Renovando a mente — Uma visão geral

803115784_12559_9138496371839264789

Toda mudança da mente vem em etapas e você monta o quebra-cabeça aos poucos, à medida que descobre o que fazer e como fazer. Vou usar uma frase que aprendi lendo A Mulher V: Não é fácil, mas é perfeitamente praticável.

Funciona da seguinte forma:

Etapa 1: você está lá, infeliz e rastejante, completamente ignorante (no sentido de “aquele que desconhece ou ignora algo”), sem saber o que está errado. Você está no modo automático-emotivo. Seus pensamentos são quase todos baseados em sentimentos e você vive no modo reativo.

Nessa fase, é fácil o gremlin tomar o comando dos pensamentos (e, consequentemente, da vida) da pessoa. Ao dirigir sua forma de pensar, ele dirige suas emoções e sua vida. E, com a mente sequestrada, talvez você nem perceba a extensão do dano. A primeira ruptura acontece quando descobre que a realidade depende de como a gente vê. Você pode mudar a sua realidade ao mudar a forma de pensar.

Etapa 2: descobre que precisa mudar e até aprende o que fazer, mas, no começo, parece que não vai conseguir. Mesmo quando se esforça, precisa ficar se lembrando o que fazer toda hora, pois ainda não é natural. Sua forma distorcida de pensar ainda parece que é a realidade e o gremlin tenta convencê-lo de que está se enganando.

Parece que aquela forma de pensar é sua, que você viveu assim todos esses seus 845 anos de vida e nunca vai mudar. (Consigo até ver o gremlin esperneando e gritando isso no seu ouvido, apavorado com a possibilidade de você descobrir que consegue, sim, mudar seu padrão de pensamento e acabar com a festa dele.)

Esse é o momento ideal para o gremlin convencê-lo a desistir. Na verdade, essa é a última oportunidade que ele tem de fazer isso e levá-lo a pensar como antes. Porque perto do final dessa fase, você toma a pílula vermelha e, definitivamente, sai da matrix.

Teimosamente (teimoso no sentido de “aquele que insiste, que não desiste facilmente”), decide duvidar do pensamento dramático: “Como assim nunca vou conseguir? Só vou descobrir se nunca vou conseguir se eu nunca desistir”. E continua até a…

Terceira etapa: quando começa a abrir os olhos e identificar os pensamentos do gremlin com cada vez mais facilidade à medida que o tempo passa. E isso tem uma razão lógica: como estava em uma dieta de dramalhão mexicano em doses cavalares diárias, seu paladar detector de drama estava saturado.

É como comer um monte de açúcar ou um monte de sal, você nem percebe quão doces ou salgadas as coisas realmente são, seus sensores estão todos esculhambados. Pode levar um tempinho até a sensibilidade ao drama voltar a níveis saudáveis. Você está se desintoxicando de comida de gremlin.

Conforme for se habituando a identificar os pensamentos negativos e substituí-los por uma forma mais inteligente de pensar (vamos ajudá-lo nisso), você fortalece sua mente e coloca suas emoções no lugar delas —um espaço bem mais limitado do que estão acostumadas a ocupar. O gremlin, nessa fase, perde força.  

Quarta etapa: a nova forma de pensar definitivamente substitui a antiga e se torna natural. Você não precisa mais pensar em todos os passos, já está habituado a eles. Terminou sua desintoxicação e agora é só exercitar os músculos que desenvolveu.

Nessa fase, o gremlin já está morrendo de inanição porque você não o alimenta mais. O mundo está diferente, a vida está mais leve e você quase não reconhece a pessoa que era há tão pouco tempo — e não tem a menor saudade dela. E começa a ver diante de si inúmeras oportunidades que não via antes. Essa é uma vida bem mais colorida e você percebe que o sacrifício valeu a pena.

Estamos em um propósito intensivo para a renovação da mente. E, nesse processo, é preciso estar consciente dessas etapas para evitar ser enganado com a conversa-padrão do gremlin e sua lógica furada de “está muito difícil, logo, não vou conseguir” (como se a sensação de dificuldade fosse prova de que não vai dar certo…se as coisas fossem assim, ainda viveríamos em cavernas…). Você vai ter que fazer um esforço, sim, e talvez por mais tempo do que gostaria, mas  garanto que, no final, vai dar graças a Deus por ter insistido.

 

.

PS: O Jejum de Daniel acabou, mas os posts vão continuar. :) E ele meio que nem acabou muito para mim, já que hoje fiquei longe de notícias seculares, descobri que não me fazem falta. Cheguei à conclusão de que o noticiário parece aquelas novelas que os autores esticam para render. Se assistir a um telejornal ou ler as notícias de um portal de notícias uma vez por semana, vai perceber que é mais que suficiente.

 

Sobre o último dia do Jejum de Daniel

804201347_24565_13285794367710631005

Nesta quarta estivemos na reunião no Templo de Salomão com o Bp. Clodomir. Muuuita gente foi batizada com o Espírito Santo. Ele ensinou as pessoas que queriam receber o Espírito Santo a, durante a busca, orar agradecendo a Deus por quem Ele é  (misericordioso, benigno, paciente, compassivo, santíssimo, fiel, etc.) e pelo que Ele fez, por nos dar Sua Palavra (por meio dela, recebemos a vida, a esperança e a Salvação), inteligência e dias de vida em que temos a chance de conhecê-LO. Quando fala com Ele, você está na presença dEle…Ele recebe você, ensina, cuida, trata…

O bispo comparou esse momento da busca com o momento de intimidade entre marido e mulher, para explicar que é algo entre os dois, apenas, sem gritaria, sem distrações. Depois, eu fiquei pensando nessa comparação… Nossa atenção em Deus durante a oração deve ser total, sem dar bola para pensamentos de acusação ou dúvida. Caso contrário, é como se, no momento de intimidade do casal, um deles pegasse o celular e começasse a falar com outra pessoa! Já pensou, que lindo? Acaba imediatamente a sintonia entre os dois, não é?

Nem sempre a gente sabe o que dizer na hora da oração, mas Deus não é aquele chefe chato que fica incomodado se você não diz as palavras certas do jeito certo. O importante é estar conectado, querendo conversar com Ele e entender que, mesmo antes de sermos batizados com o Espírito Santo, as orações de busca nos aproximam dEle.

Mesmo enquanto você não nascer de novo, enquanto não aprender a andar pela fé (colocar a razão acima da emoção) e ainda não estiver pronto a receber o Espírito Santo, cada Palavra que você ouve na igreja, cada meditação que faz na Bíblia e cada busca que faz aproxima você do seu Alvo. E esse processo nos fortalece e nos molda na pessoa que iremos ser.

O que não faz sentido é desprezar tudo o que Deus tem feito (inclusive a salvação da alma!) e se focar só em ainda não ter recebido o Espírito Santo (gremlin detected). É a criança que quer uma carteira de motorista. Primeiro, precisa fazer 18 anos. Já fez? Então, precisa entrar na autoescola, estudar a legislação e fazer a prova teórica. Fez a prova teórica? Precisa fazer aulas práticas e aprender a dirigir. Aprendeu a dirigir? Precisa fazer a prova prática e passar na prova para receber a carteira de habilitação que tanto quer.

Quando temos uma meta, precisamos cumprir os passos para alcançá-la. O selo do Espírito Santo é um selo. A gente só sela o que já está pronto para ser selado. Se não foi selado, não está pronto. Em vez de ficar se lamentando por não estar pronto (resquícios daquela velha novelinha mexicana mal escrita que nossa leitora Elaine chamou de “dramaturgia gremliniana” rs), a atitude certa é se preparar. 

Se esvaziar de si, de seus medos, de suas crenças equivocadas (do tipo “nunca vou conseguir”) made in gremlin, de seu passado, do orgulho religioso (“eu já sei”, “eu já fiz”, “eu já sou”… a gente vê o que sabe, o que realmente fez direito e o que é pelo resultado que alcançou).  Se esvaziar das suas opiniões, das suas dúvidas, das coisas que aprendeu em outras denominações (ou com conteúdo de outras denominações) e que nunca resolveram o seu problema.

Se esvaziar e aproveitar a jornada com Deus. Ponto a ponto. Meu alvo final é a eternidade com Deus. Minhas metas para alcançar isso são: me arrepender dos meus pecados (por “pecado” entenda qualquer coisa que o desvie do alvo, inclusive tomar chá com o gremlin), andar em obediência a Deus, nascer de novo, receber o Espírito Santo, crescer espiritualmente e manter minha salvação até o fim.

No meio disso tudo, passamos por desertos, perseguições e tentações. Nossa fé se fortalece no fogo, nas dificuldades, porque aprendemos a usar nosso poder de decisão contra a sensação de que não vai dar certo e de que temos que desistir. Conhecemos um amigo fiel, que nos apoia, nos ajuda a crescer e nos ensina a ser melhores do que jamais imaginamos ser possível. Tudo isso faz parte da jornada. Deus nos fortalece quando estamos firmes nesse propósito e terminamos cada batalha mais fortes do que entramos.

O Bispo Macedo anunciou a reunião das 6h de domingo (aqui no Templo é às 6h, mas acho que nas outras igrejas é às 7h, é bom perguntar) como sendo a reunião do pentecoste, como se cada domingo às 6h fosse o último dia do Jejum de Daniel. Uma nova chance para os decididos. Se depender do gremlin, a batalha entre você e ele nunca vai terminar. Mas, felizmente, não depende dele. Deus está aí com você, dirigindo seu caminho.

“Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas.”

Provérbios 3:5,6

Leia também:

“Quando você pensa que não vai conseguir.”

“Quem são os escolhidos de Deus?” (texto do sr. meu marido rs)

“O que é pecado?”

PS: Não espere que o gremlin fique feliz por você estar buscando a Deus e ameaçando se tornar uma arma contra ele. Não espere que ele respeite esse seu momento de introspecção. O trabalho dele é nos perturbar com pensamentos negativos. O nosso trabalho é mandar ele pastar no inferno. 😛

ATENÇÃO: Amanhã começaremos mais uma série de posts sobre renovação da mente. 😀

#JejumdeDaniel  #Dia 21

* Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Reta final do Jejum de Daniel

 

Amanhã é o último dia do Jejum de Daniel, mas eu não vejo motivo para deixar de focar nas coisas de Deus e voltar para aquela loucura de notícias, redes sociais e excesso de informação. Estamos nesse propósito de esperar o derramamento do Espírito Santo na quarta-feira, mas isso não significa que Ele não esteja disponível em outros dias. Não é o cometa Halley que só passa a cada 70 anos.

Toda a ideia do Jejum de Daniel é criar um ambiente propício à fé e ao recebimento do Espírito de Deus. Quer uma dica bem legal para aproveitar bem esse último dia do Jejum? Não se permita alimentar pensamentos do tipo “ah, eu tenho que receber o Espírito Santo hoje para sentir que minha vida vale alguma coisa” muito menos “eu nunca vou receber o Espírito Santo”. Aliás, quando reconhecer que o pensamento é esquisito, mande ir passear no inferno e volte a se conectar com Deus. Não se esqueça, o importante é manter a sintonia.

Fique em espírito durante o dia (isso significa não bater papo com gremlin, não ficar pensando que não vai conseguir, que não tem jeito, que Deus não está nem aí para você e outras coisas sem sentido), ouça a Rede Aleluia, leia o blog da Cristiane e do Bispo Macedo. Tire um tempinho para conversar com Deus e ouvi-LO. Fale com Deus algo mais ou menos assim: “Deus, quero encontrar o Senhor e ouvir o que o Senhor tem a me dizer hoje. Sou muito grato por saber que o Senhor está comigo, caminha ao meu lado, me ajuda e me aceita. Percebo isso e valorizo isso. E quero que esteja também dentro de mim”. Entende a diferença?

Na ansiedade, na emoção (também conhecido em crentês como “na carne”), você diz querer o Espírito Santo, mas despreza tudo o que Deus tem feito, inclusive o que Ele tem tentado ensinar para fazer de você uma pessoa estruturada e firme na fé para receber o Espírito dEle. Quando está na fé, você aguarda paciente e confiantemente o cumprimento da Promessa. Você vai até a igreja sabendo que vai se encontrar com o seu Deus. Sabe que Ele estará lá esperando. Você acredita no que o homem de Deus diz no Altar. Inclusive que você receberá o Espírito de Deus.

Recebi o Espírito Santo em uma vigília, fazíamos oração de hora em hora. Não senti nada, mas realmente me entreguei a Ele e pedi que me enchesse do Seu Espírito conforme Ele promete em Sua Palavra que daria a quem pedisse. Eu tinha certeza de que Ele responderia, porque prometeu. Meu pensamento estava em me aproximar mais dEle.

Depois de 6 orações, já pela manhã, voltei para casa sem perceber nada de diferente, só feliz por ter tido a oportunidade de participar daquele momento. No dia seguinte, percebi que alguma coisa estava diferente. Eu acho que levei uns dois ou três dias para me dar conta de que aquela coisa diferente era permanente e que era o Espírito Santo que eu tinha pedido. É como se o Espírito Santo tivesse entrado com um silenciador rs. Então, esteja você buscando o batismo com o Espírito Santo ou a renovação do Espírito, não espere sentir nada. Não faça questão de sentir nada. Talvez você sinta, talvez não. Isso não importa. Isso é o de menos.

Tudo o que você passou nesse Jejum faz parte do seu processo de crescimento e amadurecimento. Tenho certeza de que Deus esteve e continua guiando e orientando você, querendo se aproximar cada vez mais e feliz por ver você se preparando para Ele. É importante saber a Quem você está buscando.

“Bem-aventurado aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxílio, e cuja esperança está posta no Senhor seu Deus. O que fez os céus e a terra, o mar e tudo quanto há neles, e o que guarda a verdade para sempre; O que faz justiça aos oprimidos, o que dá pão aos famintos. O Senhor solta os encarcerados. O Senhor abre os olhos aos cegos; o Senhor levanta os abatidos; o Senhor ama os justos;” 

Salmos 146:5-8

“E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao Senhor vosso Deus; porque Ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e se arrepende do mal.”

Joel 2:13

Benigno, compassivo, misericordioso, poderoso e justo. Faz justiça aos oprimidos, ou seja, o oprimido que vai até Ele não continua oprimido. Ele dá pão aos famintos, o faminto que chega a Ele é saciado. O cego que O busca tem seus olhos abertos. Ele levanta o abatido que O busca.

Repare que nenhum daqueles que chega até Ele com sinceridade e humildade, rasgando sua alma* diante dEle, continua na mesma condição de antes. Porque Ele quer transformar a vida daquele que O ama e até tornar justo quem antes andava na injustiça. Faz parte da Natureza dEle. Assim como a misericórdia, a fidelidade, a paciência, a verdade, a sabedoria, o amor, a benignidade e a justiça.

E não se esqueça de que Deus é perfeita Inteligência e Ele não precisa que você diga as palavras certas (tem gente que acha que precisa falar algumas palavras mágicas para a oração funcionar rs). Ele conhece você. Está escrito que Ele conhece a nossa estrutura e saber que somos pó. Mas também está escrito que Ele ergue do pó o desvalido e do lixo o necessitado e o faz assentar-se à mesa com os príncipes.

Esse é o Deus que você vai encontrar nesta quarta-feira.

.

PS: *”rasgar a alma” não é chorar até morrer. Rasgar a alma é ser honesto, falar tudo o que está dentro de você, confessar o inconfessável, ser humilde para assumir suas falhas, seus erros, seus pecados, entregar sua vida como oferta no Altar, dar a Ele permissão para desvirar você do avesso e colocá-lo do jeito certo.

#JejumdeDaniel  #Dia 20
 

* Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Diferença entre novo nascimento e batismo com o Espírito Santo

804201544_23490_18367154815975947287

Várias pessoas me perguntaram isso, então achei que seria útil escrever a respeito. Primeiro, é bom deixar claro que novo nascimento, apesar de ser obra do Espírito de Deus, não é o mesmo que batismo com o Espírito Santo. E isso fica claro já na conversa entre Jesus e Nicodemos, em que Ele fala sobre a necessidade de nascer de novo. Essa conversa está no início do livro de João, no capítulo 3. O Espírito Santo só seria derramado sobre as pessoas depois que Jesus fosse para o céu, ou seja, ainda teria que viver mais 16 capítulos, morrer, ressuscitar, ficar um pouco por aqui, voltar para o céu e esperar mais alguns dias e o Espírito Santo só viria no livro de Atos. Como Jesus diria a Nicodemos para fazer alguma coisa que ainda não poderia fazer?

Na caminhada cristã, existem três eventos distintos e absolutamente necessários para alcançar e manter nossa salvação: a conversão, o novo nascimento e o batismo com o Espírito Santo. Não são rituais, não são fórmulas, não são botõezinhos a apertar — é bom que isso fique bem claro. Conversão é quando você reconhece sua situação espiritual, se arrepende dos seus pecados e assume Jesus como seu senhor e salvador, entregando sua vida a Ele. Então, o sacrifício dEle passa a valer para você, lhe dando o direito de se reconectar com Deus. É neste momento que você recebe o perdão de seus pecados e a salvação. Você não muda todo o seu interior naquele exato dia, mas decide mudar, com convicção de que não quer mais aquela velha vida. 

Depois disso, obviamente, você muda a direção da sua vida, seus hábitos e atitudes, pois quando se arrepende você odeia as coisas erradas que fazia e deixa de fazê-las. Se batiza nas águas para marcar o sepultamento da velha vida e o nascimento da nova vida. Então, começa a sua caminhada com Deus. Você se esforça para mudar. Quer conhecer a Deus, desenvolver uma intimidade com Ele e se estruturar espiritualmente, então procura descobrir (na Bíblia) como Deus é, o que agrada a Ele e como a pessoa deve ser para ser dEle. Conforme vai descobrindo, se esforça para praticar.

O segundo evento, o Novo Nascimento, acontece antes do batismo com o Espírito Santo por um motivo bem simples: ninguém nasce de uma hora para outra. Nunca vi um espermatozoide encontrar um óvulo e…POP pular uma criança para fora do útero automaticamente. Há um processo entre se conceber uma nova criatura e ser gerada essa nova criatura, até que nasça e possa receber o batismo com o Espírito Santo para manter a salvação (que já recebeu) e continuar crescendo, agora como filha de Deus.

Quem está esperando que o Espírito Santo desça para lhe dar forças para mudar, está entendendo errado. Primeiro, você se interessa e busca essa mudança. Você se esforça para vencer o pecado e mudar e o Espírito de Deus opera o novo nascimento (o que você não conseguiria sozinho) e ajuda você a desenvolver essa nova criatura. Mas até aí Ele está do lado de fora, preparando a casa com você. DEPOIS disso, já pronto para recebê-LO, você é cheio do Espírito dEle e, esse sim, é o batismo com o Espírito Santo. Aí, você é oficialmente uma nova pessoa. Ainda vai ter que crescer e se desenvolver, é claro. Mas já está nascida, selada e confirmada.

Quanto tempo entre a conversão e o recebimento o Espírito Santo? Depende. No meu caso, foram 8 meses (depois de 10 anos marcando passo na igreja por ser cabeça-dura. Sem sequer se converter, mas achando que já era de Deus por ter visto alguma melhora na vida…). O processo de novo nascimento pode demorar muito, pode demorar pouco, pode demorar quase nada. Depende do desenvolvimento da pessoa (e o desenvolvimento depende da pessoa, do nível de entrega). Alguns demoram mais, outros, menos. Mas o importante é nascer, mesmo que no ritmo de um bebê-tartaruga.

Por isso, não faz o menor sentido ter ansiedade para receber o Espírito Santo. O que depende de você é se esforçar para mudar o que consegue mudar e estar aberto para mudar o que Deus quiser mudar (ainda que seja algo que você não queira sacrificar). Eu me lembro que, nessa fase, tinha um pastor que me ajudou muito, sem saber (ele tem uns parafusos a menos, tipo eu). Uma das coisas que aprendi com ele foi que o mais importante a se construir é a estrutura espiritual. O fundamento e a estrutura. Conhecer o caráter de Deus e desenvolver meu próprio caráter à semelhança dEle.

Eu ia às reuniões com sede. Anotava TUDO e relia em casa (ainda faço isso). Estudava, mesmo. Orava, pedia a ajuda de Deus para entender o que não entendia e mudar o que não conseguia. Ele me orientava, era muito nítido que estava falando comigo, ainda que eu não sentisse, não ouvisse. Percebia claramente nas reuniões e na leitura da Bíblia que tudo se encaixava. E comecei a mudar (com dificuldades, claro) gradualmente coisas que nunca tinha conseguido mudar.

Então, depois de 8 meses nesse processo, recebi o Espírito Santo. De lá para cá, foram muitas lutas, muitos desafios e muitos gremlins. Eles não somem, a profissão deles é encher nossa paciência. Mas aos poucos vamos aprendendo a identificar, ignorar e rejeitar qualquer pensamento contrário. Paciência, perseverança e fé são as coisas que você precisa manter para alcançar seu objetivo. São coisas que o acompanharão até o fim.

Porque não existe um momento da vida em que a gente possa dizer: “ah, ok, já sei tudo, estou bem, minha fé está suficientemente madura, não preciso fazer mais nada”, se não precisasse fazer mais nada, não haveria necessidade do Espírito Santo dentro de nós! A guerra é diária e o relacionamento com Deus também é. Não dá para pendurar as chuteiras. Mas ainda que nos exija o esforço de pensar e agir (não dá para viver no automático), nos dá direito a uma vida que ninguém neste mundo consegue imaginar.

 

Leitura complementar (vai ajudar):

O que lhe faz pensar que não nasceu de Deus? (clique aqui para ler)

Desenvolvimento (clique aqui para ler)

Leite Racional (clique aqui para ler)

O trabalho de pensar (clique aqui para ler)

 

#JejumdeDaniel  #Dia 19
 

* Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

O que a gente faz quando realmente crê

803118143_11064_14268104893655185192

Alguns estão lutando contra a ansiedade para receber o Espírito Santo porque já é o décimo oitavo dia do Jejum de Daniel e, como todos sabem, depois do décimo oitavo vem o décimo nono e depois o vigésimo e depois o vigésimo primeiro, quando acaba o Jejum e aimeuDeusseeunãoreceberoEspíritoSantoatéláoquevaiserdemim? Vamos usar a cabeça? E daí que faltam três, dois ou um dia para o término do Jejum? Deus não precisa de um dia inteiro para fazer o que Ele quer fazer na sua vida.

Entenda uma coisa: ansiedade é irmã do medo e da dúvida. Quando você fica se perguntando por que ainda não recebeu o Espírito Santo, já que parece tão pronto para receber, está, na verdade, com medo de não receber. E está com medo de não receber porque não crê na Palavra que diz que receberia. Não se recebe o Espírito Santo sem fé.

Vamos falar um pouquinho sobre fé e sobre quando eu me dei conta de algo que parece óbvio para muita gente, mas que eu nunca tinha percebido. Estava ouvindo a Palavra Amiga do Bispo Macedo na rádio, me sentindo ainda um pouco angustiada, com um milhão de gremlins falando na minha cabeça e eu tendo que afastá-los como quem afasta moscas.

Na verdade, meus medos é que os alimentavam e parecia difícil me livrar deles (é claro, se você acredita na sensação de que é difícil, fica difícil. Se acredita na sensação de que é impossível, se torna impossível. É você que materializa aquilo que crê. Se acredita que é possível, mesmo sentindo o contrário, se torna possível).

E eu estava há um tempão falando com Deus, reclamando com Ele, pedindo, clamando, enchendo Sua santa paciência com meus pedidos e perguntas. Então, resolvi parar e prestar atenção ao que o Bispo dizia, como se estivesse ouvindo as palavras do próprio Deus. Conscientemente, me forcei a entendê-las com essa seriedade e atenção.

Então, ele começou a orar. No final da oração, disse: “seja livre, em o Nome do Senhor Jesus. Seja livre!” olha, a ficha caiu de tal forma que fez até barulho. Ele estava me dizendo para ser livre. Então, eu estava livre. Naquele momento, eu tinha que ter certeza de que estava livre. Como se alguém tivesse aberto a fechadura daquela cela cheia de gremlins e me dissesse: “seja livre, Vanessa, pode sair”.

Como você pensaria, se sentiria e agiria se visse essa cena: você, preso em uma cela cheia de gremlins (visualize isso rs), insuportavelmente subindo pelas suas pernas, se empoleirando no seu ombro, querendo deitar na sua cabeça e babar no seu nariz (eca). Então, finalmente alguém joga uma fumaça paralisadora de gremlins, destranca a porta da cela e diz: “Seja livre!”. Como você pensaria, se sentiria e agiria? Como se sentiria ao sair da cela e ver que os gremlins ficaram lá? Então, transporte esse estado de espírito para o momento em que o pastor disser: “seja livre!”. Porque ele não está dizendo nada mais do que a Bíblia já disse. É a Verdade.

Entendi que estava realmente livre e o alívio veio não por ter me sentido livre, mas por ter entendido que estava livre. Depois que entendi, que saí da cela, me senti livre. O sentimento ou a sensação vêm depois e não são parâmetro para você confirmar se recebeu ou não. Eles são consequência (quando recebi o Espírito Santo, por exemplo, só fui perceber alguma coisa no dia seguinte!).

Aí me dei conta de que até então vinha ouvindo errado as orações dos pastores e dos bispos. Quando o Bispo dizia: “receba a paz”, por exemplo, ou “receba o Espírito Santo”, eu pensava: “amém, tá ligado”, como se ele tivesse só expressado um desejo ou dito que um dia eu ia receber a paz. Ou até dizia “recebo”, mas ficava pensando no que eu deveria fazer para tomar posse daquela palavra. Não entendia nada rs.

Essa era uma reação automática treinada por anos e anos de religião cristã. A gente se treina a fingir que acredita e realmente acredita que acredita. Não para pra pensar que é o resultado que prova se a gente acredita ou não.

Mas depois dessa “revelação”, entendi: e se ele estivesse me entregando algo físico, como um copo d’água, e me dissesse, estendendo o copo: “receba esse copo d’água”, como eu ouviria isso? O que sentiria, o que pensaria e o que faria?  Com certeza eu não diria: “amém! Eu recebo!”, pensando em como “tomar posse” daquele copo. Também não ficaria pensando “será que ele quer mesmo me dar essa água?” “será que eu mereço receber essa água?” “quando será que ele vai me dar essa água?”… Eu simplesmente estenderia a mão, pegaria e agradeceria. E, claro, beberia a água.

Visualize isso. Pense em como receberia um copo d’água que o pastor lhe desse. Perceba como é a reação automática do nosso corpo, alma e espírito quando realmente cremos que estamos recebendo algo. Reagimos sem dúvida e sem medo porque temos fé (nesse caso, fé natural, pois estamos vendo) de que realmente estamos recebendo.

Eu achava que estava crendo, mas, na verdade, não estava, por isso deixava entrar o medo e a dúvida. Então, fiz um trabalho de reprogramação da minha mente, que já estava viciada naquele programa mental religioso. Eu precisava substituir aquilo pela fé prática e real que havia aprendido.

É claro que eu não tinha como fazer isso sozinha, pedi a Deus que me ajudasse a desinstalar o programa errado e reinstalar o programa certo. E fiz minha parte. Eu sabia que quando o bispo dizia para eu receber algo que a Bíblia já tinha me garantido o direito de receber, ele estava usando a autoridade dele para, de fato, me dar aquilo.

Então precisei entender como uma pessoa de fato recebe alguma coisa (física) que alguém dá. Visualizei isso, mesmo (eu digo “visualizar”, mas eu não vejo imagens na minha mente. Minha forma de visualizar é me transportar para a situação com todos os meus sentidos e pensamentos) para trazer aquela mesma reação sempre que ouvisse algum pastor me abençoar.

Todo esse processo não demorou muito. A ficha caiu na hora da oração durante o programa de rádio e, depois, em outra ocasião, demorou o tempo do trajeto de ônibus entre a igreja e minha casa em Porto Alegre (uns 15 ou 20 minutos, talvez) para entender exatamente como eu agiria se realmente cresse no que estava pedindo a Deus. Depois disso, foi só exercitar dia a dia o que aprendi até que se tornasse natural.

Não importa se você sente ou não sente que vai receber. Não importa o que sente ou deixa de sentir. Você sabe que Deus prometeu o Espírito Santo e sabe que tem se preparado para receber (com arrependimento sincero, renúncia dos pecados, entrega da sua vida, buscando conhecê-LO mais e aprendendo a agradar a Ele). Então, você vai receber.

Se você pede alguma coisa a alguém de extrema confiança (e que tem uma memória perfeita) e que nunca mente e essa pessoa promete que vai dar, se não recebe imediatamente, você não fica ansioso ou com medo de não receber. Você sabe que, cedo ou tarde vai receber. Porque essa pessoa não precisava ter prometido, mas prometeu. É assim com o Espírito Santo. Você sabe que Ele prometeu, então espera, sabendo que vai receber. Enquanto isso, você vai trabalhando na sua intimidade com Deus, aprendendo como agradar a Ele, ouvindo a praticando. Continua se preparando para receber, como Ele orientou.

Talvez toda essa explicação pareça absurda ou desnecessária para algumas pessoas, mas para mim foi essencial aprender isso. Sei que tem gente que chega na igreja, já se lança e pratica as coisas de forma natural e sempre quis ser uma delas. Mas a vantagem de ter que aprender as coisas assim, de uma forma racional, é que depois que pega a prática e substitui os pensamentos tortos pelos organizadinhos, você nunca mais esquece.

PS: E, como sempre, sem drama. Entendeu que faz errado? Comece a fazer certo. E vai dar certo. :)

.

 Update:  Depois de escrever este post, vi no Facebook o vídeo da reunião da noite de hoje nos EUA. Se eu fosse você, ouviria essa palavra com atenção até o final, pois tem tudo a ver.  Clique aqui para acessar o vídeo.

 
#JejumdeDaniel  #Dia 18
 

* Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

O blog voltou ao normal!!

Desde ontem, este site estava com problemas técnicos, entrando e saindo do ar e eu não conseguia acessar a área de postagem. Só agora consegui acesso para colocar algum aviso aqui. Segundo o suporte técnico, a situação já está controlada e o site voltou ao normal. Vou continuar postando aqui normalmente, maaaaas… em todo caso, deixo o link do blog provisório, para vocês não ficarem sem ver os textos caso o Lampertop deixe de funcionar novamente. Vou tentar colocar aqui o post que publiquei lá. 

treinandoneuronios.blogspot.com.br

PS: Minha teoria é que gremlins entalaram no servidor rs.

 

Renovando a mente — Assuma sua posição

803110608_28230_2314106590100702920

Eu me lembrei de um filme que vi recentemente, chamado Quarto de Guerra. Gostei muito da parte que mostra a protagonista fazendo uma oração violenta contra o diabo (gostei porque não é comum mostrarem isso em um filme e é algo essencial a aprender). Para quem não sabe, recebemos de Deus autoridade para isso, usando o nome de Jesus, como se tivéssemos uma procuração dEle.

Nesse filme, a mulher estava com um problema no casamento e, depois de ser orientada por uma senhora a lutar por sua família com oração e atitudes inteligentes, ela sai pela casa, falando especificamente com o diabo, assumindo sua posição de autoridade e deixando bem claro para ele que a família dela não pertence mais a ele. Ela literalmente fecha a porta na cara do diabo, revoltada. Acabou o sentimento de peninha de si mesma, acabou o desânimo, acabou o drama. Ela decide reagir e assume a sua posição de guerreira, lutando a guerra certa, no campo certo. O marido não é mais o inimigo, o inimigo é espiritual.

Não adianta você ser uma pessoa boazinha, tentar fazer tudo certo e frequentar uma religião. Há uma guerra constante pela sua vida e você precisa se posicionar. De que lado você está? Se quer estar do lado de Deus, tem que agir como Ele determina. E como Ele determina? Seja forte e corajoso, creia que Ele está com você e aja como uma pessoa que tem Deus ao seu lado. E como pensa uma pessoa que tem Deus ao seu lado?

“O Senhor está comigo; não temerei o que me pode fazer o homem. O Senhor está comigo entre aqueles que me ajudam; por isso verei cumprido o meu desejo sobre os que me odeiam. É melhor confiar no Senhor do que confiar no homem. É melhor confiar no Senhor do que confiar nos príncipes. Todas as nações me cercaram, mas no nome do Senhor as despedaçarei. Cercaram-me, e tornaram a cercar-me; mas no nome do Senhor eu as despedaçarei.”
Salmos 118:6-11

Porque sei que o Senhor está comigo, eu não temerei o que alguém possa me fazer. Não temerei o que outras pessoas possam me fazer, não temerei o que o diabo possa me fazer, não temerei o que eu mesma possa me fazer. Porque DEUS está ENTRE OS QUE ME AJUDAM. Isso é muito forte! Pense nas implicações disso. O próprio Criador de todas as coisas ajudando você. Pode vir o problema que for, será despedaçado. Você vai picá-lo em um milhão de pedacinhos.

Segue o vídeo com a cena que mencionei. Infelizmente, não consegui achar a cena com áudio original, então vai dublado, mesmo. Você pode fazer uma oração como essa, deixando bem claro para o diabo quem é o seu senhor e a quem você vai obedecer a partir de agora. “Jesus é o senhor da minha cabeça! Você não tem mais lugar na minha mente, diabo!” Isso é dar um chute no gremlin. Isso é anti-drama.

 
 
#JejumdeDaniel  #Dia 17
 

* Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Tudo areia

803119556_9996_16453776470076483797

Estava lendo Lucas 12 (depois que terminar aqui, leia também). Jesus estava lá, falando das coisas espirituais, alertando contra a hipocrisia, dizendo aos Seus seguidores que não deviam temer os fariseus, mas sim, temer a Deus, pois Ele está no controle de tudo. Já alertando que seriam perseguidos, disse que eles não deveriam negá-LO, nem se preocupar com o que dizer quando fossem interrogados, pois o Espírito Santo lhes daria as palavras certas. Então, do nada, um cidadão sem noção INTERROMPE o discurso sobre coisas realmente importantes com consequências eternas:

“E disse-lhe um da multidão: Mestre, dize a meu irmão que reparta comigo a herança.”

Obviamente, a criatura não estava prestando atenção em NADA do que Jesus estava falando. Enquanto Jesus falava, ele ficava pensando no problema que tinha que resolver. E lá foi Ele, direto e objetivo, como sempre:

“Mas Ele lhe disse: Homem, quem Me pôs a Mim por juiz ou repartidor entre vós? E disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida do homem não consiste na abundância do que possui.”

Lucas 12.13-15

Sim, porque o indivíduo estava ignorando Jesus, estava só preocupado com o que não tinha e queria ter (anota aí: não precisa necessariamente ter dinheiro para ser avarento). Enquanto Jesus estava lá, na frente dele, falando de algo que REALMENTE poderia mudar sua vida. A partir daí, Jesus conta a história de um homem que estava se achando porque tinha conseguido muitos bens para muitos anos. Mas ele morreria aquela mesma noite, então de que adiantaria? Jesus disse que esse cara era louco porque ajuntou tesouros aqui na terra, mas não era rico para com Deus. (Note que o problema não é ser rico, é ser avarento, só pensar nas coisas deste mundo e não ser rico para com Deus.)

Em seguida, diz para não ficarmos ansiosos, preocupados com o que iremos vestir ou comer e que, se buscarmos o Reino de Deus essas coisas nos serão acrescentadas (falamos sobre isso esses dias, lembra?). Depois, orienta a sacrificar o que tem para tirar o coração dessas coisas.

“Vendei o que tendes, e dai esmolas. Fazei para vós bolsas que não se envelheçam; tesouro nos céus que nunca acabe, aonde não chega ladrão e a traça não rói. Porque, onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração.”

Lucas 12.33,34 

Ou seja, FOCO em buscar a Deus, meus amigos. FOCO no que é eterno, porque amanhã você morre (não é praga nem profecia, mas pode acontecer com qualquer um, né?) e aí? Na sequência, Ele alerta FORTE a respeito da vigilância. Para trazer de novo o foco para o espiritual, que era sobre o que Ele estava falando antes do maluco interromper. Diz que temos que estar prontos, vestidos e com a candeia acesa, para abrir a porta rapidinho assim que Ele bater. E reforça:

“Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá. E, se vier na segunda vigília, e se vier na terceira vigília, e os achar assim, bem-aventurados são os tais servos.”

Então, não enrole, fique ligado porque Ele pode chegar a qualquer momento. E também não se deixe acomodar porque o tempo está passando. Não se atire na rede só porque já recebeu o Espírito Santo uma década atrás. Temos que estar hoje tão prontos quanto estávamos quando Ele nos chamou. Alertas e com a candeia acesa, buscando e desenvolvendo nossa fé como se fôssemos uma pessoa que nunca viu Jesus na vida e chegasse hoje à igreja, sedenta. Com a mesma pureza, com a mesma sinceridade, com a mesma entrega.

“Sabei, porém, isto: que, se o pai de família soubesse a que hora havia de vir o ladrão, vigiaria, e não deixaria minar a sua casa. Portanto, estai vós também apercebidos; porque virá o Filho do homem à hora que não imaginais.”

Lucas 12.37-40 

A hora em que a gente não imagina é qualquer hora. Pode ser literalmente a qualquer hora. Por isso, temos que manter esse mesmo espírito do Jejum de Daniel em nosso dia a dia. E por isso o Jejum de Daniel também é para quem já tem o Espírito Santo. Estar pronto para a volta de Jesus é estar sintonizado com Ele.

Ainda que você não esteja do jeito que ache que tem que estar (ninguém está, né?), Ele precisa te achar obedecendo, praticando, buscando, querendo agradar a Ele. E não ignorando a voz dEle e pensando na herança da bezerra! (Vamos matar um gremlin aqui: se você que leu isso estava ignorando a voz dEle e pensando na herança da bezerra até agora, não precisa ficar se torturando e achando que não tem mais jeito para você. É só parar de fazer o errado e começar a fazer o certo agora. Simples, sem drama. Você não morreu, então ainda tem jeito, sim.)

Tudo isso porque o carinha lá estava preocupado com a herança que não recebeu. Hoje é tudo areia lá em Israel. A herança é areia, o irmão é areia e o carinha também é areia. Se deu ouvidos ao puxão de orelha de Jesus (adoro o fato de Ele não ficar de nhenhenhém para falar com as pessoas. Diretão), isto é, se conseguiu tirar seu coração das porcariazinhas deste mundo, sua alma está no lugar certo. Mas se ignorou Jesus, está eternamente encrencado.

Se as pessoas soubessem quando Jesus vai voltar ou quando irão morrer, ficariam ligadas, atentas. Iriam vigiar, se preparar, priorizar o que realmente importa. Mas Ele não criou evento no Facebook para isso, ninguém será avisado. Porém, Ele prometeu que, se estivéssemos vigiando, nos assentaríamos à mesa com Ele, isto é, seríamos salvos e viveríamos com Ele por toda a eternidade.

Vigiando o quê? Vigiando Jesus? Não! Vigiando nossas atitudes, nossas reações e nossos pensamentos. Sempre ligados para ir ajustando nosso comportamento e pensamento ao que Ele orienta em Sua Palavra, como temos feito nesses últimos dias. Não desista, pois vale a pena. Mesmo que você tenha que abrir mão de coisas que parecem muito valiosas agora. É tudo areia. O que realmente vale é o que Jesus está dizendo.

 

..

#JejumdeDaniel  #Dia 15

* Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Renovando a mente — Será que Deus é comigo?

803111686_27361_3537445501855904681

A leitora Adélia fez um comentário que ilustra a dúvida de muita gente. A quem estiver com o mesmo problema, recomendo que leia este e os textos anteriores. É bastante coisa, mas sacrifique a preguiça de ler, eles vão ajudar.  

“[…] O gremlin trabalha em cima do que eu vejo, do que acontece à minha volta. Por exemplo, passei por uma pessoa a quem estou devendo, então, eu me lembro que eu devo a ela, em seguida penso algo tipo ‘tô com problemas financeiros, a minha fé é fraca, Deus não é comigo por isso’ etc… No caso, esse pensamento não viria do nada, se eu não tivesse visto ou ouvido algo que me lembrasse a pessoa ou a dívida entende? Por isso parece que é algo normal.

Mas tudo isso é como um flash. Não dá nem tempo de parar e analisar pra refrear um deles. Geralmente quando eu paro pra analisar se o pensamento é meu, eu analiso e chego à conclusão de que, além de não ser meu, eu tbm alimentei ele. Ou seja, só percebo que deveria analisar quando passei do ponto e alimentei, não consigo analisar antes. Então, esse gremlin, psicopata, fica usando tudo que acontece à minha volta pra gerar um pensamento? Desculpe, eu ainda estou aqui, nos pensamentos. Me ajude pfvr rsrs”

Adélia, no post “A verdade sobre seus pensamentos”.

Adélia, é assim com todo mundo. Ele usa o que acontece à nossa volta para gerar um pensamento. Se viesse do nada, a gente perceberia que o pensamento vem de fora. Ele pega um gancho de algo real e gera uma conclusão falsa. Como você está viciada nesse padrão de pensamento, é natural que vá no automático no começo. Você está cheia de maus hábitos que passou anos treinando e está se livrando deles agora. Aos poucos, tem aberto seus olhos e reagido. Peça a ajuda de Deus para ajudá-la a reagir mais rápido. Pelo que eu vejo, Ele já está ajudando.

Valorize o progresso que tem feito: agora você está conseguindo identificar o pensamento errado. Não importa se ainda não consegue perceber antes. O importante é parar de dar corda para o gremlin tão logo reconheça que é ele. Você vai ver, com o passar do tempo, vai começar a perceber cada vez mais cedo e cortar a alimentação mais cedo. Assim, vai mudando seu padrão de pensamento e seus hábitos mentais.

Trate como gremlin todo pensamento que te colocar para baixo e tirar suas forças. E não perca muito tempo com ele. O ponto agora é buscar a Deus e encontrá-LO. A leitora Caroline resumiu bem: “Deus exorta, Ele fala contra o pecado, mas o diabo fala contra a gente, que a gente é que não presta. Para Deus, o que a gente fez pode não prestar, mas não diminui nosso potencial”.

Só para ilustrar melhor, vamos entender o exemplo que você deu:

” passei por uma pessoa a quem estou devendo, então, eu me lembro que eu devo a ela, em seguida penso algo tipo ‘to com problemas financeiros, a minha fé é fraca, Deus não é comigo por isso etc… ‘’”

Você passou por uma pessoa a quem está devendo: isso é um fato. O problema vem em seguida, porque as conclusões que você cita têm o claro objetivo de desanimá-la:

“tô com problemas financeiros, a minha fé é fraca, Deus não é comigo por isso etc…”

A reação saudável ao ver uma pessoa a quem você deve, seria algo como: “puxa, ali está fulano. Estou devendo a ele. Agora não tenho dinheiro para pagar, mas estou organizando minhas finanças e buscando a Deus, logo vou resolver isso. E vou me cuidar para não fazer mais dívidas”. Então, você pede a Deus para te dar uma ideia para ganhar dinheiro e coragem para colocar em prática. Assim que tiver a ideia, vai saber que recebeu a coragem, então é só praticar.

Sempre que você constata um problema, a reação deve ser encontrar uma solução. Viu um problema? Resolva. E recorra a Quem pode ajudar a resolver. Há um milhão de possibilidades à sua frente. Mas o gremlin leva ao estado de drama que afunda a pessoa e faz com que ela só enxergue impossibilidades. Mas — repito — há um milhão de possibilidades à sua frente.

A constatação de que está com problemas financeiros não é um problema, em si. O problema é quando ela vem em uma sequência emocional que a coloca em estado de drama. No exemplo dado, o fato de estar com problema financeiro significaria (seja lá por qual razão) que sua fé é fraca. Isso é falso, porque o problema financeiro pode ter inúmeras causas.

Nos primeiros anos de casamento, eu tinha problema financeiro por mau uso do cartão de crédito. A culpa não era da fé fraca, mas da minha falta de educação financeira e de noção (tipo parcelar TUDO em quantas vezes fosse possível). E no vazio que eu sentia e tentava preencher nas Lojas Americanas rs.

Mas ok, a pessoa até poderia estar com problemas financeiros por ter uma fé fraca, isto é, uma fé emotiva e cheia de dúvidas. Isso, com certeza, ajuda a perpetuar problemas em todas as áreas. Porém, essa conclusão não ajuda a pensar em uma solução. Uma conclusão lógica seria: “minha fé é fraca (constatação). Então, preciso urgentemente buscar a Deus e fortalecer essa fé! Jogar fora essas dúvidas e resolver o problema”.

Lembre-se sempre: uma mente anti-gremlin vê um problema e já pensa em RESOLVER. Não fica chafurdando no problema. Vê um problema e pensa em resolver. Essa reação pode ser treinada. Sempre que perceber um problema, pense em resolver e leve o problema até Deus. Use a situação como impulso para buscá-LO.

Aí chegamos à frase que desmascara o gremlin de vez: “Deus não é comigo por isso”. A Verdade é diferente:

“O Senhor está convosco, enquanto vós estais com Ele, e, se O buscardes, O achareis; porém, se O deixardes, vos deixará.”

Deus deixa de ser com a pessoa quando ela deixa de buscá-LO. Pelos comentários que você tem colocado aqui durante o Jejum, fica claro que você tem buscado. A Bíblia não diz que Deus não está com a pessoa se ela tem problemas financeiros. A Bíblia diz que Deus deixa a pessoa que O deixa e que as pessoas que O buscam, O encontram.

Você está buscando. Logo, Ele está com você. Por isso o pensamento é mentiroso. Porque diz que Deus não é com você, enquanto a Bíblia diz que é. Enquanto você estiver buscando e se esforçando para obedecer e se afastar do mal, Ele estará com você.

Esses são os FATOS para análise do seu pensamento: “estou devendo. Estou com problema financeiro. Tenho buscado a Deus. Deus está comigo”. Sei que dá a maior vontade de dramatizar com sentimentos, mas a única conclusão lógica a ser tirada desses fatos é: “não estou sozinha, vou conseguir resolver esses problemas em breve!”.  

“E Israel esteve por muitos dias sem o verdadeiro Deus, e sem sacerdote que o ensinasse, e sem lei. Mas quando na sua angústia voltaram para o Senhor Deus de Israel, e O buscaram, O acharam”. 2 Crônicas 15.2-4

Eles estavam SEM DEUS, sem pastor e sem Bíblia. Não tinham nada nem ninguém. Mas quando na sua angústia voltaram para Deus e O buscaram, O acharam. Aí Ele veio, os libertou, resolveu os problemas deles, os guiou e os transformou em uma nação forte e independente. Assim seria (e assim foi) enquanto estivessem com Ele.

Percebeu? Angustiados, voltaram, buscaram e acharam. Essa é a sequência lógica da fé. Nada de altas coisas mirabolantes. Quem volta e O busca, O acha. Está muito calor aqui em São Paulo. A umidade do ar está baixa. Chego em casa com muita sede. Busco uma garrafa de água mineral e, porque sei onde está, logo encontro. Abro, bebo e mato a minha sede. Sem complicação.

A gente não precisa marcar horário com Deus. Não precisa estar com a ficha limpa. Deus não se importa com os registros do SPC e Serasa. A gente só precisa querer morrer para o passado e para nossa própria forma de pensar e nascer de novo.

O resto é consequência.

 

.

#JejumdeDaniel  #Dia 14

* Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

 

Renovando a mente — Passo 5

803118600_9370_9387855721078608629

Quando o gremlin não pode mais fazer você se boicotar, ele tenta fazer os pensamentos dele chegarem até você vindos de fora. Tenta fazer com que você veja mal aqueles que mais podem ajudar. Cria situações para fazer com que você guarde mágoa ou se sinta vitimizado. Faz pessoas distorcerem coisas a seu respeito — até mesmo para você (é sério, aconteceu comigo!). E a vontade de se sentir a Maria la del Barrio #novelamexicana de novo é enorme! “Oh, céus, como pode pensar isso de mim?”  

Outra estratégia é usar alguém para contaminar sua forma de ver a igreja. Alguém com olhar malicioso que passe uma interpretação distorcida para você como se fosse um fato. Em outras palavras, a ideia é tentar importar o gremlin dos outros para você. Essa é última coisa que a gente precisa, né? Bastam os gremlins que ficam tentando encher nossa paciência diariamente, não precisamos de um carregamento extra de gremlins importados, obrigada. A boa notícia é que há uma forma de blindar nossa mente contra esses ataques. Vamos ao que interessa:

Passo 5: Proteja seus pensamentos.

“Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas.” Mateus 10.16 

Ovelha no meio de lobos não parece ser algo muito saudável para a ovelha, né? Mas o mundo é isso aí: uma alcateia de lobos. A natureza humana é assim, predatória. O que é o natural quando se vive entre lobos? Se tornar lobo, também, por sobrevivência. Mas somos ovelhas e a orientação não é virar lobos, até porque isso não é possível — embora muitos tentem e acabem virando ovelhobos, monstrinhos híbridos de ovelha com lobo, que não são nem uma coisa nem outra. Não faça isso. Siga a orientação e tudo dá certo.

A orientação é que sejamos prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas. Jesus não está nos dizendo para sermos serpentes, no geral. Não está dizendo para armar emboscada, procurar os pontos fracos dos outros, atacar ou usar alguma espécie de malícia. De jeito nenhum! Ele está nos orientando a imitar um comportamento específico (e muito louvável) da serpente: a prudência. Qual é a prudência da serpente? Se desviar do perigo. Ela está sempre atenta. E, se vê o perigo de longe, já se desvia, vai para outro lado, mantém distância.

Bem o contrário da pomba, que se atira em cima dos carros e não tem a menor noção de nada. Graças a Deus, Jesus também não nos mandou ser pombas. Senão, estaríamos ralados no meio dos lobos (literalmente). As pombas estão ali, só pensando em comer coisinhas minúsculas no chão. Elas dificilmente olham para os lados, dificilmente se preocupam com o perigo e — definitivamente — não se desviam do mal.

Precisamos nos desviar delas no trânsito e me deixam agoniada, eu vivo orando por elas pelo caminho (sim, eu oro por bichinhos, dá licença?), porque passam a vida se arriscando, aparentemente distraídas. Essa parte das pombas não devemos imitar. A parte boa é que as pombinhas estão focadas no que precisam fazer (catar farelinhos de qualquer coisa). São extremamente inofensivas, ingênuas, sem malícia. Não são predadoras, só querem viver a vida delas em paz.

Como conciliar essas duas coisas? Sendo uma pessoa tranquila, inofensiva e sem malícia, mas ficar esperta, vigiando para se desviar do mal. Não dar bobeira. Viu um negócio esquisito? Não pare para avaliar se é ruim para a sua fé ou não. Se parece esquisito, mantenha distância. Você não precisa de nada que possa enfraquecer sua fé.

E isso vale para TODO MUNDO, não importa quanto tempo tem de igreja, tenha ou não um título ou cargo. A pior coisa que pode acontecer a alguém é achar que está suficientemente maduro na fé e que, por isso, pode ver qualquer porcaria. Somos orientados a guardar nossa fé até o fim. E o fim ainda não chegou. Explicando melhor:

“Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento.” 1 Coríntios 14.20 

Crianças na malícia (ou seja, sem malícia) e adultos no entendimento. A orientação é manter a mente pura e ser racional. E isso é um esforço consciente. Você escolhe manter-se puro.

“Portar-me-ei com inteligência no caminho reto. Quando virás a mim? Andarei em minha casa com um coração sincero.”

Davi afirma que vai se portar com inteligência no caminho reto. A gente pensa que só o fato de estar no caminho reto já vai fazer com que esteja tudo bem. É como se o caminho reto, em si, já fizesse tudo e a gente só fosse na inércia. Mas a Bíblia nos mostra que precisamos nos portar com inteligência no caminho reto se nossa intenção é nos encontrar com Deus.

Davi estava esperando que Deus viesse até ele, então decidiu andar em sinceridade. Precisava se preparar. Se você está esperando o Espírito Santo, deve ter esse mesmo pensamento. Perceba que tudo aqui é intencional, fruto de decisão consciente. A primeira atitude de inteligência dele foi manter a sinceridade.

“Não porei coisa má diante dos meus olhos.”

A segunda atitude de inteligência para se manter no caminho reto é essencial: não colocar coisa má diante dos olhos. Cuidar daquilo que você vê. Coisa má não é só aquilo que é descaradamente prejudicial, como pornografia. Mas também coisas que parecem inofensivas, mas que podem atrapalhar nossa fé, como notícias sensacionalistas, fofocas, material de outras denominações (inclusive páginas no facebook e canais do youtube) e coisas que colocam você para baixo, como lembranças do passado.

Lembre-se de que nem tudo o que é mau parece mau. Às vezes parece bom, mas o resultado é ruim ou vai contra a Palavra de Deus. Então, mesmo parecendo bom, é mau. Além dessas coisas, você sabe o que mais lhe deixa ansioso, triste, irritado e lhe tira da sintonia. Evite.

“Odeio a obra daqueles que se desviam; não se me pegará a mim.” Salmos 101.2,3

Essa é a terceira atitude de inteligência para se manter no caminho reto: odiar a obra dos que se desviam (não odiar essas pessoas, mas o que elas fazem). Às vezes os que se desviam são aqueles óbvios: saíram da igreja e começam a falar mal, tentando levar outros para o mesmo buraco em que estão. Nem preciso dizer que você deve odiar a obra dessas pessoas a ponto de manter distância segura. Não vejo vídeos desse povo, não leio o que escrevem, não ouço a conversa deles e não quero saber de nada que lhes diga respeito.

Porém, muitas vezes os que se desviam ainda estão dentro da igreja (da nossa ou de outra) e até são boas pessoas, legais e tal. Mas já se desviaram das orientações. Fazem as coisas do jeito delas, falam mal dos outros, têm malícia… a maioria das conversas deixa um gostinho amargo residual. No fundo, a gente percebe, mas geralmente ignora.

A obra dos que se desviam só não se pega a nós quando a odiamos. Quando damos atenção a ela, acabamos contaminados com a negatividade dos outros. Odiar a obra dos que se desviam também é se portar com inteligência no caminho reto.

“Desviei os meus pés de todo caminho mau, para guardar a Tua Palavra.” Salmos119.101 

Se quisermos guardar a Palavra de Deus, guardar a Verdade e guardar nossa própria alma, precisamos desviar nossos pés de todo caminho mau. Andar com prudência, com inteligência, nos desviando de tudo aquilo que não está de acordo com essa Palavra. Perceba que não somos espectadores passivos. Precisamos desviar voluntariamente nossos pés do caminho mau, não colocar coisa má diante dos nossos olhos e guardar nossos ouvidos para preservar o que Deus nos deu.

Não interessa se vão nos chamar de bobos, não interessa se não vão entender, se vão pensar mal da gente. Não interessa se a gente vai ter que andar sozinho, o que interessa é preservar nossa mente, guardando nosso pensamento limpo do lixo deste mundo.

“O que anda em justiça, e o que fala com retidão; o que rejeita o ganho da opressão, o que sacode das suas mãos todo o suborno; o que tapa os seus ouvidos para não ouvir falar de derramamento de sangue e fecha os seus olhos para não ver o mal. Este habitará nas alturas; as fortalezas das rochas serão o seu alto refúgio, o seu pão lhe será dado, as suas águas serão certas.” Isaías 33.15,16

Se afaste das conversinhas inúteis, dos fofoqueiros, dos maldosos, maledicentes, desonestos, reclamões, de pessoas com distorções de pensamento e que fazem questão de continuar dando ouvidos ao gremlin, mesmo tendo sido ensinadas. Você não vai conseguir ajudar quem não quer ser ajudado.

Se precisar conviver com pessoas assim, as trate bem e ore por elas, mas não lhes dê ouvidos. Dê ouvidos aos pastores, aos seus instrutores da fé, às pessoas de Deus que querem lhe ajudar e que não distorçam a Verdade. Não misture vinhos e não abra seu coração para quem decidiu fazer as coisas de acordo com suas próprias opiniões, se afastando da Palavra de Deus. Preserve o que Deus lhe deu.  

 

.

PS: Esses são os 5 passos básicos para que vocês consigam entender melhor e praticar o que vou dizer daqui para frente sobre o assunto.

#JejumdeDaniel  #Dia 13

*  Amanhã tem novo post aqui.

** Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão diários e voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

*** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Renovando a mente — Passo 4

803119683_8474_13605107149043669983

Além de fazer um compromisso de ficar do seu lado, além de saber diferenciar a verdade da mentira e além de fazer uma faxina mental, passando seus pensamentos por um scanner usando o checklist do post anterior, é importante entender o conceito que fará com que você consiga colocar em prática o que aprender e — principalmente — permanecer praticando mesmo que o Godzilla destrua a sua cidade e ameace pisotear o planeta inteiro (não vai acontecer, tá? Mas mesmo se acontecesse).

A razão pela qual as coisas que você tentava fazer começavam a parecer difíceis depois de um tempo e, acreditando no pensamento falso de que “nunca vai dar certo”, você acabava desistindo, é que você não aplicava o fixador de mudança de pensamento/comportamento. Eu penso nele como um spray capaz de deixar o novo pensamento ou novo comportamento bem firme no lugar até que se torne, de fato, um hábito — momento em que eu não precisarei mais ficar controlando toda hora para ver se caiu.

É esse fixador que vai manter sua mudança no lugar. É ele que vai ajudar você a resistir às dificuldades e se manter firme no seu propósito de renovação da sua mente. Assim, você continuará forte até conseguir o que quer, mantendo sua fé e confiança.

Esse spray fixador se chama sacrifício.

Passo 4: aprenda a sacrificar

Talvez você não esteja familiarizado com o conceito de sacrifício. Não estou falando de sacrifício específico, esporádico, mas de uma atitude constante. Não estou falando de sacrifício financeiro. Não estou falando nem de sacrifício físico, aquele que faz você sair de manhã para trabalhar, depois emendar com a faculdade e chegar tarde da noite, ainda preparar comida, lavar a louça e limpar a casa. Ou que faz você sair domingo de manhã para ir à igreja, ficar à tarde para evangelizar e ainda voltar à noite para ir ao estudo do Apocalipse. Estou falando do conceito, mesmo. Aquele que, se você interiorizar, vai conseguir aplicar em todas as áreas, inclusive na mais difícil: o seu coração.

Sacrifício é uma palavrinha com vários significados: oferenda a um deus, privação e sofrimento são os mais conhecidos e utilizados. Mas o significado que nos interessa aqui é o de “renúncia voluntária”. Porque essa é a base da oferta, da oferenda e até da privação. Esse é o conceito mais profundo de sacrifício. Quando oferta algo a alguém, você está renunciando a algo que lhe pertencia para honrar a outra pessoa. Quando se priva de algo, como, por exemplo, quando se priva da diversão para estudar pra uma prova, você está renunciando àquele momento de lazer em favor de algo mais importante (passar na prova).

Essa renúncia, quando feita de modo racional, isto é, usando a lógica, é a base de todas as conquistas duradouras. Para passar de ano na escola, você precisa renunciar. Renunciar a horas do seu dia para assistir às aulas, renunciar à sua vontade de ficar tagarelando com os amigos para prestar atenção ao professor, renunciar ao tempo livre para estudar para as provas… Ao chegar perto do vestibular, dependendo da dificuldade do curso pretendido, a pessoa precisa renunciar ainda mais. E, depois de entrar na faculdade, continua renunciando para passar nas provas e para alcançar o diploma.

Toda a vida adulta é feita de renúncias calculadas (ou deveria ser). Quando crianças, renunciamos apenas raramente (e a contragosto) em coisas como escola ou obediência aos pais. Mas depois de adultos, renunciamos às nossas vontades imediatas para guardar dinheiro para coisas maiores como carro, casa, pagamento de dívida, viagem, cirurgia, tratamento médico, etc. Nós até conseguimos entender a renúncia de algo que podemos ver por algo que também podemos ver e que tenha valor para este mundo. Mas geralmente não percebemos que, para mantermos a saúde física, mental e espiritual, também é necessário renunciar.

Para manter a saúde física, nós precisamos renunciar à nossa vontade de comer alimentos que nos fazem mal (oi, açúcar! oi, aditivos químicos! oi, gordura hidrogenada!) e comer alimentos que nos fazem bem, mas que, nem sempre estão no rol de nossas vontades (alguém aí acorda pensando “hummm…que vontade de comer agrião!”?). Além disso, precisamos mexer nossos corpitchos em vez de passar o dia atirados na cama tomando sorvete, como poderia ser nossa vontade. Também é importante renunciar à vontade de ficar acordado até altas horas da madrugada, para dormir em um horário decente e não prejudicar a produção de melatonina.

Da mesma forma, para manter nossa saúde mental e espiritual, precisamos também renunciar, dia após dia. A boa notícia é saber que já somos bem habituados a renunciar em outras áreas da vida (levantando da cama para trabalhar, tomando banho em um dia frio, saindo de casa em um dia quente, lavando a louça quando sua vontade é comer logo, cozinhando quando preferia comer algo pronto, além dos que eu já citei). Já sabemos fazer isso. Agora é só aplicar nas áreas em que o coração e a vontade têm mandado.

Você já aprendeu a identificar os pensamentos do gremlin, que tentam distorcer sua visão a respeito das circunstâncias e de si mesmo. Já entendeu que esses pensamentos se aproveitam mais dos seus sentimentos do que da lógica para sobreviverem. E já aprendeu a não dar comidinha para eles. Eles só sobreviviam e tentavam voltar toda hora porque você se viciou em se guiar pelos sentimentos para avaliar o que era verdade e o que não. E também se guiava pelos sentimentos para escolher em que pensar e em que não pensar.

Dependia da vontade de fazer algo certo para, de fato, fazer algo certo.

Mas agora essa área da sua vida vai sair da infância e entrar na vida adulta. Vai começar a ser definida conscientemente, pelas suas decisões, e se estabelecer pela renúncia consciente de suas vontades. Até se solidificar e virar parte de quem você é. Fazer o que tem de ser feito, sentindo vontade ou não. Manter a decisão de alimentar os pensamentos que dão força e ânimo e matar os outros pensamentos de fome. Acompanhe o raciocínio (meus comentários estão entre colchetes):

“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.”

[Note, primeiro, que Deus se agrada da adoração racional. É quando você sabe o que está fazendo, por que está fazendo e para Quem está fazendo. É quando você se interessa em conhecê-LO pela meditação direta na Palavra dEle. O culto racional é apresentar nossos corpos em sacrifício, isto é, renunciar à nossa vontade de reagir de acordo com nossos sentidos e, em vez disso, obedecer a Ele. Se tornar a própria oferta, se colocando à disposição para pensar como Ele pensa, agir e reagir como Ele ensina que devemos agir e reagir.

Apresentar nossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus nos faz moldáveis como argila, para que Ele nos faça de novo à Sua imagem e semelhança. Assim, acabou aquela conversa de “ah, eu não consigo mudar” ou “ah, esse é meu jeito” ou “ah, eu sempre fui assim” e outras frases que o estado de drama nos leva a repetir. Mudamos quando decidimos mudar. Não é fácil e exige sacrifício. Exige renúncia diária e no começo é muito mais difícil e exige muito mais de nós do que gostaríamos, mas vale a pena. E vemos a diferença.

Existe algo muito interessante envolvendo esse tipo de renúncia: quanto mais sacrificamos nossa vontade de ficar pensando errado, quanto mais sacrificamos nosso direito de nos sentir vítimas, quanto mais sacrificamos nosso direito de acreditar naquilo que sentimos ou achamos e que nos prejudica, mais fortes ficamos. É perceptível. É a força do nosso entendimento tomando o controle das “mãos” do coração.]

“E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”

Romanos 12:1,2

A renovação do nosso entendimento é o que nos transforma. Não é a mudança de sentimento, a mudança de religião ou a mudança de hábitos. É a mudança da forma de pensar. O chamado para renovar nosso entendimento vem depois do alerta para que não sejamos conformados com este mundo. “Conformar” aqui não é simplesmente no sentido de se acomodar, mas sim de tomar a forma. Não tome a forma deste mundo. Não tome a forma negativa, irracional, impaciente, maldosa e descontrolada deste mundo. Mas tome uma nova forma, mude a sua forma por meio da renovação do seu entendimento.

E como se renova o entendimento? Alinhando a sua mente à Palavra de Deus. Ela será a base do seu novo padrão de pensamento (falaremos sobre padrão de pensamento amanhã). Fazendo isso, você experimentará a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Agora me diz aí: com uma promessa dessas, com o que raios você precisa se preocupar?

 

Leitura complementar: “Duvide da dúvida” — Clique aqui para ler.

 

.

PS: Coloque em prática o que aprendeu a partir de hoje. Se quiser, pode fazer como a leitora Tathy, que resolveu imprimir todos os passos para reler e anotar, para não se esquecer. Excelente ideia. A gente faz isso com as coisas que estuda, não é? Eu fiz isso na época em que decidi renovar a minha mente. Anote as coisas mais importantes que você precisa se lembrar e leve sempre com você.

PS2: Amanhã a gente continua falando sobre o “como”. Mas fazfavor de fazer a lição de casa, obedecendo à orientação desse post.

PS3: Tenho muito a falar sobre os comentários que tenho recebido, mas prefiro fazer aos poucos, em posts separados, para não dar indigestão em ninguém rs.

PS4: Por falar nisso, os comentários são enviados a mim e leio todos antes de aprovar, por isso parecem sumir quando você envia. Eles só aparecem depois de aprovados.

#JejumdeDaniel  #Dia 12

*  Amanhã tem novo post aqui.

** Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão diários e voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

*** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Renovando a mente — Passo 3

803120325_8061_2567335414987389310

Ontem falamos sobre dar ouvidos apenas à Verdade. Já aprendemos um método prático de identificar a voz do gremlin criador de pensamentos negativos: qualquer pensamento que tente nos colocar para baixo e nos fazer sentir que não há saída, é o gremlin. Se você tem convicção de que, por mais que busque, é impossível ser batizado com o Espírito Santo, essa é uma mentira tão absurda quanto dizer que ovos dão em árvores, porque contradiz a Palavra de Deus. Em vez de ficar pensando nessa mentira, se esforce para enxergá-la como o absurdo que ela é. Para renovar a mente, é preciso fazer uma verdadeira faxina.

Passo 3: Faxina mental 

“Odeio os pensamentos vãos, mas amo a Tua lei.”

Salmos 119:113

Vamos ao nosso amigo Michaelis:

vão – adj

1 Oposto à realidade; falso.

2 Sem conteúdo ou sem sentido; vazio.

3 Que denota futilidade.

4 Sem eficácia; inútil.

5 De total insignificância.

6 Que se fundamenta no que é falso.

7 Que revela vaidade excessiva. 

Davi afirma que ODEIA esse tipo de pensamento. É o que devemos fazer, também. Não ter tolerância. Não tentar decodificá-los para ver se têm um fundo de verdade. Sacrificar a vontade de ficar pensando neles. Mate a mentira de fome; dê comidinha para os pensamentos certos. Pensamentos se alimentam de atenção. Quanto mais atenção der a eles, mais eles se fortalecem. Por isso, mate os pensamentos negativos de fome e dê sua atenção aos que, de fato, a merecem. Parou de alimentar o pensamento negativo, imagine-se passando um aspirador de pó nele. Ele entra no aspirador e vai para o lixo, que é o lugar dele.  

Mas assim como não adianta só se abster de conteúdo secular sem substituir por conteúdo espiritual no Jejum de Daniel, não adianta só deixar de alimentar os pensamentos negativos. É preciso substituí-los por pensamentos verdadeiros. Passar um pano com desinfetante perfumado e colocar as coisas em ordem. Leia comigo:

“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.

E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.”

Olha que máximo, a paz de Deus excede todo o entendimento não só porque é muito maior do que podemos compreender, mas também porque está dentro de nós independentemente das circunstâncias em que estamos mergulhados. Essa é a paz que vem da fé, que independe do que sentimos, vemos ou ouvimos. Essa paz guarda nossos corações e nossos pensamentos porque ela vem do Espírito, é estável.

Mas para alcançarmos essa paz, devemos passar a Deus nossos pedidos por meio da oração e da súplica, com ação de graças (atitudes que demonstrem que estamos gratos pela resposta, mesmo antes de vê-la). Previamente gratos porque sabemos que Ele cuida de nós. E, por isso, obedecemos à ordem de não andar inquietos por coisa alguma. É isso. Causa e consequência. Se disser a Deus o que está inquietando você, confiando que Ele cuidará desse problema, a paz vai guardar seu coração e seu pensamento. E aí, quanto ao resto…

“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.”

Filipenses 4:6-8

Aí está um checklist para definir quais pensamentos estão autorizados a ficar na sua cabeça. Aplique aos seus próximos pensamentos. Isso é verdadeiro? — Lembre-se: não estou perguntando se o pensamento parece verdadeiro ou se você sente que ele é verdadeiro. Estou perguntando se faz sentido à luz da Palavra de Deus. Por exemplo, o pensamento de “não vou receber o Espírito Santo porque já estou há dez anos na igreja e até agora não recebi” faz sentido? Não, pois não há na Bíblia nenhum prazo de validade para a promessa do Espírito Santo. Ou melhor, até há. Ele vai até o dia do arrebatamento ou até o dia da morte. Até lá, qualquer pessoa pode se habilitar para recebê-LO.

Esse pensamento, então, já não passou no checklist. Não está entre os autorizados a permanecer na nossa cabeça. Se determinado pensamento passar desse primeiro item, tem que passar pelos outros: é honesto ou desonesto? É puro ou impuro? É amável ou odioso? É de boa fama ou é infame? Tem alguma virtude nele? Ele é louvável? Ou reprovável?

É um excelente momento para você duvidar da dúvida, questionar a validade do medo e desprezar aquilo que é lixo e que tem entulhado a sua mente. Faça uma faxina mental. E tenha consciência de que isso é algo a ser feito constantemente (você limpa sua casa uma vez a cada dois anos?). Não há pílula capaz de resolver esse problema de intoxicação mental. A única maneira de se livrar dessas toxinas é fazendo uma limpeza profunda. Pare de dar atenção ao que não tem lhe ajudado e passe a dedicar sua atenção às palavras que podem colocar você para cima e aproximá-lo de Deus. Leia a Bíblia, leia os livros da igreja (se já leu, releia como se estivesse aprendendo tudo de novo agora).

“Inclinei o meu coração a guardar os teus estatutos, para sempre, até ao fim.”

Salmos 119:112

E como se inclina o coração a guardar (obedecer) a Palavra de Deus? Decidindo obedecer. É pela fé, não pelo sentimento. Não pela vontade. Não pelo que parece. E é para sempre, até o fim. Não por um momento. Não até desanimar. Não condicionado a algum acontecimento ou a algum prazo. Até o fim. Quem toma essa decisão, vai colher os frutos dela. Sempre que penso nesse assunto, me lembro da mensagem do dia 2 de janeiro do livro O Pão Nosso para 365 dias. Segue um trechinho: 

“[…] Um dos segredos para a manutenção da Salvação é a oração em espírito. Ela deve ser feita imediatamente após surgirem os maus pensamentos. Instantaneamente, sem palavras, na mente, e com toda a força, há de se expulsá-los, usando o nome de Jesus.

Se não os resistimos de imediato, eles ganham força, ameaçam a boa consciência e, consequentemente, a Salvação. Por isso, a reação, por meio de breve oração mental, tem de ser imediata. Pensamentos são inevitáveis. Os positivos devem ser curtidos e alimentados. Os maus devem ser banidos, ainda que tenham a aparência de bons e pareçam fazer sentido. Não podemos impedi-los de vir, mas temos poder e autoridade para repreendê-los.


A partir de hoje, vigie seus pensamentos. E mantenha em sua mente apenas aquilo que é bom, puro, respeitável e verdadeiro. “

 

Leitura complementar:

“O que é atenção?” (clique aqui para ler)

“Está escrito!” (clique aqui para ler)

PS: Amanhã a gente continua falando sobre o “como”. Mas fazfavor de fazer a lição de casa, obedecendo à orientação desse post.

PS2: Tenho muito a falar sobre os comentários que tenho recebido, mas prefiro fazer aos poucos, em posts separados, para não dar indigestão em ninguém rs.

PS3: Por falar nisso, os comentários são enviados a mim e leio todos antes de aprovar, por isso parecem sumir quando você envia. Eles só aparecem depois de aprovados.

#JejumdeDaniel  #Dia 11

 Amanhã tem novo post aqui.

** Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão diários e voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

*** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Renovando a mente — Passo 2

803721558_77422_15457628616648112459

Falamos ontem do primeiro passo e, se você não leu, é importante que leia. Clique aqui para acessar.  

Passo 2: Somente a Verdade, nada mais que a Verdade

Sabe qual é a raiz de toda essa dificuldade do “como”? É considerar mentiras como verdade. É dar crédito à palavra do gremlin. Pense bem. Como você fica quando ouve alguém falando uma mentira? Se alguém dissesse, por exemplo, que 2+2 é 5. Você por acaso ficaria pensando sobre isso, remoendo para tentar entender como o fato de dois mais dois ser cinco vai afetar o seu futuro? Ou se alguém dissesse que os ovos vêm de árvores de ovos: árvores de folhas azuis em cujos troncos os ovos crescem como jabuticabas. Você iria acreditar? Ficaria preocupado, tentando pensar em uma maneira de colher ovos sem quebrá-los? É claro que não! Diante de uma mentira ou de uma coisa absurda, você não daria a menor bola. Ou acharia graça. Por quê? Porque você SABE que 2+2=4. Você SABE que ovos vêm de galinhas (e de outros bichinhos ovíparos).

Imagina se eu chegasse até você e perguntasse: “como faço para vencer o pensamento de que vou quebrar todos os ovos quando tentar tirá-los do pé de ovos?”. O que você me responderia? Quando eu digo para parar de ouvir o gremlin é considerar mentira tudo o que ele diz e considerar verdade tudo o que Deus diz. Mas como fazer isso se a mentira parece muito verdade e me faz sentir isso e aquilo? Quando o pensamento é acompanhado de sentimento, a gente tende a acreditar que é verdade. Como?

Por trás do vício de dar crédito à palavra do gremlin está o fato de que você não tem visto a Palavra de Deus como ela, de fato, é. Eu sei como é isso. Como disse em outros posts, nasci em igreja evangélica. Fui batista por muitos anos, sabia versículos de cor, sabia que a Bíblia era a Palavra de Deus e que é verdade e tal. E achava que acreditava que a Palavra de Deus era verdade. Mas era só teoria, porque na prática, eu não a tratava como verdade. Realmente demorei para entender o que significava isso. Acho que “verdade” hoje em dia é um conceito tão distante da realidade deste mundo, que temos dificuldade de entender. O mundo tenta nos fazer acreditar que tudo é relativo. Não é.

A Palavra de Deus é absoluta. Ela é a Verdade. Por mais convincente que um pensamento pareça, se ele é contrário ao que está escrito na Palavra de Deus, é mentira e deve ser tratado como tal. Reaja ao pensamento mentiroso como reagiria a qualquer mentira. Tem gente que, diante de um pensamento sugerido por um gremlin, trata logo de se “benzer verbalmente”:  táamarradoemnomedeJesusessedemônioémentirosoéporquetemvitóriaparamimeeleestáderrotadoepisadodebaixodosmeuspésporquefuilavadoeremidonosanguedeJesusquetempoderemnomedeJesusamém

(desse jeito, desconfigurado e sem respirar, atropelando as margens da lógica rs)

Nem sabe o que está falando, mas acha que dizer essas coisas afasta o diabo, como se pendurasse alho no pescoço para afastar vampiro. É o que chamo de “sinal da cruz verbal”. A pessoa fala um monte de palavras que ouviu o pastor falar e acha que as palavras é que vão protegê-la. Mas no fundo, está morrendo de medo de que aquilo que o gremlin disse seja verdade. Você tem que entender o que está fazendo. Somente se suas ações, reações e decisões amarrarem o diabo, suas palavras contra ele farão sentido. A Promessa diz que, se resistirmos ao diabo, ele fugirá de nós. A gente resiste ao diabo ao basear nossas decisões, reações e atitudes na Verdade, ignorando a mentira. A partir de hoje, você vai deixar de fazer sinal da cruz verbal e começará a, de fato, reagir a essas mentiras como mentiras, pois decidiu se apegar à Verdade.

Se apegar à Verdade é acreditar nela de forma absoluta. Sem espaço para dúvida. Uma criança de dois anos acredita na palavra dos seus pais de forma absoluta. De tanto ser enganada por adultos, acaba ficando desconfiada, mas nesses primeiros anos, é muito fácil você ver a simplicidade do processo de ouvir, acreditar e obedecer. É exatamente isso que temos que resgatar.

E isso é possível, sim. Favor acreditar em mim e começar a fazer, mesmo se sentindo bobo por fazer isso. Mesmo que, no início, você sinta que está mentindo para si mesmo. Não está. Você está se “des-hipnotizando”. Passou anos sendo hipnotizado pelo gremlin que fez com que seu olhar ficasse distorcido. Para consertar isso, precisa passar por esse processo de agir como se cresse, mesmo antes de sentir que está crendo. Pela milionésima vez: sentir ou não sentir não significa nada. Pare de avaliar a validade das coisas pelo fato de estar sentindo ou não estar sentindo. Às vezes eu sinto que não vou conseguir, mas porque creio que consigo, vou lá e faço, esperando conseguir, porque creio. Mesmo sentindo o contrário! Dá para entender?

Você não precisa conhecer a Bíblia toda e saber os detalhes e as letras miúdas do contrato para tratá-la como verdade. Simplesmente saiba que ela é a Verdade e pratique o que aprender. Leia com atenção esse trecho, por exemplo (isso pode ser aplicado para QUALQUER palavra que você encontrar na Bíblia):

“E disse aos Seus discípulos: Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida, sobre o que comereis, nem pelo corpo, sobre o que vestireis. Mais é a vida do que o sustento, e o corpo mais do que as vestes. Considerai os corvos, que nem semeiam, nem segam, nem têm despensa nem celeiro, e Deus os alimenta; quanto mais valeis vós do que as aves?

E qual de vós, sendo solícito, pode acrescentar um côvado à sua estatura? Pois, se nem ainda podeis as coisas mínimas, por que estais ansiosos pelas outras?

[Jesus, sempre objetivo e sem frescura, tocando a real: faz sentido se preocupar com coisas que você não pode resolver? Se puder resolver, não se preocupe: resolva. Se não puder resolver, não se preocupe: passe o problema para Quem pode resolver.]

Considerai os lírios, como eles crescem; não trabalham, nem fiam; e digo-vos que nem ainda Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como um deles. E, se Deus assim veste a erva que hoje está no campo e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé?

Não pergunteis, pois, que haveis de comer, ou que haveis de beber, e não andeis inquietos. Porque as nações do mundo buscam todas essas coisas; mas vosso Pai sabe que precisais delas. Buscai antes o reino de Deus, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.”

Lucas 12:22-31

Agora, vamos lá: Ele manda não andar inquieto e não se preocupar. Logo, é possível deixar, conscientemente, de andar inquieto e também é possível deixar, conscientemente, de se preocupar. Essa é a verdade. Aí vem uma preocupação e o pensamento: “eu não consigo não me preocupar com isso!”. Esse pensamento vai contra a verdade, logo, é uma mentira. Trate-o como mentira. “Como assim não consigo? Está escrito que consigo, então eu consigo. Vou entregar isso para Deus até tirar da minha cabeça.”

O próprio Jesus, após dizer para não andarmos inquietos e ansiosos pelo nosso sustento, nos diz COMO fazer isso: Buscai ANTES o Reino de Deus e todas estas coisas vos serão acrescentadas. A Palavra de Deus sempre nos dá o COMO. Mas precisamos vê-la como VERDADE INQUESTIONÁVEL para termos forças de lutar contra as mentiras gremlinianas. Então, na prática, é mais ou menos assim:

Vem uma preocupação em relação ao seu sustento, porque a crise está aí e talvez você esteja em condições ruins, ou seu emprego está ameaçado, sua empresa está com problemas, você foi demitido, ou está endividado, qualquer coisa assim. Até está lutando para se livrar desse problema, mas não consegue evitar as preocupações. Aí você descobre essa Palavra verdadeira e imutável que manda não se preocupar e buscar o Reino de Deus. E promete que se você fizer isso, todas essas coisas serão acrescentadas na sua vida.

Você, então, olha para todo pensamento contrário como mentira e reage a eles como reagiria a uma mentira. Desconsidera a palavra do mentiroso e busca o Reino de Deus. Dentro de você, coloca a certeza de que se buscar o Reino de Deus, o próprio Deus suprirá aquilo que você precisa e lhe dará as condições para conseguir seu sustento independentemente de crise, abrindo portas improváveis, dando a segurança que você precisava, enfim, não importa como Ele vai fazer, mas você sabe que Ele vai fazer, porque Ele prometeu.

Então, você espera essa promessa. E continua fazendo o que Ele mandou, mesmo antes de vê-la se cumprir.

A partir de hoje, reconheça a Palavra de Deus como verdade. Com atitude, não com teoria. E ignore qualquer palavra que venha da mentira.

E para quem perguntou como diferenciar a voz de Deus da voz do gremlin: Qualquer pensamento que coloque você para baixo ou tire as suas forças é a voz do gremlin. O diabo é acusador, Deus não acusa. Deus exorta. E quando Ele exorta, também nos dá o dom do arrependimento, que nos faz deixar o erro, ter nojo do erro e nunca mais chegar perto do erro (Quando se arrepende, você vê o erro como um vômito e sabe que praticá-lo novamente seria comer o vômito. Eca!). E também nos dá FORÇA para seguir em frente. Qualquer coisa diferente disso, é mentira.

Trate a mentira como mentira. E a Verdade como Verdade. 

 

.

Leitura complementar: “A verdade sobre seus pensamentos” (clique aqui para ler).

 

PS: Amanhã a gente continua falando sobre o “como”. Mas fazfavor de fazer a lição de casa, obedecendo à orientação desse post.

PS2: Tenho muito a falar sobre os comentários que tenho recebido, mas prefiro fazer aos poucos, em posts separados, para não dar indigestão em ninguém rs.

PS3: Por falar nisso, os comentários são enviados a mim e leio todos antes de aprovar, por isso parecem sumir quando você envia. Eles só aparecem depois de aprovados.

#JejumdeDaniel  #Dia 10

 Amanhã tem novo post aqui.

** Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão diários e voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

*** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

Renovando a mente — Passo 1

803120891_7424_14062802738267270484

Muita gente me perguntando “COMO?”. “Como parar  de pensar errado?” “como lançar fora a preocupação?” “como prevalecer sobre o sentimento?” “como ignorar o gremlin?” “como vencer a dúvida?” “como abrir mão de um relacionamento prejudicial?” COMO? Ficar preso a esses questionamentos dificulta a prática do que você aprende. Você pergunta “como” porque, quando tenta, sente que não consegue e essa sensação faz com que desista. (Olha aí o vício de andar pelo que sente em vez de andar pela fé.)

Por trás dessa perguntinha está um problema muito maior, que precisa ser corrigido, senão vou responder a um “como” hoje e amanhã você aparecerá com outro “como” sem resposta. Você precisa renovar sua mente. Então, trate de aprender e praticar cada um dos passos que vamos mostrar nessa série de posts e você mesmo conseguirá responder aos COMOs que surgirem na sua cabeça.

Vamos começar com um passo básico (é básico, mas eu também demorei uns trocentos anos para descobrir que existia), pois sem isso fica meio complicado colocar o restante em prática. É por não ter consciência disso que você acaba boicotando seus esforços. 

Passo 1: Fique do seu lado

Não estou pedindo para ser condescendente com seus erros, mas para agir como se, de fato, estivesse do seu lado e não do lado oposto. Seja seu melhor amigo e se ajude. Entenda o seguinte: Quando você tenta acertar, você erra pelo menos uma vez. Acostume-se com isso. Se desistir só porque errou, terá uma vida bem complicada pela frente, porque viverá desistindo e se sentindo frustrado e inútil. Já viu um bebê aprendendo a andar? Ele dá um passinho e cai. Daqui a pouco, dá dois passinhos e cai de novo. Mas isso não o impede de levantar e insistir até deixar de cair. Daqui a alguns anos, fará a mesma coisa ao aprender a andar de bicicleta sem as rodinhas de apoio.

Você se imagina dizendo a um bebê que está aprendendo a andar e cai: “seu incompetente! Você é burro? Você nunca vai conseguir andar!”. Seja sincero: o que você faria se visse um adulto falar assim com um bebê dando os primeiros passos ou com uma criança de 7 anos aprendendo a andar de bicicleta sem rodinhas de apoio? Qual seria a sua reação? O que pensaria dessas frases absurdas?

O problema é que tem um pessoal que entrou em estado de drama tantas vezes que meio que se viciou em drama (boa notícia: vício tem cura! Conheça o Tratamento para Cura dos Vícios😀 ). Aí qualquer dificuldade já é motivo para se sentir a última das criaturas. “Eu não presto.” “Não vou conseguir.” “Nunca vou ser melhor.” “Não tem jeito para mim.” E lá está você falando coisas horríveis para alguém que está sinceramente se esforçando para acertar, para agradar a Deus. 

Amiga (ou amigo), com todo o infinito amor que existe dentro do meu ser: ACORDA! Quando você vai começar a ter RAIVA desse tipo de frase? Não estou dizendo para ter raiva de você por ter pensado nessa frase (tem que explicar, né? rs), mas ter raiva da frase, mesmo. Deus é mentiroso? Deus é maluco? Deus envelheceu? Deus muda? Deus tem alzheimer e se esquece das coisas? Então, por favor, comece a enxergar esse tipo de pensamento como ele de fato é: uma mentira.

Decida fazer o certo, pensar certo e obedecer à Palavra de Deus, sabendo que você foi chamado por Ele e tem todas as condições de conseguir (porque condições todo mundo tem, basta obedecer). E se, no terceiro passinho, você cair, se levante e continue. Não fique se torturando. Seja seu amigo. Se ajude, se motive, sente com você para fazer uma oração. Ok, parece um conselho de doido. Mas já que vai falar consigo mesmo, então fale coisas boas. Leia a Bíblia, pegue uma Palavra que combata o pensamento que mais te atrapalha e use essa Palavra TODAS AS VEZES que o pensamento vier.

Ah, mas é difícil! Ah, mas já tentei e não consigo! É por isso que se chama GUERRA! E, sinto informar, mas ninguém se livra dela nunca. Dentro ou fora da igreja, a vida é uma guerra constante entre os pensamentos ruins e os bons. Mas quando aprendemos a usar a fé, temos força para VENCER. Os pensamentos ruins geralmente têm dois aliados: o gremlin e nós mesmos. Já os pensamentos bons, têm dois aliados: Deus e aqueles que estão na fé e que nos ajudam. Minha proposta é que você desfalque o lado dos pensamentos ruins e fortaleça o dos bons, passando a jogar a seu favor.

Não tenha peninha de você, mas fale consigo mesmo com amor, como falaria a alguém que está se esforçando para acertar. Eu fiz isso e escrevi a respeito uns três anos atrás. (Recomendo que você leia o texto e vou deixar o link no final, mas por enquanto termine de ler este aqui.) Cheguei a escrever cartinhas para mim mesma, para combater a vontade de me descascar quando começava a me cobrar demais. Escrevia como se estivesse orientando outra pessoa. 

Se, no futuro, alguém encontrar esses cadernos sem que eu possa explicar, vai ter certeza de que eu estava em uma espécie de surto psicótico conversando comigo mesma rs, mas o que importa é que funciona. Não tem problema fazer umas coisas aparentemente doidas conscientemente, que funcionem para nos ajudar a exercitar a fé (tipo fazer Terapia do Amor para aprender a se relacionar consigo mesma ou mesmo o Tratamento para a Cura dos Vícios para se livrar do vício de drama rs).

Na Terapia do Amor, aprendi a separar o erro e a Vanessa; o problema e a Vanessa. Se a Vanessa errar, não significa que a Vanessa é um erro. Vou ajudá-la a superar esse erro e evitar que ele se repita. Se a Vanessa tiver um problema, não significa que a Vanessa é um problema. Como amiga, vou ajudá-la a resolver esse problema, exatamente como faço com meu marido.

Antes, o gremlin nem precisava trabalhar muito, ele me dava uma chicoteadinha de leve e eu tomava o chicote da mão dele para me chicotear loucamente. Mas agora eu tenho em mim uma amiga e aliada para combatê-lo usando a fé.

Faça isso, por favor. Dê esse primeiro passo. Não apenas hoje, mas a partir de hoje, pois o progresso, como o próprio nome diz, é progressivo. :)  

 

* O texto de que falei é esse aqui: Uma amiga no momento mais difícil (clique aqui para ler — vai ajudar bastante)

 

 

PS: Amanhã a gente continua falando sobre o “como”. Mas fazfavor de fazer a lição de casa, obedecendo à orientação desse post.

PS2: Tenho muito a falar sobre os comentários que tenho recebido, mas prefiro fazer aos poucos, em posts separados, para não dar indigestão em ninguém rs.

PS3: Por falar nisso, os comentários são enviados a mim e leio todos antes de aprovar, por isso parecem sumir quando você envia. Eles só aparecem depois de aprovados.

#JejumdeDaniel  #Dia 9

 Amanhã tem novo post aqui.

** Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão diários e voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

*** Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .

O convite do Espírito Santo

sailboat-459794_1920

A igreja dos primeiros cristãos não tinha nome. Ela surgiu quando o Espírito Santo foi derramado na reunião em que estavam aquelas 120 pessoas que obedeceram à ordem de Jesus de esperar em Jerusalém até serem revestidos de poder do Alto. Mais de 500 pessoas O viram ressuscitado, mas apenas aquelas 120 estavam em Jerusalém naquele dia. Eles estavam escondidos, inseguros, sem saber o que deveriam fazer. Mas no dia de Pentecostes, assim que foram cheios do Espírito Santo, todo aquele medo acabou.

Imediatamente começaram a falar com ousadia das grandezas de Deus. Pedro se levantou, começou a pregar e, naquele mesmo dia, entre os curiosos que se aproximaram para ver o que estava acontecendo, quase três mil pessoas se converteram. Quase três mil almas se juntaram àquelas primeiras cento e vinte, de uma só vez. Quase oito vezes mais do que os que viram o Senhor ressuscitado, mas não estavam em Jerusalém no dia de receber o Espírito Santo pela primeira vez.

Deus nunca perde. Ele alcançou os que esperaram e também alcançou os que estavam por perto e se interessaram em ouvir. Hoje, quem quer ouvir e se aproxima, ainda que não tenha religião, ainda que não saiba nada de Deus, também pode recebê-LO, se estiver disposto a entregar sua vida a Ele. Quem for suficientemente honesto para admitir que sozinho não tem conseguido; que fez escolhas erradas e quer, sinceramente, ser guiado pelo Espírito do Deus Vivo, tem hoje a chance de receber uma nova vida.

O Jejum de Daniel é como o convite do Espírito Santo àqueles três mil homens no dia de Pentecostes:

E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa.

Atos 2:40

Se desliguem das coisas que fazem com que este mundo esteja mergulhado no caos. Saiam das trevas e venham para a Luz. Mudem sua maneira de pensar. Recebam o Espírito da Sabedoria. Salvem-se do sistema perverso que domina este mundo. Venham conhecer o Reino de Deus. Mas que tipo de reino é este? É um reino em que ficamos tomando chazinho de cogumelo e tocando harpa, vestidos de branco? Nããão! É guerra, todos os dias! O reino de paz está dentro de nós. E precisamos disso para guerrear decentemente e não morrer no campo de batalha.

Explicando (porque nesse tempo de crente jihadista, é preciso explicar) que a guerra não é contra as pessoas. Não é contra os homossexuais, não é contra políticos, não é contra nenhum ser humano. A guerra é contra o mal e contra nós mesmos. A guerra é contra as vozes dos gremlins invisíveis que se empoleiram em nosso ombro e tentam desviar nossa atenção. A guerra é contra o tempo que tenta nos vencer pelo cansaço. A guerra é contra as dúvidas, o medo, a falta de confiança.

Nessa guerra, precisamos da armadura do Espírito Santo. Precisamos das armas e do escudo, que são a Fé e a Palavra de Deus. Por isso o convite da salvação foi feito assim que o Espírito Santo veio. Ele nos convida a entrar no barco e viver de acordo com a Sua Palavra, mas cada um de nós decide se sobe ou não. E como se decide subir? Sentindo que quer subir? Esperando ver que subiu? Não. Agindo como quem quer subir e…subindo. A vontade e o sentimento vêm (se vierem) depois da decisão e da ação. 

.

#JejumdeDaniel  #Dia8

 Amanhã tem novo post aqui.

** Estamos em uma jornada de 21 dias de jejum de informações e entretenimento chamado Jejum de Daniel. Durante esses dias, os posts no blog serão diários e voltados exclusivamente para o crescimento espiritual. Leia este post para entender melhor.

PS: Para quem não acompanhou ou para quem gostaria de rever os posts das edições anteriores do Jejum de Daniel neste blog, segue o link da categoria: http://lampertop.com.br/?cat=709 .