Sobre conhecer alguém

03a9edfd-2633-4814-b190-3be0627be5d8


O post de ontem falava sobre querer conhecer a Deus. E eu dei um exemplo do que não é querer conhecer alguém rs. Mas como a gente faz para conhecer uma pessoa? Eu soube da existência do Davison pela internet (não recomendo isso hoje em dia porque a internet hoje é uma bagunça; naquele tempo tinha só meia dúzia de nerds rs). Ele tinha um blog sobre o qual eu só tinha ouvido falar, até que resolvi entrar e gostei muito do que li. Era um blog de humor, assinado por um personagem que ele desenhava. Ninguém sabia quem era o escritor por trás do personagem, mas eu gostava do estilo e, apesar da curiosidade, não fazia questão de saber quem era aquela pessoa. E voltava lá, todos os dias, para ler.

É assim que acontece com muitas pessoas. Sabem que Deus existe, ouvem falar dEle, leem a respeito, acham legal, mas não têm mais do que uma curiosidade em conhecê-Lo. Mas isso pode evoluir para uma próxima etapa, como aconteceu comigo. Comecei a deixar comentários no blog e ele passou a gostar do que lia, também. Eu externava minhas opiniões a respeito do que ele escrevia. Um dia, ele disponibilizou no blog um endereço de e-mail para quem quisesse escrever para o personagem. Eu escrevi um e-mail elogiando a inteligência do criador do personagem, tentando conversar com a pessoa que estava escrevendo aquelas coisas. Ele me respondeu, mas com a linguagem do personagem…não revelou nada sobre si mesmo.

Quando você começa a se interessar mais por Deus e aprende a orar, às vezes não percebe resposta imediata. Ou a resposta até vem, mas Ele não se revela ainda a você (muito provavelmente porque você nem entenderia). Eu poderia ter pensado “ele não quer saber de mim. Mas é claro! Não estou no nível dele” e decidido nunca mais escrever para ele ou ler seu blog. Mas não tirei nenhuma conclusão precipitada daquela resposta.

Não continuei aquela conversa, mas continuei interessada no que ele dizia no blog. Os textos bem-humorados faziam uma crítica à sociedade, ao modo estranho de as pessoas viverem hoje, o que combinava com meu modo alienígena de pensar. O modo de ele enxergar o mundo era parecido com o meu em alguns aspectos, mas muito melhor em outros. Eu queria aprender mais, enxergar como ele enxergava, queria conhecê-lo melhor.

É assim quando a pessoa se interessa, de fato, em conhecer a Deus e passa a prestar atenção ao que lê na Bíblia e ao que ouve falar dEle. Percebe o quanto o modo de Ele ver as coisas é melhor do que o dela e quer conhecê-Lo melhor.

Certa vez, ele avisou que ficaria dez dias longe do blog. Nós, os leitores, já estávamos acostumados a ler seus posts diariamente. Continuamos entrando todos os dias, conversando entre nós, fazendo contagem regressiva para o dia em que ele voltaria. Até que se passaram dez dias…e nada. Onze dias…e nada. Doze dias…todo mundo já histérico, e ele, para nos acalmar, colocou uma mensagem de voz, interpretando o personagem, como o bom dublador que é. Quando ouvi aquela voz suave e bem modulada pela primeira vez, meu coração disparou! Ali eu entendi que havia uma pessoa por trás daquelas palavras de que eu gostava tanto. E eu queria conhecê-lo mais! Escrevi um e-mail elogiando a mensagem de voz. Eu fazia teatro e gostava tanto de boas interpretações quanto de bons textos, então expressei toda a minha admiração. Até o momento, não tinha percebido em mim nenhum interesse amoroso por ele, eu só queria conhecer aquela pessoa.

Então, ele me respondeu. Agora não mais como o personagem, mas como ele mesmo. Me passou o número do ICQ (o whatsapp da época rs) e começamos a conversar. Conversávamos todos os dias. Eu queria saber como ele era, então fazia perguntas e o deixava responder. Eu ouvia. Queria saber quais eram seus interesses, do que ele gostava, do que não gostava, como pensava, quais eram suas opiniões sobre as coisas e seus objetivos para o futuro. Eu passava o dia pensando no horário em que iria conversar com ele. Como meu computador não tinha microfone (era 2003, tá?), na maioria das vezes nossas conversas eram por texto. Eu queria ler o que ele dizia sobre si mesmo. Queria conhecer mais aquela pessoa tão fantástica à qual eu agora tinha acesso. Ele parecia mais inteligente do que eu, era cristão, era humilde, mas autoconfiante. Quando percebi que ele realmente era a pessoa que dizia ser, decidi: é com essa pessoa que eu quero passar o resto da minha vida.

Levou pouco mais de um mês para eu desconfiar que aquela amizade estava virando um namoro e três meses para que nos conhecêssemos pessoalmente. Quatro meses depois de conhecê-lo, larguei a faculdade e minha família e fui morar mais perto dele. Cheguei dia 23 de dezembro, ficamos noivos em maio e nos casamos em junho. Eu abri mão da minha vida porque conheci alguém muito mais importante do que todos os meus planos. Não sabia se iria conseguir terminar a faculdade, se iria conseguir um emprego. Senti muita falta da minha sobrinha, a quem eu era muito ligada, da minha mãe e do meu gato de 13 anos. O mais difícil foi deixá-los para trás. Mas eu tinha conhecido alguém com quem eu deveria passar a minha vida — eu tinha convicção disso.

E é assim que a gente age com uma pessoa a quem realmente quer conhecer: há um interesse sincero em saber quem a pessoa é. E, conforme ela fala de si mesma, nós não duvidamos do que ela diz. É claro que, sem saber se o Davison era quem ele dizia ser, fiz várias perguntas, ele me disse onde trabalhava, passou o endereço da própria casa (o doido), eu pesquisei, descobri que ele trabalhava mesmo naquela empresa, tinha se formado no que dizia ter se formado e enviei uma carta para a casa dele, sem avisar. Quando ele me mandou mensagem, todo feliz pela carta, eu tive a confirmação de que ele não tinha mentido a respeito do endereço onde morava. Mas quando você sabe que a pessoa que você quer conhecer não mente, não há por que duvidar. Se Ele diz que é misericordioso, Ele é misericordioso. Se Ele diz que perdoa aquele que se arrepende, Ele perdoa aquele que se arrepende. Se Ele diz que aceita quem chega até Ele, Ele aceita quem chega até Ele.

Entenda uma coisa: o selo do Espírito Santo é um selo. É uma marca de que aquela pessoa é filha dEle. É como a aliança que o Davison me deu. Ele me deu a aliança quando eu entreguei minha vida a ele. Mas e se eu estivesse em um relacionamento conturbado com ele, sabendo o que ele diz sobre si mesmo, convivendo e conhecendo um pouco melhor, mas sem acreditar no que ele diz, dando ouvidos a pessoas cujo único objetivo fosse nos separar? Como poderia receber alguma aliança sem acreditar nele? Porém, no momento em que eu decidisse deixar de ouvir essas pessoas e tivesse uma conversa séria com meu noivo, renovando meu compromisso com ele, pedindo perdão por tê-lo chamado de mentiroso, e me comprometendo a nunca mais dar ouvidos a palavras falsas, com certeza poderia receber essa Aliança.

Talvez o que lhe falte seja conhecer a Deus. Ou talvez o que lhe falte seja dar crédito ao que Ele diz e deixar de dar crédito ao que o detrator diz.

Você não está buscando uma “coisa” de Deus. E não pode fazer coisa nenhuma para comprar o que Ele tem para dar. Pare de pensar em “coisa”. O convite que Deus faz é por quem Ele é, não por quem você é. Ele vê você através dos olhos puros e bons que Ele tem. Ele quer você porque Ele é bom. E o perdão dEle não tem fim. A aceitação, também não. É isso o que eu quero dizer quando falo em buscar a Deus com leveza. É aceitar o convite dEle, parar de ouvir quem não merece ser ouvido e se aproximar dEle por quem Ele é.

O Espírito Santo não é um broche, um reconhecimento, uma coisa que vai transformar você em alguém querido por Deus. Não importa a situação em que você esteja, você já é querido por Deus. E se você decidiu segui-Lo, abandonou o erro e quer ser dEle, Ele já aceitou você. Continue andando com Ele e expressando a Ele a sua admiração. O Espírito Santo virá, não importa se hoje, amanhã ou depois, mas Ele certamente virá. 

“Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor; a Sua saída, como a alva, é certa; e Ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.”
Oséias 6.3

 

#JejumdeDaniel 

.

Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel, de 25 de janeiro a 14 de fevereiro. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

8 comentários sobre “Sobre conhecer alguém

  1. Livia Gomes disse:

    Olá Vanessa, primeiramente gostaria muito de agradecer os posts desse último jejum de Daniel e todos da série renovando a mente. Aprendi e cresci muito com eles, alguns tive que ler mais de uma vez, mas me ajudaram muito. Me identifico muito também com os conflitos que você passou e já contou aqui no blog, e posso dizer que hoje meus pensamentos são muito mais questionados e não me influenciam tanto quanto antes. Até ensinei para uma amiga algo que aprendi aqui e que ficou comigo “Nenhum pensamento é mais verdadeiro que a Palavra de Deus” e devemos sempre nos agarrar a ela.

    Além disso, li o hoje no r7 o texto sobre intolerância religiosa e você conseguiu traduzir em palavras, usando argumentos sólidos, aquilo que há muito tempo venho pensando, principalmente quando abro o facebook e vejo cada um defendo sua causa. Muito obrigada e que Deus continue te abençoando e dando inspirações que vão abrir a mente das pessoas.

  2. Kaka disse:

    Oooi!Vanessa,queria tirar uma dúvida:No momento exato em que uma pessoa é batizada com o Espírito Santo ela nasce de Deus?Tipo:Ela está no processo de mudança interior,se moldando e sendo moldada e aí ela é batizada com o Espírito Santo? No caso o processo de ser moldada e ir se moldando seria a gravidez e o batismo c o Espírito Santo,o parto?kkkkkkk Não sei se deu pra entender.Mas é que as vezes as pessoas falam como se elas estivessem se moldando e aí viesse o dia do novo nascimento e depois de um tempo o dia do Batismo com o Espírito Santo é aí eu me pergunto de o porquê ter que esperar um tempo pós o dia do novo nascimento para ser batizado c o Espírito Santo.
    Beijos e espero que esteja melhor rsrs ❤

  3. Adélia disse:

    O convite que Deus faz é por quem Ele é, não por quem você é. Ele vê você através dos olhos puros e bons que Ele tem. Ele quer você porque Ele é bom. E o perdão *dEle não tem fim. A aceitação, também não. É isso o que eu quero dizer quando falo em buscar a Deus com leveza. É aceitar o convite dEle, parar de ouvir quem não merece ser ouvido e se aproximar dEle por quem Ele é.”

    *Impressionante como vc escreve coisa q Deus já falou comigo, no meu íntimo, já me mostrou.Coisas essas q eu n tenho dado mt confiança pq n ouvir ninguém flr, exceto vc agora*

  4. Lorrane Watarai disse:

    Oiii, boa noite!
    Amei seu post! Nossa, tanta reflexão. Grata a Deus pela sua vida, e como a tem usado para ajudar tantas outras.
    Que o Senhor Jesus a abençoe muito mais, para que possa ser cada vez mais um instrumento nas mãos d’Ele.

  5. Giselle disse:

    Olá Vanessa! Obrigada pela explicação, que o Sr Jesus lhe retribua abundantemente pelo cuidado que você tem em nos ensinar de forma tão simples questões que pra muitos é difícil de compreender. Nunca se esqueça de nós. Espero que já esteja com sua saúde 100%.

  6. Elke disse:

    Oh coisa linda de se ler!
    É exatamente isso!
    Que Deus te abençoe cada vez mais mulher de Deus!

  7. Karina disse:

    Olá Vanessa!
    Admiro muito seu trabalho e a forma com qual escreve e mais admirável ainda porque permite que o Espírito Santo use esse seu dom para levar entendimento para muitos sobre a importância e significância de Tê-lo em nossas vidas. Achei um máximo a comparação no post de hoje tão clara quanto a luz do meio dia rsrs. Bjus

  8. Rafaela disse:

    Olá Dona Vanessa!
    Muito interessante suas palavras, elas são tão realistas, abriu meus olhos. Nesse Jejum eu fiz praticamente nada sabe, como se estivesse esperando Deus né abrir e entrar em mim, sem fazer um mínimo de esforço.
    Minha visão abriu sabe, Deus falou comigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *