O que é um petista?

Já faz um tempinho que quero escrever a respeito disso. Pessoas tentam desqualificar meus argumentos (e os seus, também, provavelmente) dizendo que “vêm de uma petista”. Eis mais uma frase que faz com que o cérebro da criatura, aos meus olhos, encolha até se transformar em uma ervilha.

De uma vez por todas: uma coisa é votar na Dilma, ou no PT, outra completamente diferente é ser petista. Até onde eu sei, petista é uma pessoa filiada ao PT e com histórico de militância. Eu não sou filiada a partido político, e só participei da campanha, muito discretamente, em 2002, por conta própria, com minha irmã, porque queríamos tirar o PSDB do governo. Na era FHC, em 99/2000, eu estava na universidade federal e o governo não liberava verba para nada, a intenção era matar as universidades de fome, para forçar uma privatização. Só se falava nisso, e já nos preparávamos para começar a receber boletos de mensalidades. A parca verba que a UFMS recebia era concentrada na faculdade de Medicina e, o que sobrava, na de direito, e mesmo lá, faltava muita coisa.

Na faculdade de jornalismo, que eu fazia, não tinha verba para nada. Os computadores do laboratório de redação não davam para a metade da sala, não tinha verba nem para comprar papel higiênico, quem quisesse, levava de casa. A universidade vivia com mais da metade de suas luzes apagadas, para economizar, e também por causa do racionamento de energia. É uma região perigosa, e tivemos diversos casos de estupros e assaltos no campus. Não me lembro de ninguém na época que defendesse a continuidade daquele processo de depredação, embora a maioria realmente tivesse medo do Lula transformar o Brasil em uma ditadura comunista (coisa que ele teve 8 anos para fazer e não fez. Está, ao contrário, prestes a transformar o Brasil em uma potência capitalista), e outros torciam profundamente para que o Lula transformasse o Brasil em uma ditadura comunista, e devem ter se decepcionado profundamente…talvez hoje votem no PC do B ou no PSOL. Acabei, por conta disso, deixando a faculdade. Retomei o jornalismo em 2002, em uma universidade particular.

Desde que me conheço por gente, minha inclinação foi sempre para a esquerda, ou algo que se pode chamar de centro-esquerda. Sou protestante, o protestantismo é, em essência, revolucionário. Não existe possibilidade de extrema direita em meu contexto histórico. Hoje o PT é o que mais se aproxima de meu modo de ver as coisas, mas isso não me faz uma petista, acho que não tenho o direito de me denominar assim.

Vamos explicar também que “petista” não é ofensa, não é xingamento. Se você se deparar com um verdadeiro petista e chamá-lo de “petista” ele ficará bem feliz e lisonjeado. Eu acho que o elogio não me cabe, por isso não o aceito. E te acharei bastante imbecil por não saber a diferença entre um petista e um mero eleitor da Dilma. Eu sei a diferença entre um tucano e um mero eleitor do Serra, por exemplo. Ou o fato de você ter votado no Serra te transforma, automaticamente, em um tucano? Se você acha isso, está muito enganado.

As criaturinhas não perdem a oportunidade de nos chamar de “petistas” (como se fosse uma ofensa grave) só por declararmos voto à Dilma e combatermos o abuso e absurdo da manipulação do PSDB+Pig. Eu sei por quê. As pessoas gostam de criar rótulos e cada rótulo contém o título e uma descrição. Se te tascam um rótulo na testa, já automaticamente assumem que você se encaixa na descrição pré-concebida no rótulo.

Você vota na Dilma? É Petista! Acha que a Globo manipula? É Petista! Petista é quase que uma sub-espécie. Você deixa de ser humano e passa a ser meramente Petista. Então nada do que você diga é digno de crédito, afinal de contas, você é um Petista!  E se você é um petista – pensa a pessoa – eu não preciso me esforçar para pensar no que você diz e ver se faz sentido ou não. Simplesmente bloqueio tudo e não dou crédito, pois você é um petista.

Para mim isso é puro exercício de ignorância, de quem não admite que possa haver verdade em uma opinião contrária. Fecha os olhos, tapa os ouvidos e começa a cantar, bem alto: “lálálálálá-lá, você é petistaaaa, petistaaa”. Se você não votou na Dilma, e quando vê uma opinião contrária, já pensa: “é um petista!” Faça um favor à sua imagem pública: não externe esse tipo de pensamento.  Talvez no futuro você tenha a real noção do quão ignorante isso te faz parecer e se envergonhe. Melhor não deixar esse tipo de registro para a posteridade.


.

PS: A maioria do pessoal que eu conheço e que militou na internet a favor de Dilma não é petista. Assim como eu, grande parte dessa militância só se engajou na campanha depois de se indignar com a postura agressiva e manipuladora da imprensa contra Dilma. Se a campanha da oposição tivesse sido mais educada e com menos participação do PIG, eu teria votado na Dilma de qualquer maneira (provavelmente, já que noPSDB eu jamais votaria, e após pesquisar suficientemente, não votaria na Marina), mas pelo menos não teria feito campanha, nem me esforçado para conseguir votos. A oposição deu tantos tiros no pé, desde o começo, que nem sei como ainda consegue andar.

PS2: Minha luta nessa eleição foi principalmente contra parcela golpista da imprensa, e sempre deixei isso muito claro. É a minha tônica neste blog.

.

A semana bipolar de Veja

vejahisterica

Pelo visto a Veja realmente acreditava na “virada” de José Serra. A edição de sábado traz uma caricatura horrorosa e desrespeitosa de Lula, de cueca, com a faixa presidencial pintada no corpo. Essa edição é toda em tom golpista e manipulatório, é nela que encontra-se a indignante e tão comentada matéria sobre a qual escrevi há três posts. Segue a linha da edição anterior, a do grampo sem áudio (mais um para a coleção de Veja), e faz acusações e insinuações do começo ao fim. Com a eleição de Dilma, não teve como fugir de uma edição histórica, se rasgando em elogios à nossa presidente. As duas edições circulam simultaneamente esta semana. Veja perdeu a vergonha. Mas o que é perder a vergonha, para quem já perdeu a decência e a credibilidade?


PS: Dizem que entre a capa da direita e a capa da esquerda, a editora Abril teve muita vontade de publicar essa aqui: http://twitpic.com/32xyo5

PS2: Não reclamo. Se Veja resolver ser menos sensacionalista, menos tendenciosa e passar a falar a verdade e fazer jornalismo (ou seja, se acontecer um milagre), ficarei bem feliz. Meu problema, agora, são as duas edições em tons tão divergentes circulando ao mesmo tempo.

.

Vencemos

1004-OLULA-LULA-Brazil-Elections_full_380

Vencemos o preconceito, vencemos as mentiras, a manipulação, o jogo baixo. Agora é tentar conscientizar os que votaram no Serra por repulsa à Dilma e que neste momento, aguardam o Apocalipse. Espero que um dia eles percebam que compraram uma ideia equivocada e aprendam a não ir na onda de boataria, como foram.

Dilma entra para a história como a primeira presidente eleita do Brasil. Essa mulher, que suportou a tortura e a prisão na ditadura, conseguiu suportar a tortura psicológica desses dias de campanha. Agora as pessoas que tiverem interesse e boa vontade, poderão conhecer a verdadeira Dilma, não aquela dos videozinhos toscos editados e retirados de seu contexto, disponíveis no youtube só para endossar o preconceito. Também não aquela das edições da Globo, que ora quer mostrá-la como poste anencéfalo, ora quer mostrá-la como descontrolada, grossa e autoritária.

Agora, quem se interessar, poderá descobrir uma Dilma extremamente inteligente, com um raciocínio lógico afiadíssimo, bem humorada, um pouco tímida, mas forte, segura e firme em suas opiniões, ao mesmo tempo educada. Durante esse período em que me dediquei a pesquisar sobre ela, descobri uma pessoa de personalidade tão rica, que me parece uma estupidez tremenda alguém analisá-la de uma forma tão reducionista. Tão reducionista quanto analisam Lula, e o chamam de analfabeto só por ele não ter curso superior e por usar linguagem coloquial. Quando alguém me diz que Dilma não sabe falar (ou que Lula não sabe falar, ou que ele é analfabeto), logo me lembro de diversos pronunciamentos e entrevistas impecáveis que já assisti com eles e imediatamente a impressão que eu tenho é que o cérebro da pessoa, aos meus olhos, começa a encolher, encolher, até transformar-se em uma ervilha.

Essa campanha me fez repensar diversas coisas, ainda estou analisando tudo o que aconteceu. Vi o pior lado de algumas pessoas, mas também descobri que existe muito mais gente que gosta de pensar fora da caixa, que tem prazer em pesquisar e raciocinar, muito mais do que eu achava que tivesse. E isso me deu uma alegria incomensurável, uma esperança à qual me agarro: a de que nem tudo está perdido e que uma imprensa mais justa e informativa é possível. Valeu, Dilma. A luta continua. Não vou mudar de assunto tão cedo. Quem não gosta, que tire ferias do blog. Tem uma galera bem bacana conversando, e é com eles que quero continuar a falar.

Obrigada, Deus, por ter nos permitido essa vitória sobre as forças malucas do pior lado da direita, que se uniu para apoiar Serra.


PS: Dilma deu a primeira entrevista para a Record!!! Valorizou quem esteve ao lado da verdade, mostrou que é justa. AMEI! Adeus, PIG, recolha-se à sua insignificância.

.

Reavaliando o voto 13…

Recebi esse texto da Claudia Stella (não, ela não tem blog. Não que eu saiba, mas tem um site, o www.claudiastella.com.br ). Perfeito. Compartilho com vocês, para a posteridade…

Reavaliando o voto 13…

Claudia Stella

Estive pensando nestes últimos dias e resolvi que deveria reavaliar meu voto.

Porque eu votaria na Dilma e não no Serra?

Que me importa se as obras do metrô de São Paulo estão cheias de corrupção e se até a Suíça já sabe disso? Que importa realmente se o PSDB impediu que todos os pedidos de CPI prosperassem? Ou as obras do Rodoanel.

Ou se no governo tucano a Polícia Federal realizou, nos oito anos, 28 operações com 54 prisões e no governo do PT foram 1043 operações e presas 3971 pessoas por corrupção, crimes contra os cofres públicos,  lavagem de dinheiro, tráfico internacional de drogas, contrabando..que importa ?

Francamente não me importo se o governo do PT  tirou mais de 20 milhões de famílias da miséria, da fome – eu nunca passei fome mesmo. Ou se 35 milhões de famílias passaram para classe média? Eu já estava lá há muito tempo.

Não me importo se o governo do PT criou mais de  14 milhões de   empregos com carteira assinada e temos hoje a menor taxa de desemprego desde que ela começou a ser medida – eu já tenho o meu.

Não me interessa se o PT criou 14 universidades e 117 novas extensões e no governo tucano foram criadas apenas 1. Veja, no governo tucano foram criadas 11 escolas técnicas, que importa, realmente, se no governo do PT foram  214?

Ou de que me adianta se o PT criu o PROUNI que beneficia mais de 700 mil estudantes no país? Eu já me formei mesmo..

Mas eu também penso que não tem nada a ver pra eleição saber que, no governo tucano, os juros chegavam a 23,25% e hoje, no do PT não passa de 12,6%. Ou quem está preocupado se a inflação com os tucanos era de 12,56% e hoje de 4,49%?

Alguém, em seu juízo perfeito, tinha reparado que no governo tucano não existia SAMU e hoje são 1.347 cidades com esse serviço? Eu nunca me acidentei, passei mal que precisasse de ambulância mesmo.

Esse pessoal que vai votar na Dilma fica falando que no governo em que o Serra foi ministro tinham 19 mil equipes de saúde da família e hoje tem 30 mil equipes ; eu não preciso deles.

Ou que hoje são 12,6 milhões de famílias que recebem assistência social e o bolsa-família que no governo tucano apenas 3,6 milhões de famílias contavam com assistência social – eu não preciso disso.

Também, convenhamos, eles falam que aumentaram o salário mínimo que no governo tucano era de R 200,00 e aumentava de 10 em 10 reais e que agora fecha o ano em R$ 510,00 e com aumento real a cada ano – eu não recebo salário-mínimo.

Pra que eu quero saber se no governo tucano não foi destinado nem um centavo para programa habitacional para população de baixa renda poder comprar a casa-própria e no governo do PT foram 400 mil famílias beneficiadas com o subsídio – em dinheiro – do governo federal?

Ou o que, no fim das contas importa se o Serra tem a mesma opinião da Dilma sobre o aborto, tendo sido ele o único ministro da saúde que se dispôs a regulamentar a lei que facilita o acesso ao aborto nas redes do SUS? Ou se várias alunas afirmam que ouviram D. Mônica confessou dizer ter feito um aborto e agora chama Dilma de matadora de criancinhas? Ou que ele, na verdade, não é o pai dos genéricos, apenas regulamentou uma lei anterior – da mesma forma que fez com a do aborto?

Realmente, não para por aqui os motivos pelos quais eu me pergunto porque escolher a Dilma ao invés do Serra.

Mas o vídeo abaixo deixa tudo bem claro

http://www.youtube.com/watch?v=Ig9pE6qwzxw

Claudia Stella.

Serra e os valores cristãos

José Serra se reuniu com alguns membros e pastores da Assembléia de Deus  esses dias. Também se reuniu com católicos. Por que então ele não fez o discurso que fez hoje em Minas Gerais para simpatizantes do PSDB? Imagine só ele, que se diz tão defensor de princípios cristãos, pediu, como explica melhor o Brizola Neto, em seu blog,” Em lugar de pedir que lhe conquistassem votos com argumentos e conversas políticas, sugeriu que elas fizessem um leilão de seus atributos físicos.”

Serra disse (e sim, era a sério, levantando estratégias para angariar votos na reta final): “Se você é uma menina bonita, tem que conseguir 15 votos. Pegue a lista de pretendentes e mande um e-mail. Fale que quem votar em mim tem mais chance com você”

E acabei lendo um comentário em outro blog que me lembrou de outra opinião que Serra poderia ter emitido na reunião com a Assembléia de Deus:

“Ontem, foi apresentado nosso Índio para a vice-presidência, um homem jovem, preparado, com experiência, que vai crescer muito e ter muita responsabilidade (…) Tem uma namorada e, me disse por telefone: ‘não tenho amantes”. Eu até disse: ‘também não precisa exagerar. O que tem que ser é uma coisa discreta””

Serra é assim, dissimula seu discurso e chega com cara de santo em reunião da Assembléia de Deus, saudando os irmãos com “a paz do Senhor”, que Malafaia deve tê-lo ensinado. Vocifera contra o aborto e não conta que sua mulher já fez um aborto. Posa de santo e acha adultério uma coisa normal e fidelidade um exagero, a ponto de aconselhar um rapaz que se disse fiel a não exagerar na fidelidade.

Quem é do bem, não precisa dizer, mostra com suas atitudes. Não é o que esse senhor tem feito.

PS: Clique aqui para ler o que Serra disse sobre traição e clique para ver o vídeo no Youtube

PS2: Sobre o assunto da cafetinagem eleitoral, clique aqui e aqui

PS3: Isso sem esquecer do Paulo Preto…


.

Marina quase sai do muro

Copio do blog da Maria Frô: http://mariafro.com.br/wordpress/?p=21137

Depois da Xuxa passar um pito no José Serra, agora é a vez de Marina Silva.

Vi em blogs tucanos um matéria do Estadão, de agosto, ou seja, quando a candidata Marina Silva ainda estava na disputa, vendida como se fosse uma matéria de agora. A pilantragem estava em descontextualizar a fala de Marina proferida em campanha eleitoral do primeiro turno como se fosse recente. Marina deveria se posicionar também das grotescas ações tucanas no twitter envolvendo seu nome, dos adesivos e cartazes espalhados pelo Brasil afirmando que ela apóia Serra. Faria um grande bem repudiar todas as estratagemas desta campanha baixa da turma do contra.

“Não usem meu nome para o vale-tudo eleitoral”, repreende Marina

Do Blog da Marina

27/10/2010

A senadora Marina Silva (PV-AC) criticou, hoje, duramente os setores do PSDB que promoveram iniciativas fraudulentas de envolvê-la em ações de apoio à candidatura de José Serra.

“Não usem meu nome para o vale-tudo eleitoral”, advertiu Marina ao tomar conhecimento de um endereço de e-mail falso (marina@pv.gov.br) e de um post do blog Eu Vou de Serra 45 que manipula declarações dadas por ela durante a campanha do primeiro turno.

“Infelizmente, muitos não aprenderam nada com os resultados das urnas e continuam a promover a política de mais baixo nível ao usar estratagemas banais para buscar votos”, declarou a ex-presidenciável do PV.

O e-mail com o remetente marina@pv.gov.br é direcionado aos simpatizantes de Marina e contém mensagem em nome da senadora e do PV com pedido para que se unam em torno da candidatura de Serra.

Por sua vez, o blog da militância tucana lança mão de declaração da então candidata verde à Presidência de forma descontextualizada para fazer seu proselitismo eleitoral. “Marina se posiciona: Brasil não pode ser entregue a quem conhece”, afirma inadvertidamente a divulgação dos defensores do ex-governador de São Paulo.

“Estamos no final do segundo turno, e os brasileiros já tiveram acesso a muitas informações sobre os candidatos à Presidência. Não há mais desconhecidos. O eleitor vai às urnas consciente da sua escolha e não sujeitará a formação de sua opinião àqueles que usam artifícios ingênuos para distorcer a realidade”, afirmou Marina.

A senadora voltou a manifestar o posicionamento que ela e o Partido Verde tornaram público desde o último dia 17 de outubro sobre a fase final da disputa presidencial: independência em relação a Dilma e Serra.

“Os quase 20 milhões de brasileiros que endossaram meu projeto e o de Guilherme Leal no primeiro turno sabem que o respeito ao eleitor é um princípio inquestionável na nossa prática política, o que nos diferencia daqueles que querem o poder pelo poder”, concluiu Marina Silva.

Depois da Xuxa passar um pito no José Serra, agora é a vez de Marina Silva.

Vi em blogs tucanos um matéria do Estadão, de agosto, ou seja, quando a candidata Marina Silva ainda estava na disputa, vendida como se fosse uma matéria de agora. A pilantragem estava em descontextualizar a fala de Marina proferida em campanha eleitoral do primeiro turno como se fosse recente. Marina deveria se posicionar também das grotescas ações tucanas no twitter envolvendo seu nome, dos adesivos e cartazes espalhados pelo Brasil afirmando que ela apóia Serra. Faria um grande bem repudiar todas as estratagemas desta campanha baixa da turma do contra.

“Não usem meu nome para o vale-tudo eleitoral”, repreende Marina

Do Blog da Marina

27/10/2010

A senadora Marina Silva (PV-AC) criticou, hoje, duramente os setores do PSDB que promoveram iniciativas fraudulentas de envolvê-la em ações de apoio à candidatura de José Serra.

“Não usem meu nome para o vale-tudo eleitoral”, advertiu Marina ao tomar conhecimento de um endereço de e-mail falso (marina@pv.gov.br) e de um post do blog Eu Vou de Serra 45 que manipula declarações dadas por ela durante a campanha do primeiro turno.

“Infelizmente, muitos não aprenderam nada com os resultados das urnas e continuam a promover a política de mais baixo nível ao usar estratagemas banais para buscar votos”, declarou a ex-presidenciável do PV.

O e-mail com o remetente marina@pv.gov.br é direcionado aos simpatizantes de Marina e contém mensagem em nome da senadora e do PV com pedido para que se unam em torno da candidatura de Serra.

Por sua vez, o blog da militância tucana lança mão de declaração da então candidata verde à Presidência de forma descontextualizada para fazer seu proselitismo eleitoral. “Marina se posiciona: Brasil não pode ser entregue a quem conhece”, afirma inadvertidamente a divulgação dos defensores do ex-governador de São Paulo.

“Estamos no final do segundo turno, e os brasileiros já tiveram acesso a muitas informações sobre os candidatos à Presidência. Não há mais desconhecidos. O eleitor vai às urnas consciente da sua escolha e não sujeitará a formação de sua opinião àqueles que usam artifícios ingênuos para distorcer a realidade”, afirmou Marina.

A senadora voltou a manifestar o posicionamento que ela e o Partido Verde tornaram público desde o último dia 17 de outubro sobre a fase final da disputa presidencial: independência em relação a Dilma e Serra.

“Os quase 20 milhões de brasileiros que endossaram meu projeto e o de Guilherme Leal no primeiro turno sabem que o respeito ao eleitor é um princípio inquestionável na nossa prática política, o que nos diferencia daqueles que querem o poder pelo poder”, concluiu Marina Silva.

Rodeio da ignorância

Uma notícia me deixou extremamente indignada hoje, pela impunidade. Alunos de uma UNIVERSIDADE de São Paulo (UNESP) organizaram, via orkut, uma “competição” apelidada de “rodeio de gordas” no qual a regra era encontrar uma aluna obesa, tentar ganhar a confiança dela e, depois, agarrar-se em suas costas e permanecer o máximo de tempo possível. A ação ocorreu durante um evento esportivo público da universidade. A despeito da humilhação passada pelas alunas, a direção da universidade esquivou-se de punir os agressores, com o pífio argumento: “não queremos estabelecer um processo inquisitório” (palavras do vice diretor Ivan Esperança). Ok, então punir réu confesso agora virou “processo inquisitório”??? As provas estavam à disposição de quem quisesse vê-las no orkut, e mesmo agora – depois de a comunidade ter sido deletada – continuam disponíveis através de print screens. Os próprios autores não esconderam a participação no ato. Um deles diz que tratava-se de “uma brincadeira”. Poderia ser uma bela oportunidade da Unesp educar seus alunos, mostrando que não se pode desvalorizar um ser humano desta maneira. Não compreendo a incapacidade de algumas pessoas em enxergar um indivíduo que é diferente dela como um ser humano. A falta de respeito por outro ser humano a ponto de sujeitá-lo a uma humilhação dessas e ainda tentar se justificar dizendo que “foi uma brincadeira” (como quem, obviamente, ainda não entendeu a dimensão do que fez) demonstra uma realidade preocupante entre nossos jovens. Continuar lendo

O terrível ataque da bolinha de papel

Quem se interessa pela verdade, veja o vídeo do SBT, que deixa bem claro o que atingiu o Serra: uma bolinha de papel (um objeto mais pesado JAMAIS faria tal trajetória, sem impacto algum). O vídeo ainda mostra que Serra andou mais vinte minutos, até receber um telefonema no celular. Após desligar o celular, esperou alguns (poucos) instantes e levou a mão à cabeça, para ser fotografado, provavelmente. E daí veio toda a encenação, com direito a TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA por ter sido atingido por uma…bolinha de papel! Alguém sabe quanto custa uma tomografia? Quem pagou? Paulo Preto?

Segundo a CBN (que agora esqueceu que transmitia o tumulto ao vivo), os manifestantes começaram a perguntar quem era Paulo Preto, ao que o pessoal do PSDB se irritou e partiu para cima, foi como começou o tumulto. Em hipótese alguma atos de violência devem ser apoiados ou incentivados, violência é inaceitável e injustificável, no entanto, em hipótese alguma simulação deve ser apoiada ou incentivada, pois também é inaceitável e injustificável, por isso a atitude de Serra está sendo ridicularizada, com razão. Ele está fazendo uma campanha baseada em mentiras, distorções da verdade, factóides e simulação!! Deus me livre de ter esse homem como presidente da república! Se faz isso como candidato, imagine como presidente!

Em minha opinião, ele deveria ter pego a bolinha de papel, aberto e lido, talvez fosse um bilhete.

Depois eu soube (já que não assisto à Globo minhas informações vêm por terceiros) que a Globo dedicou um tempo considerável para tentar provar que serra foi atingido por uma bobina de durex…impossível, uma bobina de durex é suficientemente pesada para causar um reflexo de levar a mão à cabeça no instante do impacto (e não VINTE MINUTOS depois). Violência é injustificável, mas simulação também é. E subestimar a inteligência da população, idem. A inteligência de todos – inclusive dos eleitores do Serra – foi subestimada nesse episódio, e quem não se indignou com esse teatro não tem nenhum senso crítico, nem respeito próprio. A Globo está desesperada, o Serra está desesperado. Mas me admirou um médico aceitar a criatura atacada por uma bolinha de papel e ainda submetê-lo a uma tomografia, dizendo que poderia ter causado um edema cerebral (será que o cérebro de Serra é tão frágil assim que pode edemaciar pelo impacto de uma bolinha de papel?). Então encontrei uma informação sobre o tal médico, que explica tudo, clique aqui para ler na íntegra.

“Em maio de 1998, após ser eleito membro da Academia Nacional de Medicina, passou a ocupar a cadeira nº 26 na Seção de Cirurgia. Em setembro do mesmo ano, foi nomeado diretor-geral do INCA pelo Ministro da Saúde.
Quem era o Ministro da Saúde em 1998? Quem nomeou o Dr. Kligerman diretor-geral do INCA? Sim, Serra! O que será que ele prometeu desta vez, em troca de uma tomografia e um laudo fake? “Em janeiro de 2003, no governo Lula, o Dr. Jacob Kligerman foi substituído pelo Dr. Jamil Haddad no cargo de diretor-geral. ” Jamil Haddad, o verdadeiro pai dos genéricos (que o Serra gosta de dizer que foi ele quem criou), substituiu Dr. Kligerman quando o PSDB perdeu as eleições.

Depois do papelão da bolinha de papel, Serra virou – com razão – piada no Twitter. Criaram a Tag #SerraRojas, que continua fazendo o maior sucesso, ao comparar o fiasco protagonizado pelo presidenciável ao lendário episódio em que o goleiro chileno Rojas fingiu ser atingido por um sinalizador, cortou o próprio rosto (faltou a Serra coragem para tal) na tentativa de tirar o Brasil da copa de 1990. O duro é que a campanha do PSDB e a Rede Globo esqueceram de como terminou esse incidente…

.


PS: SBT reafirma que única agressão foi a bolinha de papel, não houve “objeto pesado”  clique aqui para ver.


PS2: Clique aqui para ler artigo em que professor de jornalismo gráfico desmascara farsa pró-Serra do Jornal Nacional (que, acintosamente, chamou Molina, o perito mais suspeito da galáxia, para “atestar” a “agressão”. Molina, para quem não se lembra, foi contratado recentemente pelo casal Nardoni para contestar os laudos oficiais. Também defendeu Daniel Dantas e aceita qualquer caso que seja bem remunerado).


PS3: Tem uma ótima sequência de posts elucidativos no blog do Ed Ondo:

http://blogedondo.blogspot.com/2010/10/tira-teima.html

http://blogedondo.blogspot.com/2010/10/o-jornal-nacional-na-noite-de-21-de.html

http://blogedondo.blogspot.com/2010/10/jogo-do-grande-erro.html

.

Os demônios incontroláveis de Serra

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso havia dito em 98 ao Jornal do Brasil que o problema do Serra era “aquele demoniozinho que ele tem dentro de si”, pelo visto, agora o tal demoniozinho já tem companhia, pois na Isto é desta semana, na coluna do Boechat, página 32, encontrei a seguinte frase, atual, do FHC: “O Serra tem uns demônios dentro dele que, às vezes, nem ele mesmo controla”.

Essa frase para mim resume minha impressão a respeito de José Serra. Se você só conhece o Serra das edições do jornalismo da Globo, provavelmente achará que estou falando bobagem, mas se você se interessar em pesquisar sobre quem realmente é José Serra, sua personalidade descontroladamente explosiva, sua megalomania, sua opção pela mentira como primeira escolha em qualquer situação, irá me dar razão.

Serra é conhecido por ser realmente grosseiro e arrogante com jornalistas que fazem perguntas a que ele não quer responder (e não responde) e, no dia seguinte, telefonar para o patrão do tal jornalista, pedindo que o demita. Marina Silva lembrou disso nos momentos finais do primeiro turno, mas nós já sabíamos. Serra agora quer degolar qualquer um que ouse citar o nome de “Paulo Preto” perto dele. E a sociedade brasileira ficará sem a explicação sobre o caixa 2 e os desvios de recursos, pois isso prejudicaria a campanha (ao menos foi o que disse o PSDB à revista Isto é desta semana).

Os demônios incontroláveis de Serra o convenceram a reunir os líderes religiosos mais hipócritas que conseguisse encontrar (lembremos que líderes religiosos hipócritas foram utilizados por seus próprios demônios incontroláveis para perseguirem Jesus) para melhor manipular a massa de cristãos que o PSDB acredita ser suficientemente ignorante para isso. Os demônios incontroláveis de Serra são a melhor explicação para a baixaria em que ele transformou a campanha eleitoral. Baixaria da qual Dilma não pode sair, pois tentou manter-se distante no primeiro turno e não foi uma boa estratégia. Agora, ela tem de se defender.

Ficamos sem o debate de propostas, no entanto, sabemos a proposta de Dilma, que é de continuidade do modelo de crescimento do governo Lula. A proposta de Serra, até que ele prove o contrário (coisa que não parece querer) é ser um déspota cortador de pescoços de jornalistas e leiloeiro de todo o patrimônio que nos restou após a dilapidação feita por FHC (até hoje eu sofro ao ver propaganda da Vale do Rio Doce…).

PS: Tem gente que acha que votarei em Dilma porque o líder da minha igreja declarou apoio a ela, é uma tentativa de desqualificar minha escolha. Eu tinha vários motivos para votar em Dilma, tinha e ainda tenho, mas no momento o mais importante deles é: evitar a volta do PSDB e – sobretudo – não permitir que os “demônios incontroláveis” controlem nossa nação. Meu voto em Dilma é anti-Serra, anti-Globo, anti-imprensa corrupta, a favor da democracia e da verdadeira liberdade de imprensa, onde seu chefe não recebe um telefonema de político pedindo sua cabeça por uma opinião contrária.

.

A discussão sobre descriminalização do aborto

Povo indignado porque Dilma se declara pessoalmente contra o aborto, mas favorável à descriminalização do aborto,  acha que ela está sendo contraditória. Não está. Não se trata de dizer se o aborto é CERTO ou ERRADO, não é isso o que está sendo discutido. Ser contra o aborto é achá-lo errado, mas ser a favor da descriminalização do aborto é não concordar com o fato de que as milhares de mulheres que fazem aborto hoje na clandestinidade sejam tratadas como criminosas. Tem muita coisa errada que não é crime, mas nem por isso deixa de ser errado.

Resolvi exemplificar de uma forma gráfica e bem simples, para ver se me faço entender:

aborto2

.

Explicando a posição de Dilma e a minha, quando digo que não entendo a celeuma em torno do assunto:

presidente3

.

Aborto, religião e saúde pública

Respondi  a um email de um religioso e o publicarei aqui, pois a dúvida desta pessoa pode ser a de muitas outras:

“Marque V ou F:
1. [ F  ] Descriminalização do aborto = Legalização do aborto”

Não necessariamente, depende da lei a ser proposta e aprovada. Pode deixar de ser crime, só isso. Ou pode deixar de ser crime e passar a ser feito nos hospitais, por médicos, com acompanhamento psicológico.

“2. [  F ] Legalização do aborto ==> Aumento no nº de assassinatos de bebês”

Não mesmo. Legalizar o aborto fará com que ele saia da clandestinidade e será possível aos hospitais fazerem o atendimento dessas mulheres, inclusive com triagem psicológica ou por assistente social. Só isso já aumenta – e muito – a probabilidade de a mulher mudar de ideia, pois na maioria das vezes o aborto é feito por desespero. E diminuirá a mortalidade materna em decorrência do aborto. Ou seja, não apenas menos bebês serão mortos como também menos mulheres serão mortas. Bebês vão para o céu. Mulheres adultas que não estiverem salvas, vão para o inferno. Estou certa de que para Deus o mais importante é que elas não morram, para que tenham chance de serem salvas. Ou a vida só vale antes de nascer?

“3. [ F  ] Legalização do aborto ==> Médicos serão obrigados oficialmente a matar bebês”

Médicos serão AUTORIZADOS a matar bebês que já seriam mortos de qualquer maneira, evitando a morte das mães (e provavelmente, evitando maior sofrimento para o feto). Assim como podem se negar a efetuar qualquer procedimento, poderão se negar a efetuar um aborto, e passá-lo para um colega.


“E daí, como fica aquele mandamento: “Não Matarás”?”

Quando o cristão despreza a vida de milhares de mulheres que morrem por não ter conseguido fazer a escolha certa, está sendo conivente com a morte delas. Quando prefere defender a vida do feto  e fecha os olhos para a morte das mães, está pegando em pedras e atirando contra aquelas a quem deveria ajudar. Julga, sem um pingo de amor, e assim se torna cúmplice do sangue daquela mulher. No momento estamos, enquanto sociedade, matando fetos e mães. Se o aborto deixar de ser crime, haverá menos mortes de fetos e de mães. Muitos cristãos são contra isso. E onde fica aquele mandamento “não matarás?” Aliás, falando em mandamento, acho engraçado que quando a gente diz: “olha, não diga isso, que isso é mentira”, as pessoas fecham os ouvidos e continuam espalhando emails maldosos que recebem. Onde ficam, então, esses mandamentos:

“Não espalharás notícias falsas, nem darás mão ao ímpio, para seres testemunha maldosa. ”  Êxodo 23:1

“não dirás falso testemunho contra o teu próximo”  Êxodo 20:16

Ou um mandamento é mais importante do que o outro? Os cristãos deveriam estar revoltados contra aqueles que querem manipulá-los e que jogam na rede textos falsos, textos fora de contexto, distorcidos, maliciosos. Te garanto que Deus está bem menos preocupado com descriminalização do aborto do que com cristãos que agem com hipocrisia, achando que têm o direito de julgar alguém, de condenar as pessoas, de usar de palavras maldosas e carregadas de preconceito. Só para que você tenha ideia do grau de importância que Deus dá para cada uma dessas coisas (e que nós também deveríamos seguir):

“Seis coisas o Senhor aborrece, e a sétima a sua alma abomina”

Quais são essas seis coisas que ele aborrece?

“olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras”

Veja que ele colocou tudo no mesmo saco: para nós, pior seria quem derrama sangue inocente do que língua mentirosa, não é mesmo? Mas para ele, é tudo a mesma coisa. E não é mentira grande, é qualquer mentira, pois ele não especifica. Mas a sétima, ele não apenas aborrece, sua alma ABOMINA:

“o que semeia contendas entre irmãos”

(Provérbios 6:16-19)

Para Deus é abominável não o que derrama sangue inocente, mas o que semeia contendas entre irmãos. Deus não vê como vê o homem, seus pensamentos são diferentes dos nossos (ainda bem). Se fôssemos julgar Deus como um humano, incorreríamos no mesmo erro dos fariseus, que se achavam nesse direito. E, lendo a Bíblia, a gente percebe que o que ele mais despreza é aquele que conhece a Palavra, mas se porta contra ela (se dizendo a favor), se agarrando a picuinhas, olhando tudo com maus olhos, enchendo o coração de malícias, se achando mais santo do que os outros.


Não quero discutir teorias sobre o aborto, o que está em discussão não é se ele é CERTO ou se ele é ERRADO (isso é ÓBVIO), mas se deve ser considerado CRIME ou não. Não é uma questão religiosa, não é discutir se a vida começa no momento da implantação do embrião no útero ou não, mas a discussão é: o que fazer com a situação que já existe? São MILHARES de mulheres que morrem por conta de abortos clandestinos no país. E muitas das que não morrem, se arrependem depois, mas não tiveram a chance de um acompanhamento profissional antes do procedimento. É isso o que está sendo discutido. Mas as pessoas não estão entendendo isso. Ou não querem entender.

PS: Clique aqui para ler quantas mulheres são internadas no SUS em consequência de abortos clandestinos mal feitos.

PS2: Clique aqui para ler: aborto é causa de 10% dos casos de mortalidade materna, e em alguns estados é a principal causa.

PNDH-3 é um monstro de 7 cabeças?

Eu ia escrever sobre o PNDH-3, mas o email que meu marido  enviou a familiares que estavam alarmados (por causa de um vídeo do início do ano, de uma entrevista de Gandra Martins à Band e que tem circulado em emails) com o PNDH-3 foi perfeito e pedi autorização para torná-lo público

A respeito do PNDH3

Por Davison Lampert

“Estou enviando o PNDH – 3 em anexo para os que quiserem averiguar se é verdade o que o jurista Ives Gandra Martins fala nesse vídeo. No final do arquivo, tem o o PNDH – 1 e o PNDH – 2.

Algumas coisas, entretanto, são tão diretas e óbvias que nem precisam comparações, como a questão do imposto sobre grandes fortunas, por exemplo. A redação PNDH – 3 só diz que ele deve ser regulamentado conforme diz a constituição. Nada mais.

Ou seja, o Sr. Gandra trata a questão como se fosse um conceito do Lula e do PT querer taxar os ricos e lançar o país no descrédito para os investidores (sic), mas se “esquece” de dizer que o tema está lá bem antes do governo do PT, que ele foi incluído na redação só para lembrar que ele está na Constituição e que não vem sendo aplicado. O pior é que ele faz esse tipo de jogo em todos esses temas do vídeo.

Se o problema é a viabilidade prática dessa Lei Magna, aí já é outra questão. Questão que deveria já ter sido tratada durante a Assembléia Constituinte e, nos últimos 15 anos, durante os debates as Conferências, mas parece que estavam todos dormindo durante as reuniões.

O PNDH não é uma imposição governamental muito menos uma Lei. São diretrizes que poderão ou não ser seguidas, dependendo da sociedade e dos políticos. E se aqueles quem tinham e tem a função de avaliá-lo e, se necessário, mudar-lhe a redação ficam quietos e só reclamam agora, deveriam ser responsabilizados por isso.

A verdade é que durante esses anos todos algumas coisas foram mudadas, a maior parte foi deixada como está e todos, bem felizes, assinaram em baixo. Se há celeuma e acusações agora, são por questões puramente eleitoreiras. Não tem outra justificativa. Até porque o que está lá pode (e deve) ser alterado pela sociedade, caso ela não esteja de acordo. Não há nenhum monstro dentro desse armário, como querem que pensemos.

Posso abordar com mais profundidade as incoerências entre o que a mídia mostra nesse temas problemáticos e o que aconteceu, item por item, se alguém quiser saber. Vai ficar bem comprido, mas não me importo em gastar meu tempo fazendo isso… se alguém realmente quiser saber.

Enfim, um outro especialista que deveria ser ouvido é o diplomata e cientista político Paulo Sérgio Pinheiro, secretário de Direitos Humanos durante o governo Fernando Henrique Cardoso e relator especial da ONU sobre a situação de direitos humanos em Mianmar. Essa é a opinião dele sobre o PNDH – 3:

Em todo caso, é sempre aconselhável a gente mesmo comparar o texto das três versões do PNDH, principalmente nessas questões polêmicas. Só assim podemos ter certeza de não estarmos somente “comprando uma ideia” e também ver que o negócio já veio lá do governo do FHC-PSDB praticamente como é hoje. Infelizmente a nossa mídia comprometida com esse partido não quer que nos lembremos disso. Principalmente agora.

Assim como não quer que nos lembremos que todos esse assuntos foram discutidos em 27 Conferências Estaduais e que todos debateram e aprovaram o conteúdo do PNDH – 3, inclusive o Serra e outros políticos importantes do PSDB, com cobertura da imprensa.

Pena que em época de eleição há uma amnésia coletiva sobre os temas que farão a diferença para o futuro ao mesmo tempo em que existe um hiperfoco em temas que não fazem a menor diferença para o país e, principalmente, para o povo.

Pode-se dizer que o maior problema do Brasil é que ele “sofre de imprensa”.

Um abração,

Davison.”

PS2: Existem muitos emails com mentiras e textos fora do contexto circulando contra o PNDH3. Então, não os repasse, nem repita seus conteúdos como se fosse verdade, sem antes ler atentamente o texto do PNDH3. E entenda que não se trata de um projeto de lei.

Da série: trazendo de volta à memória

Reverberando mais um email maldoso que circula por aí, um indivíduo fez a seguinte pergunta, demonstradora de amnésia coletiva:

“Se FHC, o pai do Plano Real, estava no caminho errado, por que Lula continuou e não mudou nada?”

Segue a minha resposta, pois a dúvida dele pode ser a mesma de outras pessoas:


Deixa eu explicar uma coisa. Primeiro, FHC não é o pai do Plano Real. O Pai do Plano Real é o economista Edmar Bacha, o Plano Real foi criado no governo Itamar Franco. FHC estava no caminho errado, pois queria financiar o plano Real com o dinheiro da venda de estatais, a preço de banana. Estava sucateando as universidades federais (eu me lembro pois estudava em uma na época e só se falava nisso), impedindo concursos e diminuindo repasse de verbas, para poder privatizá-las. Se o PSDB tivesse conseguido mais um mandato, não teríamos mais universidades federais, seriam todas particulares.

Estava fazendo o mesmo com a Petrobras. Meu marido começou a trabalhar lá no governo FHC e a Petrobras foi desmembrada em diversas empresas menores, para ser sucateada e vendida aos poucos (o que começou a acontecer, mas felizmente esse processo foi interrompido com o início do governo Lula). Lula mudou MUITAS coisas, o Brasil cresceu o que certamente não cresceria se o PSDB tivesse continuado, pois estávamos reféns do FMI, que mandava e desmandava neste país. E não sei se você se lembra, mas a propaganda eleitoral de Lula em 2002 deixava bem claro que ele manteria as conquistas positivas do governo anterior (e todo governo tem coisas positivas e coisas negativas…o problema do governo PSDB é que as coisas negativas eram muuuito mais significativas do que os avanços, quase inexistentes) e se comprometeu a melhorar a qualidade de vida da população. Por esse discurso, ele foi criticado pela extrema esquerda, que não gostou do tom moderado, e também foi ridicularizado pela imprensa, que achou que ele estava mentindo (pelo tom ter sido diferente das duas campanhas anteriores) e o apelidou de “Lulinha paz e amor”,  mas foi exatamente por ter se proposto a isso que ele foi eleito. E tudo isso ele cumpriu.

Lula não prometeu um governo marxista, nem disse que o Plano Real era errado na campanha de 2002, e ofereceu propostas para o Brasil crescer e melhorar. Por isso ele foi eleito. O estilo de FHC lidar com a crise também estava muito errado, com arrochos, levando o país a recessão, quebrou o Brasil. Lula foi criticado pelo jeito de lidar com a crise, aumentando os investimentos e incentivando o comércio. E o Brasil foi um dos países menos atingidos pela crise, um dos que mais rápido saíram dela, tornou-se exemplo para países europeus, que por isso também conseguiram sair da crise.  Procure se informar melhor, não acredite em tudo o que recebe por email e não entre na onda difamatória por aí.

Se quiser votar no Serra, beleza, vote, mas pelos motivos corretos (tipo: eu gosto da direita, sou a favor de se vender todas as estatais por preço menor do que valem, etc. etc.), não por preconceito, nem raiva, nem ódio injustificado. Procure ler informações “do outro lado”, de mente aberta, para então fazer sua escolha. Cuidado com Globo, Veja, Isto é, Época, Folha de São Paulo e Estadão, não são isentos, nem imparciais. Não acredite em e-mails alarmistas e que pregam medo e ódio. Isso, é claro, se você quiser ser justo e fazer as coisas corretas.

Veja isto: http://lampertop.com.br/?p=688

ELEIÇÕES 2010 E OS APROVEITADORES DA BOA FÉ E DA CREDULIDADE EVANGÉLICA

Texto original no site da segunda igreja Presbiteriana de Belo Horizonte: http://www.segundaigreja.org.br/noticias_view.asp?id=340

Rev. Sandro Amadeu Cerveira (02/10/10)


Talvez eu tenha falhado como pastor nestas eleições. Digo isso porque estou com a impressão de ter feito pouco para desconstruir ou no pelo menos problematizar a onda de boataria e os posicionamentos “ungidos” de alguns caciques evangélicos. [1]

Talvez o mais grotesco tenham sido os emails e “vídeos” afirmando que votar em Dilma e no PT seria o mesmo que apoiar uma conspiração que mataria Dilma (por meios sobrenaturais) assim que fosse eleita e logo a seguir implantaria no Brasil uma ditadura comunista-luciferiana pelas mãos do filho de Michel Temer. Em outras o próprio Temer seria o satanista mor. Confesso que não respondi publicamente esse tipo de mensagem por acreditar que tamanha absurdo seria rejeitada pelo bom senso de meus irmãos evangélicos. Para além da “viagem” do conteúdo a absoluta falta de fontes e provas para estas “notícias” deveria ter levado (acreditei) as pessoas de boa fé a pelo menos desconfiar destas graves acusações infundadas. [2]

A candidata Marina Silva, uma evangélica da Assembléia de Deus, até onde se sabe sem qualquer mancha em sua biografia, também não saiu ilesa. Várias denominações evangélicas antes fervorosas defensoras de um “candidato evangélico” a presidência da república simplesmente ignoraram esta assembleiana de longa data.

Como se não bastasse, Marina foi também acusada pelo pastor Silas Malafaia de ser “dissimulada”, “pior do que o ímpio” e defender, (segundo ele), um plebiscito sobre o aborto. Surpreende como um líder da inteligência de Malafaia declare seu apoio a Marina em um dia, mude de voto três dias depois e à apenas 6 dias das eleições desconheça as proposições de sua irmã na fé.

De fato Marina Silva afirmou (desde cedo na campanha, diga-se de passagem) que “casos de alta complexidade cultural, moral, social e espiritual como esses, (aborto e maconha) deveriam ser debatidos pela sociedade na forma de plebiscito” [3], mas de fato não disse que uma vez eleita ela convocaria esse plebiscito.

O mais surpreendentemente, porém foi o absoluto silêncio quanto ao candidato José Serra. O candidato tucano foi curiosamente poupado. Somente a campanha adversária lembrou que foi ele, Serra a trazer o aborto para dentro do Sistema Único de Saúde (SUS) [4]. Enquanto ministro da saúde o candidato do PSDB assinou em 1998 a norma técnica do SUS ordenando regras para fazer abortos previstos em lei, até o 5º mês de gravidez [5]. Fiquei intrigado que nenhum colega pastor absolutamente contra o aborto tenha se dignado a me avisar desta “barbaridade”.

Também foi de estranhar que nenhum pastor preocupado com a legalização das drogas tenha disparado uma enxurrada de-mails alertando os evangélicos de que o presidente de honra do PSDB, e ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso defenda a descriminalização da posse de maconha para o consumo pessoal [6].

Por fim nem Malafaia, nem os boateiros de plantão tiveram interesse em dar visibilidade a noticia veiculada pelo jornal a Folha de São Paulo (Edição eletrônica de 21/06/10) nos alertando para o fato de que “O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, afirmou nesta segunda-feira ser a favor da união civil e da adoção de crianças por casais homossexuais.” [7]

Depois de tudo isso é razoável desconfiar que o problema não esteja realmente na posição que os candidatos tenham sobre o aborto, união civil e adoção de crianças por homossexuais ou ainda a descriminalização da maconha. Se o problema fosse realmente o comprometimento dos candidatos e seus partidos com as questões acima os líderes evangélicos que abominam estas propostas não teriam alternativa.

A única postura coerente seria então pregar o voto nulo, branco ou ainda a ausência justificada. Se tivessem realmente a coragem que aparentam em suas bravatas televisivas deveriam convocar um boicote às eleições. Um gigantesco protesto a-partidário denunciando o fato de que nenhum dos candidatos com chances de ser eleitos tenha realmente se comprometido de forma clara e inequívoca com os valores evangélicos. Fazer uma denuncia seletiva de quem esta comprometido com a “iniqüidade” é, no mínimo, desonesto.

Falar mal de candidato A e beneficiar B por tabela (sendo que B está igualmente comprometido com os mesmo “problemas”) é muito fácil. Difícil é se arriscar num ato conseqüente de desobediência civil como fez Luther King quando entendeu que as leis de seu país eram iníquas.

Termino dizendo que não deixarei de votar nestas eleições.

Não o farei por ter alguma esperança de que o Estado brasileiro transforme nossos costumes e percepções morais em lei criminalizando o que consideramos pecado. Aliás tenho verdadeiro pavor de abrir esse precedente.

Não o farei porque acredite que a pessoa em quem votarei seja católica, cristã ou evangélica e isso vá “abençoar” o Brasil. Sei, como lembrou o apóstolo Paulo, que se agisse assim teria de sair do mundo.

Votarei consciente de que os temas aqui mencionados (união civil de pessoas do mesmo sexo, descriminalização do aborto, descriminalização de algumas drogas entre outras polêmicas) não serão resolvidos pelo presidente ou presidenta da república. Como qualquer pessoa informada sobre o tema, sei que assuntos assim devem ser discutidos pela sociedade civil, pelo legislativo e eventualmente pelo judiciário (como foi o caso da lei de biossegurança) [8] com serenidade e racionalidade.

Votarei na pessoa que acredito representa o melhor projeto político para o Brasil levando em conta outras questões (aparentemente esquecidas pelos lideres evangélicos presentes na mídia) tais como distribuição de renda, justiça social, direitos humanos, tratamento digno para os profissionais da educação, entre outros temas. (Ver Mateus 25: 31-46) Estas questões até podem não interessar aos líderes evangélicos e cristãos em geral que já ascenderam à classe média alta, mas certamente tem toda a relevância para nossos irmãos mais pobres.

______________________

NOTAS

[1] As afirmações que faço ao longo deste texto estão baseadas em informações públicas e amplamente divulgadas pelos meios de comunicação. Apresento os links dos jornais e documentos utilizados para verificação.

[2] http://www.hospitaldalma.com/2010/07/o-cristao-verdadeiro-nao-deve-votar-na.html

[3]http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoes/marina+rebate+declaracoes+de+pastor+evangelico+silas+malafaia/n1237789584105.html


Ver também

http://www1.folha.uol.com.br/poder/805644-lider-evangelico-ataca-marina-e-anuncia-apoio-a-serra.shtml


[4]http://blogdadilma.blog.br/2010/09/serra-e-o-unico-candidato-que-ja-assinou-ordens-para-fazer-abortos-quando-ministro-da-saude-2.html

[5] http://www.cfemea.org.br/pdf/normatecnicams.pdf

[6] http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=856843&tit=FHC-e-intelectuais-pedem-legalizacao-da-maconha

[7] http://www1.folha.uol.com.br/poder/754484-serra-se-diz-a-favor-da-uniao-civil-e-da-adocao-de-criancas-por-gays.shtml

[8] http://www.eclesia.com.br/revistadet1.asp?cod_artigos=206

Fonte: Segunda Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte

2/10/2010

PS: Não se esqueçam de divulgar a lista de emails falsos contra a Dilma, com os links para os textos que provam que são falsos, estou atualizando à medida em que recebo novos hoaxes. Clique aqui para ver

PS2: Também deixo a minha carta aos evangélicos, explicando que ainda que você acredite abortar é pecado e quem faz vai para o inferno ou que casamento homossexual é pecado e aceitá-lo é contra os princípios cristãos, e ainda se Dilma fosse a favor de implementar tudo isso, não seria motivo para celeuma ou para não votar nela. Clique aqui para entender o porquê.


PS3:Votar nulo ou em branco não é opção, é omissão. Você está entregando o país à escolha dos outros, e sofrerá as consequências da escolha alheia. Seja consciente.

PS4: Amigo Cristão, peça orientação de Deus e não olhe Dilma com maus olhos por causa das mentiras que ouviu. Não seja preconceituoso. Se você não tem certeza se as mentiras são verdade ou não, presuma inocência, aja e pense nela como inocente. Isso é ter bons olhos. E Jesus disse (está escrito) que se teus olhos forem bons, todo teu corpo será luminoso,; se teus olhos forem maus, todo teu corpo andará em trevas. Quem quer fazer teus olhos maus quer que teu corpo ande em trevas.

.

Minha colinha

É a primeira eleição em que eu não viajo para Campo Grande para votar. Poucas vezes justifiquei o voto, geralmente viajava para exercer minha cidadania 😀 Será minha primeira eleição em Porto Alegre, mas não sei onde escondi meu título (ainda bem que não precisa de título para votar…estranho, não? Mas é só levar um documento com foto, como RG ou carteira de motorista). Só que eu não sabia onde iria votar (yes, eu esqueci esse detalhe).

Felizmente, me passaram a informação no Twitter:  http://www.tse.gov.br/dia_eleicao/consultaTitulo.html

No site do TSE você encontra seu cadastro, com a zona e seção eleitoral, no link que passei acima.

Aí vai minha lista de candidatos para amanhã. Para o senado, me concentrei nos candidatos da base governista. Para governador…bem, eu não tenho nada contra o Fogaça, pois não o conheço o suficiente, mas ele não mostrou muito bem a que veio na prefeitura de Porto Alegre (Davison acha que é por ter ficado doente). Voto no Tarso por causa do fator governabilidade, também.  Só não gosto da Yeda, por ser PSDB e por ter feito um péssimo governo. Não merece continuar.

Bem, lá vai:

Presidente: Dilma 13

Governador: Tarso 13

Senador: Paulo Paim 131

Senador: Abgail 651

Deputado Federal: Waldir Canal 1010

Deputado Estadual: Carlos Gomes 10300


Esses são meus candidatos, aqui em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul.