Sobre gatos

Alguns esclarecimentos a quem insiste em dizer que quer fazer o melhor por seus gatos:

tela

Por que insistir em conscientizar os proprietários de gatos sobre a importância de mantê-los sem acesso à rua em vez de brigar com os malvados que atropelam, envenenam, torturam… a culpa dessas atrocidades não é de quem as comete? Simples, pois é muito mais fácil e eficiente fazer com que quem REALMENTE GOSTA de gatos se conscientize sobre a importância de castrá-los e não dar acesso à rua do que fazer com que psicopatas deixem de ser psicopatas.

Se com leis rígidas contra o assassinato de seres humanos ainda tem um monte de gente matando por aí, imagina em relação aos gatos, animais de que a maioria das pessoas não gosta e tem preconceito e a quem não há lei eficiente que proteja?

Não, gatos que vivem dentro de casa não estão sofrendo e infelizes. E não, gatos que têm acesso à rua não estão livres e felizes. Como eu sei disso? Porque meu conceito de felicidade e infelicidade felina não está apoiado em meus valores humanos (isso seria um contra senso, não? “Eu sou feliz transando, logo, meu gato é feliz transando também”), mas em como os gatos demonstram felicidade ou infelicidade.

Porém, algumas coisas são universais: nenhum ser espancado é feliz. Nenhum ser envenenado é feliz. Nenhum ser torturado é feliz. Nenhum ser com ferimentos infeccionados é feliz. É só ter noção de causa e conseqüência. Um gato não castrado vai fazer pelo menos quatro gatinhos abandonados em cada gata que encontrar pelo caminho, em suas “andanças”. O que acontecerá com esses gatinhos? O que acontece com filhote de gato na rua? Os poucos que sobreviverem farão mais gatos abandonados, e a responsabilidade é do gato que originou tudo isso ou do dono que não o castrou? E a gata na sua casa que tem uma cria que você distribui entre os amigos?

E os filhotes desses filhotes? O que seus amigos farão com eles? E os que fizerem filhotes pelas ruas? Isso não é responsabilidade nossa?

A realidade sobre a castração

Gatos são animais com uma grande profusão hormonal. Bem maior do que a nossa, aliás. Hormônios sexuais que os obrigam a reproduzir a espécie, para que não desapareça. Porém, há uma superpopulação de gatos sofrendo nas ruas e se reproduzindo descontroladamente (todo mundo sabe disso, não é?) logo, não há necessidade de mais reprodução da espécie.

Mas eles não gostam de “transar”? A atividade sexual dos gatos é regulada única e exclusivamente pela atividade hormonal, não tem o apelo emocional que tem nos humanos, por exemplo, nem é sequer prazeroso. Mas como a gente sabe disso? O pênis do gato possui pequenos espinhos, que servem para sangrar a vagina da fêmea, pois o espermatozóide do gato só sobrevive em meio sanguíneo. A dor e o sangramento estimulam a ovulação na fêmea.

O gato tem primeiro que brigar com outros gatos pela fêmea. Após muita briga, gritaria, arranhões, machucados e mordidas, ele vai até a fêmea que o aceita por causa do cio, induzido pelos hormônios. Ele morde a fêmea pela nuca, para imobilizá-la e introduz o pênis espinhoso. Ela grita de dor, não de prazer. E ele a segura para que ela não se mova, e possa, assim, perpetuar a espécie. Quando a solta, ele ainda apanha dela.

Todo esse estresse é dirigido pelos hormônios que não têm a menor consciência de que a espécie sofre com a superpopulação. O gato chega em casa (quando tem casa) todo machucado das brigas e possivelmente não está nada feliz com essa situação, mas não pode evitar.

Quanto aos riscos…eles são animais, têm instintos, não se defendem sozinhos?

Doenças muito comuns em gatos, para as quais não há tratamento eficaz, nem vacina, como Peritonite Infecciosa Felina (PIF), Aids Felina (FIV) e Leucemia Felina (FELV) são transmitidas nas brigas, através de mordidas e do contato sexual. São muito contagiosas entre os gatos, embora não passem para os seres humanos. Como gatos não castrados – ou mesmo castrados – sem acesso à rua poderiam se defender de brigas de gatos infectados?

Além disso, gatos na rua estão sujeitos a atropelamentos (eles não sabem atravessar a rua, não entendem nossas regras de trânsito), envenenamentos, ataques de cachorros (aí sim, até podem correr para se defender, mas o último que eu soube que fez isso escapou de três cachorros que o perseguiam e na fuga colidiu violentamente com um carro que passava na rua e quebrou o pescoço. O motorista nem teve tempo de desviar) e espancamentos por pessoas ruins (de criaturas tão maiores, maldosas e mais fortes não há como se defender).

A castração e a criação indoor evitam que a vida do gato seja abreviada por motivos tão estúpidos. O que pode ser evitado não deve ser considerado acidente, nem visto com naturalidade quando acontece. Se o gato está sob sua responsabilidade, é seu dever protegê-lo do mundo criado pela nossa espécie e para a nossa espécie, tão hostil aos animais domésticos que não têm culpa de terem sido tirados de seu habitat há milhares de anos, perdido grande parte de seus instintos sem a menor possibilidade de desenvolver ferramentas para se proteger em meio aos humanos.

Com tanta castração, gatos não serão extintos?

Gato castrado não se despersonaliza, ele só deixa de ser guiado exclusivamente pelos hormônios. Assim, ele pode viver tranqüilamente sua vida de gato, sem a neurose da perpetuação da espécie a qualquer custo (já que a espécie está mais do que perpetuada).

Mas se todo mundo castrar, eles não serão extintos? Quem se faz essa pergunta não parou para pensar ou nunca procurou sair às ruas à procura de gatos abandonados para alimentar. Eles saem bem tarde da noite, e voltam a se esconder assim que amanhece. Para começar, existem gatos em todos os lugares, se reproduzindo descontroladamente. Alguns nunca sequer serão pegos, pois são extremamente ariscos e morrerão doentes ou sob as rodas de algum carro, não sem antes se reproduzir muito.

Existem gatos nos bairros mais pobres, nas favelas mais distantes, onde as pessoas nem sequer ouviram falar de controle de natalidade e as próprias mulheres têm dezenas de filhos, que acabam não tendo condições de estudo, nem de um futuro. Essas pessoas criam gatos soltos e que se reproduzem descontroladamente, pois essa é sua própria realidade, vai demorar um bocado para que tenham acesso a informação e castração.

Existem pessoas ignorantes – e elas sempre existirão – cujos gatos continuarão a morrer atropelados, doentes, envenenados, assassinados e sem castrar, se reproduzindo descontroladamente.

Existe uma superpopulação absurda de gatos abandonados, que só cresce, cresce e cresce. A possibilidade de extinção diante dessa realidade, parece piada. E é.

E a liberdade? Gatos não são animais livres?

Mais um conceito que enxergamos baseados em nossos valores. O homem gostaria de viver solto, fazendo o que quisesse, andando de lá para cá sem medo e sem noção, transando com todo mundo sem responsabilidade, fazendo filhos que não precisaria assumir, apenas para provar virilidade. As mulheres gostariam de ter milhares e milhares de filhos para provar a maternidade, sem precisar criá-los ou se preocupar com seu futuro, ser desejadas por dezenas de machos, que se matariam por causa delas. É uma visão, de certa forma, romântica, e bem longe da realidade.

A liberdade dos gatos na rua, da forma como imaginamos, não existe. Já falei da relação sexual, que não é nada bonita, nem prazerosa, e nunca poderia ser chamada de “namoro”.

A estrutura social dos gatos urbanos é um tanto quanto agressiva. Existe um macho dominante (macho alfa) que, aliás, dificilmente vai ser o seu gato domiciliado (antes que algum homem ache legal a idéia do seu gato ser o macho dominante do pedaço). Eles têm uma sociedade dividida em classes (siiim!!), cada um tem seu território e briga por ele.

Existem caminhos que pertencem apenas ao dono do território (e ninguém pode passar ali), outros caminhos são comunitários e também existem regras de tráfego bem definidas. Se um desavisado cortar o caminho do dono do território, pode até ser expulso, sem conseguir voltar.

Gatos que brigam na rua, guiados por hormônios, podem até se matar em uma disputa violenta, cegar ou machucar profundamente. É um mundo violento, com regras estruturadas.

Mas se é tão ruim, por que eles saem? Seus gatos não vão ficar pensando “Ah, lá fora o fulaninho pode me bater, o cachorro já correu atrás de mim, então acho que eu não vou sair”. Eles são curiosos e não têm noção. Embora até consigam se virar bem dentro da estrutura que eles próprios criaram, não conseguem lidar direito com a estrutura dos humanos: carros, motos, gente ruim, veneno, etc. Ao primeiro sinal de perigo, correrão para o lugar em que eles realmente são livres: suas casas (seu território). O gato que citei, que estava fugindo dos três cachorros, foi atropelado enquanto corria, desesperado e atento apenas aos predadores, em direção à casa onde morava com seu “dono”. Estava querendo voltar para a segurança de seu território, onde sabia que ninguém o machucaria.

Dentro de casa

Gatos só são mesmo livres dentro de casa, pois ali é o território deles, onde eles se sentem seguros. Mas são curiosos e sempre irão querer passar pelas portas ou janelas que estiverem abertas para eles. Feche a porta de um cômodo qualquer da sua casa e imediatamente aquele será o lugar mais legal do mundo, no qual seu gato irá querer entrar a qualquer custo, até esquecer da idéia.

Gatos que vivem dentro de casa, com as janelas teladas não ficam miando desesperadamente para sair, sinto desiludir quem se apoiava nesse argumento. Mesmo o que eu adotei adulto e morava na rua, miou por apenas uma semana, pois tinha o hábito de sair (e hábito não é necessidade). Quando viu que eu não cederia, resolveu explorar o ambiente interno e começou a brincar, a se adaptar à nova casa.

Hoje ninguém tenta sair, ninguém fica miando desesperadamente, mas também não tenho sequer um gato apático em casa. Agora mesmo, acabaram de brincar de lutinha, o Tiggy está caçando seu ratinho de brinquedo e o Gatão perseguindo uma bolinha. A Ricota está bebendo água. Eles são bem livres dentro de casa, escolhem seus lugares preferidos, seus brinquedos preferidos, brincam bastante, comem bem e depois dormem junto da gente (ou no sofá da sala, quando está muito calor).

Assistem à janela como assistimos à TV, curiosos com a movimentação de vizinhos, cachorros e pássaros. Eles são pequenos, até mesmo um apartamento de um quarto, como aquele em que eu morava no Rio, é um mundo para eles, pois ao contrário dos cachorros, eles sobem nos móveis, entram embaixo das coisas, o espaço não é apenas horizontal, tem várias possibilidades.

Meus gatos não são exceção, todo mundo que tem gato castrado sem acesso à rua sabe que eles vivem muito melhor do que os que tivemos em casa pelo método “antigo”. Quero ver alguém me dizer, por exemplo, que os gatos da Renata são infelizes porque não saem na rua:

http://www.youtube.com/watch?v=CbTdv9kj8eg

http://www.youtube.com/watch?v=1AlT8F9DoBg

E isso não é egoísmo. Garanto que seria muuuito mais cômodo ter meu gatinho para brincar e apertar, mas não ter o trabalho de levar ao veterinário, me responsabilizar por ele o tempo todo e ainda ter a tranqüilidade de dizer que ele “sumiu” ou que foi morto e culpar o vizinho, depois arrumar outro gato, sem peso algum na consciência.

O cara que odeia animais e envenena o gato que aparece sempre em sua casa está certo? Não. Alguma coisa justifica o que ele fez? Não. Mas ele não é obrigado a aceitar um bicho que ele não gosta em seu quintal. Não é mesmo. Isso não o faz menos assassino, não o faz menos monstro, não o faz menos malvado, nem menos psicopata, nem menos imbecil, covarde, fraco e babaca. Isso não faz com que ele esteja certo ao maltratar, mas mostra que ele não é o único responsável por esse acontecimento, pois ele não foi na casa da menina para matar a gata dela, ele teve seu espaço invadido por uma criatura que ele não sabe respeitar.

É exatamente a mesma coisa de dizer que um pai é co-responsável pela morte de sua filha de dois anos, que ele deixou sair às onze da noite até a casa de um vizinho que já era suspeito de assassinar crianças, inclusive o irmão mais velho da menina. Não dá para dizer “é a vida”, nós temos responsabilidades e devemos assumí-las.

Uma criança não conhece a estrutura da nossa sociedade e os perigos da rua, é pequena, sem maldade e fraca demais para conseguir se defender de adultos, maldades e acidentes. Um gato adulto tem como se defender em sua sociedade felina, mas essa sociedade é estruturada dentro da nossa sociedade e das nossas ruas, para as quais ele também é pequeno, fraco e sem maldade, incapaz de se defender sozinho e supor os perigos que não são naturais, foram criados pelo homem.

Meu gato é louco para entrar dentro do forno. Se eu abro a porta, tenho que cuidar para que ele não se jogue lá dentro. Mas ele não tem instintos que deveriam protegê-lo dessa vontade? Pois é, avise isso para ele. Não é porque ele tem curiosidade de entrar no forno que eu vou achar que ele precisa entrar lá, que ele gosta e vai sofrer se eu não deixar. Se eu deixar e um dia ele entrar no forno ligado e se queimar, não posso dizer que foi culpa dele ou que “pelo menos ele morreu feliz, fazendo o que queria”. Seria um tanto quanto irresponsável de minha parte, não?

Dizer que eles são livres nas ruas, que essa é a “natureza” do gato e que eles têm que “namorar” e são infelizes dentro de casa é argumento de quem não tinha até agora informação suficiente sobre a realidade da sociedade deles, da natureza deles e da vida de gatos castrados e sem acesso à rua.

Gostaria que ninguém comentasse absolutamente nada antes de ler (e ter certeza de que entendeu, nem que precise ler mais de uma vez) tudo o que escrevi. Sei que é muita coisa, mas também sei que ninguém está interessado a exercitar preguiça mental e que todos têm interesse em informações, não apenas em manter suas opiniões arraigadas e “ganhar a discussão”. Eu não quero ganhar nada, meu interesse é ver menos gatos nas ruas, e esse é o único caminho.

Vanessa Lampert


Assunto sem fim

Já escrevi um ensaio sobre isso. Quem quiser ler, por favor, fique à vontade:

http://vanessalampert.blogspot.com/,

Nesse artigo também estão listadas as fontes que usei para pesquisa e também para saber o que eu repeti neste post que acabo de escrever aqui.

PS: Resolvi escrever esse texto porque cansei de repetir sempre as mesmas coisas e ouvir sempre os mesmos argumentos que já foram mais do que refutados pela prática. É consenso entre as entidades sérias de proteção animal de que a castração e criação indoor (sem acesso à rua) é a melhor forma de cuidar de gatos e ao mesmo tempo proteger a espécie. Acredito que quem gosta de gato não gosta apenas do seu gato, mas de todos, e se preocupa com a espécie inteira.

Idéias pré-concebidas e mais do que ultrapassadas, mitos como o que prega que a castração deixa o animal letárgico, que a castração deixa o animal infeliz, que gato precisa “dar voltinhas”, que gato se apega à casa e não ao dono, que mulher grávida pode pegar toxoplasmose acariciando qualquer gato (argh, por favor, se você não tem o hábito de comer fezes de gato infectado pelo toxoplasma expostas no ambiente por 48 horas, ou comer a carne crua de gatos infectados pelo toxoplasma – e poucos gatos são infectados – não se preocupe com uma possível transmissão de toxoplasmose pelos gatos. Muito mais importante é cuidar da higiene dos vegetais que você consome e do cozimento da carne que você costuma comer. Toxoplasmose se pega por via oral, dessas maneiras), que gato é traiçoeiro, etc. etc. etc. são coisas que só prejudicam aos pobres animais, que nada têm com a ignorância humana. E além de prejudicar os gatos, me deixam muito, mas muito revoltada e chateada por ver o quanto minha espécie ainda está atrasada.

E de uma vez por todas: é muito fácil não dar acesso à rua a um gato castrado (e de preferência, castre as fêmeas antes do primeiro cio, com quatro ou no máximo cinco meses. Não, não há risco maior que os benefícios nesse caso. E os machos, com cinco ou seis meses. Embora possa ser feita a castração precoce, mas aí o procedimento é diferente), basta instalar redes de proteção em todas as janelas (inclusive nos vitrôs).

A quem mora em apartamento, redes de proteção são obrigatórias, mas se você mora em casa e quer que seus gatos tenham acesso ao quintal, pode telar os muros e o portão, de maneira a não deixar nenhum lugar pelo qual ele possa escapar. Algumas idéias de tela nesse site:

http://mopibichos.sites.uol.com.br/modelosdetela.htm

Esse post é muito bacana e cheio de fotos de gatinhos fofos e ideias para telar tudo, até árvore!

http://gatinhosdetodaparte.blogspot.com/2007/05/importancia-das-redes-de-protecao.html

PS2: Eu estou gripada e quando não estou me sentindo fisicamente bem, minha paciência fica um pouco mais prejudicada do que o normal, então resolvi publicar aqui esse post, para facilitar a divulgação dessas informações. Inclusive da próxima vez em que precisar explicar tudo isso vai ficar muuuuito mais tranquilo: é só colar o link. Coisas que só ter seu próprio blog faz por você. :-)

UPDATE: Ficou bem clara a explicação sobre toxoplasmose no post, mas deixo também esses dois outros posts a respeito do assunto. Se você está grávida, não precisa abandonar seus gatos, nem ter medo. Há muitos médicos mal informados que acabam expondo seus pacientes a riscos por conta de sua ignorância. Tenho dois posts com informações importantes, clique para ler: Ignorância mata mais do que Toxoplasmose e Pombos são ratos de asas?

PS: O template novo não mostra os comentários já feitos nesta página, nem o formulário de comentários :-( enquanto descubro como resolver isso, vai o link para um post cópia desta página. Passarei os comentários para lá.

Clique aqui para ir para o post e comentar.

222 comentários sobre “Sobre gatos

  1. camila l. Affonso queiroz disse:

    Olá, amei o texto foi bem esclarecedor mas eu ainda tenho uma duvida se puder me ajudar eu agradeceria, bem adotei um gatinho (huck meu filho q escolheu o nome) q era agredido pela ex dona deixei ele preso dentro de casa e ele já está bem à vontade aqui, meu quintal é bem grande murado e meu portão não da pra ele passar será q não tem problema deixa-lo no quintal um pouco o grande problema é o coco q fede demais costumo tirar da areinha assim q ele faz, mas quando saio a coisa fica feia!!! A casa toda fica fedendo e meus pais reclamam, sei q é normal isso, compro uma das melhores rações já dei vermífugo e começo no sábado a vacina-lo. Outra coisa quando posso castra-lo ele tem 4 meses.

    • Que pergunta estranha, Carolina. Se está falando de anticoncepcional, nenhum. Todos causam câncer. Para evitar riscos, castre suas gatas. Se está falando dos demais medicamentos, só com orientação veterinária. Se está falando de outras coisas em geral, creio que uma boa ração e água não matem gatos.

  2. Daniele disse:

    Vanessa,

    Acabei de descobrir seu blog e adorei o texto. Eu adotei uma gata no “adote um gatinho” em 2011 que já veio castrada, vermifugada e só me trouxeram depois de eu telar o apto, ela é super feliz e só pede para abrir a porta do hall do elevador e adora ir lá se esfregar no chão, na nossa presença, e se algum elevador chegar corre para o apto. No início ela era super sociável mas depois do primeiro banho no veterinário quando voltou para casa não é mais social, só com a gente, vem visita ela se esconde, não quer chegar perto, se tento forçar é pior, este banho foi a única coisa diferente que aconteceu (e foi quase um ano depois de eu adotar). Ela chegou bem arista, me arranhava, avançava mas consegui dobrar ela, não sobe no nosso colo, só se eu pegar e sentar depois ela desiste e deita no meu colo, já viu q sou insistente…rs a noite dorme na minha cama e no frio quer subir em cima da minha barriga, então já aprendi a dormir de barriga para cima, é muito amor. Seu texto é ótimo e esclarecedor, castração é a coisa mais importante, tenho dois cachorros e a fêmea ganhamos e não castramos, este ano ela passou mal e quase morreu, fez cirurgia e retiraram o útero, que arrependimento que nos deu! Mas como o macho é castrado e nunca saem para a rua não aconteceu nada pior com ela. Li todos os comentários e vc é um anjo de responder a mesma coisa para muitas pessoas. Ah, é a minha primeira gata e nossa vida é tão melhor com ela! Os cães ficam em outra casa no interior, ela fica aqui só no apto mesmo, nem na sacada fica muito, gosta de ficar com a gente mesmo, é muito companheira. Parabéns pelo blog 😉

  3. Adriano Becker disse:

    Olá Vanessa, vi seu blog e seus posts e achei muito interessante. Diante do assunto, venho fazer uma pergunta. Tenho uma gata, ela tem 4 meses e estou achando que ela está se sentindo sozinha, pois acabo não ficando muito em casa pois trabalho. Queria saber se adoto uma outra gata pra fazer cia para ela ou compro mais brinquedinhos diferentes para entreter ela?

  4. Rute disse:

    Boa noite,

    Me mudei ha uns 3 dias para uma casa que fica em uma pequena vila com outras 4 ou 5 casas, assim que entrei fazendo a mudança apareceu uma gatinha aqui, adulta, pergutei para a vizinhança se ela era de alguém da vizinhança e me disseram que essa gata já morava por aqui mas não tinha dono. Ela me adotou sabe… fica aqui em casa o tempo todo, principalmente à noite, e me segue pra onde vou. durante o dia ela passeia um poco, mas sempre pelo meu quintal ou fica na varanda da vizinha da frente com o gato dela. O pior é que não faço a minia ideia de como criar gatos, sempre tive cachorros, mas nunca gatos e sei que são muito diferentes, quero muito que ela continue aqui pois ela é totalmente dócil, o problema é que estou sem saber o que fazer! Já comprei a ração e ela come direitinho, mas não sei a quantidade certa para dar no dia a dia por isso estou sempre abastecendo o prato, pois ela pede comida toda hora, preciso vacinar mas não sei como transportar e muito menos dar banho, ela está muito suja e morde de vez em quando, mas só a mim! já sou vacinada pois ja tinha sido mordida ha pouco tempo. Porém tenho uma filha de 2 anos que adora animais e já tomou o gatinho pra ela! Me dá uma luz! Pelo amor de Deus! não sei o que fazer nem por onde começar! como domestica-la, como levar para vacinar, dosagem de comida e água como transportar e muito menos como dar banho! Me ajudaaaa?????

    • Que bom que você quer ficar com ela, Rute! Fica tranquila, não é nada complicado cuidar de gatos. Na verdade, é bem mais tranquilo do que de cachorros. :-) Primeiro, gato não precisa ter horário para comer. Deixe a ração à vontade no prato, mesmo. Deixe um pote sempre cheio de água por perto, também. Ela escolhe quando comer. Aqui em casa, eu coloco até metade do pratinho de ração e vou completando conforme o nível diminui, porque eles gostam de ter ração fresquinha todos os dias…rs. Eles não costumam se empanturrar como cachorros, então normalmente ficam tranquilos. Não precisa domesticá-la, pelo visto ela já está bem domesticada…rs. Não precisa dar banho, também, gatos são autolimpantes. Se ela estiver muito sujinha e não estiver conseguindo se limpar, você vai ter de levar em um veterinário que saiba dar banhos em gatos. Geralmente, só precisa fazer isso uma vez. A saliva dos gatos tem um óleo bactericida, então aquele banho de língua que eles tomam já é bem eficiente. Se na sua cidade tiver uma clínica específica para gatos, melhor. De qual cidade você é?

      Bem, vamos aos passos básicos: você precisa de uma bandeja sanitária com areia sanitária e uma pá de plástico específica para remover o cocô e o xixi. Esse é o banheirinho dela. Não precisa ensinar, eles sabem fazer. Ela vai fazer a sujeirinha lá e enterrar. Depois, você tira com a pá e joga fora. O que mais? Vacina…bem, para transportar, você precisa comprar uma caixa de transporte na Pet Shop. Alguns gatos entram fácil na caixa, outros precisam de incentivo, como um pouco de ração no fundo da caixa. Ela entra, você tranca a porta da caixa e leva ao veterinário. Na teoria é muito fácil..rs. No vet, ele vai dar o vermífugo, vacinar, dar banho e marcar a castração. É imprescindível castrar se você quiser que ela viva bem. Alguns vets vacinam em domicílio, mas é sempre mais complicado segurar o gato em casa para vacinar do que colocar dentro da caixa de transporte e levar na clínica.

      Quanto a morder, não fique neurótica, gatos mordem, gatos arranham… A vantagem dos gatos é que eles são pequenos, logo, não tiram pedaço. :-) Aos poucos, vocês vão aprendendo a lidar. É muito pouco provável que ela passe alguma doença para você ou para a sua filha, mesmo assim, é importante que você a leve a um veterinário para ver se está tudo bem com ela e para castrar.

      Não se desespere, cuidar de gatos é bem tranquilo. O esquema não é de líder e subordinado, como é com cachorros. É mais de amizade, de aprender a respeitar os espaços e compartilhar a casa. Como é com as pessoas. :-)

      Se você mora em Porto Alegre, eu recomendo MUITO a clínica veterinária Chatterie. A dra. Rochana é excelente com gatos!

      Parabéns pela gatinha e não se preocupe, você vai conseguir aprender a lidar com ela e terá uma amiga felina para você e para a sua filha por muuuuuuuitos anos (castrados e sem acesso à rua eles podem viver bem por 20, 25 anos!).

      Beijos!

      PS: Tem um grupo no Facebook chamado “Gatos – Manual de instruções”. Tem vários tópicos úteis por lá. Peça para entrar: https://www.facebook.com/groups/105048612907639/ Nesse grupo tem outras gateiras que também poderão ajudá-la nos momentos de desespero e de alegria. :-)

  5. vitoria disse:

    Ola,queria que você tirasse uma duvida,é que apareceu um gato na minha casa,ele veio atrás da minha gata,mais ela nao quis nada com ele (ela ta no cio),pq ele é filhote deve ter um 4 meses,chegou aqui miando querendo carinho e comida,sera que onde ele morava os donos nao dam carinho e comida?e sera que ele vai ficar aqui pra sempre?

    • Oi, Vitoria, provavelmente os donos não davam carinho e comida. E provavelmente ele gostou de você. Eu sugiro que você leve ele ao veterinário, para ver se está tudo bem com ele e se já dá para castrar. Também providencie a castração da sua gata, pelos motivos que eu expliquei nesse post. E a única maneira de ele ficar aí para sempre é se você telar sua janela ou seus muros e não deixar ele sair. Na verdade, essa é a única maneira da sua gata ficar aí para sempre, também. Senão, existe grande chance de eles saírem e acabarem sofrendo algum dos acidentes que eu explico nesse post. Se você não quiser ficar com ele, pode tentar doá-lo, mas castre antes de doar. Pense que esse gatinho está carente, é carinhoso e merece ter um lar. Não pense nele como um estorvo, é um bebê que só quer carinho e comida e está confiando em você.

      Beijos.

  6. Fabiano Oliveira disse:

    Oi Vanessa, me chamo Fabiano, moro em Curitiba, no Paraná, vi seu blog, e vi que você dá dicas sobre comportamentos felinos, e gostaria que , de repente, você me ajudasse com uma dúvida sobre gatos…
    Eu tenho um gato siamês ,macho, não castrado (nunca tive gatos antes)…Ele apareceu aqui na casa de minha família, “adolescente” digamos assim, e ficou 5 dias miando de baixo da nossa casa….Não pensei em adotá-lo a princípio, porque eu já tenho um dobermann macho de 12 anos….Mas fiquei com pena e acabei adotando o gato!….Pra minha surpresa ele se adaptou incrivelmente ao cão e vice-versa ( detalhe meu cão odiava gatos) …E também ficou muito apegado a mim e a minha mãe…Ele desenvolveu o habito, com o tempo, de passear, durante o dia, por poucos minutos, aqui próximo de casa ( dava até para vê-lo, sobre as telhas, não ia nunca longe) e as vezes brigava com umas gatas de casas vizinhas…que ficam , na verdade nos fundos da nossa…Então era fácil acompanhar sua rotina e hábitos ….Enfim no feriado do dia 08 de setembro, eu não estava em casa (estavam minha mãe e irmã – vi ele a última vez as 22:30 da noite do dia 7 de setembro), e ele sumiu…não sei se a noite ou em algum horário do dia 8…só voltei pra casa no dia 9….Eu sei de algumas coisas que podem ter acontecido com ele , como atropelamento, morte ( por cães ou pessoas) ou até roubo , já que ele era siamês macho e não castrado…e era bonito….
    MINHA DÚVIDA E/OU QUESTÃO : Porque alguns gatos (caso ele esteja bem) somem e voltam pra casa depois de um bom tempo?….Já ouvi histórias , até de amigos meus que tem gatos a muito tempo, de gatos que somem, por , 15, 49, 60 dias!!… Onde eles ficam, já que voltam “bem”, sem machucados muitas vezes; só sujos ou desnutridos?!!…

    Ele apareceu por livre e espontânea vontade aqui, e ficou com toda liberdade de ir embora se quisesse, mas demonstrou não ter dono , ao ponto de insistir em ficar mesmo com o dobermann presente(até tentava brincar com o cão !)…nos recebia no portão, sabia os horários da casa etc…
    Mesmo assim, ele poderia ter voltado pra um suposto “lar antigo”??…Ele ficou comigo por 7 meses seguidos, sem nunca sumir por mais de 20 minutos, quando passeava ; obedecia pelo nome Thomas, etc……Já faz um pouco mais de um mês que sumiu….O QUE VOCÊ ME SUGERE?..Eu devo criar alguma esperança?!!…Pus anúncios na web, em casas próximas onde vi gatos, procurei em várias ruas próximas, valetas, terrenos baldios, até pra ver se achava o corpo dele caso fosse atropelado,envenenado,enfim…….NADA…?
    Já li histórias de gatos que sumiram por mais de 60 dias…Como disse pra onde vão, porque se ausentam tanto, mesmo sendo apegados aos donos, como ele era, e bastante …(?)…e detalhe era bem arisco com estranhos e odiava crianças…MESMO…..Mesmo quando ele estava no quintal apanhando sol, perto da grade do portão, ele corria pra dentro da casa se alguém passava muito perto da grade , por exemplo…..Enfim….Você pode me ajudar ou dar dicas?!…Reforço sou ignorante em gatos, ele era meu primeiro e quero deixar claro que sou apaixonado por animais…Ele era extremamente bem cuidado e mimado…rsrsrsr

    Desde já agradeço e aguardo um retorno!

    Fabiano Olievira

    • Fabiano,

      Esses casos de gatos que voltam depois de algum tempo realmente existem e as pessoas acham que eles estavam voluntariamente dando um rolê, mas não é isso o que acontece. Às vezes eles se perdem, são impedidos de voltar pelo dono do território (e voltam, se estão vivos, quando esse dono morre) ou – mais provável – são resgatados por alguém que acha que eles não têm dono. Por isso alguns voltam depois de bastante tempo. É só conseguirem escapar. Ah, e também acontece de ficarem presos em algum lugar. Já vi gato que ficou preso dentro de um galpão e saiu dias depois, quando alguém abriu a porta. Gatos não ficam muito tempo longe de seu território à toa (e o território dele é a sua casa). Principalmente se ele já tinha o hábito de voltar.

      Eu acho que você não deve desistir de procurar. Continue fazendo cartazes com fotos, distribua nas caixas de correio da vizinhança, coloque anúncios na internet e fique de olho nos sites de adoção e páginas de protetores de animais da sua região. Coloque anúncios nas páginas do Facebook (de amantes de gatos e de adoção de gatos em Curitiba) e não se esqueça de mencionar que não tinha consciência sobre posse responsável (porque pode acontecer de alguém se indignar pelo gato estar na rua e sem castrar. As pessoas se esquecem de que não nasceram sabendo). Continue a busca. A probabilidade de ele ter voltado voluntariamente para o antigo dono, na minha opinião, é nula. Como você disse, ele já estava adaptado na sua casa, gatos se apegam a quem eles escolhem e, pelo visto, ele escolheu a sua família. É uma pena que você não tivesse informação antes, mas você não o castrou e não o manteve em casa por ignorância, não por maldade, então não se culpe. Mas se encontrá-lo, é bom providenciar a castração e telar os lugares por onde ele sai, porque ninguém merece ter de passar por tudo isso de novo.

      Sinceramente, torço por vocês, espero que consiga encontrá-lo. Existe a chance. Se ele estiver na casa de alguém, espero que essa pessoa tenha consciência e o devolva. Mas é importante que você demonstre não ter desistido do gato. Eu confesso que já raptei um não castrado que estava na rua e que quase foi atropelado. Mas a dona não colocou um mísero cartaz em lugar nenhum. Ela só falou com o meu sogro porque o vigia disse que me viu com um gato no colo.

      Como ela tinha vários gatos e eles sempre eram atropelados ou sumiam e ela não estava nem aí e nem aceitava castrar, eu sabia que se devolvesse o gato ele morreria em pouco tempo. Então, não devolvi. Mas se ela tivesse espalhado cartazes, demonstrando que realmente queria o gato (e se não tivesse outros 20 gatos), eu provavelmente teria entrado em contato com ela para orientá-la sobre uma maneira de garantir que ele sobrevivesse, porque não peguei o gato para mim, peguei para doar. Ele pode estar na casa de alguém que pensa estar fazendo o bem para ele. Então, o recado é esse: não desista! Em algum momento, você vai ter notícias dele. E eu espero que sejam muito boas. Me mantenha informada, tá?

      Abraços!

      PS: Se fizer um anúncio para colocar no Facebook, mande para mim, para eu ajudar a divulgar.

  7. leonamm disse:

    olá! Vanessa!
    Uma lindinha pariu aqui em casa, cinco lindos fofinhos. No entanto, acabou carregando suas crias deixando apenas um. Gostaria de saber se elas costumam tranferir suas proles para lugares distantes?
    Obrigado.

    • Sim, Leonamm, se em sua casa tem cachorro ou muito barulho, ela pode ter se sentido ameaçada e levou os filhotes para algum lugar que achou mais seguro (não que necessariamente seja, já que eles não têm como avaliar segurança no mundo dos humanos). Algumas mais paranoicas chegam a transferir os filhotes depois de uma festa de família, por exemplo, ou algo que saia muito da rotina. Elas ficam assustadas e têm o instinto de proteger os filhotes. O problema é que ela certamente levaria todos. Se deixou um, provavelmente aconteceu alguma coisa no caminho e ela morreu, se feriu ou ficou presa e não conseguiu voltar. O outro lugar não devia ser tão seguro assim. :(

      Estou com alguns gatos para doar em casa, a gata mãe transferiu os filhotes da casa em que ela morava porque a dona trouxe um poodle. Ela os levou para um anexo de uma casa em que as pessoas não gostavam de gatos e não os queriam lá. Tinha um buraco enorme no chão e não sei como nenhum deles caiu. Se a gente não tivesse resgatado, todos teriam morrido. Só não devolvi para a dona porque ela matava animais.

      Dê uma olhada na vizinhança, se você lembra de como era a gatinha. Pergunte para ver se alguém a viu ou ouviu os filhotes, pois eles ainda podem estar pelas redondezas. E cuide desse pequenininho que ficou aí na sua casa, porque existe a chance de ele ser órfão agora. :( Ele é recém-nascido ou já come ração?

      Abraços.

  8. Simone de Oliveira disse:

    Bom dia!

    São essas as informações que eu queria. Eu moro em um casa que o gato vem pelo telhado e acostumei dando comida, casa e carinho. Só que de uns tempos pra cá, ele não tem entrado em casa, pois a a gata que eu tenho que também veio pelo telhado, teve 4 filhotes, com isso ele não quer mais ficar em casa, e quando entra quer marcar seu território, mijando nas paredes. Estou para me mudar para um apartamento daqui a uns dois meses e fico me perguntando o que fazer com esse gato, se ele não quer mais entrar em casa e fica o tempo todo marcando território, está ae a resposta para minha pergunta, vou castrá-lo quando os filhotes forem embora e creio que ele vai ficar mais tranquilo no lugar novo.
    Obrigada!

  9. Danielle disse:

    Vanessa,por favor,preciso de uma orientação.Tenho quatro gatos,todos estão castrados.Moro com meus pais e eles não permitem que os gatos fiquem durante a noite dentro de casa,no entanto,tem o espaço da churrasqueira que fica afastado da casa e é lá que fica a comida e coisinhas deles.Gostaria de saber se eu posso deixá-los presos lá durante a noite.Morro de medo que eles sejam atropelados nas voltinhas noturnas,mas também não quero que fiquem batendo um no outro por estarem presos.Acho que devo prender e deixar miar mesmo,né?

    • Danielle, como é esse espaço da churrasqueira? É um quarto? Um galpão? Tem janela, alguma coisa assim? Descreva esse lugar. Se for tranquilo para eles dormirem, se tiver caixa de areia, comida, água, lugar para dormir, se tiver uma janela telada e se eles não conseguirem escapar pela churrasqueira, pode ser uma boa ideia. Se conseguir deixar o ambiente com jeito de quartinho agradável, é capaz de eles nem reclamarem muito. Podem miar no começo, mas se acostumam rápido.

      O importante é evitar voltinhas, sejam elas noturnas ou diurnas (espero que seus pais permitam que eles fiquem dentro de casa durante o dia. Já não faz sentido deixá-los fora de casa à noite, quanto mais de dia!) e dar a eles um lugar tranquilo para ficar e que tenha coisas para fazer (tipo…eles têm arranhador? Coloque lá à noite. Eles gostam de algum brinquedo? Deixe com eles por lá. Gostam de caixa de papelão? Deixe por lá também.

      Me diga como é esse lugar, para que eu possa te ajudar a pensar em alguma solução.

      Beijos.

      • Danielle disse:

        Oi,Vanessa! Obrigada por responder.
        O espaço é grande e tem porta e janelas.Eles conseguiam fugir pelo sótão,mas já bloqueei o acesso e pela churrasqueira não é possível saírem.Tem comida,água,caixinha (apesar de eles não gostarem de usar) e um colchão com edredom.Semana passada fui atrás de brinquedos e arranhador,pretendo comprar em breve.Caixa de papelão tem dois que gostam,os outros não dão muita atenção.
        A vontade do meu pai é que não fiquem dentro de casa nem mesmo durante o dia,mas como ele não está eles entram sem problemas.Eles não saem para dar voltinhas no período diurno,o problema é a noite mesmo.Não tenho como saber se saem,vão longe ou não e essa é minha preocupação.Além disso já houve caso do vizinho reclamar que os gatos estavam fazendo suas necessidades na casa dele,mesmo eu sabendo que não são os meus (pois se eles não fazem nem na brita que tem na minha casa não fariam na dele)quero evitar falatório.
        Meu pai tem aquele pensamento que gato não pode ficar preso e não quer muito que eu os tranque,diz que o local vai ficar “fedendo a gato” mas sempre deixo tudo limpo e organizado.
        Tenho outra dúvida.Não sei o que é melhor fazer com o mais velho,ele têm 10 anos ( os demais um )ele não vai longe e antes da chegada dos outros costumava ficar à noite dentro de casa e às vezes nos acordava para sair.Agora ele acaba ficando bastante na churrasqueira (ele escolhe isso,pois a permanência dele é permitida) e eu tenho receio que ele fique irritado preso.Tem um que é brincalhão demais e às vezes acaba irritando ele. E se eu o deixar dentro de casa e ele pedir para sair não terá como entrar na churrasqueira…

        Enfim,é isso! Desculpa se me estendi muito.

        Obrigada!

        Danielle

  10. Cacilda disse:

    Oi Vanessa, pesquisando sobre gatos abandonados cheguei no seu cantinho virtual.
    Peguei um gato na rua onde moro, a idade certinha dele o veterinario não pode dizer devido alguns dentinhos quebrados,
    Disse ele que devia ter de 3 a 4 anos.
    Esse gato estava apanhando de uma mulher, eu estava vindo do supermercado, atravessei a rua deixei as sacolas do supermercado com o porteiro, voltei e peguei o gato.
    Nunca tive gato, meus pais não gostavam pq diziam que os gatos pulavam muros e iam pertubar os vizinhos e passei minha infancia e adolescencia querendo um gatinho.
    Resumindo, ja tem 1 ano e 5 meses que peguei.
    Foi vacinado, remedios p vermes, meu apto ficou com larvas e ovos de pulgas, o veterinario me passou um produto p dedetizar sem prejudicar o bichano.
    Hoje ele tem a cardeneta de vacinação , esta tudo em dia, tomou muitas vacinas quando peguei, agora só tomar em 2015.
    O nome dele é Nick, é um tigrado com dentes quebrados,como foi a vida dele antes , não sei,mas o olhar que ele me olhou quando estava apanhando não esqueço até hoje.
    Depois que ele tomou os remedios p vermes, todas as vacinas, foi castrado.
    Hoje ele é feliz, amado, e retribui com muitos rons rons , amassando paozinho, e o miadinho dengoso.
    Concordo com tudo que vc escreveu, ele tem acesso no apto todinho, e qdo quer dorme na poltrona no meu quarto, tem a toca quentinha na sala, tem o pufe que ele adora tirar cochilo durante o dia.
    Ele não sai nem no corredor qdo vou jogar o lixo, só sai p ir no veterinario, aprendi cortar unha, dar banho e assim evita que ele fique estressado indo no veterinário.
    Nem pensar em deixar gatos dar voltinha, tá cheio de psicopatas soltos, a mulher que estava batendo nele disse que odeia gatos, nem perdi tempo discutindo com ela, a minha preocupação era salvar o bichano da psicopata.
    Muito legal seu cantinho e de grande ajuda .
    Abrçs

  11. Ilena palhares disse:

    Oi, sou apaixonada por gatos, cresci com vários filhotes sendo jogados em casa, por que sabiam que gostávamos muito de felinos e de caninos, tínhamos 21 gatos e 12 cachorros, bem anos se passaram e agora já bem mais velha, com 2 filhas adotei uma gatinha que apareceu em minha loja, meu marido não tinha noção do que é ter um gato, esta mais que apaixonado, nossa Nina esta agora com 4 anos, é castrada, e adora a vidinha que tem , ela apareceu na loja, e logo procurei castra-la, com isso ela foi pro meu apartamento, mas eu não podia deixa-la em casa qdo vinha trabalhar por conta dos pontos e da cachorrinha também adotada, resultado, fazem 4 anos que a Nina vem cedo pra loja e vai embora a noite comigo, ela não sai do telhado da loja , esses anos todos sempre fica aqui ou no meu telhado e no da igreja vizinha, a noite se vou embora mais cedo assobio e ela entra correndo e já vai pra caixa de transporte, a nossa Nina é a alegria da minha vida !!!!!!!!!

  12. Juliana Freitas disse:

    Olá…. por favor me ajuda!
    Meu gato tem 6 meses e ele anda com um comportamento diferente demais, de uns dias pra cá ele faz xixi na caixa de areia e nas minhas plantas……estão matando elas por causa da urina, ele não sai na rua e não é castrado, só come ração e nunca roubou nada em cima da mesa, ele é um ótimo gato, o problema é q ele é muito carinhoso e está com um comportamento estranho, quando vou dormir ele vem deitar na cama comigo….isso ele sempre fez, mais ele começou a morder a minha mão e puxar p trás…. tbm faz isso com meu marido e com o edredom, ele faz isso até eu levantar….vc pode tentar tirar ele q ele não solta da sua mão segura forte e faz uns miados baixos como se estivesse com dor……queria saber o q é isso, será q ele quer cruzar? Depois de xingar ele e tirar na marra ele deita e dorme.
    Me ajuda por favor não aguento mais esse comportamento ele!
    Obrigada desde já!

    • Castração, já, Juliana. Isso é hormônio sexual em alta atividade. Não adianta cruzar, a produção hormonal não vai diminuir cruzando, pelo contrário. Para resolver esse problema, só castração e paciência. Paciência, porque ainda vai levar um tempinho para os hormônios deixarem de circular na corrente sanguínea, pois eles vão diminuindo aos poucos. Mas você já vai notar melhora no comportamento dele. E a urina também vai ficar com muito menos cheiro e muito menos agressiva. Possivelmente, ele vai parar de fazer xixi nas plantas se for marcação de território. Mas quanto mais tempo você demorar para castrar, mais difícil será desse hábito desaparecer, então: castração já, minha amiga.

      Beijos!

  13. Kívia Kelen disse:

    Olá Vanessa! Pesquisando na net acabei encontrando seu maravilhoso e bem esclarecedor post! Parabéns!

    Sou grande fã e admiradora de gatos, desde criança. Possuo uma fêmea de 5 anos e que pesa 3,6 kg, castrada desde os quatro meses de idade, linda e esperta pra vida. Geralmente ela dorme 16 horas/dia, o que é normalíssimo para os felinos, acostumou-se com os hábitos da casa (acorda quando todos acordam e dorme quando a última luz da casa se apaga) e, Graças a Deus, tem hábitos diurnos. Adora pegar sol na frente do apartamento e caçar calangos (vez por outra, presenteia-me com uma de suas “conquistas”). Infelizmente numa das saídas dela à noite (raramente isso acontece) um dos gatos de rua que também alimento e dou vermífugo a cada seis meses e mando vacinar, mordeu o rabo dela (e ela também ajudou a aumentar a ferida roendo o rabo) e foi difícil o tratamento porque é uma área extremamente sensível, durou quase dois meses. Coloquei o colar Elizabetano, apliquei Rifocina aliada a Vetaglós e, junto a isso, o analgésico Ketofen (logicamente feitos com o olhar e cuidados do veterinário). Acontece que agravou um problema que ela já tinha e que não dava muita importância: toda vez que ela sobe ou desce de lugares acima de um metro de altura ela rosna (isso mesmo, rosna igual a cachorro) veementemente para o rabo dela. Até cheguei a comentar com o veterinário achando que o rabo dela é longo demais para o peso, ou que poderia ser um problema de equilíbrio. Fiz todos os exames hematológicos, raio x e de urina e tudo acusou a mais perfeita normalidade. O que mais pode ser, se nem o veterinário detectou a causa disso?

    • Kivia, isso é estranho. Se ela rosna é porque, certamente, o rabo a está incomodando. Pode estar sentindo dor. Pode ter ficado algum problema em algum nervo. Eu procuraria uma segunda opinião, de um veterinário especializado em felinos. E please, mantenha a gatinha dentro de casa. Esse tipo de situação acontece e gatos não têm noção, então quem tem que evitar que eles se exponham a isso somos nós, os donos.

      Beijos e tudo de bom para você e para a sua gatinha!

  14. Patricia disse:

    Meus gatos tem um ano os dois , moro em apartamento, eles não saem, apenas um andou fazendo xixi aqui e ali , mas agora q comprei duas banheirinhas ja não faz mais , devo castra-los!
    estou com dó, nao vejo o por que ja que o problema sempre e relacionado a passeios perigosos e tal!

    • Patricia, leia o texto inteiro. O problema não é relacionado a passeios perigosos apenas. Há também o estresse sexual, o excesso de hormônios circulando que fazem o gato envelhecer mais depressa e também o risco de câncer de próstata em machos e piometra e câncer de mama, ovário e útero em fêmeas. Deveria ter dó de não castrar.

  15. Olá Vanessa.
    Li seu texto (esclarecimentos) sobre gatos 2 vezes e quase todas as perguntas e suas respostas depois dele.
    Como confesso admirador dos felinos – veja: https://www.facebook.com/gatoninjaoficial, gostei muito!
    Contudo, estou postando aqui uma dúvida “o que fazer”…
    Sim, pois esta situação nunca me aconteceu.
    Abaixo vou lhe relatar e se possível me dê um conselho, agradeço muito.
    ____________________________________________________________
    1-) Uma Gata -de rua que nunca vi- deu a luz a 6 gatinhos -em algum lugar que não sei
    2-) Nesta noite-madrugada (08-09/03/2014) ela transportou ou gatinhos para meu Jardim (embaixo da cabana do pé de maracujá).
    3-) Todos eles já tem pelos, andam – + ou menos – ainda mamam.
    Pergunta: O que faço? Já adotei uma gata e assim que mudei para esta casa adotei outro (bebe).
    Não tenho como garantir abrigo e bem estar a todos eles…
    Preciso de ajuda.
    Obrigado

    • Wladimir, ela está procurando um local seguro para os filhotes e achou que sua casa era esse lugar. O jeito é mantê-los abrigados em algum lugar da sua casa (tem uma área de serviço? Algum cômodo em que eles possam ficar?), providenciar ração, água, caixa de areia e castração para eles e para a mãe (se estiver em SP, indico a dra. Fernanda Conde, que, inclusive, faz castração precoce – e a baixo custo – na clínica Melhor Amigo, na Zona Norte), tirar fotos e divulgar para adoção. É importante castrar todo mundo para evitar a superpopulação, pois se não fizer isso, serão mais e mais filhotes abandonados por aí.

      É importante providenciar um local em sua casa para abrigá-los. Existe gente louca que recolhe gatos para amontoá-los e enchê-los de doenças, por isso é melhor mantê-los com você até doá-los. Os abrigos e ONGs sérios estão abarrotados de animais e não aceitam mais nenhum. O mais seguro mesmo é fazer como eu disse. Depois entre no grupo Gatos – Manual de instruções, no Facebook, para divulgá-los para doação.

      Outra coisa, acostume a mãe e os filhotes a vê-lo e faça carinho neles, para que se mantenham sociáveis e seja mais fácil doá-los.

      Abraços,

      Vanessa.

  16. disse:

    Oi Vanessa.

    não sei estou muito preocupada com meu gatinho, Pitoco é como um filho sempre tratei assim, ele vai fazer 02 anos e peguei ele abandonado dei as vacinas e logo castrei, ele sempre ficou dentro de casa mas sempre teve curiosidade para sair e nunca deixei. Só que a 03 meses me mudei para uma casa que tem um grande quintal é seguro então deixo ele a vontade, só que peguei outro filhote que esta agora com 05 meses, eles se entendiam e ate brincavam só que tive que fazer uma viagem e deixei eles por 05 dias e quando voltei meu pitoco estava muito mau, ficou depressivo então levei na veterinaria e estou dando floral ele ficou bom porem não é mais como antes, um gato dócil ele praticamente não liga mais para mim e antes ele só dormia comigo, agora não esta nem ai e pra completar não aceita mais o outro gatinho e se tornou muito agressivo!!!!! peço sua ajuda estou desesperada e não sei o que fazer ele ate me agrediu!!!!! por favor me ajude a trazer o meu pitoco de volta. POR FAVOR ME AJUDE

    • Lu, providencie a castração do pequeno, pois é bem provável que a causa do estresse seja disputa territorial (e por você também). O pequeno deve ter atingido a maturidade sexual e o Pitoco já percebeu o cheiro causado pelos hormônios. Depois que castrar, ainda vai demorar algum tempo até que os hormônios saiam da corrente sanguínea, mas acredito que a situação vai melhorar gradualmente.

      Abraços.

  17. Flavio Peralta disse:

    OI Vanessa.

    Li seu post e simplesmente vc me tirou da “depressão, explico: Um gato apareceu em minha casa em 11/12/2013, bem na data de meu aniversário e um dia depois minha filha (que adora gatos, mas nunca teve um) brincou comigo e disse: Pai sabe o que eu queria de Natal? Um gato.
    Achei o aparecimento deste gato algo superior ou inexplicável ou muiiita coincidência, e, resolvi ficar com ele, aliás nunca tive gatos e conhecia todos os mitos e mentiras que são imputados a eles. Ele é jovem (entre 8 meses e 1 ano, estimativa feita pelo veterinário), a Raça é o “Pelo duro brasileiro” ele é extremamente dócil, brincalhão e lindo!!. Mas ele tem um péssimo hábito; anoiteceu…. vai para a rua e só aparece na manhã seguinte.
    Por 2 vezes, ele retornou machucado e mancando. Como era época de festas, não consegui uma consulta no veterinário, esperei chegar janeiro, e, levei-o a um veterinário aqui de Cotia que era especialista em gatos. Castrei-o, e ele teve toda a atenção do mundo, sendo medicado e tudo mais.
    Ele é super feliz, fica muito no ambiente da casa vê TV conosco, brinca com seu ratinho e poste, mas, escureceu ele se transforma e tenta fugir de todas as formas, mesmo depois de castrado. Qualquer vão ele se esgueira e consegue a fuga. Percebi que depois de castrado voltava de suas fugas mais cedo e achei que seria assim sempre, então passei a permitir seus passeios noturnos. Mas numa manhã de sábado uma vizinha do meu condomínio (condomínio de casas), ligou muito Brava e pediu que eu fosse buscá-lo de dentro de sua cozinha e pior ele tinha deixado a Gata dela super estressada e a gata começou a bagunçar e urinar pela casa toda. Resumindo a história, fui notificado e ameaçado de multa caso ele fugisse de novo. Álias vale um parentêses, ele já vinha sendo monitorado pelas camêras, só faltava o zelador descobrir quem era o Dono dele.
    Não tinha ideia do que fazer, claro que imaginei muita coisa e estou lendo muito sobre felinos, e seu post me deu novo ânimo, pois estava pensando em doação, o que deixou minha filha profundamente triste.
    Pelo seu post consegui entender muito das atitudes dele, a entender as questões das fugas e doenças, e o melhor, me fez parar de me sentir um vilão que prende seu gato. Sobre telas nas janelas eu nem imaginava essa possibilidade, pois, ele sempre quer ir olhar a rua e eu não deixo por motivos óbvios.
    Me estendi demais, só para terminara o nome dele É Muffin.

    Muito obrigado, pelas dicas, foi de muiiiita, mas muiiiita utilidade mesmo.
    Parabéns pelo seu interesse em divulgar seus conhecimentos e ajudar a quem precisa.

    Flavio Peralta

  18. Flora disse:

    Olá Vanessa;
    Encontrei seu site quando tentava tirar uma dúvida grande.
    Tenho 8 gatos (3 fêmeas e 5 machos), todas as gatas são castradas e até o momento apenas um dos machos, pois urinava a casa toda e ficava na “farra” o dia inteiro. Hoje ele nem passa do portão
    Minha grande dúvida é, das três gatas, duas delas ficam rodeadas pelos outros gatos. Eles as cheiram, ficam rodeando, mordem a nuca e não as deixam em paz. Mas elas são castradas, e isso vem me irritando de algum modo, porque elas não tem como entrar no cio. Acredito eu! Até mesmo o gato castrado as cheira, rodeia um pouco e vai embora.
    Você pode me ajudar? Saberia me dizer o que pode ser?

    P.S.: Os outros gatos serão castrados no próximo mês, por aqueles grupos de castração. Você acha que correm algum risco? Uma vez que, aqui na minha cidade castrar 1 gato custa em torno de R$300.

    Fico agradecida, desde já

  19. murillo disse:

    ola tenho uma gata de 2 anos e pouco e ela sempre sai a noite (nunca pra rua mas eu moro mais ou menos numa vilinha, enfim varias casas em um local) e ela e castrada, tem um gato que gosta de brigar com minha gata hoje escutei gritos (de madrugada) nao sei bem se era da minha gata mas em frente a minha janela o gato preto e to preucupado ja que ela nao retornou, estou impossibilitado de sair (tenho 13 anos apenas) e queria saber se um gato por territorio pode chegar a matar uma gata? agradeço :( espero que ela esteja bem

    • Murilo, eu tenho mais medo das pessoas e de cachorros do que de outros gatos (quanto a matar). Nunca ouvi falar de um gato matando outro por território (embora as brigas possam ter consequências fatais), mas que eles podem expulsar por território, isso podem. Mas geralmente acontece entre machos. Fêmeas não são ameaças para machos, apenas para outras fêmeas (que também são bem territorialistas, mas não expulsam, até onde sei).

      O que pode ter acontecido com sua gata é meio difícil de responder, pois as possibilidades são infinitas. A maioria, infelizmente, não é boa. Também espero que ela esteja bem. Você tem fotos dela? Divulgue no facebook e em sites que divulgam animais perdidos. Quando puder sair, imprima e espalhe pela vizinhança com um número de contato. Se tiver algum estabelecimento comercial aí por perto, peça autorização para colocar o anúncio. Pergunte aos vizinhos se a viram, chame por ela, pois pode estar escondida em algum lugar. É importante para que se alguém a vir, saiba que ela tem dono. E não dê bola ao que pessoas sem noção disserem. Nessas horas sempre tem gente para fazer brincadeirinha sem graça, mas é gente que não raciocina direito, então ignore e não gaste suas energias com eles.

      Espero que encontre a gatinha e que vocês deem um jeito de mantê-la dentro de casa, é mais seguro. Ela não precisa sair todas às noites, é bom ir desacostumando ela disso. Brinque com ela à noite, distraia. Como eu disse no texto, no começo ela vai estranhar e reclamar, mas logo acostuma à nova rotina.

      Me avise quando ela voltar (realmente torço para que volte logo).

      Abraços!

      • Murillo disse:

        Obrigado pelas dicas, mas ela ja voltou hehe foi só eu colocar um pestisco na janela e plin * ela apareceu do meu lado.. bom estou mais tranquilo quanto a questão de gato matar outro ja que minha gata vive bringando com esse outro gato hehe . denovo obrigado :)

        • Murilo, acho que não me expressei bem. Um gato pode não matar o outro imediatamente em uma briga, como um cachorro faria, por exemplo. Mas nas brigas sua gata pode pegar doenças graves e que não têm cura, como a Aids felina (FIV) ou a leucemia felina (FELV). Ou mesmo sofrer um machucado grave que pode infeccionar ou ter alguma complicação. Todas essas coisas podem levá-la à morte e isso é comum acontecer. Portanto, mantenha sua gata dentro de casa, ou não a terá por muito tempo.

  20. Dara disse:

    Ola,meu nome e Dara tenho algumas duvidas peguei um gatinho na rua ele e um filhote só q ele não quer comer nada o posso fazer eu tenho uma criança de 2anos em casa qual o risco q meu filho corre com gato o q da pra o gatinho comer e o q fazer pra ele ficar mas animado . Por favor me da uma resposta não sei o q fazer bjss

    • Olá, Dara.

      Respondendo às suas perguntas: não, seu filho não corre nenhum risco com o gato em relação à saúde, mas eu tomaria cuidado para não deixá-lo pegar porque ele pode sem querer machucar o gatinho, que é muito frágil. O gatinho também pode arranhá-lo sem querer machucar ao brincar ou se defender, mas vejo maior perigo para o gato do que para a criança.

      Quanto a ele não querer comer, é preocupante, pois gatos não podem ficar sem comer ou podem desenvolver lipidose hepática, que é um problema grave no fígado. Não é normal não querer comer, o que você ofereceu para ele? Tente oferecer uma ração top de linha para filhotes, como a babycat da royal canin que você encontra em Pet shop. Ele é muito pequenininho? Será que já come ração ou ainda mama?

      O que eu faria, hoje mesmo, aproveitando que é sexta e não é feriado: levaria o gatinho em um veterinário para ver se está tudo bem com ele. Esse é o primeiro passo porque, como eu disse, gatos não podem ficar sem se alimentar e como vai ter feriado pela frente, é melhor levá-lo ao vet antes. Ele vai te dizer a idade exata do gatinho, as vacinas que tem que tomar e em que data e te orientar quanto à alimentação de forma mais específica.

      Importante dizer: deixe ração e água à vontade, não dê remédio nenhum (nenhum mesmo) sem orientação do veterinário e não estranhe se ele miar ou ficar agitado, é normal, filhotes sentem falta da mãe. Tenha paciência. Bem, você já tem um bebê, sabe como é. Em alguns aspectos, todos os bebês são semelhantes, não importa a espécie. São todos frágeis, carentes e necessitam de paciência, cuidados, atenção e amor. :-)

      Beijos.

  21. Oi Vanessa, me dá um help por favor!!!
    Eu moro na Alemanha, em Hamburgo e conheco bem essa onda de gatos castrados e viver em apartamento… eles se adaptam a tudo e tem uma vida mágica, cada canto da casa é um lugar deles, mesmo que seja um apto pequeño…
    Meu problema é que a minha gata Papa Frita de 4 anos, sempre foi meu xodó, e sempre morou sozinha…
    há um mês ganhei o Harry que tem agora 3 meses um bebê e logo em seguida comprei a Paris, uma Sphynx de 10 meses… A Papa é castrada e aceitou o Harry após uns 4 días, já dormem juntos, brincam e se lambem… Já a Paris ela nao aceita de jeito nenhum… nao sei se é pela aparencia, pois ela nao tem pêlos… é complicado… O Harry é a conexao entre as duas, pq tem acesso a casa inteira… Já a Papa quase nao entra na sala, sempre fica no quarto… e a Paris quase nao entra no quarto, sempre fica na sala… A cozinha o banheiro, escritorio e corredor todos entram mas sempre tem um briguinha… Voce tem alguma ideia do que eu possa fazer?

  22. Marcella disse:

    Olá adorei seu blog!
    sou completamente apaixonada por animais e estou desesperada e com remorso… uma gata deu a luz a quatro filhotes na laje da casa do meu namorado, já é a terceira vez… dessa vez eu inventei de arrumar donos pra eles, pois a laje e muito perigosa , cheia de fios de energia elétrica e é muito alta… Doei dois semana passada , e ontem tirei mais dois. Será que ela vai sofrer muito? Ela ta miando desesperada parece muito triste… Queria castrar a mãe mas ela e muito arisca impossível pegá-la…

    • Marcella, se você não castrar, daqui a três meses ela estará com uma nova ninhada na laje. E se você doou os filhotes sem castrar, daqui a cinco meses serão eles a ter filhotes. E sim, ela vai sofrer bastante, porque é mãe, estava amamentando e os filhotes simplesmente desapareceram, ela vai procurar por eles. Mas daqui a pouco entra no cio e faz outros. Então comece a oferecer ração e tente ganhar a confiança dela, para conseguir pegá-la e levar para castrar. Ela pode ser assustada, mas sempre é possível fazer amizade, basta ter paciência.

      Beijos

  23. Gabriele disse:

    Oi Vanessa, tenho uma gatinha sem raça de 1 ano e 2 meses que sai todos os dias para a rua, pois moro numa casa de dois andares que tem portão de grade, então ou ela sai por cima da casa ou pelo portão. A achamos na rua, na frente de casa, bebê, suja e com fome depois mesmo cuidando e dando amor nunca conseguimos desacostumá-la a sair.

    O problema agora é que ela levou uma mordida no rabo que infeccionou, levei ao veterinário e ele fez uma raspagem e curativo, a ferida está bem grande (uns 3cm) troco o curativo todos os dias, estamos no terceiro dia de cuidados da ferida e inexplicavelmente ela entrou no cio (foi castrada aos 8 meses e desde então não tinha apresentado estado de cio). Achei muito estranho e inconveniente ela entrar no cio logo no período que está machucada. Ela está presa dentro de casa, e agora com o cio fica mais louca ainda para sair e os gatões da rua estão rondando a casa.
    Estou preocupada, pois além da feriada ainda estar aberta ela deve estar stressada pela dor e pelo stress natural do cio.
    Será que posso usar algum calmante fitoterápico para acalmá-la? O que vc acha deles?
    Li na internet sobre Florais e calmantes como o FitoGuard e Stress Away da Pet Society. Vc acha que isso ajudaria minha gatinha nesse momento? Até a ferida cicatrizar e o cio passar?

    Estamos sofrendo muito em casa com a dor dela.

    • Gabriele,

      Leve essa gata ao veterinário. Como ela pode ter entrado no cio se foi castrada aos 8 meses? Deve ter sobrado algum tecido ovariano, a cirurgia foi malfeita e deve ser refeita antes que dê problema para ela.

      E não a deixe sair na rua. Não é com amor que você vai conseguir isso, mas com atitudes. Você só vai desacostumá-la a sair se instalar redes de proteção nas janelas e sacadas e não a deixar sair. E aguentar os miados nos primeiros dias. Não tem jeito. Se todo mundo que tem gato dentro de casa conseguiu acostumar o gato a não sair, obviamente não há caso impossível. É uma questão de hábito. Está bem esclarecido no texto, aliás.

      É a melhor maneira de evitar que ela sofra muito mais.

      Beijos!

  24. Anézia Castro disse:

    Veja se tens uma resposta para mim.
    Temos um gato há 16 anos, o Nicolau, nunca foi castrado, mas também nunca teve uma namorada, pois morávamos em apartamento e nunca apareceu uma namorada para ele. Hoje moramos em uma casa e ele está velho, só que ele não mia, ele GRITA, para qualquer coisa, até quando acaba de comer, para subir na cadeira dele, para qualquer coisa. O pior disto tudo é na noite onde quero dormir e ele GRITA. Sabe, dá aquele susto que corre um frio na espinha, só do susto. Tem solução para isso? Só a título de informação ele come muito bem (só ração até hoje), e tudo mais normalmente, toma banho uma vez por mês, onde vai limpar os ouvidos e os dentes, vacinas em dia e agora está tomando uma vitamina.
    Fico no aguardo. Obrigado.

    • Minha primeira resposta é: castração. Pois muito disso pode ser hormonal. Se for da personalidade dele, não vai acabar, mas certamente vai diminuir. Eu conversaria com o veterinário, para fazer exames e ver se é possível castrá-lo. Um gato castrado com 16 anos não é tão idoso quanto um não castrado de 16 anos, então é importante fazer exames para avaliar a saúde dele (principalmente coração, rins e fígado) e ver se não teria problema algum com anestesia.

      E ainda mais importante: não o deixe sair à rua. Se os gritos dele incomodam a você, que o ama, imagina como não incomodariam a vizinhos e desconhecidos? É muito perigoso para ele.

      Beijos!

  25. Sergei Ipiranga disse:

    Boa noite Vanessa, parabéns pelo blog!!!

    Tenho uma Gata de mais ou menos 1 ano e crio desde filhotinha, ainda não castrei…
    Tem uns dias que ela faz um miado feio, estranho…
    parece com os miados que os gatos fazem quando estão namorando…
    as vezes passa alguns dias sem miar assim e inclusive fica até mais brincalhona, mas quando esta com esses miados fica chata e incomoda muito, principalmente a noite…
    crio ela em apartamento…

    Inclusive ela fica mordendo a região da vagina que está arrancando até os pelos…

    Será que isso tem haver com o cio… castrando resolveria??

    Obrigado!!

  26. Ellen disse:

    Oi, Boa Noite/Tarde ou Bom Dia. Eu tenho dois gatos, um casal na verdade, a fêmea é castrada, mas o machinho não é, me mudei para um apartamento e tenho medo de solta-lo para dar uma voltinha e ele não voltar. Eu acho que ele tá um pouco estressado porque antes ele saia a noite ou qualquer hora do dia e agora ele só fica enfurnado num “apê”. O que você me orienta fazer? (enquanto não faço uma cirurgia de castração nele).

    OBS: Ele urina em quase todos os cantos, mia muito durante a noite (acho que deve incomodar os vizinhos) e as vezes tenta “cruzar” com minha gatinha (castrada).

    Os dois são muito carinhosos e apegados a nós, não queremos abandonar eles. Já é parte da família.

    • Castrar vai resolver seu problema (tanto de xixi, quanto de agitação dele). O estresse é dos hormônios, só castrando, mesmo. Não solte para dar uma voltinha, porque é capaz de não voltar, mesmo. Mais cedo ou mais tarde, eles morrem na rua. Mande instalar redes de proteção nas janelas do seu apartamento e aguente miados por um tempo, pois eles sempre se acostumam. Mas não deixe de castrar. É super rápido e tranquilo e o deixará mais feliz.

      Beijos.

  27. eu peguei um gato na rua hj….ele parese estar triste oque eu fasso? me ajuda pelo o amor de deus eu odeio ver um animal sofrendo

    • Calma, Isabelle. Dê ração, água, coloque uma bandeja com granulado sanitário (você compra em Pet Shop ou supermercado) e leve ao veterinário para uma avaliação e marcar a castração. Vai dar tudo certo, ele deve estar só cansado e com fome, e talvez agitado por causa dos hormônios, por isso castrar é importante.

      Leva no veterinário para ver como está a saúde dele. De resto, boa ração e água à vontade e muito amor é só o que ele precisa. Ah, e tele as janelas para ele não sair, como expliquei no post. Aos poucos ele vai se recuperar, vai ficar feliz e se tornará seu grande amigo. Você está fazendo a diferença na vida dele, parabéns.

      Boa sorte e tudo de bom com o gatinho!

      Beijos!

  28. luciene mourige disse:

    Oi Vanessa
    Parabéns pelos textos! Sempre tive gatos, inclusive durante minha gravidez contei com uma amiga especial…uma gatinha que se chamava Eduarda, que se foi faz 10 ano! Tenho ótimas lembranças que cada bichano que fez parte da minha vida…atualmente tenho 4 felinos, 3 meninas e um menino! Uma das gatas adotei há 8 anos, ela teve câncer em uma mama (isso foi a 4 anos atrás), o tumor era bem grande e ela é uma gata de porte pequeno…o fato é que após a remoção do tumor, 15 dias de internação, muito carinho (um parcelamento do tratamento, que não pensei duas vezes), dedicação do profissional, minha gatinha sobreviveu…as outras duas são filhas dela, a ultima cria antes do tumor. Hoje todas são castradas…Já o menino, se chama Snarf e nos adotou, apareceu na minha casa, nem chegava perto, dei comida e água e numa noite, quando meu marido chegou do trabalho o gato foi pro lado dele, cheio de ronronados e charme felino…ele é todo branco e peludo, bem acabou ficando!Atualmente mudei do RS para SP e, em função dos meus peludos, fizemos a viagem de carro, dois dias com 4 gatos, muitas paradas, algumas miadas…mas no fim tudo correu bem! Moramos em apartamento, tudo telado e eles se adaptaram melhor do que pensei, de vez em quando levo eles no jardim do condominio,,sempre a noite, com coleira, pois aqui os muros são altos e eles gostam da grama! Enfim, essa é uma pequena parte da minha vida com gatos que ficaria incompleta e vazia se eles não fizessem parte! Abraços e obrigado!

  29. Cacilda disse:

    Vanessa adorei seu cantinho virtual, faz dois meses que peguei um gato na rua, vi esse gatinho da janela de meu apto, ele corria ate as pessoas e fazia carinho, alguns retribuiam outros chutavam, nunca tive gato pq tenho um periquito tuim que ganhei filhotinho e criei dando papinha na seringa>
    Mas é como diz o seu texto: as pessoas dão chumbinho, furam os olhos..ou seja fazem maldades!
    O culpado é o dono que jogou o bichano na rua.Mas fiquei na esperança que alguém o pegasse, ja estou na terceira idade e sempre pensando nunca tive gatos melhor não arriscar!
    No terceiro dia cansei, fui e peguei o bichano, levei no veterinario, tomou remedios p vermes, as vacinas, banho e anti pulgas.Hoje ele tem ate a cardeneta de vacinação !
    É um SRD de mais ou menos 3 a 4 anos, não foi possivel o vet saber a idade certa devido alguns dentinhos quebrados!
    Ele morre de medo de janela, nunca chegou perto da cortina e quando abro o vitro ele mia ate eu fechar e sair, penso que ele foi jogado ou caiu de algum apto!
    vou castrá-lo agora no mes de maio, meu filho entra de ferias do trabalho fica mais facil, leva-lo e busca-lo, pq ate os taxistas não gostam de transportar gatos..ignorancia e preconceito em cima dos bichanos é o que não falta!
    Estou feliz com o bichano, descobri que tenho alergia a pelos de gato o vet me passou um produto que alem de acabar com minha alergia deixa o pelo dele lindo parece veludo..fica fofo demais!
    Como é um tigrado ja adulto as pessoas não pegam, preferem os de raça, agora me apeguei nesse gatinho, até nominho ele ja tem :Nick.
    Meu apto não é telado mas procuro deixar apenas os vasculantes abertos mesmo sabendo que ele tem medo de altura!
    Concordo com tudo que vc escreveu, mas não gosto de pessoas que judiam de animais, só q sabemos que infelizmente existe essas criaturas>
    Peguei apenas 1 gato, sei que tem muitos abandonados, mas na minha idade 1 gato eu consigo cuidar , limpar caixinha de areia, ficar atenta p ele não chegar perto do periquito, e poder dar amor e carinho p os dois.
    Parabens pelo seu site, tem informações úteis !
    Abraço
    Cacilda

  30. Alayr disse:

    Muito bom! Eu a-do-ro gatos e tinha pena de criá-los em apartamentos, eu creditava messsssssmo nisso. Não era egoísmo. Ao contráio, eu ficava revoltada de ver gente matando, bichinhos “sumindo”. Mas acreditava que ficariam deprê trancados. Até que vi que todos os “orfanatos” de gatos exigiam apartamentos ou casas muuuito bem cercadas. Daí, fiquei até feliz de saber que meu apê era o melhor p/um bichano. Peguei 2 irmãzinhas p/ que nenhuma se sentisse sozinha. Acho que fiz bem e estou feliz c/ elas aqui. Só tenho que dar um jeito nas pulgas c/ que elas chegaram, PORQUE MORAVAM EM UMA CASA COM QUINTAL… Mas vou conseguir. Obrigada pelo ótimo texto.

  31. Daiane Vieira disse:

    Vanessa, olá!
    Acabei de ler “Sobre gatos” em sua página, estava desesperada a procura de respostas, pois o fato de trancafiar minhas gatas (a mais velha Rajada, mãe da Cindy e da Quimera) sempre foi motivo de brigas e incertezas aqui em casa.
    Bom, o fato é que meu vizinho, muito bondoso, me avisou que coloca veneno para os “ratos” e que estava preocupado com minhas gatas, que agora estão com quase 4 meses e estão passeando pelo jardim dele, e poderia vir a acontecer uma tragédia…
    Pois bem, como não quero sofrer mais uma vez (meu primeiro gato Mingau morreu envenenado com apenas 6 meses, fizemos de tudo para salvá-lo, mas como ele era muito pequeno e novinho não resistiu, deu seus últimos suspiros no meu colo), e nem fazer meus animais sofrerem, o melhor a fazer é realmente castrar e mantê-las em casa, dentro de casa, longe dos perigos e desastres não naturais (envenenadores, psicopatas, espancadores, assassinos, etc), já marcamos a castração das filhotes e a mamãe que já está castrada faremos a readaptação dela para dentro de casa.
    Ah, à propósito, assim como a Renata, dos vídeos que vc postou, vamos encher a casa de brinquedos e colocar telas nas janelas, para que nossas gatinhas sejam felizes e fiquem a vontade, no território delas.
    Por fim, quero agradecê-la pela postagem de grande utilidade pública (já vou colar no meu perfil e divulgar aos meus amigos que gostam de gatos), que esclareceu minhas dúvidas e mais que isso, abriu um leque de possibilidades para que enfim possamos encher a casa de crianças (filhos, humanos, que ainda não temos, são apenas 3 filhas cadelas e 3 filhas gatas), para que nossos filhos possam conviver por no mínimo 16 anos (é mais
    Vanessa, olá!
    Acabei de ler “Sobre gatos” em sua página, estava desesperada a procura de respostas, pois o fato de trancafiar minhas gatas (a mais velha Rajada, mãe da Cindy e da Quimera) sempre foi motivo de brigas e incertezas aqui em casa.
    Bom, o fato é que meu vizinho, muito bondoso, me avisou que coloca veneno para os “ratos” e que estava preocupado com minhas gatas, que agora estão com quase 4 meses e estão passeando pelo jardim dele, e poderia vir a acontecer uma tragédia…
    Pois bem, como não quero sofrer mais uma vez (meu primeiro gato Mingau morreu envenenado com apenas 6 meses, fizemos de tudo para salvá-lo, mas como ele era muito pequeno e novinho não resistiu, deu seus últimos suspiros no meu colo), e nem fazer meus animais sofrerem, o melhor a fazer é realmente castrar e mantê-las em casa, dentro de casa, longe dos perigos e desastres não naturais (envenenadores, psicopatas, espancadores, assassinos, etc), já marcamos a castração das filhotes e a mamãe que já está castrada faremos a readaptação dela para dentro de casa.
    Ah, à propósito, assim como a Renata, dos vídeos que vc postou, vamos encher a casa de brinquedos e colocar telas nas janelas, para que nossas gatinhas sejam felizes e fiquem a vontade, no território delas.
    Por fim, quero agradecê-la pela postagem de grande utilidade pública (já vou colar no meu perfil e divulgar aos meus amigos que gostam de gatos), que esclareceu minhas dúvidas e mais que isso, abriu um leque de possibilidades para que enfim possamos encher a casa de crianças (filhos, humanos, que ainda não temos, são apenas 3 filhas cadelas e 3 filhas gatas), para que nossos filhos possam conviver por no mínimo 16 anos (é mais
    Vanessa, olá!
    Acabei de ler “Sobre gatos” em sua página, estava desesperada a procura de respostas, pois o fato de trancafiar minhas gatas (a mais velha Rajada, mãe da Cindy e da Quimera) sempre foi motivo de brigas e incertezas aqui em casa.
    Bom, o fato é que meu vizinho, muito bondoso, me avisou que coloca veneno para os “ratos” e que estava preocupado com minhas gatas, que agora estão com quase 4 meses e estão passeando pelo jardim dele, e poderia vir a acontecer uma tragédia…
    Pois bem, como não quero sofrer mais uma vez (meu primeiro gato Mingau morreu envenenado com apenas 6 meses, fizemos de tudo para salvá-lo, mas como ele era muito pequeno e novinho não resistiu, deu seus últimos suspiros no meu colo), e nem fazer meus animais sofrerem, o melhor a fazer é realmente castrar e mantê-las em casa, dentro de casa, longe dos perigos e desastres não naturais (envenenadores, psicopatas, espancadores, assassinos, etc), já marcamos a castração das filhotes e a mamãe que já está castrada faremos a readaptação dela para dentro de casa.
    Ah, à propósito, assim como a Renata, dos vídeos que vc postou, vamos encher a casa de brinquedos e colocar telas nas janelas, para que nossas gatinhas sejam felizes e fiquem a vontade, no território delas.
    Por fim, quero agradecê-la pela postagem de grande utilidade pública (já vou colar no meu perfil e divulgar aos meus amigos que gostam de gatos), que esclareceu minhas dúvidas e mais que isso, abriu um leque de possibilidades para que enfim possamos encher a casa de crianças (filhos, humanos, que ainda não temos, são apenas 3 filhas cadelas e 3 filhas gatas), para que nossos filhos possam conviver por no mínimo 16 anos (é mais ou menos esse o tempo de vida, que pena)!
    Beijão!

  32. Luma disse:

    Vanessa, há uma semana encontrei uma gatinha de aproximadamente 2 meses (foi o q a veterinaria me disse) na rua… Ela ficou miando pra mim, toda magrinha e c o rabinho todo machucado (a vet me disse q provavelmente alguem tinha jogado água quente no rabinho dela!). Não resisti e trouxe pra casa! Ela é extremamente doce e carinhosa… Quando to em casa não sai de perto de mim!
    Ela ta dormindo na minha cama rs… O problema é q toda madrugada ela desperta e começa a ficar inquieta, miando… Essa noite isso durou mais de uma hora, e eu percebi q ela ficava pulando na janela (do meu quarto e da cozinha) tentando ir pra rua… Isso me partiu o coração, pois fiquei com medo de ela nao estar feliz aqui e estar querendo voltar p rua, ou de ela ter algum dono e eu peguei achando q ela fosse de rua…
    Hj de manha ela tb ficou na porta chorando, querendo ir pra rua… Daí deixei a porta aberta (moro em um condominio com 6 casas, e tem um espaço murado)… Como ela nao queria voltar p casa e eu tinha q sair, deixei ela lá e peguei qdo voltei pra casa… O problema é q nao posso ficar fazendo isso, pois tem como ela conseguir pular o muro, e hj ela inclusive ficou tentando fazer isso.
    Nao sei o q fazer, pois fico com peso na consciencia de deixar ela trancada, principalmente pq eu moro só e fico muito tempo fora de casa, daí fico com peninha de ela ficar trancada sozinha…
    Li seu post e vi q vc acha q gato nao precisa sair de casa, mas mesmo assim fico agoniada de ficar vendo ela querendo ir pra rua! Será q ela tá infeliz? Eu devo continuar deixando ela ficar um pouco do lado de fora da minha casa (mas dentro do condominio) em algum periodo do dia? Obrigada

    • Luma,

      Acho que o seu maior problema é seu sentimento de culpa por deixá-la sozinha. Então toda atitude dela você interpreta de acordo com isso. Está interpretando nela atitudes que seriam humanas, e não de um filhotinho de gato. Você está agindo pela emoção, o que é completamente natural, porque tem um ser frágil sob sua responsabilidade, com quem você ainda não sabe se comunicar e de quem você quer cuidar da melhor maneira possível.

      Ela não é um ser humano, é um gatinho. Ela não pensa como você, provavelmente o que ela sabe é que estava sofrendo e agora está protegida com alguém que a ama e a quem ela ama. Outra coisa que ela sabe é que precisa de comida, de uma caixa de areia, quer carinho e quer brincar. E quer explorar todos os lugares e testar todos os limites. Pense: ela teve uma péssima experiência na rua. Para que iria querer voltar para lá? Ela não tem essa consciência. Lembro da minha gata que uma vez encontrou a porta aberta, desceu a escada e ficou miando na porta da vizinha de baixo, achando que era a nossa casa. Quando a vizinha abriu, a gatinha entrou correndo e parou no meio da sala, só então se dando conta de que estava na casa errada…hahahaha…se apavorou e correu para o quarto, se escondendo debaixo da cama. A vizinha subiu para me avisar, e eu encontrei um de meus gatos dentro da minha sala com cara de “eu, hein, não sou besta de sair”, outro na escada, acuado pela outra vizinha, que queria colocá-lo na rua, e a gatinha apavorada debaixo da cama da vizinha…rsrsrs… Quando ela me viu, começou a miar e veio caminhando na minha direção. Agora veja só como eles não têm noção. A criatura achou que desceria a escada e chegaria no mesmo lugar por onde saiu!! hahahaha…

      Sua gatinha é muito bebê para ter alguma consciência do que é rua e do que é casa. Ela já percebeu que tem um espação lá fora que ela quer explorar, só isso. Mas não tem a menor noção do que é e é melhor que não tenha. Se a acostumar com a rua, mesmo que seja só um pouquinho e mesmo que seja dentro do condomínio, você terá graves problemas mais para a frente, vá por mim (sem contar que ela não vai te deixar em paz e vai querer te escravizar para que você abra a porta quando ela quiser, e você vai acabar cedendo à pressão, achando que o drama dela é sofrimento de verdade). O melhor é que ela entenda que o território dela é apenas dentro da casa, e que a rua não é segura. E para isso, você vai ter de aguentar os miados até ela desacostumar (agora que você a deixou sair…). Tenha em mente que gatos são dramáticos e ela não está sofrendo nem um quarto do que tenta te fazer acreditar.

      Ela desperta miando de madrugada porque é um filhote de gato…rs…o meu me acordava derrubando todas as coisas de cima do meu criado mudo, porque queria brincar e queria atenção…gatos são noturnos, eles costumam fazer mais bagunça de madrugada, mesmo, é normal. Principalmente quando não tem ninguém para brincar com eles durante o dia. E filhotes são chatinhos por natureza, mas depois que crescem, melhoram, e a gente consegue se comunicar melhor com eles conforme vão ficando mais velhos. :-)

      E fique tranquila. Pode ter certeza de que ela está feliz. Se estivesse infeliz, não ficaria perto de você quando você está em casa. Gatos infelizes ficam amuados em um canto, e não pedindo para sair. Gatos só fogem de casa quando são maltratados, e quando são maltratados não querem ficar perto de quem os maltrata. Não é o caso dela. Ela te ama e quer fazer bagunça. É simples assim. Sei que eles são fofinhos e a gente acaba ficando mais sentimental…rs…mas pense racionalmente. Ela é só um bebê que quer brincar. Gatos dormem mais durante o dia e acordam à noite. Ela acorda e quer atenção, quer brincar.

      Uma mãe deixa seu filho de dois anos ir brincar na rua só porque ele quer? O papel da mãe não é ficar com dó, mas proteger. Então a gente tem de controlar nossas emoções e agir com a razão, não apenas com nossos bebês humanos, mas com qualquer ser vivo que esteja sob nossa responsabilidade. Ela é um bebê de dois meses, você está fazendo o papel de mamãe desse bebê, não pode abrir a porta da rua e deixar um bebê de dois meses solto! Ainda que seja condomínio fechado, o condomínio não é a sua casa. Ela pode entrar pela janela aberta de alguém (só por curiosidade), pode miar na porta de alguém ou fazer cocô na varanda de alguém e seus vizinhos não são obrigados a aturar, pense bem. Qualquer lugar fora do território dela (que é a sua casa), é extremamente perigoso. Ela pode pegar doenças graves, pode ser vítima de algum ser humano maluco (não confie só porque você conhece quem mora aí…a gente só conhece das pessoas o que elas deixam que a gente conheça…sem contar que pode aparecer algum visitante de alguém. Se você soubesse…as pessoas que a gente descobre que maltratam gatos geralmente têm o perfil super normal!!), como o que jogou água quente no rabinho dela.

      Tire o peso da consciência, ela não está sofrendo, ela não está trancada, gatos têm sistema de território, sua casa é o território dela, e é enorme. Gatos são pequenos, qualquer lugar para eles é gigante, principalmente porque o espaço para eles é tridimensional, eles sobem nos móveis, entram embaixo dos móveis, atrás do sofá, tudo é gigante e explorável. Se ela tiver liberdade dentro de casa, é só disso que precisa. E isso não é opinião minha, não, é consenso entre os maiores pesquisadores do assunto. Se você se incomoda tanto em deixá-la sozinha, a orientação que costumamos dar (e que eu fiz e funcionou em casa) é arrumar outro gatinho para brincar com ela. Um faz companhia para o outro, eles se cansam durante o dia e te deixam em paz à noite.

      É o que eu te aconselho, desde que você instale redes de proteção em todas as suas janelas e mande castrá-los quando estiverem na idade (4 meses as fêmeas, 5 meses se adotar um macho). Além de fazer com que sua casa seja um lugar legal para viver e brincar. Instale redes de proteção em suas janela para que eles possam se deitar no parapeito e ficar acompanhando a vida dos vizinhos, eles adoram isso…rsrsrs…é a televisão deles. Gatos são extremamente curiosos. Na minha experiência, ter dois gatos dá o mesmo trabalho de ter apenas um, com o dobro da diversão e da tranquilidade. :-)

      E isso também não é opinião minha, é consenso de quem tem até mais experiência do que eu. Dê uma lida nesse texto:

      http://me-adota.blogspot.com.br/2010/01/gatos-que-tem-companhia-sao-mais.html#axzz2Dwi8X4sd

      Tenho um outro texto, que dá algumas dicas para que o gato não sinta falta da rua, e que talvez possa te ajudar:

      http://lampertop.com.br/?p=1793

      Acredite em mim. Tenha fé…rsrsrs… E siga sua cabeça, não seus sentimentos e sensações, pois sentimentos nos enganam. Se você seguir o seu coração e suas emoções, vai acabar acontecendo com essa gatinha o que acontece com a maior parte dos gatos por aí: morrer fora de seu território, vítima das ruas que são feitas para a gente, e não para eles. E isso com 10% da idade que ela poderia viver. E não foi para isso que você deu a ela uma nova chance, não é mesmo? Gatos castrados e sem acesso nenhum à rua são muito mais felizes e muito mais saudáveis. Gatos com acesso à rua são muito mais estressados, mais expostos a diversos tipos de problemas e vivem pouco.

      Beijos!

      Vanessa.

      • Luma disse:

        Vanessa, muuito obrigada mesmo pelo que escreveu! Estava precisando muito de alguem que realmente entendesse de gatos pra ajudar essa marinheira de primeira viagem! rs Depois que li o seu post, desencanei do peso na consciencia por deixá-la presa, e pude perceber que o miado dela é mais manha msm! Qualquer coisinha q ela quer é uma “miadeira” sem fim! rs Ela é realmente muito dramática, como vc falou! Agora estou mais tranquila e com a certeza de que estou fazendo a coisa certa e, principalmente, de que ela está feliz!
        Como vc disse q aconteceria, ela já parou de querer pular as janelas e, inclusive, qdo abro a porta da rua, ela não tenta sair (nos primeiros dias, qdo eu abria a porta da rua, ela corria pro quarto e escondia debaixo da cama, daí eu achava que ela estava gostando de estar aqui e com medo de voltar pra rua… Depois, ela começou a querer ir pra rua quando eu abria… Agora, quando abro a porta, é simplesmente como se nada tivesse acontecido… Ela fica tranquila e não para de fazer o que está fazendo!).
        Parabéns pelo blog e pela disposição em ajudar! Tenho certeza que vou voltar muitas vezes aqui pra pedir conselhos! rs
        Ah, vc poderia escrever um livro sobre gatinhos :))

  33. Viva a castração dos animais domésticos.
    Viva a vasectomia gratuita dos homens.

    Assim não haverá mais fome, nem pobreza…
    e creio que muitas coisas ruins vão deixar de acontecer com nossos animais e nossa espécie também.

  34. Bruno disse:

    Meu gato foi castrado na terça (6), e na quarta a noite (7) ele acabou sumindo… é um gato de rua, gosta de sair a noite, isso antes da castração.. mas mesmo assim nunca ficou sumido mais de 1 dia. Mas foi castrado e 1 dia depois saiu e hoje (12) ainda nao voltou :( to desesperado, sei q pode ter acontecido o pior, mas espero que nao.. nao sei se os hormonios atuam logo depois da castração, nao entendo, mas só sei que to muito triste, e espero que ele ainda volte, apesar de ja ter perdido as esperanças

    • Bruno,

      Não existe “gato de rua”, existe gato acostumado a sair na rua, que deve ser o caso do seu. Você tem foto dele? Faça cartazes com a foto dele e o número do seu celular, espalhe pela vizinhança, nos postes, nas caixas de correio e nos estabelecimentos comerciais. Fale com vizinhos, pode ser que alguém o tenha visto. Coloque anúncios em sites que tenham achados e perdidos de gatos. Ainda há esperança, sim, mas não dá para ficar parado. Depois da castração os hormônios continuam circulando por algumas semanas. Pode acontecer de ficarem mais de um mês até saírem da corrente sanguínea. Então demora algum tempo até ele deixar de agir como um gato não castrado.

      Se ele voltar ou se você encontrá-lo (eu sinceramente torço para que isso aconteça), não o deixe sair mais. Ele vai miar por alguns dias, mas depois acostuma. Eles sempre se acostumam. Tele suas janelas e cuide a porta sempre que sair. Gatos não precisam sair, não devem sair e se habituam a ficar em casa, quando são castrados e não têm acesso à rua. É uma pena que você só tenha descoberto isso agora, mas não se culpe pelo que você não sabia. Passe essas informações adiante e aja de maneira diferente daqui para frente. Espero que você consiga encontrar seu gatinho, às vezes acontece de eles ficarem presos em algum lugar, machucados, expulsos pelo dono do território ou mesmo resgatados por alguém que ache que eles estão perdidos. Vale a pena procurar mais um pouco.

      Mantenha-me informada.

      Grande abraço!

      • Que pena. O Bruno entrou em contato dizendo que a mãe dele descobriu que os cachorros do vizinho mataram o gatinho. :-( Era um muro em que ele sempre ficava, provavelmente caiu para o lado dos cachorros. Se a mãe não tivesse perguntado, o vizinho não teria contado. Que todos os donos de gatos que lerem isso, por favor, mantenham seus bichinhos protegidos, com suas janelas teladas. Não adianta só castrar, nem só manter em casa, tem que fazer as duas coisas. Telas nas janelas, por favor, enquanto há tempo.

  35. Érika disse:

    Oi Vanessa, li seu texto e penso exatamente como você. Mas veja minha situação. Nunca tive um gato. Mas 2 meses atrás uma gata ficou rondando meu quintal..direto eu via ela, mas ela sempre fugia. Nunca tive contato com a gata. Dias depois eis que surge 3 filhotinhos no meu quintal. A gata ficou cuidando dos filhotes dela por um tempo, talvez 2 semanas…e depois desapareceu! Agora a responsabilidade ficou para mim de cuidar de 3 gatinhos filhotes. Nunca tive..não sei como cuidar, não sei nem o que comem. Mas eles são tão novinhos que não pude abandona-los. Já se passou 1 mês e estou alimentando eles lá no meu quintal, eles já estão espertos, correndo pra lá e pra cá..mas ainda assim eu nao posso cuidar deles. Minha vida está regrada agora em cuidar deles 3 vezes ao dia, nao tenho e nunca tive tempo para isso. O centro de zoonese da minha cidade nao pega eles, e meus amigos nenhum tem interesse em ter gatos. E eu não tenho coragem nenhuma de abandona-los por aí. O que voce axa q eu devo fazer?

    • Érika, não me pergunte o que eu acho que você deveria fazer, que por mim, você ficaria com eles…rs… Mas vou te ajudar, sim. :-) Primeiro, por que cuidar deles três vezes ao dia? Pelo que entendi, eles já estão maiorzinhos. Já comem ração? Deixe ração e água à vontade, gato não tem horário para comer, não. Eles comem de pouquinho em pouquinho, vááárias vezes ao dia. A pior parte já passou, que era dar mamadeira, essas coisas. Minha primeira sugestão é: coloque esse povinho dentro da sua casa ou em um local mais protegido do que o quintal. Se a gata conseguiu entrar aí, outros gatos podem conseguir. Gatos machos adultos podem matar os filhotes. Coloque uma caixa de areia (granulado higiênico), para fazerem as necessidades e deixe um pote de ração à vontade. E água também. Gosto bastante desse site, tem várias dicas para cuidar de gatinhos:

      http://www.sosgatinhos.com.br/manual1.htm

      Provavelmente a mãe deles morreu. :-( É o que acontece com gatos não castrados e que têm acesso à rua. Não duram muito. Acabam atropelados, atacados por cachorros ou mortos por gente.

      Leve os filhotes ao veterinário para saber a idade que eles têm e vaciná-los. Isso é necessário tanto se você for ficar com algum deles, quanto se for doar. Se quiser doar, tire fotos deles e divulgue em sites de adoção, e também no Facebook e no Orkut, colocando sempre a cidade em que você está e um email para contato.

      Por favor, tenha paciência. Se você já está cuidando deles, continue cuidando mais um pouco. Não doe por impulso. Graças a Deus que o CCZ de sua cidade não recolhe, porque na maioria das cidades, infelizmente, o CCZ sacrifica os animais que recebe.

      Com paciência e cuidado, a gente acaba conseguindo bons adotantes. Sempre demora um pouquinho, mas vale a pena não doar sem critérios. É bom que você se informe bem a respeito de como cuidar de gatos (leia os links daquele site que te passei), pois terá condições de perceber se a pessoa tem ou não noção da responsabilidade de cuidar de um gatinho. Porque não adianta você doá-los, o adotante não castrar e dar acesso à rua…pense bem. Daqui a poucos meses, esses gatinhos estarão fazendo novos gatinhos que nascerão na rua. Ou então, como às vezes acontece, a gente doa e a pessoa, por um motivo ou outro, acaba abandonando.

      Felizmente você está cuidando deles e tem noção de que são vidas e não podem ser abandonadas. São bebês de outra espécie, mas ainda assim, bebês. Indefesos e inocentes. Graças a Deus que têm você por eles, uma pessoa de bom coração e bem intencionada. Dá um trabalhinho cuidar nessa fase e escolher um bom adotante, mas vale a pena. Converse bastante com os futuros adotantes, tenha certeza de que não estão adotando por impulso. Se você tiver paciência e perceber que cuidar de gatos não é um bicho de sete cabeças, vai dar tudo certo. :-)

      Beijos!

      Vanessa.

  36. Flávia disse:

    Oi Vanessa, não paro de chorar.
    Meu gatinho, de um ano e meio, saiu ontem a noite e não voltou até agora (já fez 24 horas).
    Eu e o meu marido criamos os nossos 2 gatinhos livres por acharmos que deveríamos respeitar a natureza deles. Claro que com ótimas intenções. Óbvio.
    E hoje, estando muito angustiada e sem ter certeza se o meu Robinho está vivo ou não, me arrependo e me sinto culpada ao extremo por não ter criado ele em casa.
    Também eu e o meu marido estávamos numa situação delicada naquela época em que ficamos com os gatinhos, porque a casa é da minha sogra e ela está habituada a ficar com as portas abertas, aqui em Campo Grande – MS faz muuuuito calor!!!!
    Então pensamos que seria melhor para os gatinhos já aprenderem a viver e se virar na rua, para depois não ficarem ‘bobinhos’ se um dia escapassem.
    Fizemos tudo com boas intenções, acho que como as mamães de primeira viagem. Mas hoje sofro porque tenho consciencia de que poderiamos ter cuidado melhor dele.

    Vc com sua experiência saberia informar se existem casos de gatinhos que somem e voltam?

    O nosso gatinho é castrado, já tinha a rotina de vir à noite para tirar o cochilo dele na nossa cama, etc…. Hoje sofro demais, eu e o meu marido.

    Como é péssima essa sensação.

    • Flávia, se faz apenas 24 horas, existe a chance, sim, de você encontrá-lo. Mas não fique parada chorando! Nem espere que ele volte sozinho (isso pode acontecer, sim, mas pode não acontecer! Principalmente se os gatos do território o expulsaram, ou se ele estiver machucado). Imprima cartazes com a foto dele, espalhe pela vizinhança, inclusive peça para deixar fixado nos estabelecimentos comerciais. Coloque um número de celular para contato, crie uma versão digital para colocar no Facebook, envie fotos e informações para divulgação em sites.

      Saia à noite com seu marido, uma caixa de transporte, um pouquinho de ração. Chame seu gatinho pelo nome. Ele pode estar assustado e perdido, e geralmente a gente consegue fazer com que eles saiam das tocas à noite. Se seus gatinhos são muito unidos, você pode levar o outro dentro da caixinha de transporte (fechado, por favor) nessas buscas noturnas.

      Converse com os vizinhos, mostre a foto, enfim, aproveite que é recente e alguém pode se lembrar de ter visto ele.

      Eu moro em São Paulo, mas nasci em Campo Grande e minha mãe ainda mora aí. Se vocês não podem subir o muro, impedir o acesso à rua, impeçam o acesso às áreas externas, telando as janelas, como se morassem em apartamento. Redes de proteção são discretas, rapidinho a gente se acostuma a elas, e as janelas podem continuar abertas, sem problemas com o calor. É um sacrificiozinho necessário, viu?

      Estou torcendo por vocês, mantenha-me informada!

      Beijos!

  37. Eduardo disse:

    Olá…há 5 dias atrás eu ouvi barulho de gatos miando alto, com tom de brigas em meu quintal. Fui até porta e vi um gatinho branco e outros 2 quase se pegando, mas, com a minha chegada, os outros 2 ficaram inibidos e o branquinho agradeceu e entrou em casa. Dei-lhe água, comida humana e o deixei ficar aquele dia em casa.

    Acontece q trabalho a noite e moro sozinho….ao sair para o serviço, deixei um pote de água e mais um pouquinho de comida do lado de fora da casa(quintal), imaginando q ele logo se alimentaria e seguiria seu rumo.

    Na manhã seguite cheguei e ele já não estava mais….porém, minutos depois, miou bastante e quando abri a porta o mesmo entrou e parecia estar feliz com minha chegada e até na minha cama dormiu…….isso se repetiu ontem…mas, percebi q ele já sabia q eu iria sair pro serviço……porém, fiz o mesmo ritual de colocar comida do lado de fora da casa…e enquanto ele comia, eu sai para o serviço e o deixei ali.

    Hj, qdo cheguei em casa, ele já estava me esperando…mas muito triste e parecia ter sofrido muito com minha saída longa.

    Entrou em casa….não comeu o q dei para ele,,,,foi pra minha cama….não brincou….ficou deitado sobre minha pernas, sobre o edredon…com olhar muito triste…como se quisesse dizer q sentiu a minha falta. Por diversas vezes me olhou de longe, com olhar muito triste mesmo….até tremia logo q fui fazer carnho nele…porém, permaneceu ali, calado, até os dois dormirem de novo.

    Estou muito triste, pq não tenho condições de ficar com ele…e mais uma vez terei q sair pro trabalho e não sei o q fazer……

    Ele tem cerca de 6 meses…é todo branquinho….muito dócil….não morde ao brincar…. fica na porta do WC aguardando eu sair do banho..e está precisando urgente de um lar, pra não ficar doente, pois percebi q ele se apega muito fácil ao dono.

    Estou terminando….deitado com ele, dormindo sobre o edredon novamente,,,mas muito tristinho,,,por ter ficado mais de 12horas sem o carinho e afeto de um lar, após uma noite fria e chuvosa aqui em SP.

    E o pior: logo mais, saio pro seviço e terei q deixá-lo sozinho mais uma vez. Será q teria alguém realmente interessado nele ?
    Repito: branquinho…aparenta 6 meses..muito dócil…se apega muito fácil….não morde ao brincar…e está muito triste por ficar comigo durante o dia e sozinho e na rua a noite.
    Por favor, preciso de ajuda urgente, para o pobrezinho não sofrer sem lar….

    • Edu, te respondi por email, mas vou resumir aqui. A primeira coisa que eu faria: comprar uma ração. Te dei umas dicas de boas rações, se não me engano. Segunda coisa: levar o gatinho ao vet para ver se esses sintomas que ele está tendo são de tristeza ou se ele está doente. Aproveite para castrar e agendar vacinação. E não o deixe sair à rua. Esses são os princípios básicos, quer você fique com ele, quer faça lar temporário até conseguir adotante. Também te dei algumas dicas relacionadas a “escolher adotantes” e divulgá-lo para adoção.

      Mas o principal ponto que eu vejo é: este gatinho te escolheu e você tem um novo amigo felino. Se ele estiver saudável e assim que for castrado, você pode adotar outro gatinho para fazer companhia a ele enquanto você está fora. Ou pode dar tempo ao tempo. Gatos se adaptam facilmente e logo, logo ele entende seus horários e se encaixa facilmente. Só é importante dar atenção a ele enquanto você estiver em casa, mas ele se encarregará de treiná-lo nesse aspecto…rs…

      Se eu fosse você, ficaria com ele. O comportamento dele, se ele estiver saudável, não significa necessariamente que ele se apegue fácil a qualquer dono, significa que ele se apegou a você. Talvez não se apegue assim a outra pessoa. Acho que ele viu que você é especial. Que tal dar uma chance?

  38. maria das neves de souza pereira disse:

    Ola! Boa noite…

    Meu marido alimentava uma gatinha desde pequena,as pessoas começaram a judiar dela e meu marida trouxe pra casa, acontece que já tenho uma de 3 anos que crio desde dois meses é castrada e dorme no quarto, ela é meio revoltada, quando não quer brincar se esquiva, não da confiança. Mas com tudo gostamos muito dela e tratamos muito bem, é o nosso bebe já que minha filha tem 20 anos. Porém com a chegada dessa nova gatinha ela quase não dorme mais em casa, entra só pra comer e rosna muito para outra, fico com meda de grigarem. E ainda tenho que castrar essa nova gatinha, será que a mais velha vai acostumar com a outra? Ainda tem o problema que não faz suas necessidades na caixinha, faz na casa do vizinho ele´já esta desconfiado e acho que chateado com tudo isso..

    • Maria,

      A primeira coisa que tenho a lhe dizer é: tire o acesso à rua, elas estão correndo perigo, principalmente no período de adaptação, que é o de maior estresse. Tele suas janelas, aguente um período de miados histéricos, mas depois elas se acostumam. Deixar sair vai dar problema sério para as duas e para você, vai por mim, gatos não precisam sair, eles saem por hábito. Quer ter suas gatinhas felizes e saudáveis pelo tempo que elas podem viver? Não deixe sair. Pode telar os muros e os portões, mas eu acho mais seguro instalar redes de proteção na janela, como se você morasse em apartamento. Rapidinho você se acostuma. Vale a pena, pois sua gatinha castrada e sem acesso à rua pode viver uns 20 anos contigo, ou até mais, já pensou? Tem que castrar a nova gata, sim, é importantíssimo! Uma gata não castrada com acesso à rua? Vocês estão pedindo uma ninhada de cinco gatinhos que não terão para quem doar. E elas são rápidas nisso. Já sobre a adaptação propriamente dita, o mais importante neste momento para você é: mantenha a calma. Elas se acostumam. No começo parece que vão se matar, rosnam, às vezes até brigam, mas não vão se matar, mas depois se acostumam. Podem até virar amigas, por mais incrível que pareça. Eu arranjaria outra caixa de areia, pode ser que a pequena não faça suas necessidades no da casa por uma questão territorial da outra. Outra dica é: evite fazer carinho na nova gatinha na frente da sua mais velha, porque ela pode ficar enciumada.

      E não se preocupe, parece que vão se matar, mas não vão. Só te peço para por favor evitar o acesso à rua, porque ela está estressada e pode correr mais riscos do que o normal. E a pequena vai fazer necessidades no vizinho, vai que ela encontre um vizinho que faça alguma maldade no momento da raiva? Nada justifica crueldade, mas os gatos são nossos, pense bem, nossos vizinhos não são obrigados a gostar de nossos gatos e aturá-los como nós faríamos. Tem uma comunidade no Orkut que eu sempre indico, você pode fazer pesquisas a respeito de adaptação, pois tem vários tópicos muito legais e bem explicativos sobre isso nessa comunidade, ela se chama “Gatos – Manual de instruções”. É a que eu recomendo lá.

      Mas se você for contar essa história na comunidade, todo mundo vai te dizer: “não dê acesso à rua e castre a gatinha mais nova”…rs…porque a gente sabe que só essas duas atitudes já evitam a maior parte dos problemas. A adaptação é uma questão de tempo e de paciência. O correto mesmo teria sido deixar a mais nova separada da mais velha por algumas semanas e fazer a adaptação aos poucos, mas o choque inicial já foi feito…rs…então é importante ficar de olho para ver se a mais velha está se alimentando normalmente, tomando água, indo ao banheiro. E fazer bastante carinho nela, dar a ela a segurança de que ninguém tomará seu lugar na casa e na vida de vocês.

      Boa sorte!

      Beijos!

  39. Larissa Braz disse:

    Olá Vanessa,

    A dois meses adotei um gatinho preto que estava abandonado na rua da minha casa. Nunca havia tido gatos, mas me apaixonei por ele. Pelo tamanho imagino que ele deveria ter uns 6 meses, dei banho, comprei ração, a caixinha de areia e ele nunca mais foi embora. Coloquei o nome dele de Logan. Uns 15 dias depois de ter adotado o Logan, adotei a Channel, amarelinha, filhote de quase dois meses da gata de uma amiga.

    Eu nunca dei nenhum tipo de medicamento a eles, eles apresentam ser super saudáveis, dou ração com aquele patê enlatado e eles adoram… O Logan faz as necessidades dele direitinho na areia, a Channel as vezes faz na areia, as vezes num cantinho da área da minha casa…

    Andei pesquisando e vi que eles precisam de vacinas, certo? Além da castração, né? A Channel ainda é bebe, então não me preocupo tanto… agora tenho medo do Logan sumir, me apeguei muito aos meus gatos, não quero perde-los. Semana passada o Logan saiu de madrugada, acordei com a Channel chorando, abri a porta ela estava enfrente ao portão miando alto, toda triste… Nossa, me partiu o coração, coloquei ela pra dentro de casa e ficamos nos duas acordadas até a hora que ele voltou, quase de manhã… quase morri de preocupação e medo dele não voltar. Durante o dia eles podem andar pela casa, mas a noite minha mãe não deixa eles dormirem dentro de casa, mas a área de casa e coberta, e eles tem a caminha deles. Minha mãe diz que se eu não castra-lo logo, ele irá embora e não voltará mais… estou com medo!

    É a primeira vez que tenho animais de estimação, então estou meio perdida. rs!

    • Oi, Larissa!É normal você estar perdida, já que é gateira de primeira viagem…rs…e você percebeu, intuitivamente, que não estava certo ele sair. Você está com medo, e com razão, mas se agir agora conseguirá salvar seus gatinhos. Sua mãe está parcialmente certa. O Logan tem de ser castrado com urgência, pois realmente essas saídas aumentam as chances de ele morrer na rua (dizer que ele irá embora e não voltará mais dá a impressão de que gatos fogem, o que não é verdade. O que acontece é que não conseguem mais voltar, ou por terem sido expulsos por outros gatos, ou por morrerem). O que me deixa ainda mais preocupada é o fato de ele ser preto. É realmente perigoso deixar um gato preto na rua à noite, as pessoas são muito ruins com eles. Elas já são cruéis normalmente com gatos, mas os pretos correm maiores riscos pela ignorância do ser humano (sem contar que é praticamente impossível vê-los atravessando uma rua no escuro, o que aumenta ainda mais os riscos de acidentes). Não demore a castrar a Channel, também. Se castrar antes do primeiro cio, você reduz a praticamente zero as chances de câncer de mama. O primeiro cio costuma acontecer por volta dos cinco meses.

      A primeira coisa que você deve fazer é levá-los ao veterinário. No entanto (e aqui está a razão de eu dizer que sua mãe está “parcialmente” certa), somente a castração não impede eles de sair, pois gatos são curiosos. Então o ideal é que você tele os locais por onde eles saiam. O ideal mesmo, na verdade, é que eles fiquem em casa o dia inteiro, inclusive à noite. Gato não é cachorro que pode dormir em caminha na área de serviço. Se sua mãe deixa eles dormirem em casa durante o dia, porque não os deixa à noite? Nem que seja em um cômodo fechado, com água, ração e areia, mas dentro de casa. O que eles fazem à noite eles fazem durante o dia, então se o problema é que ela não quer dormir com eles, é só fechar as portas dos quartos, que eles se acostumam tranquilamente a não entrar.

      Nos primeiros dias provavelmente eles vão miar (principalmente ele) pelo hábito de ficar lá fora, mas logo acostumam. Demora uns dois meses para os hormônios saírem completamente da corrente sanguínea dele depois da castração, aí ele vai ficar bem tranquilinho. Já a Chanel provavelmente vai entrar no cio daqui a um ou dois meses, e vocês terão uma confusão na área, com gatos tentando invadir, querendo bater no Logan e nela. Ainda bem que você está buscando ajuda agora. Leve os dois ao vet, providencie a castração (eles parcelam o valor) e ajude sua mãe a encontrar uma forma de mantê-los dentro de casa o dia inteiro, senão mesmo castrados eles correrão sérios riscos.

      A propósito, dê uma lida no post e nas outras respostas aos comentários, talvez mais informações te ajudem a orientar sua mãe. Seus gatinhos realmente estão correndo perigo, mas você está procurando ajuda no momento ideal para evitar que coisas ruins aconteçam. Siga essas dicas e vai dar tudo certo. Gatos castrados e sem acesso à rua podem viver bem até 15, 20 anos ou mais! Tenho certeza de que tanto você quanto sua mãe gostam desses gatinhos e querem o melhor para eles, então se souber qual é o motivo de ela não querer que eles durmam dentro de casa e conseguir que ela entenda que o melhor para eles (e para vocês, já que se o gato chegar em casa machucado, vocês é que terão todo o trabalho, gasto e sofrimento) é ficarem o tempo todo dentro de casa, ela será razoável. Tudo se resolve com diálogo tranquilo. Torço por vocês! Espero boas notícias :-)

      beijos!

  40. Carlo disse:

    OlÁ Vanessa, moro no Guarujá-Sp e tenho 02 (dois) gatinhos, ambos castrados, um de 3 anos e meio (amarelo) e outro de 1 ano e meio (branco e cinza) que vivem em ambiente interno apesar de Eu morar em prédio, moro no térreo e eles têm acesso à rua, raramente Eles saem de casa, são muito caseiros, o mais velho que é o Guto que sai de vez em nunca, e é justamente com ele que estou preocupado. Desde ontem Eu percebi que Ele não está normal, devido o comportamento dele, porque Ele é super carinhoso comigo, super companheiro e super receptivo, quando Eu chego do trabalho Ele vem me receber na porta miando,(até me emocionei escrevendo) quando Eu falo com Ele, no mesmo momento Ele mia como se estivesse me respondendo sabe? Ele costuma deitar no meu colo ou no do meu Pai quando estamos sentados no sofá… E de ontem pra hoje Eu percebi que Ele mudou totalmente o jeito, não mia mais, só quer ficar deitado dormindo e o pior é que Ele perdeu quase que 100% do apetite.
    Gostaria de saber se Você tem alguma idéia do que Ele pode ter ou alguma dica pra me dar, Ele come ração Cat Chow, enfim, é isso.
    Agradeço desde já e parabéns pelo Blog.

    • Carlo, “ele perdeu quase que 100% do apetite” é preocupante. Gato não pode ficar sem comer, ou diminuir drasticamente a quantidade do que come, ou pode desenvolver uma doença no fígado chamada Lipidose hepática. Não dá para bobear, seu gato está sem apetite? Corra para o veterinário, ele não pode ficar sem comer, isso é sério. E amigo, mesmo que eles saiam “de vez em nunca”, não corra o risco. O que custa telar suas janelas e mantê-los seguros em casa 100% do tempo? Uma vez que saiam já basta para pegarem alguma doença (geralmente essas doenças não são nem um pouco perigosas para os humanos, mas já para os gatos…coisas como PIF, FIV, FELV…não vale a pena, viu?), serem atropelados ou alvo de gente maldosa.

      Então minhas dicas para você são: 1 – Seu gato tem que comer. Procure uma ração melhor e mais palatável, de Pet Shop, como a Premier, Royal Canin ou mesmo a Golden (que é uma intermediária entre a Premier e a Cat Chow, mas os gatos costumam gostar muuuuito mais do que a Cat Chow). Se ele não comer, vale a pena comprar na Pet Shop uma latinha da ração a/d, da Hill’s enquanto você procura um veterinário. Não vai dar para dispensar a visita ao vet, não. 2 – Leve ele ao vet. 3 – Providencie telas, pois você me parece ser um dono responsável e que ama muito seus gatinhos, então certamente não quer perdê-los de maneira alguma. E fique de olho, veja se ele está tomando água, se está comendo, se tem ido à caixa de areia. Boa sorte para vocês, estou torcendo muito pelo Guto, espero que dê tudo certo. Me mantenha informada, viu?

      Beijos!

  41. Joseph disse:

    URGENTE! Estou com uma superpopulacao de gatos e nao sei o que devo fazer!( andei lendo sobre castracaoes e tals mas eh tarde pra isso).Minha gata teve quatro gatinhas, agora as quatro gatinhas ficaram gravidas e tiveram cinco cada, ninguem gosta ou quer adotar gatos por aqui e a unica solucao sera solta-los na natureza, se tornarao gatos do mato, parece cruel mas eu nao sei mais o que posso fazer…alguma sugestao? acha que eles se acostumarao ao mato? eu espero que sim.

    • Vanessa Lampert disse:

      Joseph, eles não se tornarão gatos-do-mato, provavelmente não conseguirão nem sobreviver muito tempo. Normalmente eles morrem atropelados, atacados por outros animais ou por seres humanos maldosos. Esse é o fim de gatos na rua, em praças, em parques ou “na natureza”. A solução: castrar TODOS com URGÊNCIA, não dar mais acesso à rua e procurar adotantes. Não consegue encontrar donos? Procure veterinários que te ajudem a doar e castrar, talvez eles possam colocar cartazes na clínica com fotos dos gatinhos para doação. Demora mesmo para encontrar adotantes. Tire fotos dos gatinhos que quer doar e anuncie na internet, nos sites de adoção de animais. A gata teve 4 gatas, que tiveram 5 gatos cada. Provavelmente todos têm acesso à rua. Você está com 25 gatos,se soltar 25 gatos “na natureza”, tenha consciência de que gatos domésticos não sabem se virar na natureza. Antes de morrer, no entanto, provavelmente farão mais muitos outros gatos abandonados. Não existe escape psicológico neste caso. Eles não se acostumarão ao mato, você estará abandonando gatos que já confiam em você. Assuma a sua responsabilidade. Você deve gostar de gatos, caso contrário, não teria uma. Então agora é um excelente momento para começar a cuidar bem dos que estão temporariamente contigo e dos que você escolher manter em casa.

      Grande abraço!

  42. alexsandro antonio dos santos disse:

    olá vanessa estava fuçando o computador aqui em casa e achei o seu site,muito bom e interessante vi que vc da muitas dicas sobre os felinos, que aliás tenho 5, um menino e quatro meninas e mais uma entrometida rsss. Gostaria de saber se vc pode me ajudar com o cheiro do xixi deles, o que posso fazer para amenisar o cheiro,ja que sempre lavamos mas sempre fica um vestigiozinho.Desde já agradeço.

    • Oi, Alexsandro! Me explica direito, esse cheiro de xixi é de onde? Da caixa de areia? Seus gatos são castrados? O xixi de gato não castrado (principalmente macho) tem um cheiro realmente horroroso, um super fixador de perfume…rs…isso se resolve facilmente com a castração. Após alguns meses, o cheiro fica bem mais decente e não fixa tão bem…rs… Se o cheiro for da caixa de areia, me diga que areia vocês usam? E quantas caixas vocês têm para tantos gatos?

      Abraços!

  43. Elaine disse:

    Olá, Vanessa.
    Certamente, vc poderá esclarecer algo que me ajude com o meu Shimy-u.
    Acontece que eu não o castrei quando pequeno pq fiquei com receio, poid ele era muito pequeno e desnutrido, achei-o na rua.
    No entanto, agora sendo um jovem adulto que não me deu trabalho quando pequeno, hoje está me preocupando muito, pois mia alto chamando a gata do vizinho que vem visita-lo várias vezez durante o dia e fica paquerando ele do muro.sendo que, ele não tem acesso à rua, e nem a gata.
    Daí ele começou a me perseguir miando e querendo me morder, além de namorar com edredom.

    Vc acha que eu devo castra-lo agora sendo meu gato já adulto? E essa privação sexual, sinto-me culpada pelo estresse dele, pensei em criar uma gata para que ele possa namorar. Quero que o meu gato seja feliz.
    Desde já agredeço pelo seus esclarecimentos sobre os felinos que sofrem tanto preconceito.
    Obrigada.

    • Querida Elaine, você deve castrá-lo logo. Não existe idade para castrar o gato, quanto antes, melhor. É a única maneira de esse comportamento desaparecer e ele deixar de ficar estressado. Arranjar uma gata para ele cruzar não irá resolver o problema, só piorá-lo. E entenda uma coisa: gatos não namoram. Gatos são incentivados pelos hormônios a procurar parceiros sexuais para copular e perpetuar a espécie. Machos possuem pequenos espinhos no pênis que servem para sangrar a vagina da fêmea e estimular a ovulação, pois os espermatozóides deles só sobrevivem em meio sanguíneo. A relação sexual deles é muito dolorosa, a fêmea grita de dor, mas está imobilizada pelo macho. Quando ele a solta, apanha dela. Não tem nada de bonito, nem de romântico.

      Existem muitos gatos no mundo. Muitos. Muitos filhotes nascendo e poucas pessoas responsáveis para cuidar deles. Não é necessário que nossos gatos passem por isso, pois a espécie não precisa desse esforço de reprodução em massa. Vejo que você ama muito seu gatinho e certamente quer que ele viva muito contigo, sempre saudável e feliz. Então castre o quanto antes. Ele ainda vai miar por um tempo, até os hormônios saírem da corrente sanguínea, mas depois vai passar. E oriente seu vizinho a castrar a gatinha também, ou ela não vai durar muito tempo e ainda vai fazer mais filhotes abandonados no mundo.

      Beijos e desejo tudo de bom para você e para o seu amado Shimy-u (adorei o nome!)

  44. Eliane disse:

    Olá eu não sei o que aconteceu com a minha gata depois que castrei ela invés dela fica tranquila não ela ta muito agressiva, bate na minha cachorrinha(e antes dela ser casdrata elas brincavam o dia inteiro)e a coitada da minha cachorrinha ta ficando com medo dela já!!!Não sei mais o que eu faço porque ela ta até me mordendo coisa que ela nunca vez!Se alguém souber de alguma coisa me avisem!!!

    Bjs!

    • Eliane, isso não é culpa da castração. Provavelmente tem alguma coisa estressando sua gata. Houve alguma alteração na rotina da casa? Alguém saiu da casa? Alguém novo foi morar lá? Algum animal novo? A cachorrinha está recebendo mais atenção do que ela? A cachorrinha foi ao veterinário e voltou com um cheiro diferente? A castração não altera o comportamento assim, sua gata está sob algum tipo de estresse ou sentindo algum incômodo que você tem que descobrir o que é. Geralmente é algo externo, da rotina ou do ambiente.

      Beijos!

  45. Flávia disse:

    Boa noite, Vanessa.
    Em primeiro lugar, quero parabenizá-la pelo site. É a primeira vez que acesso e achei tudo muito bem feito.
    Também gostaria de agradecer pela sua benevolência em passar todas essas informações às pessoas.
    Eu tenho 06 (seis) gatinhos em casa (a mais velha conta 12 anos de idade). Sou APAIXONADA por todos!!! É incrível como cada um tem uma personalidade marcante e hábitos peculiares.
    Quero frisar que, apesar da quantidade, somos muito responsáveis, sempre cuidando para que os pequenos tenham conforto. Seis é o nosso número; é o limite da lotação aqui de casa pois, como diz meu pai, “nós somos amantes de felinos, e não colecionadores”!
    Embora essa paixão não seja recente, confesso que era bem ignorante a respeito da toxoplasmose.
    A minha cunhada engravidou há 03 anos e o médico a orientou a manter distância dos gatinhos para evitar infecção. Ela continuou a ir normalmente em casa, mas procurava não se aproximar demais dos bichanos.
    Tudo isso acabou fazendo com que eu ficasse bem preocupada, pois pretendo ter filhos um dia. Nunca havia procurado uma instrução mais aprofundada sobre a questão e, por acaso, encontrei o teu site.
    Os esclarecimentos que você prestou realmente foram de grande valia para a minha vida.
    Estou imensamente agradecida por isso.
    Apesar de nem nos conhecermos, posso dizer já sinto uma grande simpatia por ti! E o fato de saber que partilhamos do mesmo sentimento em relação à espécie felina faz com que essa simpatia seja ainda mais forte (como eu sempre digo, só quem tem gato entende hahahahha).
    Boa sorte em tua vida e, mais uma vez, muito obrigada pela atenção dispensada!

    Flávia.

    • Oi, Flávia! Fiquei muuuuuuuuito feliz com seu comentário! O maior problema em relação à toxoplasmose é que os médicos orientam errado, então os pobres gatos sofrem e as gestantes também, pois além de ficar sem seus gatinhos, não são orientadas a tomar os devidos cuidados com vegetais e com carne (muitas comem carne crua ou malpassada durante a gestação!), então a doença continua a se alastrar e fazer vítimas. Se as orientações corretas fossem passadas, eu tenho certeza de que teríamos muito menos casos de toxoplasmose por aí.

      Não se preocupe mesmo, as informações que tive foram dos infectologistas do laboratório de toxoplasmose da Fiocruz, nada poderia ser mais específico…rs…Mas só vieram confirmar o que eu já sabia, afinal de contas, minha mãe sempre teve gatos e nós CINCO nascemos saudáveis.

      Quando li seu comentário, achei seis gatos muita coisa, mas depois fiz as contas e descobri que contando com os três gatos que minha avó deixou, minha mãe está com sete! Então vocês são normais, viu?…rs…

      Pode ter certeza de que a simpatia é recíproca, amei seu comentário e fiquei com vontade de conversar contigo…hahaha…isso é um bom sinal. Eu tenho para mim que pessoas que gostam de gatos são muito especiais e gente boa. SIM! Só quem tem gato entende…rs…

      Espero que não percamos contato!

      Beijos!

  46. ivo disse:

    minha gata teve 5 filhotes que estão com 5 semanas de vida.ela teve eles atras de um sofa que fica no quarto, depois levou eles para dentro do braço do sofa, bem no fundo.recentemente eles estavam esplorando a casa toda. e não é que agora ela resolveu levar todos eles para o telhado.gostaria de saber se ela vai trazer eles de volta.
    obrigado

    • Ivo, infelizmente agora você vai ter que contar com a sorte. O correto era que sua gata não tivesse acesso à rua. Ela está tentando proteger os filhotes, por isso os colocou dentro do braço do sofá e no telhado. Ela acha que eles estão correndo perigo. Mas ela não tem condições de saber o que é o mais seguro para eles. No telhado, podem ser atacados por outros gatos, podem ser vítimas de chuvas e de quedas. Se conseguir tirá-los de lá, trazê-los para dentro de casa com a gata e telar os espaços por onde ela sai (ou as janelas) é o ideal. Se não fizer isso, é uma questão de tempo acontecer algo com esses filhotes, infelizmente, já que estão caminhando e totalmente indefesos.

      Ela está agindo por instinto, tentando proteger os filhotes de algum barulho dentro da sua casa, alguma criança ou cachorro ou alguma ameaça imaginária. Mas lá fora as ameaças são reais, é responsabilidade sua proteger a ela e aos filhotes. E no próximo mês já pode levá-la para castrar, ou então em pouquíssimo tempo haverá mais uma ninhada em risco dentro de sua casa (ou no telhado).

      Torço por vocês. Boa sorte.

      Abraços,

      Vanessa.

  47. Javer disse:

    Ola Vanessa, parabéns pelo post,e está ajudando mtos pais de primeira viagem. Então, adotei um gatinho há 3 dias. Ele tem aproximadamente uns 4 meses, é um siamês lindo, de olhos azuis. Planejei mto antes de adotar, ela estava numa clinica veterinária, já foi castrado, tomando as vacinas, fermifugado, tudo certinho. Tive mta sorte, pois ele é extremamente dócil, adora tomar banho, nao se importa com o secador e é um super companheiro. O nome dele é Dior. Nesse momento estou providenciando o telamento das janelas, pois moro no 3º andar e nao desejaria q ele sofresse um acidente, caindo, ao tentar ir pra rua. O único problema é q ele só quer vir pra minha cama a noite, e acho q nao gostaria dele dormindo comigo, me sinto mais confortável sozinho na minha cama e ele tem uma tão linda e confortável. Fica nela durante o dia, mas à noite… Estou pensando em colocá-lo na sua cama e trancar a porta do meu quarto. Será q consigo educá-lo assim??? Abraços e obrigado pela atenção!

    • Ah, Javer! Tadinho…risos…

      Primeira lição sobre gatos: eles não dormem nas caminhas deles…hahaha…só depois que você desistir de convencê-lo a dormir na caminha e esquecer todos os planos que fez para aquela caminha linda, ele vai começar a cogitar a hipótese de usá-la. Mas nem pense em sumir com ela, que ele a procurará por todos os cantos, afinal de contas, mesmo que ele não use, é dele…rs…

      Bem, você pode, sim, fechar a porta do quarto à noite, mas isso não impedirá os miados de madrugada, ou talvez até mesmo arranhões na porta. O que eu recomendaria é adotar um segundo gatinho também castrado, para evitar que o Dior fique muito dependente de sua atenção. Eles seriam amiguinhos, um faria companhia ao outro e provavelmente te deixariam dormir com a porta do quarto fechada (ou uniriam as forças para tentar dominar seu apartamento…hahaha…).

      Só não coloque esse negócio para segurar a sua porta, ou você estará encrencado:

      http://www.youtube.com/watch?v=4aTagDSnclk

      Resumindo:

      1 – Redes de proteção nas janelas para ontem, amigo (eu sei que não tem nada a ver com o assunto e que você já sabe disso, mas essa é a prioridade número um, então tem que estar na lista. Tele todas as janelas…todas, mesmo, gatos são malucos).

      2 – Pode trancar a porta do seu quarto, mas não se iluda achando que isso fará com que ele durma na caminha dele. Naturalmente gatos fazem rodízio de camas. Dizem que é porque na natureza os pequenos felinos não podem dormir todos os dias no mesmo lugar, para evitar predadores maiores e que por isso os gatos vieram com essa programação mental. Só sei que uma hora ele vai dormir na caminha, outra hora, em cima do armário (eles preferem lugares altos), ou dentro de uma caixa de sapato, ou em cima do sofá, ou dentro do guarda-roupa, ou em cima da cadeira da cozinha… Aqui em casa eles não dormem conosco, mas o resto do apartamento é deles, não restrinjo mais nenhum outro cômodo.

      3 – A dica bônus, que será excelente para ele e também para você é adotar um irmãozinho. Um faz companhia ao outro quando você precisar dormir ou ficar o dia todo fora de casa. Sem contar que eles vão brincar juntos, diminuindo o hábito de morder forte a mão das pessoas (um ensina ao outro a controlar a força da mordida…na prática) e se cansando mais durante o dia para te deixar um pouco mais em paz à noite.

      Boa sorte com o filhote! Ele ainda vai te dar muuuuitas alegrias! Será seu companheirinho e seu amigo para toda a vida. Não desista dele nunca.

      Beijos!

      Vanessa.

      • Mas peraí, relendo o que escrevi, percebi que talvez não tenha ficado muito claro. Ele vai miar e arranhar a porta, fazendo um drama horrível por alguns dias, mas depois vai se acostumar. Gatos se adaptam facilmente. A ideia do segundo gatinho era só para deixá-lo mais feliz e menos carente quando não estiver com você. Corre o risco dos dois serem um grude contigo (aqui em casa é assim…rs…), mas pelo menos eles se consolam com a companhia um do outro quando estiverem sozinhos (isso, é claro, depois do período de adaptação, com bastante drama, fuuussss e rosnados como se o mundo fosse acabar…alguns dias antes de descobrirem que são amigos inseparáveis).

        Grande abraço!

  48. Patrícia disse:

    A gatinha da minha sogra deu uma “escapadinha” de casa e teve 4 filhotes, ela deve ter 1 ano e meio acho que foi o primeiro cio pq nunca havíamos percebido nada, bom eu fiquei com 2 (hoje com 3 meses e meio) um deles nasceu com o rabinho cotó cheio de nozinhos mas de resto é perfeito e percebo que é o gato dominante da casa, demos a primeira vacina com 3 meses e o cotó com 4 dias ficou muito quieto, quase não comia mal levantava e estava rouco chamei os vet receitaram antibiotico e anti inflamatório melhorou no dia seguinte e hoje 7 dias depois está elétrico GAD, só que o irmão está mais quieto faz uns 2 dias, quase não brinca com o irmão continua comendo bem, mas come bebe água e volta pra cama, não percebo ele quente ou molinho como o outro, agora não sei se é só preguiça, se está meio deprimido pq o irmão realmente domina a casa, os brinquedos etc… ou se pode estar pegando a gripe do outro? Ainda não vejo a necessidade de medica-lo pq ele está um pouco ativo só está menos brincalhão com o irmão e continua comendo super bem? Será ciumes pq o irmão precisou de mais cuidados? Ou a gripinha mas em menor intensidade?
    Cuidar de fiilhotes é complicado mas uma delicia rs.

    • Patrícia,

      Pode ser reação à vacina, mesmo. Não medique!!! Só medique sob orientação de vet, já vi gente matar filhote por medicação errada. Eu mesma consegui intoxicar um gato meu na época em que não tinha orientação…e com uma medicação que ele já tinha tomado em outra época. Felizmente ele sobreviveu, mas foi por pouco.

      Filhote não tem essa coisa de ficar deprimido porque o outro é dominante, não, eles se divertem juntos e cada um cumpre seu papel. Eu me preocuparia se ele parasse de comer, isso sim. Converse com o vet e fique de olho para ver se ele realmente está comendo e tomando água. Meu gato me enganou, eu achava que ele estava tomando água, mas ele estava desidratado! Acho que só lambia a água, não engolia.

      Passe uma fitinha na frente dele, para ver se ele tenta pegar. Fique de olho e converse com o vet se achar algo estranho. Eles tomaram todas as doses da vacina? Ah, e fala para a sua sogra castrar a gatinha dela, senão daqui a muito pouco tempo terá uma galerinha nova sem ter para onde ir.

      Beijos e boa sorte com os filhotes!

      • Patrícia disse:

        Vanessa
        Obrigada pela resposta.
        Não medico não morro de medo de ficarem pior, bom hoje liguei para a vet para informar que meu cotózinho estava serelepe e que o irmão não estava muito animado, ele levanta bebe água come um pouquinho e volta para a toca mostro um brinquedinho ele dá uma animada mas em menos de 10 segundos já senta e fica me olhando… (o dó)bom percebi que quando ele engole estava meio que engasgando então provavel ser gargantinha também a Vet orientou a dar o anti inflamatório por 3 dias mas claro se não começar a melhorar amanhã provavelmente entraremos com antibiótico após avaliação. Eles ainda precisam tomar mais uma dose da vacina quadrupla e a antirrábica e eu já estou com medo (boba né rs) e assim que terminar a vacinação vamos castra-los confesso que estou com uma dó e um medo de ficarem doentinhos mas sei que é o melhor.
        Essas bolinhas de pelo estão me deixando de cabelos brancos rs.
        Quanto a gatinha mamãe assim que secou o leite ela entrou no cio e minha sogra ficou com tudo fechado para não correr o risco(coitada) e assim que passou castrou além de ser melhora para a gata foi para a minha sogra também, a minha sogra sofreu muito por ter que dar os bebes isso que nós ficamos com 2 minha cunhado com 1 e a cunhada dela com a outra ela vê os bebes (como ela chama rs) sempre, mas chora toda vez he he.

        • Ah, mas precisa mesmo de anti-inflamatório? Agride o estômago, só dê se for realmente necessário. Converse com a vet e evite medicar demais, agride estômago e fígado (fígado de gato é bem sensível). Aqui em casa, os meus têm rinotraqueíte (que alguns médicos chamam de “gripe”, mas não é gripe), que aparece quando esfria muito ou quando diminui a imunidade. E a indicação é dar antibiótico apenas quando eles espirram cacaquinha amarela. Aí faz cultura da cacaquinha e vê qual antibiótico deve usar. Dar antibiótico sem fazer antibiograma e sem indicação de infecção é pedir uma infecção mais forte mais para a frente. Faz isso não. O gato não está com febre, nem tem secreção. Deixa ele quietinho e observa. Não gostei da sua vet (olha a intrometida aqui…hahaha…), tenho problemas com vets que fazem diagnóstico por vidência, sem exames e já saem medicando. Podem mascarar alguma coisa séria ou criar problema onde não tem. Observe o gato e observe a vet, também. E me diz que você mora em Porto Alegre. Pô, eu tenho uma excelente vet para indicar de Porto Alegre e nunca aparece ninguém de POA aqui no blog!

          É normal dar reação, a Ricota também teve…depois passou. Agora, quanto à castração, por incrível que pareça, a recuperação dos machos é quase imediata, é só passar a anestesia…rs…achei bem mais tranquilo do que a vacina…hehehe…

          E a da fêmea é mais chatinha porque tem os pontos, mas também é bem mais tranquilo do que uma piometra. Sua sogra vai ver o quanto é muuuuito mais legal ter uma gatinha castrada…rs…e eu acho que ficaria do mesmo jeito, sofrendo por cada filhotinho doado…rsrs…

          E não faça drama (sei que isso é impossível, pois mamães de gatos são dramáticas por natureza…hahaha), eles vão ficar bem…quando você menos esperar (e possivelmente enquanto você ainda estiver sofrendo) eles estarão brincando, saltitantes…rs…

          Continue dando bastaaaante carinho e brincando com esses peludinhos, isso fortalece o sistema imunológico (o deles e o seu). Vai dar tudo certo!

          Depois me conta o que aconteceu!

          Beijos!

  49. Cassiana disse:

    Oi Vanessa…
    Gostei mto do seu blog..
    Ah quatro dias achei um gato na loja onde trabalho.E resolvi ficar com ele,levei ele ao veterinario para castrar, pq tenho tres gatos e sabia que eles não iriam aceita-lo.
    O veterinário me disse que ele tem de 7 a 8 anos de idade, apesar de magro pelo tempo que ficou preso na loja sem comida a saúde dele estava ótima.
    Então levei ele para casa, super dócil adora carinho, na minha opiniao ele fugiu de algum apartamento vizinho.
    Deixei ele em uma parte da minha casa, sem ter ascesso aos outros até ele se reabilitar, pq tenho medo deles o machucarem e passar doença para os meus que são sadios.
    Só que estou mto preocupada, ele ta mto tristinho, vomita tudo que come e eu estou dando (Wiskas para ele), e o coco ta mto molinho e ele já rancou todos os pontos.E reparei que nos dois bracinhos tem marcas de raspagem, parecendo q ele tomou alguma medicação nas veias, perguntei ao veterinário ele me disse que era um tipo de dermatite, mas não acredito parece que rasparam para aplicar medicação…
    Estou medicando ele com Duotril 50mg 1/2 a cada 24 horas por 6 dias, e Meloxivet 1mg um comprimido durante 4 dias e aplicando iodo no local.
    Estou com medo dele está doente, por causa das marcas de medicaçao nos bracinhos e não ter cura, por isso que o soltaram, e principalmente dele passar para os meus.
    Me ajude, Vanessa porque não sei o que fazer.
    Obrigada,
    Cassiana

    • Cassiana, calma. Se fosse dermatite, estaria nos dois bracinhos? Na mesma altura? No mesmo lugar? Sei não, pode ter raspado para colocar soro (ele fez cirurgia, certo?). E eu sei o que é esse medo de o recém-chegado da rua passar doença para os de casa. No meu caso, eu fiquei com muito medo, mas aconteceu o contrário! Os meus tinham rinotraqueíte e eu não sabia! Eles passaram para o pobre recém-chegado, que estava com a imunidade baixa (eu não tinha informação e não fiz quarentena. Se fizer quarentena direitinho, a probabilidade de isso acontecer é quase zero).

      Ele foi vacinado? Tem que vacinar e esperar algumas semanas para a vacina fazer efeito e ele estar completamente imunizado. Depois, vá juntando com os seus aos poucos e não se assuste com a reação da galera, eles são sempre dramáticos em período de adaptação.

      Mas você está fazendo direitinho. O recém-chegado tem de ficar em quarentena, mesmo, se ele tiver algum problema de saúde, vai se manifestar nesse período de estresse. Eu levaria a outro veterinário, de preferência em um especialista em gatos. Em qual cidade você está? Quem sabe eu conheça alguém para te indicar. Ah, e Whiskas não é do bem (a única coisa da Whiskas que presta é a latinha de patê). Eu recomendo a Premier, Royal Canin, Pro Plan ou Natural, que você encontra em Pet Shops…são mais caras, mas se comprar um pacote de 7,5kg, não pesa em nada no orçamento, porque essa ração alimenta mais, a proteína é de qualidade melhor, deixa menos resíduos (eles fazem menos cocô)…você gasta menos com areia e veterinário. Eu já vi gatos terem problemas sérios com essas rações de supermercado, principalmente whiskas. Desde cálculos urinários a alergia alimentar. Uma opção melhor do que essas mas não tão boa quanto as superpremium que citei anteriormente, é a Golden, também encontrada em Pet Shops. Os meus só comem Premier, mas os da minha mãe comem Golden, que é da mesma marca.

      Sobre vômitos e diarréia, a medicação que ele está tomando pode causar isso (principalmente o meloxivet, mas o antibiótico também pode causar…vômitos por irritar o estômago e diarréia por matar as bactérias boas. Eu falaria com o vet), se ele não estava assim antes, é mais provável que seja reação adversa do meloxicam e da enrofloxacina que ele está tomando. Ele também pode estar com alguma verminose ou giárdia (acho menos provável, eu apostaria em efeito colateral dos medicamentos), mas não dê vermífugo por conta própria, pois pode atacar o fígado dele. É importante que ele esteja comendo, gato não pode ficar sem comer por muito tempo. Procure outro vet. Mas não desista desse recém-chegado, não. É bem provável que tenha sido abandonado por alguém que se mudou e ficou sem ter para onde ir. Isso acontece com muito mais facilidade…se ele tivesse sido abandonado por ter alguma doença sem cura e os antigos donos o levassem ao veterinário, pode estar certa de que ele não estaria mais vivo. O que mais tem por aí é vet que aceita pagamento para sacrificar um animal. Muitos nem se esforçam para diagnosticar e já querem sacrificar.

      Me diz uma coisa, essa área sem pelos está machucada ou só sem pelos? Outra coisa: não fique inventando possibilidades na sua cabeça…rs…isso só vai servir para te estressar, e você tem de estar bem tranquila para fazer as escolhas certas. Se foi raspado, pode ter sido para fazer exame de sangue, para tomar soro ou medicação endovenosa. Por que raios a sua primeira opção foi pensar em medicação endovenosa para doença incurável?…risos… Mas mãe de gato é assim mesmo, gatos são dramáticos, nós somos mais dramáticas ainda, eu te entendo.

      A gente tem de se esforçar para usar mais a cabeça do que a emoção. Então lide com os fatos. O vet disse que é dermatite sem fazer exame? Desconsidere. Procure outro vet, peça exames para tudo. Desconfie daqueles que se irritarem com perguntas e dos que disserem que exames não são necessários. Não tenha medo e não desista desse gatinho. A probabilidade de ele ter alguma doença que passe para os seus gatos é sempre mínima até que se prove o contrário.

      Para você ter uma ideia, quando peguei o Gatão (também já tinha uns 8 anos e estava bem prejudicadinho) eu não tinha muita informação e logo juntei com os outros. O Tiggy espirrava de vez em quando, um vet disse que era alergia, outro disse que era gripe…e no final das contas, era rinotraqueíte. Gatão teve infecção respiratória, foi difícil tratar, cuidamos bem dele, ele tinha compulsão alimentar e ficou obeso…era complicada essa parte de cuidar dele, mas ele foi o gato mais carinhoso, dócil e brincalhão que eu já tive em toda a minha vida! Me arrependo muito de não ter aproveitado mais cada momento que tive com ele, mas sou eternamente grata a Deus por ter me dado a oportunidade de conviver seis anos com o gatinho mais especial que já conheci. E de poder dar a ele em seis anos todo o amor, carinho e proteção que ele não teve em seus primeiros anos. Chegou em casa super deprimido e desanimado e se transformou na coisinha mais alegre e fofa que já vi. Quando o tirei da rua achei que não fosse sobreviver, de tão feinho.

      Me arrependi muito por ter agido movida por medo e pela emoção quando ele ficou doente no final do ano passado, pois atrapalhou meu julgamento (não ficou doente, na verdade. Parou de comer e começou a vomitar porque tinha engolido um pedaço de plástico que ficou preso no intestino. Só que também estava com um problema no fígado, que se agravou. Como ele estava conseguindo comer forçado, o mais urgente era tratar o fígado). Se estivesse raciocinando, teria trocado de veterinário logo na primeira visita. A vet fez tudo errado e ele acabou morrendo. Mas a possibilidade de que além do problema que o levou à vet ele também tivesse uma doença grave me deixou mais tranquila, pelo menos foi tudo muito rápido e ele não sofreu. Mas deixou uma saudade gigante…e você parece ter em mãos uma situação bem semelhante à que eu tinha quando o trouxe para casa…aproveite, dê essa chance a esse gatinho e não permita que suas emoções tragam dúvidas e pensamentos negativos. Tenha paciência, ele ficará bem.

      Não tem como você saber o porquê de ele ter ido parar na rua. Vou te falar o que acontece com mais frequência: os donos se mudaram e largaram ele para trás, acreditando no mito de que gato se apega à casa (sério, ainda tem gente que acredita nisso). Ou um dos donos não gostava de gato e o levou para bem longe de casa, para que ele não pudesse voltar. Ou ele marcava território com xixi (por não ser castrado) e os donos o abandonaram por causa disso. Ou ele foi expulso do território por outro gato e não pode voltar. De qualquer forma, não tente encontrar o dono. Um dono que não castra, deixa o gato sair e não tem a dignidade de espalhar cartazes pela vizinhança quando ele não volta, não merece esse gatinho.

      Desculpe a resposta enorme. Espero ter ajudado.

      Beijos!

      Vanessa.

  50. Samara disse:

    Geente, que simpatiia é vocêê!!!! Mto obrigada pela atençãão.. Acho que nem o vet que eu pago seria tão prestativo *-* Mas enfim, estou em Fortaleza- Ce. Ele teve a uretra obstruida e fez a cirurgia e ficou sondado, tomando amoxicilina e antibiotico injetavel por 10 dias. Antes da cirurgia ele comia Golden Premier de Frango, foi castrado no dia da cirurgia que ele lavou a bexiga. Pegou gripe e conjuntivite logo em seguida e usando colirio. Com tudo isso começou a comer com a seringa pq nao comia sozinha, ficou mto debilitado, emagreceu horrores. Perguntei a vet que operou ele e ela me disse que ele não tinha calculos mais sim muitos microcalculos, com essa vet ele nao fez nenhum exame ela nao solicitou nada, diante dessa negligencia e de nada de melhora no Bolinha. Levei ele num especialista, foi quando ele começou a tomar Duotril e o Meloxicam. Ele ainda vai varias x na liteira, o vet diz que ele continua assim por causa da inflamação e ele suponhe que ele esteja inflamado por conta das duas semanas de sonda. Semana passada ele começou a tomar PROFENID e até hoje não melhorou, falei com ele hoje e ele mandou estancar qlq remedio antiinflamatorio e dar SAME 36mg para o figado dele por 30 dias uma capsula por dia. E pediu que eu aguardasse.Ah, ele não tem acesso a rua, passa o dia dentro do apartamente e ele é o unico gato. Ao redor do pintinho dele estar super vermelhor como se tivesse assado, e é so encostar que ele da um pulo. Aguardo Contato e Muito Obrigada..!!! Me ajude não sei mais o que fazeer.. não vejo retorno no que faço.

    • Samara,

      Que pena que você não está em Porto Alegre! Eu também não estou mais…rs…mas essa vet que eu te falei foi a melhor que já encontrei. Mas pelo que você explicou, eu gostei do seu novo vet. Essa “gripe e conjutivite” que seu gatinho pegou provavelmente é rinotraqueíte, algum veterinário te explicou isso? É uma doença viral, o vírus é parente da herpes, então aparece sempre que o gato tem baixa imunidade. Quais exames os veterinários pediram? O novo vet está certo em suspender a medicação e se preocupar com o fígado dele, e talmbém ao dizer que pode estar inflamado por causa da sonda. Nesse caso, é só ter paciência (e não fica encostando no pintinho do coitadinho…rs…deve estar machucado porque ele sente arder e lambe), pois tende a melhorar com o passar do tempo.

      Eu me preocuparia mais com o fígado dele, pois fígado de gato é muito sensível, entupir de antibiótico e anti-inflamatório é perigosíssimo, pode ser por isso que ele esteja fraquinho…. Acho que isso é o urgente no momento. E não aceite nenhum tratamento sem exames e diagnóstico, justamente para evitar administração desnecessária de medicamentos. É natural que por enquanto ele continue lambendo, mas o certo é que diminua com o passar do tempo. Os meus têm rinotraqueíte, que melhora com levedo de cerveja ou interferon por via oral, que aumenta a imunidade.

      Mas minha principal dica é: calma…sei que é chatíssimo ouvir alguém dizer para você ficar calma quando você está desesperada, mas pela minha experiência, a gente faz péssimas escolhas quando está desesperada ou com medo (eu me arrependo muito por não ter mantido a calma quando meu gatinho ficou doente). Confie que você está fazendo o melhor pelo seu gatinho e fique de olho. Ele fez exame de função renal e função hepática (é de sangue) e ultrassonografia? De resto, concordo com seu vet. Aguarde, é grande a probabilidade de que ele se recupere bem sem intervenção agora, você começará a ver resultados. Só o que não pode acontecer é ele deixar de comer, de beber água ou de ir à liteira. Enquanto ele estiver fazendo todas essas coisas, tudo está sob controle. Quanto mais tranquila e confiante você estiver, melhor conseguirá cuidar dele e até mesmo questionar o veterinário, se necessário.

      Só o que te digo é que o caso parece ser simples. Se for só uma questão de cálculos uretrais, não existe razão para ele ficar tão mal. Ele deve ter piorado por conta do excesso de medicamentos que os outros vets passaram. Agora provavelmente vai melhorar. Mas mantenha contato, para trocar ideias :-) E se você está no orkut, procure a comunidade Gatos – Manual de instruções, só não pode colocar nome de medicamento lá.

      Ah, ele ainda está brincando? Passe um cadarço na frente dele, veja se ele tenta caçar. Se tentar pegar, é um bom sinal :-) Espere mais um pouco, se você notar que ele não melhora, eu sugiro que não largue esse novo vet, mas procure a opinião de um veterinário homeopata.

      Beijos!!

  51. Samara disse:

    Olá. boa tarde. Estou com serio problmeas com meu gatinho. Adotei o Bolinha em OPutubro do Ano Passado, comecei a sofrer com ele logo em seguida pegou giardia, passou por diversos tratamento, e so com 15 dias tomando giardicid que sarou. Ok. Comçeo desse ano meu bolinha, de um ano e 5 meses teve q fazer uma lavagem da bexiga, estava obstruido, passou dois dias no soro e duas semanas na sonda. Desde entao venho sofrendo com ele, com isso. Agora o pintinho dele não sara de jeito nenhum. Ja levei em 3 vetereinarios, e não sei mais o que fazer. ELe tomou 30 dias de meloxican e agora tomou 5 dias de profenid e nada. O que eu façoo?? Me ajuda..!! Ele se lambe com muita frequencia, esta comendo a ração urynary da Royal e eu dou agua a força pra ele tdo dia. 30ml. Ah, e ele ta usando o Biamotil-D pois estava com começo de urcera.

    • Samara,

      Em qual cidade você está? Se estiver em Porto Alegre, recomendo a clínica Chatterie http://www.chatterie.com.br Fale com a dra. Rochana, ela é ótima e com certeza poderá ajudar o seu gatinho. Ele teve obstrução na uretra, certo? Ainda está com obstrução? Qual o diagnóstico do veterinário? Ele é castrado? Comia o que antes da Urinary? Ele tem acesso à rua? O pintinho dele está machucado de tanto lamber? Não entendi por que ele está tomando anti-inflamatório e antibiótico. O que o vet disse? Você já o levou em um especialista em felinos? E em qual cidade você está?

      Beijos!

  52. fatima disse:

    van me ajuda uns cachorros detonaram meu xaninho, to dando antibiotico pra ele., nao tenho condiçoes de leva-lo ao veterinario isso foi quarta a noite peguei ele todo estrunchado., e hj ele começou a urinar sangue parece que ele nao vais andar mais., nao se firma nas patas trasseiras., nao come nao bebe., to muito triste e preocupada se puder me orientar., o dono da casa de raçao disse pra dar dipirona se tiver dor|?? e certo???bjs

    • Fatima,

      Leve ele ao veterinário, geralmente eles parcelam, negociam. Não deixe de levar, não dê jeitinho. Um veterinário pode salvar seu gato e ele pode até voltar a andar! Quanto mais rápido você levar, mais chances ele terá. Você está lutando contra o tempo. Se está urinando sangue, o caso é sério. De que te adianta dar medicação para dor? É só um paliativo que não vai resolver. Qualquer medicamento para dor tem de ser orientado pelo veterinário, não pelo cara da casa de ração, que geralmente não sabe nada. Uma dose errada de dipirona pode matar seu gato. Não vale a pena, por mais que você não tenha condições agora. Perdi um gato em novembro. Hoje sinto tanta falta dele que eu venderia tudo o que eu tenho em casa para tê-lo vivo aqui comigo. Aproveite que você ainda pode salvar esse seu gatinho e faça o sacrifício que for necessário para isso. E depois tele sua casa para que ele não saia e isso não volte a acontecer.

      Torço por vocês. Mas não pense no quanto vai gastar, pense em fazer o melhor por ele. Gatos são frágeis, são sensíveis. Não tem jeitinho, sem cuidados médicos, ele vai morrer da pior maneira possível e você será co-responsável por isso, pois ele depende 100% de você. Com certeza você o ama e não quer ser responsável pelo sofrimento e morte do seu gatinho. Se eu soubesse em novembro o quanto eu iria sofrer e se algum dinheiro no mundo pudesse dar uma chance ao meu gatinho, eu teria feito de tudo, teria gasto o que não tinha, teria vendido meus móveis, meu computador, teria feito um empréstimo se fosse necessário para pagar exames e tratamento e ter ele hoje aqui comigo.

      Aproveite que você ainda tem essa chance.

      Beijos.

    • Agora li de novo o que você escreveu. Eu fico indignada com esse povo de casa de ração que não é veterinário e dá pitaco no que não entende. Gato que fica sem comer começa a ter problema no fígado, mais um motivo para você correr para o veterinário. Gato não pode ficar sem comer! Se der dipirona para ele com o fígado debilitado, ele vai piorar. Por favor, leve ao vet. Pode ser algo simples de resolver! Não espere ele ficar debilitado para fazer alguma coisa. Se receber cuidados médicos enquanto estiver forte, as chances dele são maiores. Se você estiver em Porto Alegre, eu te recomendo a clínica Chatterie. http://www.chatterie.com.br Peça para falar com a Rochana. Ela parcela, segura cheque, é super camarada e ama os gatinhos. E os conselhos do meu email anterior continuam valendo. Seu gato pode ter quebrado alguma coisa, pode estar com hemorragia interna…você está dando antibiótico, ou seja, já está sobrecarregando o fígado dele…agora está urinando sangue, Fatima, é uma emergência. Eu não soube identificar que o caso do meu gato era uma emergência, o perdi e me culpo até hoje.

    • Eu não recebi seu comentário em meu email. Só hoje eu o vi, quando entrei no wordpress para aprovar outro comentário. Fiquei triste ao perceber agora que ele é do dia 25 :-( provavelmente seu gatinho já tenha morrido e você não tenha mais chance de levá-lo ao veterinário. Por favor, se você tem outro gato ou se algum dia vier a ter, providencie castração e telas nas janelas para evitar que isso aconteça novamente.

  53. ola,vanessa tenho um gato de 4 anos que nao é castrado e ele vem fazendo xixi no sofá e em outros locais da casa mesmo tendo a caixa de areia,e a noite tenho que me levantar várias vezes para ele sair,ele sai e entra,sai e entra.nao sei o que fazer.tenho outra gato femea castrada que nao me causa nenhum problema.desde já agradeço

    • Carine,

      Isso é demarcação de território, não simples xixi. A única chance de isso parar é com a castração. A castração de macho é muito mais simples do que a da fêmea, é só voltar da anestesia e ele já estará 100%, daí é só esperar o tempo dos hormônios saírem da corrente sanguínea e esse comportamento tende a diminuir. Mas sem castração, não tem jeito. E depois de castrado, tire esse hábito dele sair, não há necessidade e o expõe a riscos desnecessários. Se você estiver em Porto Alegre, te recomendo a Chatterie, é uma excelente clínica http://www.chatterie.com.br

      Beijos!

  54. Cicera de Sousa Silva disse:

    Estou amando essa página mas por favor preciso de ajuda,muita coisa que li já me ajudou mais ainda tenho duvidas,é o seguinte eu tenho um gato que eu ganhei de meu visinho que estava sendo doado na casa de ração,dizem que ele é siamês,pela cor da pelagem mas num mundo consumista em que pregam o valor o dinheiro não acredito que iriam doar um gato se soubesse que ele vale dinheiro,muito bem ele hj está com uns 10 a 11 meses,só que está muito agrssivo,agente vai afzer carinho,ele morde,chega visita ele morde enfim ele é querido bem aceito,mais fico sem graça por que tudo dele é morder e morder forte,só preciso aprender como ensina-loa não morder me ajude,ah esqueci de falar ele é castrado e todas as vacinas dele está em dias,aqui a prefeitura não dá todas as vacinas então ele vai em uma clinica conceituada,castrado bem zelado mesmo,amo amo muito meu bebê,mais preciso de sua ajuda.

    • Cícera, você tem certeza de que ele tem 10 meses? Tem uma foto dele para eu ver? Ele morde desde que chegou aí? O meu Tiggy também era assim, é relativamente comum, não é agressividade, é brincadeira. Ele faz cara de maluco e morde, certo? Já li certa vez que filhotes que não convivem com outros gatos tendem a fazer isso. Quando eles têm outro gatinho para brincar, aprendem a controlar a força da mordida. Mas não significa que ele irá morder para sempre…rs…não se desespere. O ideal é que ele tenha companhia felina. Se você puder adotar outro, eu recomendo! Ele vai se distrair mordendo o irmãozinho…hehehe…

      Ele tem de ter vários brinquedinhos, também. Pode estar trocando os dentinhos, se ele for um pouco mais novo do que aparenta. Aí a gengiva coça, eles ficam irritados e querem morder tudo e todos.

      Se você tiver acesso ao orkut, recomendo a comunidade Gatos- Manual de Instruções, para pesquisa. Antes de postar qualquer coisa, faça uma busca sobre gatos que mordem…rs….várias pessoas já passaram por isso, quem sabe tenham algo a acrescentar. Mas sinceramente acho que você vai encontrar o que eu já disse aqui.

      Eu lembro que fazer carinho no Tiggy era um suplício! Ele me mordia e parecia um bicho maluco…hahaha…fazia “tubarãozinho” ( tubarãozinho é morder e chacoalhar a cabeça rapidamente, como se quisesse arrancar um pedaço, tipo um tubarão)…ele também mordia as visitas, subia no colo…um horror. Mas ele teve companhia felina assim que chegou em casa. Quando era filhote, ele e a Ricota brincavam muito. Depois que cresceram, ela não quis mais brincar tanto, mas nessa época pegamos o Gatão já adulto e eles viraram os melhores amigos. Com o passar do tempo, ele se acostumou a ganhar carinho. Hoje ainda é brincalhão, mas não ataca enlouquecidamente como quando era pequeno. E é super carinhoso, adora colo, pede carinho…ainda sobe no colo das visitas mas para pedir carinho…hahaha…

      É um fofo!! Há esperança para seu gatinho…hahahaha…

      Beijos!

      PS: Fora o fato de ser chato e doer, mordida de gato tem uma grande vantagem: não arranca pedaço. Então tenha paciência, encha o bichinho de brinquedos “mordíveis”, JAMAIS bata nele. Se precisar repreendê-lo, diga “não” bem firme e o ignore. Ele vai fingir que não entendeu, mas entende muito bem. Outra coisa que dizem que funciona bem para desencorajar um comportamento é borrifar água…com o Tiggy isso funcionou no começo, mas depois ele começou a achar que era brincadeira…hahaha…até hoje adoooora água 😀 Quando ele agir de maneira fofa, sem morder, agrade, fale com voz de “nhenhenhém”…rs… (os meus gostam), dê um snack ou algo que ele goste de comer. Muuuita paciência, menina, seu gatinho é uma criança ainda…

  55. Rosa Mariana disse:

    Meu pai foi a casa de um amigo, e ele foi ligar o carro do amigo e o gatinho esta embaixo. O gatinho quebrou o rabinho em três lugares, e a pele do bracinho dele saiu por completa. Queria saber oque posso dar pare ele e o que devo colocar no ferimento?

    • Rosa, corra para o veterinário com esse gatinho já! Isso pode infeccionar, ele pode ficar desidratado e até morrer, mas um veterinário certamente poderá salvá-lo a tempo. Só um veterinário olhando o gatinho poderá decidir o tratamento. E não medique o gato por conta própria, ou poderá matá-lo. Gatos são hiper sensíveis a qualquer medicação. Se a pele ainda estiver por aí, leve também. Mas corra, por favor, é uma emergência. Se acontecesse isso com uma pessoa, você não levaria ao hospital? É a mesma coisa. Em qual cidade você está? Se estiver em Porto Alegre, eu recomendo a clínica Chatterie, eles são ótimos, entendem muito de gatos, não são careiros e parcelam o tratamento. http://www.chatterie.com.br/

      Abraços!

  56. Gisele disse:

    Parabéns Vanessa,
    Linda matéria. Você faz a diferença. Assim como cada um que,lendo-a, mude hábitos ou conceitos errados.

    • Obrigada, Gisele! E eu torço para que muitos gatinhos sejam beneficiados com a conscientização de seus donos. Quem realmente ama seus gatinhos faz o que for necessário para que eles vivam bem.

      Beijos!

  57. JOYCE disse:

    BOA TARDE.TENHO UMA HISTORIA BEM COMPLICADA.MINHA GATA TEM 2 ANOS E JA FOI CASTRADA. A LEVEI NO VET., MUITAS VEZES SUSPEITARAM ATE DE DOR NA COLUNA.MAS PARECE QUE A CASTRAÇÃO NÃO FOI BEM SUCEDIDA, PQ ENTRA NO CIO NORMALMENTE, TADINHA FICA DESESPERADA. EXISTE ALGUM TIPO DE EXAME PARA DETECTAR ESTA FALHA?DEVO CASTRAR NOVAMENTE? ME AJUDE…

    • Joyce, se ela entra no cio, então a castração realmente não foi feita. Já vi casos assim, existem veterinários que são verdadeiros açougueiros, vou te contar, viu? Às vezes deixam um ovário para trás e já é o suficiente para a produção hormonal.

      Tem exame para ver isso, sim, ultrassonografia geralmente mostra bem. Você chegou a falar para o vet que ela estava entrando no cio? Tem de refazer a castração, sim.

  58. Jaqueline disse:

    Boa Tarde. Será que alguém pode me ajudar? Tenho um gatinho a 4 meses : mingal e o peguei na rua, ele esta agora com aprox. 6 meses e é peralta demais! Gente eu tento deixar ele dentro de casa, mais ele sai por qualquer janela aberta! Ele traz pra casa passarinhos dos vizinhos e hoje apareceu com um rato na boca!!! Estou ficando sem saber o q fazer! Não consigo deixa-lo no quintal sem entrar em casa e nem em casa sem ir pra rua. Me preocupo pois ele pode pegar doenças, trazer doenças… Quando ele esta em casa ele tem acesso a tudo! Sofá, camas e eu ja tentei tirar essa mania… Sem sucesso… O mingal é um gato muito arisco e teimoso! Talvez pela vida q tinha. Meu marido esta querendo dar ele, pq trazer bichos, rasgar lixo, sobe na mesa e come a comida, rouba comida da pia! Enfim! Me ajudem pois não quero dar o meu bichano… Quero ou mante-lo sempre no quintal e educar para q ele não entre em casa, ou acostuma-lo só dentro de casa…

    • Jaqueline,

      Tem várias dicas no texto. Vamos por partes. Trazer ratos e passarinhos é o jeito dele dizer que ama vocês. Eu sei, não é muito agradável, mas são presentes conseguidos com muito esforço, é algo importante para ele e ele traz para mostrar o quanto vocês são especiais. É sério. Quando ele não tiver mais acesso à rua, vai te trazer os ratinhos de brinquedo…rs…

      Não é bom deixá-lo sair na rua. Para acostumá-lo dentro de casa, é simples: primeiro, castre-o o quanto antes! Leve ao vet, com 6 meses ele já pode -e deve – ser castrado. Outro ponto imprescindível é colocar redes de proteção em todas as janelas. Algumas pessoas que moram em casas preferem telar seus muros e portões, mas eu acho mais seguro telar as janelas. No post tem um link com vários modelos de telas para casas. Você vai ter de aguentar miados por alguns dias, eles fazem drama em qualquer alteração de rotina ou de ambiente, mas se acostumam rapidinho.

      Um gato castrado sem acesso à rua deve ter acesso à toda a casa – ou a maior parte dela. Os meus não entram no quarto, recentemente coloquei esse limite fechando a porta, mas o resto da casa é deles. Não tem nenhum problema com isso.

      Você não deve doar seu gatinho, mas é imprescindível que tome essas providências que eu te falei se quiser que ele viva bastante contigo, saudável e bem. Rua não é lugar de gato, ele não vai durar nada se puder sair. E se você doá-lo sem castrar e a pessoa der acesso à rua, trocará seis por meia dúzia. O gato vai morrer rapidinho e tenho certeza de que não é isso o que você e seu marido querem.

      Seu gato não é teimoso, ele é adolescente…com seis meses os hormônios estão em ebulição, por isso a castração é urgente. Ele é um filhote esperto e alegre, por isso é tão agitado, isso melhora com o tempo. O meu também era assim, hoje só faz umas baguncinhas normais, sem aquela correria e loucura de antes. Se você o pegou com dois meses, ele nem lembra da vida de antes. Mas filhote é assim mesmo, tem que ter paciência até crescer.

      Castre, tele a casa, compre um arranhador e brinquedinhos, faça a casa ser interessante para ele, dê atenção…eu sugeriria, além disso, que você adotasse outro gatinho castrado, para fazer companhia a ele. Funcionou aqui em casa. Um entretinha o outro, eles se cansavam e faziam companhia um ao outro. Mas um macho de seis meses sem castrar, sozinho e com acesso à rua….o estresse é inevitável!

    • Jaqueline disse:

      Vanessa, obrigada por responder. O mingau tem companhia,eu tenho uma york que ele ama e vive implicando com ela.rsrs e tenho uma vira-latas que adotou o mingau, ela cuida dele como se fosse mae dele! Chega ser emocionante os dois! Eles brincam, ele judia dela e ela não faz nada! Esses dias peguei os dois dividindo a ração na mesma penelinha! Os dois com a cabeça na bacia juntos! Castrando ele, ele ainda vai querer ir pra rua? Ou isso já diminui?

      • Oi, Jaqueline!

        Que bom que ele tem companhia felina, além da cachorrinha. É importante. E a castração diminui as saídas, mas não resolve, gatos castrados saem por curiosidade e falta de noção, ainda mais que ele já tem o hábito. A única coisa que resolve os problemas das saídas é telar, mesmo. Vale a pena, viu? A pior coisa do mundo é você ver um bichinho que você ama machucado ou morrendo por uma coisa que você poderia ter evitado de maneira tão simples. Mas tem que castrar, para que os hormônios não o estressem demais. A castração é necessária, mas telar para evitar o acesso à rua também é. Quando tiver um tempinho, leia o texto com atenção, vai tirar as suas dúvidas e as que seu esposo vier a ter.

        Grande abraço!

  59. Vivi disse:

    Olá!

    Vanessa adorei seu post! Uma pq sempre perdi meus amados gatos por envenenamento. Agora me mudei da casa onde eu morava, e fui pra um kitnete e levei a minha amada Lili comigo. Ela tem 2 anos e 4 meses, castrada a 7 meses. mesmo depois de castrada e criou o hábito de subir no telhado da casa do vizinho, e ficar miando (não sei pq!!!)Todo fim de tarde, baixava o sol ela se mandava pro telhado. E eu claro, com o coração na mão, pois sei q os vizinhos jogam o veneno nos telhados. Eu chamava sempre ela com a ração, deposi de um tempo ela parou de vir, ficava se deitando e rolando e não vinha. Dae fui pro sachê q ela amava e eu dava só as vezes. ( Qdo eu ficava muito tempo longe), dae com o tempo nem isso ressolvia para chamá-la mais. Ela não vinha de maneira alguma. Então me mudei. Tentei adaptar ela aos poucos, levando no apto todo findi (foram 4 vezes antes de definitivamente eu ir — antes meu namorado estava lá morando). Ela estranhou igual. E ainda adotamos ( salvei ela na verdade) uma persa (Mel) q hj está com 45 dias. Ela já estava na minha outra casa, e ficava inclusive no meu quarto, junto com a maior, pq eu tinha q tratar ela ( ela tinha gripe, pus, coriza, conjuntivite, anemia… tava feia a situação, peguei com 30 dias). Agora q nos mudamos a menor já está saudável e brincalhona. Mas a Lili não aceita ela. Dá patada e faz “fussss”. E de noite está complicadíssimo dormir. A Lili fica calma durante o dia, come, fica na janela, brinca, deita no tapete. Mas a noite é desligarmos a TV pra dormir, ela começa a me chamar. Ela tem o canto dela ( ela q escolheu, só coloquei os brinquedos e a coberta dela), e ás vezes eu vejo q ela está miando lá mesmo!! Ela não mia forte, ela chama… Dae se eu não dou atenção ela sobe por tudo, fica de um lado pra outro e sobe na cama.. briga com a menor ( minhas noites estão conturbadas) e dae sim ela mia… A vizinha não ouvi nada, mas a gente não dorme. Não temos porta no quarto, tentamos deixar ela no banheiro, ela arranhava a porta, tivemos q tirar. Hj fui ver de algum floral pra ela, pq precisamos dormir a noite, eu e meu namorado trab., estudamos, e a vida é bem corrida, mesmo assim elas tem a minha companhia todas as manhãs, 2 horas no fim do dia e a noite. Naõ sei o que fazer. Estou preocupada q ela não se adapte devido aos hábitos antigos. Estou colocando novos, como levar passear no mesmo horário sempre ( as 2 juntas) e brincar tb. O que mais posso fazer? Beijo Vivi

    • Ela se adapta, sim, Vivi, nem esquenta. A pequena está com vocês há muito pouco tempo, a Lili teve sua rotina alterada, é tudo muito recente. Os “fuss” são normais, a outra é invasora do território dela. O que eu te aconselho é que não faça carinho na pequena na frente dela, dê bastaaaante atenção para a Lili…o problema da noite costuma acontecer quando os gatos passam o dia inteiro sozinhos, dormindo, e à noite estão com a corda toda. Você vai ter que arrumar uma porta para o quarto…risos…

      Uma sugestão é brincar bastante com ela quando você chega do trabalho. Brinque com uma fitinha até ela se cansar, ou com o brinquedinho preferido dela. Crie rotinas, como dar um petisco (eu uso ração enlatada para isso) pela manhã ou depois da brincadeira da noite. Ela vai ter bastante atenção, perceberá que a presença da Mel não é uma ameaça e esse período de adaptação será mais suave.

      Mas entenda duas coisas: primeiro, gatos são dramáticos. Parece que o mundo está acabando, mas não está. Segundo, você tem de ser paciente, nem todo escândalo é um problema, principalmente depois de tantas mudanças de rotina. Ela tem de se sentir segura, amada e tranquila. Ela quer atenção, então dê bastante atenção a ela enquanto vocês estiverem em casa. Deixe o prato de ração seca sempre cheio, água à vontade, caixa de areia limpa à noite e ofereça o petisco. E faça o favor de arrumar uma porta para esse quarto, mulher…risos…

      Beijos!

      PS: A propósito: não as leve para passear!!!!!!!!! Isso só causa mais estresse e dificulta a adaptação ao apartamento telado. Não é necessário.

      • Vivi disse:

        Oi Vanessa!!

        Obrigada pelas dicas!! Eu estava levando elas passearem pq no meu apto não bate sol, e dizem que gatos precisam de sol. Mais por isso.. mas el anão estranhou muito lá fora… fica deitada na grama olhando… e pequininha deita do lado dela, e é o único momento q ela deixa. Mas vou ver como ela vai esta semana, o veterinário deu agora a tarde um flroal de borrifar no pescoço, que ela acalma por até 6 horas. ( pelos menos eu consigo dormir um pouco).
        Quanto a porta não tenho como, pq os kitnetes não possuem divisões. Nós até dividimos a cozinha do quarto com o armário, mas mais q isso impossível! hehe são 42 m²… então complica colocar divisórias e portas… Mas vlw! bjinhuuus

  60. Parabéns pelo post. Concordo totalmente com tudo. Tenho 5 gatos, todos castrados, fêmeas e machos, e que nunca foram à rua. Nem sei como conseguiria viver com eles na rua esperando que “voltem bem”… Tenho certeza que são felizes,têm proteção, comida, água, brinquedos, uns aos outros e muito amor. Como não o seriam? Um abraço.

    • Obrigada, Cristiana! Fico muito feliz quando leio um comentário como o seu. Eles certamente são felizes, e viverão muito e muito bem, sentindo-se amados e protegidos em seu território. O que mais um gato quer?

      Beijo!

  61. Thaís disse:

    Olá Vanessa, adorei seu texto e concordo 100%! Mas não vim falar sobre isso.
    Tenho uma gata( que apareceu em casa e sera castrada daqui 15 dias) teve 3 filhotes, eu achei uma dona para um dos filhotes e agora que ele fez 2 meses eu o trouxe para a minha casa e assim, entregar para dona no final de semana, porém ele se adaptou muitooo bemm aqui, mas não posso deixa-lo sózinho q ele mia até eu aparecer! Como ele vai ficar 1 semana aqui em casa, estou com medo que ele não se adapte à outra casa. É possível isso acontecer?? Ou logo ele se acostumara com seus novos donos?
    Desculpa se a minha pergunta for a mais ignorante, mas sempre tive cachorros e é a primeira vez que tenho gato, por isso não sei absolutamente NADA! Sempre procuro na net sobre esse assunto. Obrigada Thaís

    • Thaís, você não pode ficar com esse gatinho? (Estou com dó dele…risos…). Respondendo à sua pergunta: ele vai se adaptar, sim, mas fale para a adotante que ele te de ser castrado quando crescer mais um pouquinho. E se ele é do tipo que mia quando fica sozinho, talvez seja bom que ela adote um segundo gatinho, para fazer companhia a ele. Outra coisa, por favor: avise para ela que se ele miar nos primeiros dias É NORMAL. E que qualquer problema que tiver, ela deve ligar para você antes de tomar qualquer atitude.

      Digo isso porque quando eu era pequena doamos um gato para uma conhecida da família. Era um filhote e miou muito por causa da mudança de ambiente e saudade da mãe. A adotante achou que ele estava com dor e deu dipirona para um filhote de dois meses!!! Resultado: intoxicação. Quando ele começou a ficar azulado, ela nos procurou. Corremos com ele para o vet e ficou internado, mas não resistiu, morreu por ignorância da adotante e porque não passamos as informações que acreditávamos que eram óbvias.

      Imprima esse texto e entregue a ela, também. Não tem a menor graça você ter cuidado desse gatinho até agora com tanto cuidado e depois ele acabar sendo criado sem castrar e com acesso à rua e morrer cedo.

      Qualquer dúvida, estou à disposição.

      • Thaís disse:

        Olá Vanessa,
        Se vc esta com dó, imagina eu?? To de coração partidoooooo, mas eu só trouxe ele para SP(ele ficava no interior com a mãe) pq qdo estavamos procurando uma dona, ela se prontificou, acho q ele será bem cuidado, pois ela esta muito ansiosa, ja comprou brinquedos, ração, caminha.. tudo oq eu falei para ela comprar, para não mudar radicalmente os habitos dele, ela só não o pegou antes pq preferiu pegar somente na sexta, então passei(estou passando) por todo o processo do pequeno.. miou muitoooo pela falta da mãe no primeiro dia,dorme comigo embaixo do edredon,me acorda.. aiai jajá entro em prantos hehe… ele ta tão bem aqui em casa… :/ achei q seria mais dificil… hoje é o terceiro dia dele na minha casa, ele as x ainda mia, mas é muito pouco ou qdo esta “sózinho” pq não posso ficar longe 1 minuto! Vou imprimir sim seu texto pq acho muito esclarecedor e ja a avisei q qualquer coisa é para me ligar! Espero q não aconteça oq aconteceu com seu gatinho.. senão vou ficar MUITOOO triste, mas vamos pensar positivo!!!! Obrigada pela resposta, me acalmei um pouco em saber q ele se adaptará sim na nova casa! e pode deixar q tomarei todos os cuidados q vc mencionou!
        Obrigada novamente! Thaís
        Eu vou sim, imprimir seu texto q eu acho muito esclarecedor, vou dizer q é normal ele miar no começo e se acontecer alguma coisa para ela entrar em contato comigo

        • Thaís, fique tranquila, ele provavelmente vai miar bastante, é só explicar para a adotante: é um bebê, foi tirado da mãe, está assustadinho. Se ela entender isso, terá a paciência necessária para essa fase de adaptação. Ele já sabe usar a caixa de areia? Já come ração seca? Se a adotante está realmente interessada em providenciar o melhor para ele, a adaptação será tranquila. Mas fica de olho. Se você não sentir firmeza nela, não doa…hahahaha…

          Falando sério, só você se prontificar a aceitar devolução (tadinho) e tirar as dúvidas que ela tiver (pode me mandar email), já vai te dar bastante segurança. Vou torcer por vocês!

          beijos!

  62. Stephanie disse:

    Sabe, acho que estou escrevendo esse comentário pra desabafar. Tem um gato de rua aqui pela minha vizinha(não sei se tem dono) que vive revirando meu lixo entrando furtivamente na minha casa, a gent faz de tudo pra enxotar. Nunca machucamos pois sempre tive um mínimo de consciência e considero os gatos e cachorros de rua um erro do sistema(gente que joga bicho nas ruas e eles acabam tendo ninhadas desenfreadamente).
    Bom o ponto é que recentemente adotei uma gatinha. Eu cuidei dela, vacinei e castrei como todo dono consciente devia fazer. Ela só anda pelo quintal, mas já por duas vezes essa gat de uma pessoa desleixada aparece aqui e machuca minha gatinha… ela tá toda machucada! Sinceramentefico num conflito de consciencia, ms me pergunto: como vou proteger minha gata?
    Eu já a tranco pra não incomodar os outros tenho maior cuidado, o que mais devo fazer? Como você mencionou não quero ser uma psicopata que maltrata gatos por falta de compreensão, mas tb não sei que medidas tomar…

    • Stephanie, como eu disse no texto (eu acho que disse…se não disse, deveria ter dito…risos…), o melhor é que o gato não tenha acesso nem mesmo ao quintal. Isso não é necessário e se ela não for para fora de casa, não se acostuma ao ambiente externo e as chances de escapar diminuem um monte.

      O gato da sua vizinha é castrado? Eu imprimiria esse texto e colocaria na caixa de correspondência dela :-) Se ela não se conscientizasse…bem….o gatinho é uma vítima da irresponsabilidade da sua vizinha, eu pegaria para mim 😀 Colocaria comidinha na frente da minha casa, faria amizade com ele (se não consegue vencê-lo, junte-se a ele!), um dia colocaria comidinha no fundo da caixa de transporte, esperaria ele entrar e…empurraria para dentro! Aí levaria ao veterinário para castrar, traria de volta e em poucos meses você teria um gato fofo e pacífico 😀

      Na verdade, eu meio que fiz isso, só não peguei o gato para mim. O gato do vizinho entrava na casa da minha mãe (ele pulava um muro altíssimo e depois não conseguia pular de volta), um dia a janela estava aberta, ele entrou e fez xixi na casa toda. Como eu já tinha falado a respeito da castração (sempre começo com “você sabe como é a relação sexual dos gatos?” e descrevo o que escrevi no texto acima) e ele concordou, mas não fez nada a respeito, naquele dia, movida pela raiva, enfiei o gato na caixa de transporte e o deixei miando em jejum até a manhã seguinte, quando o levei ao vet para castrar. Quando voltei, fui até esse meu vizinho e disse: “olha, seu gato fez xixi na casa toda e você deve dar graças a Deus que ele fez na minha casa, porque se fosse na casa de algum ignorante, ele estaria morto. Eu levei ele no veterinário e ele está castrado, vou trazer de volta no final da tarde, se fosse outra pessoa não teria castrado, teria matado”. Ele ficou muito envergonhado, pediu desculpas e aceitou o que aconteceu. Hoje me agradece, pois o gato continua vivo e ficou muito bonito e super tranquilo. Acho que ele nunca teve um gato que vivesse tanto.

      Beijos!

      PS: O problema de quem mata gatos, além do óbvio – matar é um ato abominável – é que não funciona. A vizinha vai chamar a pessoa de “sem coração” e arrumar outro gato, coitado, e isso nunca terá fim (no Facebook dia desses vi um comentário de uma moça que disse que perdeu quinze gatos em poucos meses…e já estava interessada em adotar outra…). Tem que conscientizar a pessoa, e se o dono não assumir a responsabilidade, tratar como se o gato não tivesse dono. Gato na rua, rasgando lixo é porque está mal alimentado. Se está na rua e mal alimentado, para mim, não tem dono. Dono, de verdade, não.

      • Não tirei fotos do gato que castrei sem a autorização do dono, mas só a título de curiosidade, olha o “antes e depois” da foto que vou linkar aqui. Esse gato eu peguei adulto na rua, abandonado. Castrei ele e ficou no vet por 10 dias tomando antibiótico porque todos os milhares de cortes que ele tinha pelo corpo haviam infeccionado (essas fotos dele na rua foram tiradas antes do gato dono do território dar essa surra que infeccionou), quando chegou em casa, era apático e triste. Em pouco tempo se tornou um gato maravilhoso, alegre, brincalhão, super carinhoso e…como você pode notar na última foto do post: lindo! Viveu seis anos conosco e infelizmente morreu em novembro, deixando um buraco gigante em nossa família. Isso é para você ver de que sua vizinha tem privado o gato dela. Quem sabe a ajude nos argumentos.

        http://lampertop.com.br/?p=1292

  63. Rita de Cassia Soares Azevedo disse:

    Como calcular a idade aproximada de uma gata encontrada na rua p castração, visto que a instituição determina o minimo de 6 meses?

    • O veterinário calcula, baseado na arcada dentária dela. Nem sempre esse método é eficiente, mas consegue ter uma ideia aproximada. Como eu disse no outro comentário, eu a levaria ao vet sem dizer nada, só falaria que queria que ela fosse castrada e que imagino que ela tenha seis meses. Aí veja o que ele vai dizer. Castrei minha gata aos quatro meses e ela é super normal, dengosinha como qualquer outra fêmea (caso alguém lhe venha com a balela dos “caracteres sexuais secundários”) e super saudável.

  64. Rita de Cassia Soares Azevedo disse:

    Olà Vanessa, minha gata já comia ração há aproximadamente 1 mês quando a trouxe p casa. Na instituição onde pretendo castrá-la, a idade mínima é de 6 meses e eu não sei a data correta de seu nascimento. Grata desde já pela atenção.

    • Rita, há quantos meses ela está com você? Um veterinário saberia precisar com mais exatidão a idade dela, eu a levaria à instituição para castrar, o vet dirá se ela está apta ou não (na verdade, o correto é: o vet dirá se ele sabe ou não fazer castração em uma gatinha desse tamanho, porque aptas elas sempre são…quem não é apto, nesse caso, é o veterinário da instituição). Na minha opinião, essa exigência da instituição é um pouco ridícula, já que o correto seria fazer castração aos quatro meses, já que aos cinco ela já pode ter o primeiro cio. Até entendo restrição de idade em machos, pois as “bolinhas” descem aos cinco meses e castração precoce é outro tipo de cirurgia, com corte abdominal. Mas em fêmeas, a castração é feita com o mesmo método, independente da idade.

  65. Samara disse:

    Oi Vanessa,
    Tenho uma gatinha de 1 ano e ela se chama Meg. Peguei ela filhote quando foi abandonada em um lote vago ao lado da minha casa. Ela é um doce, a melhor que coisa que tenho, mas quando o assunto é banho e sair de casa ela vira uma ¨tigrinha¨, arranha e morde pra valer.
    O banho eu já até desisti, mas está chegando o dia de ela ir no veterinário para vacinar novamente e aí estou em pânico, pois não faço idéia de como sair com ela daqui de casa. Precisa ver quando ela vê o carro. kkkk
    Ela foi castrada quando ainda era pequena, nunca entrou no cio, achei que ela seria mais tranquila para sair de casa, já que quando ¨bebê¨ ela ia fácil.
    Se tiver alguma dica que possa me ajudar ficarei agradecida.
    Abraços,
    Samara.

    • Samara, gatos são dramáticos. Coloque na caixinha de transporte e ignore os miados histéricos. O vet conseguirá tirá-la da caixa, vacinar e depois ela entrará sozinha na caixa sem maiores problemas. Gatas são geralmente mais temperamentais. Já levei a gata do meu sogro na vet, ela é super histérica, mas é daquelas bravinhas que nem o dono consegue colocar no colo. E ela volta para casa, finge estar apavorada e daqui a pouco já está normal, super felizinha. Boa notícia: o banho raramente é necessário, só quando eles se sujam com alguma coisa grotesca da qual não conseguirão se livrar sozinhos. :-)

      Beijão!

  66. Daiane Mendes disse:

    Vanessa,

    Me ajude com essa dúvida cruel…

    Tenho uma gatinha que peguei na rua há 5 anos, e agora estou pensando em ter mais um para fazer companhia para ela…Mas ela é muitoooo possessiva…se estressa só de ouvir os miados de outros gatos…tenho medo dela mudar o comportamento dócil e não aceitar o outrso gatinho…você acha que ela se adapta a viver com outro gato? ela vive na maior mordomia, sendo a dona do pedaço, trato ela como uma filha mesmo e não quero que ela fique mal, pois sinto que ela precisa de uma companhia…

  67. Vanessa, li tudinho, obrigado pelas dicas. Eu mantenho o gato dentro de casa de noite e de dia deixo ele utilizar o quintal. Os muros são bem altos e já não queria mesmo que ele saísse, menos agora depois que li sua opinião. Na verdade ele está somente com 45 dias ainda. Vamos castrá-lo sim. Fizemos isso com os cães também. Cheguei ao seu blog pelo outro, o do autor desconhecido não existe. Há muito tempo dou uma checada nele porque há tantos textos com autoria indevida e me incomodo com isso também. Espero vir mais vezes, o blog de vocês é muito agradável de se ler. Abraços e obrigado pela acolhida!

  68. Enila disse:

    Oi Vanessa! Estava lendo seus textos e fiquei com um peso na consciência: tenho 3 gatos que vieram morar comigo há um mês, eles estão com quase um ano. Como eu ainda não estou com a casa preparada, não os deixo entrar, mas gostaria de deixá-los entrar em casa, porém não gostaria que eles estragassem os móveis. Então, peço sua ajuda: como devo preparar minha casa? Eu já peguei tronco de árvore para eles arranharem, comprei as caixinhas e vasilhas para ração, mas ainda não sei como eles reagirão dentro da minha casa, qdo eles entram a primeira coisa que fazem é desfiar o sofá e eu não quero isso. Ah, aqueles sprays educadores são bons? Por favor, me ajude!! Mais uma coisinha, eles são uns amores, não brigam e sempre que chego do serviço vêm me receber, porém os acho tristes pq não os vejo brincar, nem entre eles nem com bolinha que dei pra eles, o que pode ser? será que foi a mudança, pois antes eles moravam com meus pais em outra cidade. PS: espero receber, se possível, a resposta por email também. Obrigada e parabéns pelo blog.

    • Enila, relaxe, não será tão estressante se você estiver tranquila com a ideia de colocá-los dentro de casa. No começo tudo é novidade e eles ficarão alucinados, testando tudo. Mas depois se acostumam e passa. Caixinhas de areia (com granulado higiênico, não areia de verdade), potes de ração…sprays educadores funcionam com alguns animais, não com todos. No meu caso, os gatos acharam legal e eu achei horrível. Na minha opinião, sua casa tem de se adaptar aos gatos, e não o contrário. Eles são os seres vivos, móveis são apenas objetos, a prioridade é dar um lar adequado a eles. Talvez eles não estraguem seu sofá, se tiverem um tapete de sisal para arranhar, um arranhador legal… Se o tecido do seu sofá for muito frágil, vale a pena trocar por um acquablock ou mesmo por um chenille com trama apertadinha. Eles são castrados? Existem gatos mais tranquilos, mas talvez você não os veja brincar porque eles não convivem contigo dentro de casa. Meus gatos brincavam de lutinha e perseguição, mas sem fazer barulho algum. Alguns gatos gostam de bolinha, outros preferem brincar de caçar pedaço de barbante, outros, com ratinhos de brinquedo…cada um tem sua preferência, você tem de ficar testando. Mas até onde sei, nenhum resiste a um barbante ou fitinha passando em sua frente… Se tiver acesso ao Orkut, procure a comunidade Gatos – Manual de Instruções, faça pesquisas sobre suas dúvidas, tem muito conteúdo por lá.

      Beijão!

  69. Oi vanessa, meu gatinho brigou com um gato ´hoje e ele, se machucou muito, e eu queria saber se eu posso dar dipirona para parar a dor?
    Bjinhooo fofa!!

    • Milena, não dê dipirona para o gato!!!!!! Não o medique por conta própria, isso pode intoxicá-lo, gatos são super sensíveis a medicamentos. Leve-o ao veterinário para tratamento, e castre e o mantenha sem acesso à rua o quanto antes.

  70. Roberta Mariade Campos Lins disse:

    Parabéns Vanessa pelo Blog. Tenho 5 gatos MARAVILHOSOS, por enquanto,3 fêmeas e 2 machos todos castrados . Vivem em casa toda telada, nunca os deixo sair. Minha casa, como dizem meus amigos, é uma casa de gatos. Cheia de arranhadores, ninhos, bolinhas e ratinhos expalhados pelo chão. Com exceção da Xarita,a minha menina de 7 anos, todos são muito felizes, ela eu acho que gostaria de dar umas escapadelas. A vejo algumas vezes olhando pela janela com uma carinha bem triste. Mas….o que fazer…adora comer plantas, essa se deixo sair,, antes sequer que algo ou alguém a mate ela morreria intoxicada por alguma planta. E o que digo a ela, paciência minha filha, não posso fazer nada. Se algo de ruim lhe acontecesse não me perdoaria nunca nessa vida. Como você diz, eles são totalmente “sem noção”. Nós, os tutores , somos 100% responsáveis por eles. Nós temos a racionalidade e eles não, portanto temos que zelar pela segurança deles. Parabéns pelo texto e siga assim, sempre firme. Uma hora as pessoas vão aprender a proteger seus gatos, espero. O que mais me choca é que muitos “amantes”de felinos , usam a desculpa de que ele precisa dar umas voltinhas, faz parte da natureza dele….para deixar seu gatinho sair e com isso ter menos bagunça para arrumar dentro de casa. Lamentável isso. Os meus fazem só “um pouquinho”de bagunça, mas porque dou a eles muitos desafios e brinquedos para se distrairem. Afinal, não são eles que moram comigo mas eu que moro com eles.kkkkk. Quem ama os felinos sabe como são essas coisas….

  71. Rita disse:

    Acabei de chegar agora mesmo da veterinária, com meu gatinho de um ano recém castrado, ainda com dúvidas se teria feito o melhor por ele. Entrei na internet, fiz uma pesquisa, e achei este texto perfeito! Parabéns pelo esforço, pela clareza, e pelo amor que também compartilho em relação aos animais. Este meu gato, Faraó, é o segundo que crio na vida. Minha especialidade sempre foram cães, tenho três Fox Terriers Wire, que aliás se dão muito bem com este gato. O primeiro gato, que tive há décadas atrás, também se chamava Faraó, era muito parecido com este, um Frajola! Mas não foi castrado, e sumiu no mundo com menos de um ano. Este agora, resgatado por meu filho, é sobrevivente de uma ninhada de três gatinhos achados na rua. Agora estou certa que fiz o melhor por ele e que ele estará mais seguro vivendo conosco em nossa casa, tendo acesso ao terreno. Antes ele estava confinado a um quarto, pois nas vizinhanças existem muitos gatos vivendo soltos,tinha medo que ele fugisse. Ele é um gatão de 5kg, a veterinária ficou impressionada com o tamanho das “bolas”! Imagine o estrago que ia ser… Um grande abraço e continue escrevendo, parabéns e obrigada!

  72. gabriela ramos da silva disse:

    Olá,tenho uma gata,chamada Baby, e ela é castrada,caseira e ciumenta,pois ela sente cíume da casa que a gente vive,pois ela foi achada das ruas qdo tinha 2 meses,e ela passou a tomar conta de todo território,mas isso é mormal um gato sentir cíumes da sua csa que vive?

  73. Oi! Estava procurando informaçao na net sobre gatos, pois tenho um a 6 anos, mas como é meu primeiro felino não sei bem o que fazer. Ele me parece intediado, e as vezes vai ate a janela miar (parece chamar o gato da vizinha que as vezes brinca com ele); ai fico na dúvida dou ou não um irmão felino pra ele? Como fazer isso, já que ele já é grandinho e bem ciumento comigo? Se puder responder pro meu e-mail fico muit~issimo grata!!!
    Obrigada desde já!

  74. DICLA LARCHET ALVES disse:

    EU TAMBÉM AMO GATOS IGUAL A VOCÊS CUIDO COM MUITO CARINHO COMO UM SER HUMANO DEVE FAZER ;ELES REALMENTE NOS TRAZEM MUITA ALEGRIA E COMPANHERISMO BEIJOS PARA TODOS QUE AMAM GATOS

    • Lady disse:

      Muito obrigada, só tenho a te agradecer por todo esse empenho por amor aos gatos.realmente responsabilidade e amor poucos tem.sou mãe de 3 o estrelado meu filho mais velho jã passou por muitos problemas de saude. e todas em casa minha mãe e irmã sofremos e superamos tudo com ele.calculo na bechiga e renal infecção urinária e ele se tornou um gato muito feroz. mais nunca desisti de tratalo. todos os seus problemas foram causados por que ele não bebe aguá, comprei até uma fonte e nada. agora resolvi o problema, dou atum lhitg e misturo com agua 3 vesez no dia, só assim ele bebe a agua, e claro só come há 6 anos royal canin urynary.Agradeço a Deus por sua saude e todas as vitórias de nosas vidas. as duas são castradinhas e saudaveis e gostam muito de água.e nada de rua, são muito lindos e jamais imaginaria meus filhos vagando por ai sem minha proteção.
      Carinhosamente Ldyane rodrigues.

  75. samy disse:

    Gostaria de dar os parabéns a autora pelo texto brilhante, foi muito bom encontrar alguém com ideias iguais as minhas, pois meu marido e eu temos um gato que para nós é como um filho, e mesmo morando em um apartamento (super pequeno por sinal), não deixamos o nosso Hermanuteu ir para a rua, ele pode até passear no jardim, mas não sozinho, o pai dele e eu vamos juntos para ficar de olho em todos os movimentos do nosso danado, afinal os gatos tem o temperamento de uma criança, e quem deixaria uma criança passeando sozinha nos dias de hoje. Ah o nosso gatinho foi castrado antes de completar 01 um ano e hoje é um danado super mimado e feliz!!

    • Vanessa Lampert disse:

      Ah, Samy, eu também fico muito feliz quando encontro alguém que é responsável com o seu gatinho! Parabéns por proteger o seu bebê! Tem outra informação que não coloquei no texto porque na época eu não sabia, mas vou acrescentar: sabe a parte do cérebro responsável por planejamento, atenção, concentração, pela noção de causa e consequência? É o córtex pré-frontal. Ele ocupa 25% do cérebro humano, 7% do cérebro do cachorro e uns 3% do cérebro do gato…mesmo sendo incrivelmente inteligente, é como se o gato tivesse um super déficit de atenção e hiperatividade (TDAH).

      Dentro disso, em alguns gatos o córtex pré-frontal funciona mais, e em outros, menos, como acontece com os humanos. Então existem gatos mais ligadinhos e outros extraordinariamente desligados.

      Quem em sã consciência deixaria uma criança portadora de TDAH andar sozinha, atravessar a rua?

      A propósito, AMEI o nome do seu gato…hahaha…

      Beijão!

  76. Rodrigo P. Dutra disse:

    Minha gatinha está soltando pus pela vagina, ela tomou anticoncepcional no dia 28 de outubro e dia 1 de novembro começou a apresentar esse quadro. Ela não está soltando sangue , apenas pus, não tive dinheiro para leva-lá ao veterinário, por isso, pesso a vc que responda o mais rapido possível para que eu possa tomar as providências.
    Desde já: Obrigado pela atenção.

    • Rodrigo, procure uma clínica que atenda a baixo custo, que aceite cartão de crédito ou faça um empréstimo. Sua gata COM CERTEZA está com uma infecção séria no útero e o ÚNICO tratamento é cirurgia. Sério, ela pode morrer em pouco tempo se você não correr com ela para o veterinário, o único jeito é uma cirurgia para retirada do útero antes que ele contamine todo o resto do organismo e ela morra com muita dor e sofrimento. Se você estiver em São Paulo, nesse link tem algumas opções de veterinários que atendem a baixo custo:

      http://www.arcabrasil.org.br/acoes/vet/lista_sp.htm

      Leve a um vet e converse, eles geralmente facilitam o pagamento e com certeza você pode fazer algum sacrifício para garantir à sua gatinha uma chance de sobreviver, afinal de contas, se você não gostasse dela, não teria me feito essa pergunta. Se você soubesse que era importante castrar antes do primeiro cio e que não podia dar anticoncepcional, com certeza teria tomado esses cuidados antes, não é? Mas agora ainda pode fazer algo por ela: correr para o veterinário.

  77. Natalia disse:

    Seu texto foi magistralmente escrito e o uso como material de divulgação da posse responsável. Já perdi as contas de quantas vezes o acessei.

    Parabéns!

  78. maria disse:

    ola vanessa,apareceu em casa uma gatinha ja mandei castra-la mas agora depois de 4 meses ela nao quer comer nem miar e olhe q miava muito p comer, ta triste o q fazer

    • Maria, isso não tem nada a ver com a castração. Ela não quer comer? Leve a gatinha URGENTEMENTE ao veterinário. Gatos não podem ficar sem comer, ou desenvolvem uma doença chamada lipidose hepática, que pode até matá-los. Em alguns gatos, três dias sem comer são suficientes para acumular gordura no fígado e fazer uma lipidose. Corra para o vet, por favor. Pode ser só um fecaloma, pode ser alguma coisa mais séria, mas mesmo antes de descobrir o que é, ela não pode ficar sem comer. Gatos são sensíveis e se demonstram que algo não está bom, é porque está pior do que parece.

  79. Flavio disse:

    Oi… Eu tenho um gato de 8 meses castrei com 5 meses, so que de um tempo pra ca ele do quer ficar do lado de fora de casa. Ele nunca foi de rua a casa ficava sempre aberta e ele do lado de dentro. Agora ele fica de dia e noite quer sair de qualquer jeito, fica batendo na porta com muita força a ponto de se machucar. O que eu faço ??

    • Flavio, ele tem de perder o hábito recém-adquirido de sair, porque esse comportamento é realmente estranho. Coloque telas nas janelas, não permita que ele saia. Talvez seja uma boa ideia conseguir companhia felina para ele, caso ele seja sozinho. E também ele tem que ter o que fazer em casa: brinquedos, liberdade de circular pela casa, lugares para deitar, carinho, etc. Tem de ter um ambiente legal em casa para ele ficar, ele tem problemas em casa? Alguém que não goste dele, que o maltrate? Crianças, outros animais? Tudo isso tem de ser analisado. Eu te aconselho também a ler os tópicos da comunidade Gatos – Manual de instruções, no Orkut.
      Boa sorte!

      Abraços!

  80. maria joana escobar disse:

    Adorei o texto sobre gatos,tb sou gateira de plantao e sua imformaçaõ foi de suma importancia p nos gateiros.Agora me ajude por favor…tenho 4 gatos sendo 3 femeas e um macho todos castrados bonitinho ,tudo certinho…porem a mais velha que é de raça siamesa não ceita a caçulinha vive correndo atraz dela e o pior e que a bichunha fica tão assustada que fazer ja tem quase um ano dessa convivencia …adoro todos eles como proceder para que a amizade reine entre meus gatinhos?beijos e abraços carinhosos a todos os gateiros e a vc !!!!

    • Maria Joana, entre no orkut,na comunidade Gatos – Manual de Instruções, lá tem vários tópicos falando sobre adaptação, que poderão te ajudar. Só te digo para ter paciência, a siamesa está com ciúmes da mais nova, então evite fazer muita festinha com a pequena na frente dela. Na comunidade você encontra várias dicas de pessoas que passaram pelo mesmo problema, e talvez elas nunca sejam amigas inseparáveis, mas com certeza não precisam viver como inimigas. Aqui em casa eu tive uma adaptação instantânea entre os machinhos e uma que demorou uns dois anos, entre a fêmea e um macho. A Ricota batia no Gatão todos os dias, e ele vivia apavorado. Até hoje de vez em quando ela bate nele, mas ela já o lambe e eles dormem juntos…coisa impensável nos primeiros dois anos de convivência. Fêmea é sempre mais chatinha com essas coisas, mais territorialista e ciumenta. Mas entra lá na comunidade, vai te ajudar bastante. Beijos!

  81. thaynara disse:

    ola gostaria de saber ,o que eu devo estar fazendo para que as feridas do meu gatinho sicatrizem , eu nao sei que remedio usar e nao tenho condiçoes de levalo ao vet . beijos obr

  82. juninho disse:

    oi tia quando eu tiver meu gatinho…eu posso deixar ele ter a primeira cria antes de castra-lo?

    • Não, Juninho, porque o que vai acontecer com os filhotinhos? Se a gata tiver cinco gatinhos, por exemplo, você vai doar para quem? E essas pessoas vão cuidar desses gatinhos? E se essas pessoas quiserem que eles tenham a primeira cria? Cada um desses cinco vai ter mais cinco, então serão 25 gatinhos…e se algum desses gatinhos sair na rua e fizer filhotinhos abandonados? Já tem tanto filhotinho na rua, sem dono, e cada gatinho novo que nasce toma o lugar dos que já existem.

      Já em relação a proteger contra doenças, a castração antes do primeiro cio protege as gatas contra câncer de mama, já depois do primeiro cio, essa proteção diminui.

      Sinceramente, eu não acho legal ter uma cria antes de castrar, porque é melhor castrar antes dos hormônios fazerem a festa, entende? Até porque já vai ser complicado convencer a sua mãe a cuidar de um e você quer que ela cuide de uma ninhada inteira?…risos… Beijos!

  83. jaqueline disse:

    Oi tenho um gatinho mas naun sei certo a idade dele mas ja perdi duas gatinhas por demorar muito a castra ai o vizinhos sem coraçao botam veneno ,nau quero que aconteça com o romeu, guando coloco a mao nas partes imtimas dele ja sinto as bolinhas peguei ele na rua e naun sei a idade certa parece ter uns 4 a 5 meses. ja posso castrar?

    • Pode, sim, Jaqueline. O Tiggy eu castrei com 5 meses. Até antes disso, com veterinários que sabem fazer castração precoce. Mas com cinco meses e se as bolinhas já estão aparentes, leva no vet para castrar. E não apenas isso, siga as dicas do post e tele os locais por onde ele pode sair, para protegê-lo dos vizinhos psicopatas. Tem de fazer as duas coisas, castrar e telar as janelas ou muros. Se só telar, ele vai ficar doido querendo sair. Se só castrar, ele pode sair por curiosidade. Então tem de castrar para os hormônios não o empurrarem para fora, e telar, para evitar saídas por curiosidade.

  84. Marina disse:

    Oi, eu tenho um gato ki tem masi de 5 meses. Utimamente esse meu gato [PEDRO], esta sentindo muitas dores na costesa do lado esquerdo. pois quando eu pego o gato, ele reclama… hj faz dois dias ki isso, esta aacoontecendo com o meug atinho. estou muito preoculpada pois gosto muito dele. oque deve ser? Ps: aonde meu gato seente mais dor, é aonde existe tipo um caroço, ke esta grudado no coro do gato [ lado de dentro entre a carne e o coro] ele naum deisha ninguem pegar com força, so deisha se agente fizer carinho nele :'(. Quero ajuda . com o meu gatinho. qual procedimento devo fazer?

    • Oi, Marina! Leva no veterinário urgente, pois pode ser qualquer coisa, desde algo simples, como um machucado, até um tumor maligno e só o veterinário pode investigar isso. Gato é bem discreto, quando demonstra que está mal, é porque está muito mal mesmo, então não demore muito tempo para procurar um vet. Em qual cidade você mora? Se puder, procure um veterinário especialista em gatos, é melhor.

      Boa sorte para você e para o seu gatinho, espero que seja algo simples de se tratar.

      Beijos!

  85. simone disse:

    Olá, tenho um gato de + ou – 9 anos, castrado desde os 10 meses que toda vez que vai urinar, ele mia muito, parece que sente dor… Infelizmente eu não tive condições de alimentá-lo todos esse anos com ração apropriada pra gatos castrados, mas sempre dei rações de boa qualidade pra ele. Será que ele está com infecção urinária,ou pior, cálculos renais? Obrigada.

    • Simone, o que você está esperando? Por que ainda não levou esse gato ao veterinário para fazer os exames necessários? Ninguém vai conseguir te dizer o que ele tem via internet, sem vê-lo! Um veterinário poderá examiná-lo e resolver o problema. Quanto antes você levar, melhor, não deixe seu gato sofrer à toa! Se não pôde dar ração apropriada para ele, pelo menos agora não o deixe sem atendimento veterinário. Se o problema é dinheiro, veterinários parcelam, e alguns aceitam até cartão de crédito. Converse. Abraços.

  86. Andreza disse:

    Adorei o blog.Parabéns.
    Estou com uma gatinha que apresentou sangue com pus na genitália,logo levamos ao veterinario e apresentou piometra. Ela foi castrada ontem mas continua apresentando do sangue isso é normal??
    Obrigada

    • Andreza, você tem de ligar para o veterinário que a castrou e perguntar isso. Ele pode te orientar melhor. Mas se já estava expelindo sangue com pus, a piometra estava em estado bem avançado! E isso é mais comum do que a gente imagina, por isso insisto tanto na castração precoce. Abraços!

  87. Thais disse:

    Olpa,tbm gostei mto do seu site!tenho uma duvida e gostaria que vc se puder,me esclareça!Meu gato está com fortes dores no pênis,ele miá(grita) de dor e lambe com frequencia seu testículo!Gostaria de saber se posso medicá-lo com remédio p/ dor,tipo dipirona ou coisa do tipo.Amanha levarei ao veterinário mas enquanto isso gostaria de ajuda!!!!!!!!
    Muito obrigada desde de já!!!!!!!!!!!!!

    • Olá, Thais!

      Não, você não pode medicá-lo com remédios contra dor sem orientação de um veterinário, pois gatos são animais extremamente sensíveis e podem se intoxicar com facilidade, e você provocará um problema imensamente pior tentando aliviar. Já vi gatos morrerem intoxicados com analgésicos.

      Corra para o veterinário o quanto antes!

      Grande abraço!

      Vanessa.

  88. Daiji Kishigami disse:

    Vanessa!

    Gostei muito do seu blog. Tenho uma gatinha preta que adotei quando ela caiu de um apartamento do sexto andar. É a minha primeira companhia felina que tive em toda a minha vida, o que significa que eu não sabia absolutamente nada sobre gatos. Aprendi muito com pessoas como você, que postam informações importantes na internet para nós leigos.

    Para contar um pouco da história da Siri, posso começar dizendo que tudo era aberto aqui em casa. Acho que por causa do trauma da queda, ela não saia de casa. Com o tempo, ela tomou coragem e começou a passear e confesso que não gostei muito porque ela voltava cheio de pulgas.

    Resolvi telar a casa toda. Custou uma nota,mas valeu a pena, porque eu senti que ela estava segura. Depois de uns dias eu descobri que ela estava grávida! Nessas escapulidas antes da tela, ela cruzou e estava esperando filhotinhos. Fiquei preocupado com os gastos, mas ao mesmo tempo feliz, porque ela é muito carinhosa e imaginei os filhotes iguais a ela.

    Eis que numa madrugada ela começa a sangrar muito pela vagina e eu aguardando ansioso pelo nascimento. Sai sangue, mas nada de filhotes. Preocupado fui a um veterinário 24hs (mais gastos!) e descubro que ela estava tendo um aborto e que era necessário uma cirurgia de emergência (quando vi a conta, quem quase abortou fui eu). Enfim, era algo necessário e de emergência, parcelei a conta em 3 vezes e a deixei na clínica para a cirurgia e pedi também a castração.

    Já faz 2 meses que ela passou por isso. Mas eu digo uma coisa: ela mudou completamente. Não é mais aquela gata carinhosa de antes. Fica miando muito para sair de casa, tenta fugir pela porta da frente e pegou gosto em destruir as coisas. Derruba tudo que pode das estantes, da geladeira e armários e antes ela nem ligava em subir nesses lugares. Ontem mesmo ela entrou no meu quarto e urinou na minha gaveta de meias.

    Eu nem sei o que fazer, estou deixando ela no canto dela, porque nem colo ela quer mais. Se eu chego na cozinha e ela está lá, ela vai pra outro lugar. Não quer minha presença. Tenho a impressão que ela está me culpando pela cirurgia ou pela perda dos filhotes.

    • Daiji ela não está te culpando nem pela cirurgia, nem pela perda dos filhotes, pode ter certeza disso, isso não acontece. Esse comportamento dela não é normal, algo a está incomodando. A cirurgia cicatrizou bem? Ela está comendo e tomando água normalmente? Me diga em qual cidade você está para eu te indicar um veterinário especialista em gatos, que pode te ajudar a descobrir o que está acontecendo com ela.

      Houve alguma alteração na rotina dela? Destruir e derrubar coisas poderia ser brincadeira, se não fosse o relato de tentativas de fuga, miados e xixi na gaveta de meias isso definitivamente NÃO é normal para um gato…o que me leva até a desconfiar que ela possa estar com algum problema urinário, pode estar sentindo dor e quer chamar a atenção para esse problema. Eu tive um gato que um dia fez xixi no meio da sala. Pouco xixi, mas isso foi tão esquisito que o levamos ao veterinário e descobrimos um cálculo uretral. Aquele foi o jeito de ele nos dizer que tinha alguma coisa errada.

      Mas eu já tive tanto problema com veterinário até que descobri que para diagnosticar e tratar gato, tem de ser especialista em felinos. Mas não se preocupe, não são mais caros do que vets normais…na verdade, eu já paguei muito mais em vet não especialista do que pago na especialista, por incrível que pareça.

      Acho que a situação da sua gatinha é muito mais física do que emocional, mas um veterinário que entenda de gatos poderá investigar melhor.

      Grande abraço!

      Vanessa.

  89. Olá, Vanessa. Muito esclarecedora sua postagem! Eu sou gateira de primeira viagem, praticamente. Mais nova, tivemos gatos em casa (embora minha mãe gostasse mais de cachorros). Foram gatos que não duraram muito :-/
    Agora, moro em outra cidade, então pensei em adotar um gato, gosto dos bichinhos. O plano era adotar qdo estivesse trabalhando – assim eu poderia cuidar melhor deles, levá-los ao vet e fazer tudo direito. Mas… no último domingo, meu marido encontrou vários gatinhos na rua e agora eles estão comigo. A casa não tem estrutura para abrigar todos e eles chegaram numa hora em que não temos $ pra cuidar bem. Estou pesquisando no Google e no orkut pra ver se acho um vet barato ou até mesmo grátis, pra que eu possa levá-los. E tb estou tentando achar dono pra eles, inclusive se vc souber de pessoas responsáveis e possivelmente interessadas, por favor, me dê um alô (li que vc morou no RJ; bem, eu vivo na capital). São 09 filhotes; pretendo ficar com 1 macho e 1 fêmea – e claro que irei castrá-los! 😉 Estou cheia de dúvidas, nunca cuidei realmente de gato. Bom que a internet ajuda bastante. Desculpa o comentário enorme. Parabéns pelo seu texto!

    • Oi, Tatyana!

      NOVE FILHOTES??? Nasceram de uma gata ou de uma coelha???

      Você já procurou ajuda na comunidade Gatos – Manual de Instruções ?

      http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=111274

      Explica direitinho a história, tira fotos dos gatinhos para a gente te ajudar na divulgação. Não é fácil doar, aliás, não é fácil encontrar donos responsáveis, mas posso te ajudar, sim. Mas primeiro precisa levá-los ao veterinário e entender melhor sobre posse responsável para selecionar bons adotantes. Costumamos passar um questionário de adoção, para excluir os malucos que poderiam abandonar o gato à primeira viagem ou mudança de vida.

      Vai lá, tem muuuitos tópicos sobre como cuidar de filhotes e o pessoal pode te ajudar em alguma dúvida. Algumas pessoas são meio traumatizadas com criaturas irresponsáveis e podem ser mais duras (releve, caso alguém surte. Não vejo motivo para alguém surtar nesse caso, mas de qualquer forma, é sempre bom avisar…risos…o pessoal é legal, as meninas costumam pensar nos gatinhos em primeiro lugar, por isso você verá tópicos em que algumas pessoas parecem duras demais), outras sabem ponderar melhor.

      Mas elas perceberão que você é alguém tentando ajudar e você certamente encontrará muita ajuda ali. As gateiras são bem unidas e tem bastante gente do Rio, então se você for sincera na comunidade como foi no comentário, elas certamente irão te ajudar, e eu também, pois participo da comunidade, mas estou em São Paulo, em processo de mudança, procurando apartamento, uma correria, então talvez não participe tanto quanto gostaria, mas vou me esforçar. Mas é importante tirar fotos dos gatinhos – todo mundo vai te dizer isso.

      Beijos!

      Van

  90. Clara disse:

    Posso denunciar alguém que criar vários gatos, mas os deixa solto nas ruas, quebrando o telhado dos vizinhos ou mesmo sujeitos a atrpelamentos.

    • Clara, até pode, mas já te adianto que não vai resolver o problema. Ainda que a prefeitura retire os gatos pra matá-los no CCZ, essa pessoa recolherá mais gatos. Quantos gatos são? O importante é saber se é apenas uma pessoa mal informada ou se é alguém com problemas comportamentais. O ideal é imprimir esse texto e colocar na caixa de correio da pessoa, para ver se ela se conscientiza. Infelizmente não existe órgão que efetivamente proteja os animais de colecionadores ou de donos irresponsáveis. O jeito é tentar conscientizar essas pessoas. Eu não tenho a menor consideração por esse tipo de gente, se vejo um gato em situação de risco na rua, recolho e levo a uma clínica veterinária, dizendo que retirei da rua, pago a castração e eventuais cuidados de que ele necessita e encaminho para adoção. Não sei se tem ou não dono, sei que estava na rua, quase sendo atropelado, ou mesmo doente.

      Se essa pessoa realmente se importa com seus animais, repensará sua atitude e se esforçará para castrá-los e mantê-los dentro de casa. Mas se for uma colecionadora (hoarder), aí a coisa complica um pouco, pois é um problema psiquiátrico, e os vizinhos podem – e devem – fazer pressão. Não matar os animais, nem ameaçar matá-los, pois aí ela se colocará como vítima – com razão – mas dizendo que os gatos estão correndo riscos e que ela deve mantê-los dentro de casa. Vizinhos devem deixar claro que não querem os gatos perambulando em suas casas e alguém deverá fazer o papel de bom samaritano, explicando a necessidade de castrar e de não deixá-los sair de casa.

  91. martha disse:

    vc esta certissima sempre tive gato des de criança só q quando eu era criança minha mãe sempe falava q gato tinha sair a rua…eles sempre voltavam machucados e não duravam muito tempo :( depois quando e fiquei mas velha vi q gato não pecisa sai na rua eles são muito mais felizes ficando em casa sempre estão limpinhos e sem machucados ronronam o tempo td hj tenho 3 gatos q não saiem de casa é são muito felizes ate hj minha mãe fala deixa o gatos sairem enche o saco ja cansei de fala pra ela quase td q vc escreveu ai e ela não entende

  92. Maira disse:

    Olá… gostei mto do seu texto!
    Pelo visto vc respeita mto esses pequenos seres tao especiais nao e?
    Há uns 5 meses eu estou cuidando de uma gata adulta do meu namorado, nos moramos juntos mas ele nunca cuidou dela de verdade. Ela é super amororosa, me olha com akeles olhoes pidoes de ” kero whiskas” hahah n resisto ao charme dela.. MASS… ela me deixa mto preocupada pq é o tipo de animal q n deixa ser ajudado. Ela é arisca, rapida e avança, ou seja, ida a vet ou aplicar remedio… so milagre mesmo… eu keria leva-la a algum lugar ou q alguem pudesse visita-la e dizer algo sobre.. Ver o peso, as manias… como nunca tive bicho n sei se as vezes o fato dela dormir mto… ou ficar mto quieta é normal… ela ja tem 9 anos… sei q n tem o mesmo pique de antes.. mas brinca conosco, come.. bebe água… enfim… PARECE saudavel, mas eu keria ter certeza sabe?! Ela tbm tem um ferida ,, acho q foi da castração e da cirurgia p tirar os filhotes de dentro ja q ela n conseguiu parir.. enfim… nunca cicatrizou totalmente…estamos TENTANDOOO passar o Furanil spray.. mas ela percbe qdo vamos aplicar e corre enfim… so queria ajuda=-la a ter uma vida feliz.. como posso saber se ela é feliz? Desculpa o desabafo mas n conheço mta gente q tem gatos… Obg. Bjos

    • Oi, Maira! Essa gata tem acesso à rua? Me diga em qual cidade você está, para que eu possa indicar um vet que a atenda em casa, ou que consiga buscá-la.

      Beijos!

  93. Isabela disse:

    Olá Vanessa,
    fiquei muito mais tranqüila ao ler seu post. Castrei meu gato chamado Miro nesta sexta-feira, inclusive ele é igualzinho a este da foto =), fiquei super nervosa pq deu muito problema, ele teve hemorragia interna e tal. Eu já estava muito preocupada em castra-lo, com medo que ele ficasse triste, ai depois de passar por todos os problemas fiquei com um super peso na consciência de fazer ele sofrer daquela forma. Mas pelo que eu li, penso que fiz o certo, ainda mais que já tive um gato não castrado que morreu envenenado pelos meus vizinhos, seria ignorância minha arriscar novamente.
    Obrigada por me ajudar a segurar essa barra, não estava conseguindo olhar pra ele e n me sentir culpada…
    Abraços.

  94. Dalton disse:

    Tenho 3 gatas.

    Uma odeia sair de casa. Não sai de jeito nenhum. O passeio dela é no quintal e olhe lá. Prefere ficar dentro de casa, no máximo na varandinha.

    Outra amava sair de casa. Depois parou. Não sei o motivo. Agora quando ela foge, fica no telhado o dia inteiro, só desce pra comer… e quando vem a fome à noite, volta pra comer e vem pra cama, tranquilamente… ou então fica em cima ou embaixo do carro o dia inteiro…

    A terceira não sabe de nada. Faz o que as outras duas estão fazendo. Mas um dia começou a chorar quando viu a “irmãzinha” sair de casa. Não deve achar muito interessante a idéia de se arriscar por aí.

    Não sei como são os gatos dos outros. Mas as minhas se sentem muito livres e seguras dentro de casa. Sabem que podem contar conosco e são extremamente carinhosas.

    Se elas quisessem, iam embora. Mas elas preferem ficar dentro de casa, onde é a verdadeira liberdade delas.

  95. ciça disse:

    Olá Vanessa, conheci seu blog através da fotomontagem desmontando a Veja, parabéns pela iniciativa, com o tempo irei ler seus textos sobre gatos, também sou gateira, enfim só passei por aqui para dar parabéns.
    abraços
    ciça

  96. Luiz Eduardo disse:

    Conheci agorinha mesmo seu blog, por conta da sua fotomontagem desmontando a Veja, publicada no blog do Nassif. Como sou gateiro, dei uma lida relâmpago no seu ensaio sobre os gatos e neste post. Parabéns. Quem sabe v. pode me ajudar a descobrir um livro que perdi ou, mais provável, alguém me surrupiou. Tenho quase 100% de certeza de que o autor é Ray Bradbury, que além de grande escritor é um gateiro convicto: tem vários bichanos.
    Bradbury (tem de ser ele) escreveu um conto maravilhoso, que vai mais ou menos assim. Uma espaçonave sai da terra em busca de um planeta habitável, não lembro mais por quê. A espaçonave enguiça e os terráqueos têm de fazer um pouso de emergência num corpo espacial desconhecido. Pousam atabalhoadamente e saem para fazer um reconhecimento. Descobrem que o planeta era habitado por gigantes, tão gigantescos que os humanos nem chegavam aos seus joelhos! Sair em busca de comida, era uma aventura arriscadíssima: se os gigantes pegassem…
    Debateram como fazer para não morrer de fome. Uma mulher — sempre as mulheres, luzes da humanidade — tem uma ideia: como não dá para enfrentarmos os gigantes, vamos seduzi-los. Foi e deu o exemplo. Esfregou-se na perna de um gigante, que gostou do afago. Resultado: os humanos venceram os gigantes pela sedução e foram adotados por eles como animais de estimação.
    Bradbury termina o conto se perguntando se os gatos não seriam animais superiores, vindos de um planeta remoto, que depois de nos seduzir aqui se instalaram, tornando-se nossos companheiros inseparáveis.
    Acho que a resposta é sim.
    Se conhecer este conto, por favor me mande o título do livro.

    P.S. Já tive um gatão amarelo como o da foto, meu inesquecível Marmelada, companheiro durante 12 anos da minha vida. Agora tenho outros 2: um persa, também amarelo, o Kilim, que ganhei de uma amiga, compadecida do meu sofrimento (fiquei numa deprê violenta); e uma siamesa lindíssima, a Mimi, que o filho da empregada achou na rua e trouxe para cá, batizando-a com o nome de outra gata inesquecível, mãe do Marmelada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *