O menor dos animais domina o mundo

Escrevi esse texto para a Revista Paradoxo, em 2006. Depois de tudo o que vimos nos últimos meses, essa minha teoria se mostra bastante atual.

O menor dos animais domina o mundo

A culpa é do dedo opositor

por Vanessa Lampert
de Porto Alegre
[09/03/2006]


Estou certa  de que o ser humano é um dos animais menos evoluídos do nosso planeta. Quando assistimos aos documentários sobre animais da selva na TV, nos impressionamos com a organização, senso de grupo, inteligência e  capacidade de comunicação daquelas criaturas. Até mesmo programas sobre a vida dos insetos embasbacam bípedes que se desdobram para fazer, em escala, metade do que aqueles pequeninos seres fazem em seu dia-a-dia.

Quando convivemos com gatos, cachorros, furões, peixes, cavalos, e coisas do gênero, nos surpreendemos ainda mais com eles. Nos entendem mais do que nós a eles, se comunicam, demonstram afeto, demonstram desagrado, conversam entre si e tentam entrar em contato com formas inferiores de vida [no caso, nós, os humanos]. Sempre superiores, compreendem nossa natureza cheia de falhas.

Os animais, em geral, são muito mais sérios e centrados do que o imbecil ser humano. São sensíveis, estão tão integrados à natureza que conseguem prever desastres naturais pela simples observação de alterações no ambiente.  Têm faro mais apurado, tato mais apurado, olfato mais apurado, instintos mais aflorados. O homem é o animal mais desprovido de recursos naturais, fisicamente frágil, sem garras, dentes, sem músculos fortes, sem sensibilidade, sem instintos decentes, com um cérebro duvidoso. Mas – você me pergunta- se eles são tão melhores assim, por que o homem é que domina o planeta? A resposta é: movimento de pinça, o único recurso que o homem realmente tem, e o que fez toda a diferença nos últimos milhares de anos.

Não estamos aqui, nesta posição, por conta de nossa inteligência, capacidade de pensar [quem convive com animais sabe que eles são muito mais capazes de pensar do que muita gente por aí] capacidade de comunicação, de senso histórico ou qualquer outra bobagem dessas que contam por aí. Não existe prova alguma que, por exemplo, um rinoceronte não tenha consciência de sua existência, assim como não há provas de que a vizinha do apartamento ao lado tenha.  Conhecemos pouco sobre os outros animais, portanto, alardear nossa superioridade sobre eles é, no mínimo, arrogante. Na verdade o único responsável por não estarmos acorrentados à casinha dos humanos sendo alimentados por cachorros é o movimento de pinça, o dedo opositor.

Apesar do nome, o dedo opositor não é, propriamente, da oposição. Ele não briga com os outros dedos, não se opõe ideologicamente, apenas faz oposição, digamos, geográfica, aos seus irmãos. A presença do polegar, fazendo oposição aos outros quatro dedos, possibilita ao homem pinçar objetos a seu bel-prazer, pressionando o polegar contra qualquer um dos outros dedos. Você jamais imaginou que um movimentozinho desses fosse assim tão importante, não é mesmo?

Por culpa do movimento de pinça, o homem conseguiu fabricar armas, caçar, costurar roupas, fazer fogo, fazer churrasco, construir aparelhos que suprissem suas outras fragilidades e o transformassem na espécie dominante do planeta. Tudo bem, se soubesse fazer as coisas direito. Mas, sendo a criatura mais despreparada do universo, aparentemente a única que se rebelou totalmente contra a natureza e seu criador, não é de se espantar que ele tenha feito uma bobagem atrás da outra, a ponto de maltratar outros bichos, desperdiçar recursos naturais, investir em guerras inúteis [sim, porque algumas são úteis], enxergando seus próprios irmãos como inimigos, fazendo sofrer a quem diz amar por um punhado de papel pintado, destruindo o planeta e sua própria vida, ignorando que o tempo passa, todo mundo morre e as traças, espertas, comem todo o papel pintado do mundo.

Li, certa vez, que o homem é o único animal capaz de modificar o meio em que vive, é o que o difere dos animais e prova sua inteligência superior. Balela. Primeiro, o homem só altera o meio por causa do movimento de pinça, conforme já expliquei, e é o que o difere dos animais. A causa, não a conseqüência. E isso só prova que ele realmente não raciocina muito bem. Os animais, muito mais inteligentes, sempre souberam que nunca houve a menor necessidade de que o meio fosse modificado. Estava tudo muito bem, até aparecer o macaquinho pelado com dedo opositor no pedaço.

Se o golfinho, por exemplo, tivesse nascido com pernas, braços e dedos com movimento de pinça seria, sem dúvida nenhuma, um bicho bastante estranho, mas muito provavelmente viveríamos em um mundo muito melhor.

.

3 comentários sobre “O menor dos animais domina o mundo

  1. Concordo plenamente com o artigo, o mais insignificante dos animais domina o mundo, por sorte, ou permissão divina. Mas é um ser fisicamente fragil, mal consegue erguer o próprio peso, enquanto “insetos”, erguem 5 x o peso de seu corpo ou muito mais. O ser humano se sente superior porque tem medo de admitir a sua pequenez, a sua insignificancia.

  2. kathleen disse:

    nesse calendario tah dia 1/4 mais ja é praticamente dia 4/4 nossa que site mais ah o que direiiiiiiii acho que n direi nada é melhor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *