Intolerância à negatividade

803721589_87159_15051469939502223805

Nos próximos posts vamos analisar algumas das principais “características literárias” dos roteiros que o gremlin escreve na cabeça das pessoas. Mas é importante que, além de conseguir identificar a voz do gremlin, ela se torne repugnante para você. Não pode mais ser algo tolerável. Vá se treinando a rejeitá-la como rejeitaria uma comida estragada, apodrecida ou algo que lhe fizesse muito mal.

Seja exagerado nesse início. Não tem problema ir para o extremo oposto, depois será mais fácil encontrar o equilíbrio. Faça de conta que desenvolveu intolerância a negatividade e drama equivalente à intolerância que um celíaco tem ao glúten. Aliás, eu vejo muitas semelhanças entre o que o glúten é para um celíaco e o que a negatividade é para uma mente saudável.

A doença celíaca é uma intolerância violenta ao glúten. Alguns celíacos não podem chegar nem perto do glúten que já passam mal. Qualquer farelinho de pão já é suficiente para desencadear uma crise. Muitos vivem anos passando mal sem saber por que (não sei se reparou, mas nossa dieta está cheia de glúten) e quando, enfim, descobrem, a mudança de dieta é radical, mas é a única maneira de terem uma vida normal.

Mal comparando, a intolerância que você desenvolveu à negatividade e ao drama é altíssima, como celíacos com o glúten. Os sintomas dessa intolerância são fáceis de perceber no dia a dia. Você está intoxicado, exausto, tudo parece difícil e pesado. É difícil acreditar que as coisas irão melhorar. Quanto mais negatividade consome, mais difícil e pesado tudo se torna. Reclamar é quase inevitável. O mundo parece cinza, exige um esforço quase sobrenatural manter o ânimo, o entusiasmo, a esperança.

Agora que começou a nova dieta anti-gremlin, está se desintoxicando. Não é da noite para o dia, mas aos poucos você vai perceber a vida ficando mais leve. Porque as coisas podem ser complicadas e difíceis do lado de fora, mas não precisam ser assim do lado de dentro. Por dentro, pode ser leve. Pode e deve ser leve, afinal de contas, a proposta era justamente trocar um fardo pesado pelo leve, não é mesmo?

 

.

*Para quem está chegando agora: “gremlin” é como chamo os monstrinhos invisíveis que imagino sentados em nossos ombros sugerindo pensamentos negativos. Eu os imagino com aquela cara dos monstrinhos do filme Gremlins, principalmente para não querer um troço desses no meu ombro. 

 Se quiser entender melhor a referência, leia esses dois posts do Jejum de Daniel:

Dando crédito à voz do gremlin

O estado de drama e as lentes verdes do gremlin

8 comentários sobre “Intolerância à negatividade

  1. Eu quero/preciso desenvolver essa intolerância as palavras do gremlin.

    A parte mais difícil para mim ainda é sobre o Espirito Santo, percebi que tenho essa ideia errada, mas fixa na minha cabeça de que preciso ser completamente impecável. Se Deus deseja me dar o seu Espirito muito mais do que eu possa desejar, então sou eu que estou fazendo algo errado e por isso ainda não recebi o ES. É incrível como eu sempre acredito com a maior facilidade do mundo que tudo que eu faço está errado, cresci ouvindo isso, e ás vezes me pego acreditando nisso como uma verdade absoluta. E se eu não for certinha não recebo o ES. Ou que minha fé não vale de nada.

    Semana passada encontrei o líder do grupo que eu fazia parte quando morava em outra cidade, conversamos um pouco, ele queria saber se eu tinha progredido na fé. Como sempre, acabamos falando sobre o Batismo com o Espirito Santo, falei da minha luta e das coisas que estou aprendendo. Ele começou a me orientar quando de repente, olhou fixamente nos meus olhos e disse ‘ Fale em línguas aí agora, fale pode falar !’, eu fiquei paralisada, literalmente. Na minha cabeça estava acontecendo uma discussão, um debate e foi isso que me paralisou, foi como se eu tivesse me retirado para ouvir o que estava acontecendo dentro de mim. Foi então, que ele ( o líder do grupo) me explicou que o que ele estava querendo dizer com aquela atitude é que esse Batismo é uma atitude de fé e que eu é que decido quando vai acontecer. Ele também me disse que se eu quero ser Batizada com o Espirito Santo Ele está comigo em qualquer lugar, me explicou que não é um lugar ou uma reunião especifica que vai me fazer ser batizada, mas a minha fé a minha atitude de fé. Lembro que ele me disse que no caminho de casa, na rua, no ônibus, ou naquele mesmo dia eu poderia ser batizada com o Espirito Santo.

    Acho que no fundo eu sei disso, mas quando ele me disse foi como se eu nunca tivesse atentado para esse fato, no entanto, comecei a pensar, o batismo no Espirito Santo requer de mim fé, e não perfeição (“não por causa de atos de justiça por nós praticados, mas devido à sua misericórdia, ele nos salvou pelo lavar regenerador e renovador do Espírito Santo”,Tito 3:5) logo se eu ainda não recebi é porque não tenho fé. Esse é um pensamento que parece tão logico para mim, a minha fé não é suficiente, preciso de mais, como? Não consigo simplesmente buscar, sempre cresce dentro de mim uma preocupação, e acabo achando que tenho que me esforçar mais na busca, porque não consigo fazer direito .

    Eu não aceito mais a minha vida velha, não quero mais a velha Danuza, não quero outra vez cair em depressão acreditando que Deus me odeia. Eu quero que quanto mais o tempo passe mais prazer eu tenha em estar na presença de Deus, quero um dia poder ajudar pessoas que estejam passando pelo mesmo que passo agora, quero permanecer. Quero ser guiada por esse Espirito. Mas as vezes parece que esse desejo, esse “desespero” para tê- Lo atrapalha.
    Você já viu uma mulher implorando ao seu marido para ficar em casa, quando ele sai depois de uma briga? Eu já, ela chora se atira aos pés dele, implora, cai no chão, promete coisas ridículas, pede perdão por ter brigado, diz que ele está certo que vai aceitar tudo que ele quiser, grita o nome dele desesperadamente, se descabela toda. Quando ele sai ela levanta, lava o rosto se arruma, descobri onde ele está e vai atras dele para começar tudo de novo ( rsrsrs terrível). É exatamente assim que me vejo quando estou buscando, implorando, gritando ( não literalmente), me rastejando . Mesmo usando a minha fé na busca, determinando que não vou ficar deprimida depois, mesmo controlando para não cair no sentimentalismo, dentro de mim eu ainda estou desesperada, gritando IMPLORANDO. Tenho urgência em encontra- Lo.
    O pastor fala que a nossa sinceridade nos faz chegar ao Trono de Deus, tenho sido sincera, mas não alcanço o Trono a Graça de Deus. Sim, eu já duvidei da minha própria sinceridade, tentei encontrar o padrão Deus de sinceridade, mas percebi que é mais simples.

    Não quero ser aquela que nunca aprende. Estou em guerra comigo e com esse sentimento de rejeição sei para onde ele me levou e não quero voltar para lá. me sinto cansada, desanimada e a luta agora é constante.

    Ps: Como assim ser exagerada no inicio?

    • ” Ele começou a me orientar quando de repente, olhou fixamente nos meus olhos e disse ‘ Fale em línguas aí agora, fale pode falar !’” Mucho loco esse seu amigo aí, viu? Eu não teria tido uma reação muito diferente da sua rs. Mas deixa eu explicar uma coisa para você: não é preciso ter mais fé ou uma fé maior. É preciso ter uma fé pura, sem manchinha de dúvida. A fé pode ser minúscula, desde que não haja dúvida.

      Outra coisa: não fique obcecada com o Espírito Santo. Você precisa nascer de Deus primeiro. Você já está progredindo na fé, não precisa falar em línguas para provar isso. A gente progride na fé quando começa a obedecer a Deus. E não tem que ficar tentando dissecar o pensamento e responder a ele, simplesmente desconsidere e construa um novo pensamento. Se livre da religiosidade e dessa bagagem aí. Entenda que está progredindo, sim, está no processo de novo nascimento. Seu objetivo na busca, nas reuniões e na meditação bíblica deve ser ter mais intimidade com Deus (e não o batismo com o Espírito Santo).

      Quando eu estava nesse processo, me lembro que tinha pelo menos dois obreiros que, com as melhores intenções do mundo, insistiam que eu tinha que ser obreira de novo (quase como que uma prova do meu progresso espiritual, como se ainda ser membro significasse que eu estava “atrasada” de alguma forma…). Se eu fosse entrar nessa onda de “me preparar para ser obreira” teria desviado minha atenção do meu foco que era ser amiga de Deus e construir estrutura espiritual. Graças a Deus eu coloquei isso dentro da minha cabeça de um modo até meio obsessivo e não me permiti desviar a atenção, senão era capaz de ter conseguido um uniforme, mas perdido o mais importante. Eu sabia que Deus não estava me pedindo uniforme, nem serviço braçal na casa dEle naquele momento. Ele estava me pedindo para mudar minha mente e nascer de novo. Só depois disso é que fui descobrir que não tinha o Espírito Santo, etc. etc. etc. Já pensou? Então, neste momento, se mantenha firme no objetivo de nascer de Deus, ser amiga dEle e construir uma estrutura espiritual sólida. Ponto final. Há tempo para tudo.

      Beijos!

      PS: Leia de novo essa parte de ser exagerada, vc vai entender. É pender para o outro lado, se for preciso. Por exemplo, percebeu que a conversa com o seu amigo colocou você para baixo? Ignore o que ele disse. Comece a ignorar tudo o que te colocar para baixo, desprezar tudo o que for negativo sem ter medo de virar uma positiva doida e se sentir vulnerável.

  2. Débora disse:

    Lembrei da minha alergia a orégano, a última vez que comi quase morri, foi horrível fiquei até traumatizada por um tempo. Hoje eu sou expert em identificar orégano, não quero passar pela aquela experiencia de morte novamente ou até mesmo morrer.

    Não como nada sem antes me certificar de que não tem orégano e se eu comprar e descobrir que tem eu jogo fora ou dou a alguém não importa o quanto custou. Uma vez fui almoçar na casa de uma amiga e ela fez macarronada com molho pronto, quando ela veio com o prato eu senti o cheiro de orégano e me assegurou de que não tinha colocado orégano por causa da minha alergia. Quando olhamos a composição do molho, tinha orégano. Eu já estou treinada a perceber o orégano de longe, já que não quero morrer. Eu tenho ódio do orégano, pra me deixar revoltada basta ver orégano, rssr.

    Entendi que preciso desenvolver essa intolerância, alergia, ódio das palavras do gremlin.

  3. Paola disse:

    Sou totalmente intolerante à essas vozes. De fato, a vida se torna mais leve e saudável sem esses bichinhos horrorosos falando aos meus ouvidos.

  4. Elaine disse:

    Estava pensando justamente isso! Pedindo a Deus que me fizesse odiar, repugnar, nausear (assim como acontece no Tratamento para Cura dos Vícios) as coisas que me afastam dEle.

    Como você disse, Vanessa, comecei a ler o livro do bispo Jadson; estou “tomando” as vitaminas diárias e andando com os seus textos aonde vou ( é só até aprender a andar sozinha rs). Leio e releio nas salas de espera, forçando-me a vivê-los um dia, uma hora, um minuto de cada vez.

    Tudo isso parece uma Revelação para mim! Apesar de ouvir tanto na igreja, nunca tinha compreendido e me visto da forma como aprendo aqui. A linguagem vanessiana (e meio maluquinha rs) está sendo usada por Deus para nos ajudar.

  5. Kate Marques disse:

    Passei a vida inteira acreditando nas mentiras do “gremlin”… Sempre me colocava para baixo, aliás, eu estava ajudando o gremlin a me destruir… Hoje vejo que estava jogando no time errado… Eu estava jogando contra mim e não ao meu favor… A sr. Não tem idéia de como estes posts tem me ajudado… Não é fácil mas estou decidida a vencer a maldita voz do gremlin que durante tantos anos me fez escrava de complexos me convencendo de que eu era incapaz de um dia receber o Espírito Santo, afinal, tenho 23 anos e cresci na igreja… Muito obrigada.. Que Deus continue a usando!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *