mais natural evitá-las.

 

 

PS: Para ler os outros posts sobre a dieta anti-gremlin, clique:

Parte 1: O que você coloca diante dos seus olhos e ouvidos

Parte 2: Você não precisa disso

Parte 3: Coloque um segurança

2 comentários sobre “O que sai da sua boca

  1. Nayane Negretti disse:

    Muito interessante, Vanessa.
    Estou precisando me controlar nesse aspecto.
    Obrigada.

  2. Daniella Lorenzetti disse:

    Olá Vanessa , tenho acompanhado seus posta sobre gremilins e dietas anti-gremilins .
    Como Deus tem falado e me ensinado através de vc .
    Que o Espírito Santo continue te usando e abençoando-te infinitamente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *