A bênção da faxina

 

photo_2020-01-08_23-04-31

Depois de três dias complicados, de hipotensão, bradicardia, arritmia, pouca movimentação, cansaço absurdo e sensação de que carreguei um rinoceronte ladeira acima, consegui ter força suficiente para limpar as caixas de areia, passar aspirador e MOP na casa. E isso merece ser registrado. Antes eu tinha um dia bom a cada duas semanas. Agora, um dia bom por semana (ou, como hoje, umas quatro horas bem boas, antes de precisar me deitar novamente). Minha meta é chegar a ter 7 dias bons por semana. 😃 


Passei aqui para te lembrar de valorizar a sua capacidade de varrer a casa, da próxima vez que tiver que fazer isso rs. Em vez de reclamar por fazer o serviço doméstico, que tal agradecer por você ter força e saúde para fazer isso? Reclamar menos, agradecer mais. Reclamar menos, valorizar mais. Ninguém melhorou a vida por meio de reclamação. 

Isso me lembra de algo que li no livro A Mulher V algum tempo atrás, no capítulo sobre Apreciação. Ela comentava sobre como algumas mulheres passam tanto tempo querendo casamento, casa, marido, filhos, independência, etc. Mas depois que conseguem, não demoram a reclamar e desprezar aquelas coisas que diziam tanto querer. Tudo se torna um fardo, como se cuidar da casa fosse algo de menor valor. É a SUA CASA, que graças a Deus você tem! É o seu território, o pequeno espaço do universo que é de responsabilidade sua (isso vale para o seu quarto também, se você for solteiro). Poder fazer uma faxina é uma bênção.

Fala a verdade, você nunca pensou nisso, né? Nunca pensou que fazer faxina é uma bênção. Sinal de que você tem um cantinho para chamar de seu, sinal de que você tem disposição e força física (ainda que chegue cansada do trabalho, o cansaço normal NÃO SE COMPARA à fadiga de alguém que está doente, com problema cardíaco ou neurológico, vá por mim, é como se você passasse uma semana sem dormir e carregando saco de cimento), sinal de que você tem saúde.

E se você ainda não tem saúde, força ou disposição, espero que já saiba valorizar os momentos em que essas coisas dão o ar da graça — e isso acontecerá com mais frequência. Elas davam menos o ar da graça quando eu, por me sentir fisicamente mal, vivia estressada e me forçando mais do que eu aguentava, para ver se conseguia fazer pelo menos o mínimo aceitável. Vivia me cobrando, como se a culpa por tudo ser tão difícil fosse minha. Tive que mudar minha cabeça primeiro, para que meu corpo pudesse começar a reagir. 

Então, comece a olhar diferente para aquilo que te irrita e as coisas vão ficar bem mais leves. 😉 

.

.
.

PS. Os bispos subindo o Sinai e eu limpando a casa, o que, para mim, é bem semelhante em nível de sacrifício e fé! 😃

PS2. Desculpe pelo look do dia. Resolução de ano novo era voltar a escrever e mostrar mais do meu dia a dia, o que eventualmente pode envolver zero glamour e look “Maria da limpeza”. 😄

*Post ampliado do original do instagram @vanessalampert
.
.
.
#ReclameMenos #PorUmMundoSemReclamação #PareDeReclamar #ÉvocêQueEscolheEmQueVaiColocarSuaAtenção #FocoNasPequenasVitórias #CadaFaxinaÉUmaVitória 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *