De graça? Mas nem que me paguem!

Na sequência da série “Desespero de Veja”, recebo hoje um email oferecendo seis edições gratuitas de Veja. Assim é fácil manter tiragem-monstro, não é, não? Porque eles fazem isso há anos! Há alguns anos eu fiz um cadastro para recebimento de revista Veja e Caras aqui em casa, na casa da minha mãe e na casa do meu sogro (deixemos os detalhes da motivação para depois…hahahaha… foi uma fase “eu quero quinquilharias digrátis”, felizmente já superada).

Era uma promoção de recebimento de revistas sem necessidade de colocar dados bancários ou número de documento. Essa é a promoção, a de receber a revista sem necessidade de dados. O recebimento de revistas sem pagamento, mas com fornecimento de CPF é comum, não é promoção, você encontra isso em qualquer época do ano.  Daí a minha teoria de que a Abril tira seu lucro de outra fonte que não as revistas. A última informação que eu tive falava de 50.000 assinaturas gratuitas!! Depois da notícia da compra de assinaturas e revistas encalhadas pelo governo de São Paulo, minha teoria começou a fazer sentido. Então eles precisam distribuir a revista, para que ela seja lida. Dinheiro não é o foco aqui, só o dos anunciantes (já que a revista tem um número estratosférico de páginas de anúncio).

A qualidade jornalística de Veja é pífia. E isso não apenas nas reportagens sobre política, mas é muito raro encontrar uma reportagem decente, bem escrita, pesquisada, sem manipulação, sem distorções. Depois de encontrar reportagens toscamente argumentadas em praticamente todos os assuntos da revista, eu passei a desconfiar de todas as reportagens. E nos assuntos que eu não domino? Será que não estão querendo manipular minha opinião, também? A julgar pelo meu último post, estão. Nas palavras deles mesmos, estão.

A propósito, olha o Aecinho com chifrinho na capa, como salvador da Veja do PSDB:

PS: Isso já foi assunto em julho, no blog do PHA, clique aqui para ler.

2 comentários sobre “De graça? Mas nem que me paguem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *