Será?

image

O problema de algumas pessoas é ficar cogitando os pensamentos esquisitos, tentando refutar um a um enquanto deveriam ignorá-los e substituí-los por pensamentos da Palavra de Deus. Qualquer palavra é suficiente para trazer dúvidas e duvidam até da sua própria fé. Poderiam aproveitar esse poder de duvidar de qualquer coisa e direcioná-lo para o alvo certo.

Minha avó, Dona Naura, tinha a mania engraçada (e bastante estranha, confesso), de perguntar: “Será?” quando alguém lhe contava alguma coisa. Ela fazia isso em momentos em que uma pessoa normal diria: “sério? Que coisa!” ou “barbaridade!” ou “puxa!”. Não sei se isso é comum na Bahia (ela era baiana), mas era um “será?” tão descontextualizado que um dia um dos meus irmãos até brincou: “Que é isso, vó? Se a senhora diz “será?” parece que está achando que eu estou mentindo!”. Ela riu, mas não se corrigiu, então desconfio de que realmente achasse hahaha. Mas é assim que a gente tem de lidar com as dúvidas e os pensamentos perturbadores.

Olha só como a técnica da D. Naura funciona bem:

“Deus não vai me ouvir.”  SERÁ?

“Eu não mereço ser atendido.”  SERÁ?

“Isso é impossível!” SERÁ?

“Eu fiz isso, isso e aquilo, não vou receber o Espírito Santo.”  SERÁ?

“Eu não tenho fé.”  SERÁ?

Não precisa ficar conversando com o pensamento. É só duvidar dele. Funciona bem também para pensamentos dramáticos e catastróficos.

“Oh, céus, eu nunca mais terei uma chance!”  SERÁ?

“Nunca vou conseguir.” SERÁ? 

“Nunca vou ficar bem!” SERÁ? 

Eu me lembro de uma musiquinha que o Bispo gostava de cantar na João Dias e que dizia: “duvide de dúvida, sempre duvide da dúvida…” Em vez de questionar a Palavra de Deus, a sua fé, a benignidade de Deus ou o próprio Espírito Santo, aproveite para duvidar da dúvida sempre que ela aparecer.

 

PS1. Se você fez o Jejum de Daniel, escrevo esse texto na esperança de que você o leia antes da reunião de domingo. Mas se a reunião já passou e você só viu o texto agora, espero que entenda que o que vou dizer se aplica a todos os dias da sua vida.

PS2. O Jejum de Daniel termina este domingo, mas peço licença para continuar falando sobre espiritualidade depois que ele acabar, ainda que eventualmente intercalando com outros assuntos..

#JejumdeDaniel

.

Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel, de 6 a 26 de agosto. Durante esses dias, os posts no blog foram voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

8 comentários sobre “Será?

  1. Elaine Barra disse:

    Vanessa por favor continue escrevendo sobre espiritualidade…ajuda muito, sou assídua do seu blog e compartilho com amigas, saiba que tem ajudado muita gente, que Deus a abençoe e a inspire todos os dias.
    Na fé

  2. Marina disse:

    Bom dia, me ajudou bastante.
    Todo postagem que fale sobre pensamentos, algo em relação à ”mente”, me ajuda muito.
    Eu sofri muito com isso, mesmo dentro da igreja, agora estou começando a vencer. Mesmo dentro da igreja, estava oprimida, angustiada, com sensações ruins, nem parecia que tinha ido buscar a Deus. Ontem estava assim como nesse post, lutei contra cada um dos pensamentos, de noite estava já mentalmente cansada. Hoje, já acordei sentindo sensações ruins, quase sem disposição para levantar e ler a biblia e orar, mas fiz assim mesmo e cheguei aqui agora e li isso. Estou buscando estar mais próxima de Deus, porque tenho necessidade, sei do que passei e não quero me perder novamente. Vou buscar, me esforçar, nem que tenha que vir ler novamente, para por em prática isso.
    Eu fiz o Jejum de Daniel, não pus toda força, mais nos últimos dias eu ao invés de simplesmente de me desligar das informações eu busquei mais me envolver com as coisas de Deus: ver novelas que falem da fé, ouvir a rádio, por louvor, meditar na bíblia, orar…Eu me envolvi mais, e os últimos dias foram melhores que os primeiros. Nos primeiros estava até desligada do mundo mais menos próxima das coisas de Deus, e estava fraca contra os pensamentos e as sensações ruins.
    Ainda não tenho o Espirito Santo, mais ainda sei que vou receber. Não sei como é, mas sei que quero a Deus.
    Esses posts me ajudam muito, continue sim por favor.
    Até os comentários, tudo.

  3. Renata disse:

    Olá vanessa

    Gosto muito dos seus textos.

    Tem um texto em especial que a Sra. Fala do seu batismo com Espírito Santo.
    A Sra. diz ” No dia seguinte percebi que alguma coisa estava diferente. Eu acho que levei uns dois dias ou três dias para me da conta de que aquela coisa diferente é permanente.

    A Sra por favor poderia explicar com detalhes como teve essa confirmação?
    Sra. Pediu para Deus te confirmar se era o batismo aquela diferença que você estava percebendo.

    Eu acredito que isso seja um dos maiores problemas,por que as pessoas não recebem o Espírito Santo.
    Porque quando ouvimos testemunhos do Batismo com Espirito Santo, todos dizem que sentiu uma alegria um gozo, certeza outros ouviram a voz de Deus, uns sentiram amor pelas almas….
    Principalmente para quem tem o desejo de fazer a obra de Deus que precisa falar em línguas para confirmar o batismo com Espírito Santo.

    A pessoa pode pedir confirmação para Deus se foi batizada com Espirito Santo, ou estaria mostrando dúvida?

    Eu me identifiquei muito com seu testemunho, a sra. passou por muitas situacões que eu tambem passei ,ficaria muito grata se pudesse me ajudar.

    Ps: desculpa os erros de português e de pontuação

    Que Deus te abençoe

  4. Danuza disse:

    Fico feliz em saber que os posts sobre espiritualidade vão continuar.
    Acabei de chegar da reunião, e só li o post agora (rsrs), mas entendi que agora que entreguei a minha e vida e sei que sacrifiquei extamente o que Deus me pediu é momento de crer. Sinteramente estou vazia de emoções, mesmo! Mas quer saber, diante de tudo que passei vivendo aprisionada pela minha dependencia de emoções, de sentir, oprimida pelos gremlins nelhor é sacrificar o meu ” direito ” de sentir algo e me livrar definitivamente desta dependência.

  5. Ana Alves disse:

    Oi, Vanessa!
    Olhei a imagem do post e imaginei a cara de sua avó ao dizer “Será?” e também a expressão das pessoas quando ouviam hahaha.
    Agora imagino o modo como aqueles pensamentos de dúvida perdem a força ao serem confrontados com um “Será?”. Tão simples, mas faz toda a diferença.
    Demorei tempos pra entender que era vítima dos pensamentos do diabo, que eu pensava serem meus e pensava serem verdadeiros. Graças à Deus finalmente entendi, e agora tenho consciência de que devo lutar dentro da minha mente, constantemente.
    Obrigada por seus textos, pela linguagem simples e clara (sem evangeliquês ou crentês rs), e POR FAVOR, continue sim a postar. Nem que seja uma ou duas vezes na semana! Tenho certeza que me ajudará muito, e muitas outras pessoas também. (tanto os posts com conteúdos espirituais quanto outros).
    Que Deus te abençoe mais e mais! ♡

    ps: Seria legal um texto falando sobre política, sobre escolhermos candidatos com ideias que nos representem. Falo disso porque há candidatos cristãos, e muitas pessoas que ainda tem o pensamento de que “não se mistura política e religião”, quando não se trata de misturar nada, mas sim de escolher pessoas que representem o povo de Deus na política. Enfim, fica minha sugestão rs :)

  6. Karime disse:

    Muito legal o texto…é mais inteligente duvidar da dúvida do que tentar “explicar” pro diabo porque ele está errado toda vez que vier uma dúvida…
    PS:Poste a vontade rs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *