Somos todos filhos de Deus?

“Somos todos filhos de Deus?” (Editora Unipro), do Bispo Macedo, é um livro completo e de fácil leitura. O título é polêmico, embora um dos fundamentos do Cristianismo seja o fato de que as pessoas não nascem filhas de Deus. São criaturas de Deus e só se tornam filhas depois de nascerem de novo.

Com o passar dos anos, essa lógica parece ter se perdido nas religiões. Hoje todo mundo cresce convicto de que é filho de Deus. Poucos questionam. Então quando alguém afirma o contrário, o choque é inevitável. Mas está escrito: “A todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus”(João 1:12). Ele não precisaria dar-lhes poder de serem feitos o que já eram, não é verdade? Deus deu ao homem capacidade de reproduzir-se e  desde então a responsabilidade de fazer ou não filhos é da mãe e do pai. Nascemos filhos de nossos pais.  Só nos tornamos filhos  de Deus quando nascemos do Espírito, isso é fruto de uma escolha consciente.

O livro não gasta muito tempo com a pergunta do título. Ele a responde, explicando por que nem todos são filhos de Deus, e ensina a como nascer de Deus, como recebê-lo, como ser um desses que têm a honra de ser feito filho de Deus. Entre outras coisas, fala da atuação dos espíritos malignos e da libertação, do batismo nas águas, batismo no Espírito Santo e novo nascimento, do caráter cristão e dos perigos da religião. Sim, porque muitos acreditam que pelo simples fato de frequentarem a igreja, lerem a Bíblia e executarem rituais religiosos, estão próximos de Deus, são filhos dEle ou nasceram de novo. Olhe esses trechos:

Nicodemos não foi reconhecido como um homem de Deus e isso mostra que nem todos os que ocupam cargos religiosos, ainda que sejam os mais importantes, estão na condição de pessoas nascidas de Deus. O nascido da carne acredita que seu trabalho religioso na igreja o faz aprovado como alguém espiritual. E isso não o difere daqueles que fazem caridade pelos aflitos no intuito de agradar a Deus. Obviamente, a caridade é muito bem vista diante do Altíssimo, mas não é suficiente para se alcançar a salvação. Da mesma forma, o trabalho religioso não garante a salvação de ninguém. Para Deus, o importante não é o que a pessoa faz, no que se refere às obras, mas o que ela é.

(…)

“E o Senhor lhes respondeu: “Jeitosamente rejeitais o preceito de Deus para guardardes a vossa própria tradição” (Marcos 7.9). Os religiosos não estão preocupados com o interior ou com o relacionamento com Deus, mas em satisfazer o exterior com suas tradições e aparências, que para nada servem.

O religioso é extremamente preocupado com as aparências, e mede tudo por elas. Assim, se uma pessoa, um livro, uma música ou uma igreja tem aparência cristã, o religioso a aceita. Mas se não tem a aparência que o religioso esperava que tivesse, ele logo a rejeita. Julga, condena e executa a sentença.

Eu sempre ficava intrigado com o porquê de o Espírito Santo não realizar o novo nascimento imediato nas pessoas que vinham diante do altar oferecer-Lhe a vida. (…) Hoje tenho a resposta: o problema é que ninguém pode nascer estando vivo (…) Ninguém pode viver duas vidas simultaneamente!

(…)Não se pode ter duas vidas ao mesmo tempo! (…) Se quiser a vida nova oferecida pelo Espírito Santo, terá que abrir mão da vida velha e morrer. Mas, se quiser manter a vida antiga, jamais nascerá de novo! A morte a que nos referimos aqui não é uma morte física, mas espiritual. Em outras palavras, a pessoa tem que renunciar a si mesma, sua vontade, seu eu, e passar a obedecer à Palavra de Deus.

Muito forte, não? Como alguém pode nascer de novo sem ter morrido para a vida velha? O novo nascimento se vê pelos frutos. A nova criatura tem de ser, necessariamente, diferente de quando era uma velha criatura. Isso parece óbvio, mas muitos acham que essa diferença está apenas nos hábitos abandonados: ia para a balada, agora não vai mais. Tinha muitos namorados, agora não tem mais. Bebia e fumava, agora não bebe, nem fuma. Não ia à igreja, agora vai. Isso não é novo nascimento, é apenas mudança de hábitos.

O livro explica o quanto o novo nascimento é profundo. As mudanças vão além daquilo que você pode fazer por si mesmo. Você era nervoso, agora é tranquilo, era maldoso, agora tem prazer em ajudar os outros, era fofoqueiro, agora não gosta de ouvir da vida de ninguém, tinha maus olhos, agora olha a todos da melhor maneira possível, guardava mágoa, agora sabe perdoar, era depressivo, agora é alegre e emocionalmente estável, era desonesto, agora é confiável. Era descontrolado, agora tem domínio próprio. E daí por diante. Por não entender isso, a realidade é a seguinte:

De modo geral, dentro das igrejas evangélicas, as pessoas aceitam Jesus como Senhor e Salvador apenas na teoria. Na prática, fora da igreja, suas atitudes não têm nada a ver com a fé apresentada diante do altar.

Não só as atitudes. Eu  gastei horrores com antidepressivos que não resolveram nada (só davam muuuitos efeitos colaterais). Passei um tempão da minha vida culpando meus neurotransmissores, achando que o problema era físico. Hoje estou convicta de que o problema físico é consequência, e não causa. A causa está dentro da nossa alma. Enquanto houver espaços vazios, há lugar para que o mal se instale e bagunce nossos neurotransmissores. Então, se você está dentro de uma igreja, acha que é de Deus, e tem sofrido com depressão, não se engane. Seja humilde e parta do zero, seguindo o conselho do autor do livro, pois funcionou comigo:

Busque Aquele que tem o poder de curar a sua alma! Assim, quando Ele ocupar todos os espaços de sua vida, a depressão o abandonará para sempre.

Eis algo extremamente negligenciado por quem cai no sono da religiosidade: O filho se parece com o Pai. Talvez por não conhecer a Deus, não saber como Ele é, muitas pessoas têm dificuldade de medir isso, mas é necessário.

Não há como negar a obrigatoriedade de os filhos de Deus terem caráter semelhante ao do Senhor Jesus. Trata-se da imagem de Deus restabelecida no ser humano nascido do Espírito. Pois o mesmo Espírito que gerou Jesus gera os demais sem qualquer distorção de caráter. Quando alguém se posiciona como filho de Deus, mas tem comportamento contrário, certamente está enganando a si mesmo. (…) O primeiro ensinamento do Senhor, no Sermão do Monte, foi sobre a humildade. Ela foi estabelecida como condição básica para a entrada no Reino de Deus. “Bem aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus” (Mateus 5:3).

A humildade é característica necessária desde o início, para admitir sua necessidade de nascer de novo, até o fim, para sempre ter a noção de que sua vida depende de Deus. Faz parte do caráter dos filhos de Deus, pois é a única forma de manter-se obediente a Deus, com bons olhos e firme na fé.

Para se tornar filho dEle precisa, antes de tudo, conhece-lo como Ele é. Engolir seu orgulho, vestir-se da mais sincera humildade e aprender como Deus é de verdade. A quem você quer enganar? Quanto tempo vai continuar fingindo ser quem você gostaria de ser, mas que não é, na verdade?

Passei anos assim. Anos. E não era um fingimento consciente, não, eu realmente achava que não precisava nascer de novo. Achava que era filha de Deus pelos anos que tinha de igreja, ou por minha atitude ética (não matava, não roubava, não fumava, não bebia, não me prostituía, não adulterava, odiava mentira, não fazia nada de “errado”, tinha um forte “senso de justiça” – que me fazia brigar com todo mundo…rs – em que tinha que mudar?).

Ao ler “Somos todos filhos de Deus?” Você vai entender que ser filho de Deus não é falar evangeliquês, cantar musiquinha gospel, condenar pessoas ao fogo do inferno, apontar o dedo para os outros e empreender cruzadas contra as pessoas que não são religiosas, como fazem aqueles que mais parecem contratados do exército inimigo para atrapalhar a causa. Ser de Deus, ser filho de Deus, é ter o caráter do Pai, estar disposto a renunciar a tudo, inclusive a si mesmo, para conhecê-Lo e poder ser chamado seu filho e seu amigo. E assim, naturalmente, fazer as obras do Pai e ajudar aos que sofrem.

Vale a pena ler ou reler. Eu tinha lido mais de uma vez, aliás, pois me lembro que um pastor fez até um estudo a respeito, mas relendo agora, em alguns pontos era como se eu não tivesse lido! Bons livros são assim, sempre nos trazem coisas novas, não importa quantas vezes os leiamos. :)

Vanessa Lampert

Para ler as resenhas arquivadas, Clique aqui. E para ler as recentes, clique aqui.

Originalmente publicado no blog Cristiane Cardoso. Clique aqui para ver a postagem original.

Os ideais

Meu texto sobre as eleições foi publicado no blog do Bispo Macedo. Fiquei feliz, pois mais pessoas poderiam se identificar com ele, o que de fato aconteceu. Estranhamente, em um primeiro momento não houve o chilique público, talvez pelo post ser assinado. Depois, começaram os comentários. Um me pergunta: “Quanto o Edir Macedo está lhe pagando?”

Não, eu não  vou te convencer de que o Bispo Macedo não é como você pensa que ele é, nem que ele realmente acredita e vive tudo o que ele prega (apesar de eu poder te garantir isso. Ele realmente acredita e vive o que prega).  Não vou te convencer de que a mídia manipula a opinião pública sobre a IURD há 20 anos.  Não vou te convencer de que eu acredito em tudo o que escrevo. Não vou te convencer de que eu sempre defendi aquilo em que acredito. Se você não me conhece, nada do que eu disser terá algum peso, não é mesmo? Não me importa. Não é disso que eu quero falar.

O que achei estranho nessa história toda é que a sociedade está predisposta a dois pensamentos que, em minha opinião, são igualmente tristes:

1 – Se a pessoa escreve com convicção alguma coisa com a qual o leitor não concorde, já se imagina que ela foi paga para isso. Trocou sua opinião por dinheiro.

2 – Se ela não recebeu dinheiro em troca, ela é idiota. Ingênua, ignorante.

Afinal de contas,  é errado o que vende suas convicções, mas se é idiota o que defende suas convicções de graça, o certo é o quê? Não ter convicções? Ou não defender aquilo em que acredita?

As pessoas vivem tão mergulhadas em tantas dúvidas, medos, receios e desconfianças, que é impossível ter uma convicção verdadeira. As convicções verdadeiras são fruto de raciocínio e de certeza, e só assim tornam-se suficientemente fortes para serem defendidas com segurança.  Quem não tem segurança dentro de si, vai buscá-la do lado de fora.

Esse é o trabalho que a indústria do entretenimento e a mídia têm feito em conjunto há muitos anos. Ao mesmo tempo em que trabalham para tirar de seu público as certezas pessoais e enchê-lo de dúvidas e desconfiança, lhe oferecem as certezas pré-fabricadas de que ele precisa.  Não é de se espantar que as pessoas digam as mesmas coisas, ajam da mesma forma, repitam as mesmas frases, as mesmas acusações, como uma manada, como um exército de autômatos que nos acusa de ser um exército de autômatos.

Vivem interessados no que vai acontecer na novela, cantando as músicas que a TV lhes diz para cantar, usando as roupas que a novela lhes diz para usar, repetindo os bordões dos personagens, emprestando a linha de raciocínio retirada dos telejornais, dos jornais impressos, da Veja, absorvendo a lógica da mídia como se fosse a verdade absoluta que lhes sirva de base para toda e qualquer argumentação. E nós é que somos os manipulados.

As pessoas (muitas pessoas de boa índole, inclusive), acreditando que estão impedindo uma catástrofe, permitirão uma catástrofe ainda maior* (aliás, isso é bíblico).

Os seres humanos são idealistas por natureza. Se estiverem preenchidos de cinismo e rejeitarem os ideais verdadeiros, abraçarão qualquer ideal que lhes for apresentado. Aí quem lhes apresentou esse ideal terá material humano para fazer o que quiser. Então você vê uma multidão revanchista, com ideais negativos (que, no entanto, têm uma justificativa positiva, e por isso atraem até muita gente boa) e discursos raivosos contra aqueles que defendem positivamente suas causas, de uma maneira racional e equilibrada.

Por isso prefiro me manter com alienígena neste mundo. Desconectada da Matrix, querendo desconectar outras pessoas (afinal, para isso fomos chamados…faz parte do cristianismo oferecer essa libertação aos que nem sabem que estão cativos. Há uma ordem expressa na Bíblia.), mas sabendo que não posso obrigar ninguém a raciocinar. Tomar a pílula vermelha é escolha de cada um. Em um primeiro momento, é mais confortável não tomar e seguir a corrente. O problema é aonde essa corrente irá levar.

*Em muito menor escala, foi o que aconteceu nessas eleições municipais. Eleitores sedentos por um ideal verdadeiro, abraçaram o ideal da mídia “vou votar no Serra/Haddad só para impedir a vitória do Russomano”, acreditando sinceramente que estavam atrapalhando uma espécie de golpe de estado religioso.

PS: Ainda sobre eleições, esse excelente texto do João da Paz (clique para ler) mostra o estilo de jornalismo da Folha de São Paulo, durante as eleições municipais. Claro que não foi apenas a Folha, quem viu a entrevista de Russomano à César Tralli, na Globo, percebeu que seguia a mesma linha. Não era interesse da velha mídia que Russomano tomasse o lugar do candidato do PSDB no segundo turno, e conseguiram manipular toda a máquina nesse sentido. Se o Serra ganhar, darei os parabéns ao PT.

Última palavra sobre as eleições

Quando vejo o tom da campanha de Haddad às vésperas da eleição, percebo que fiz a opção certa quando decidi que ele não teria meu voto. Como todo mundo sabe, tenho simpatia pelo PT, participei das últimas campanhas presidenciais, mas a minha militância nunca foi cega.
Pelo contrário, o que eu sempre achei bacana foi o espaço para o livre pensamento dentro do Partido dos Trabalhadores. Até nos blogs, em sua maioria, os textos sempre foram coerentes e lógicos, muito mais inteligentes do que os raivosos da oposição.
A campanha municipal em São Paulo começou assim. Como Haddad não me pareceu uma boa escolha do partido, fiquei feliz quando soube que Russomano seria candidato pelo PRB, partido que vi nascer. O maior problema veio quando Haddad ameaçava terminar em terceiro lugar. Perdeu o tom.
Aquilo que eu esperava do Serra (e que o PSDB também está fazendo, principalmente através da mídia), veio da campanha de Haddad.  Ligaram a metralhadora giratória. Agora começaram a usar depoimento de ex-obreira, atacar a IURD com os mesmíssimos argumentos da velha mídia.
Estou na IURD há quase treze anos e refuto veementemente qualquer acusação de manipulação e de que sejamos impedidos de pensar. Muito pelo contrário! Não conheço outro lugar que incentive tanto a pensar com a própria cabeça! Conheço a Igreja Universal, sei como funciona e posso garantir que todo mundo tem livre escolha e eu penso muito bem, obrigada.
Claro que temos interesses em comum, entre eles o de não ter um governo comprometido com a velha mídia que tanto nos odeia. Somos unidos e militamos pelos nossos ideais, raciocinamos e entendemos bem o que estamos fazendo. Sabemos que Russomano não é da IURD e não tem compromisso nenhum conosco, mas acreditamos que ele é a melhor opção para São Paulo e temos esse direito.
Política é um assunto de todos os cidadãos, estejam eles vinculados ou não a uma igreja. Porque fazemos parte de uma igreja temos de ser excluídos da sociedade? O fato de um candidato ser de um partido que tem membros de uma determinada igreja, não significa que aquela igreja irá participar do mandato! Se a igreja de vocês faria isso, me desculpe, a minha não faz. Como qualquer grupo, temos interesses em comum, mas nenhum deles é o de dominar o mundo, impor o cristianismo goela abaixo ou qualquer asneira que se diga por aí.
Eu garanto que conheço mais a IURD do que a tal ex-obreira. Garanto que entendo mais de como ela funciona do que qualquer crítico de sofá. Mas não estou aqui para defender a IURD ou dizer o óbvio: que Russomano é tão fantoche do Bispo Macedo quanto Dilma era um poste (e todos nós vimos que Dilma jamais foi um poste). O que preciso dizer, e que está entalado na minha garganta é: é correto usar as armas do inimigo para vencer?
Nós ajudamos a reeleger o Lula (inclusive o vice-presidente José Alencar se filiou ao PRB em 2005), ajudamos a eleger a Dilma e o PRB faz parte da base aliada do governo federal. Esse papel do denuncismo irresponsável não se encaixa no PT.
Esperava coerência. Porque quando o Serra e o PIG (Partido da Imprensa Golpista) faziam isso contra a Dilma, o Lula e o PT, pegando “ex isso” e “ex aquilo” para dar depoimento, acreditando em qualquer coisa que lhes diziam, espalhando hoax a torto e a direito a gente dizia que era errado, que não se podia acusar sem provas, e falava do horror que é trabalhar uma campanha eleitoral baseada no medo. Lembro que os olhos de todos estavam bem abertos a isso naquele tempo. Por que agora se fecharam?
Esperava esse tipo de baixaria do Serra, jamais do PT! Usar o medo e o preconceito que o povo tem contra a IURD (medo e preconceito esses gerados e alimentados pelo PIG há vinte anos)para tentar barrar a candidatura de Russomano é ridículo! Dar trela para “ex” qualquer coisa é estilo de jornalismo de Veja. Sério mesmo, estou decepcionada.
Quando o PRB apoiou a eleição da Dilma alguém disse que ela era fantoche do Bispo Macedo? A não ser a imprensa, que a acusou de fantoche de todo mundo. Quando o Bispo escreveu em seu blog contra as mentiras que jogavam contra Dilma e a oposição acusou o governo de favorecer a IURD, todos do PT sabiam que não era verdade. Quando José Alencar foi para o PRB (do qual foi presidente de honra) ninguém disse que o Bispo Macedo seria vice-presidente e Alencar era um fantoche. Por que agora o raciocínio não pode ser o mesmo? Por que aceitar a agenda do PIG?
Falem das propostas, mostrem o seu candidato, convençam os eleitores sem vender a alma por desespero. Não é possível que não saibam que estão trabalhando com a estratégia do medo, pois foram vítimas disso, têm sido vítimas disso há algumas eleições.
Só falta agora a Regina Duarte na campanha do Haddad dizendo que tem medo do Russomano.
Tinha que registrar minha indignação e minha decepção com quem compra mentiras e faz o jogo do denuncismo irresponsável, apelando para o tapetão. Eu me recuso a julgar o partido inteiro pela irresponsabilidade de um candidato. E continuarei apoiando o PT quando ele for injustiçado, e quando tiver candidatos melhores. Espero que não destruam o respeito que ainda tenho pelo PT e por sua militância aderindo ao modus operandi de José Serra no segundo turno.

Quando vejo o tom da campanha de Haddad às vésperas da eleição, percebo que fiz a opção certa quando decidi que ele não teria meu voto. Como todo mundo sabe, tenho simpatia pelo PT, participei das últimas campanhas presidenciais, mas a minha militância nunca foi cega.

Pelo contrário, o que eu sempre achei bacana foi o espaço para o livre pensamento dentro do Partido dos Trabalhadores. Até nos blogs, em sua maioria, os textos sempre foram coerentes e lógicos, muito mais inteligentes do que os raivosos da oposição.

A campanha municipal em São Paulo começou assim. Como Haddad não me pareceu uma boa escolha do partido, fiquei feliz quando soube que Russomano seria candidato pelo PRB, partido que vi nascer. O maior problema veio quando Haddad ameaçava terminar em terceiro lugar. Perdeu o tom.

Aquilo que eu esperava do Serra (e que o PSDB também está fazendo, principalmente através da mídia), veio da campanha de Haddad.  Ligaram a metralhadora giratória. Agora começaram a usar depoimento de ex-obreira, atacar a IURD com os mesmíssimos argumentos da velha mídia.

Estou na IURD há quase treze anos e refuto veementemente qualquer acusação de manipulação e de que sejamos impedidos de pensar. Muito pelo contrário! Não conheço outro lugar que incentive tanto a pensar com a própria cabeça! Conheço a Igreja Universal, sei como funciona e posso garantir que todo mundo tem livre escolha e eu penso muito bem, obrigada.

Claro que temos interesses em comum, entre eles o de não ter um governo comprometido com a velha mídia que tanto nos odeia. Somos unidos e militamos pelos nossos ideais, raciocinamos e entendemos bem o que estamos fazendo. Sabemos que Russomano não é da IURD e não tem compromisso nenhum conosco, mas acreditamos que ele é a melhor opção para São Paulo e temos esse direito.

Política é um assunto de todos os cidadãos, estejam eles vinculados ou não a uma igreja. Porque fazemos parte de uma igreja temos de ser excluídos da sociedade? O fato de um candidato ser de um partido que tem membros de uma determinada igreja, não significa que aquela igreja irá participar do mandato! Se a igreja de vocês faria isso, me desculpe, a minha não faz. Como qualquer grupo, temos interesses em comum, mas nenhum deles é o de dominar o mundo, impor o cristianismo goela abaixo ou qualquer asneira que se diga por aí.

Eu garanto que conheço mais a IURD do que a tal ex-obreira. Garanto que entendo mais de como ela funciona do que qualquer crítico de sofá. Mas não estou aqui para defender a IURD ou dizer o óbvio: que Russomano é tão “fantoche do Bispo Macedo” quanto Dilma era um poste (e todos nós vimos que Dilma jamais foi um poste). O que preciso dizer, e que está entalado na minha garganta é: é correto usar as armas do inimigo para vencer?

Nós ajudamos a reeleger o Lula (inclusive o vice-presidente José Alencar filiou-se ao PRB em 2005), ajudamos a eleger a Dilma e o PRB faz parte da base aliada do governo federal. Esse papel do denuncismo irresponsável não se encaixa no PT.

Esperava coerência. Porque quando o Serra e o PIG (Partido da Imprensa Golpista) faziam isso contra a Dilma, o Lula e o PT, pegando “ex isso” e “ex aquilo” para dar depoimento, acreditando em qualquer coisa que lhes diziam, espalhando hoax a torto e a direito a gente dizia que era errado, que não se podia acusar sem provas, e falava do horror que é trabalhar uma campanha eleitoral baseada no medo. Lembro que os olhos de todos estavam bem abertos a isso naquele tempo. Por que agora se fecharam?

Esperava esse tipo de baixaria do Serra, jamais do PT! Usar o medo e o preconceito que o povo tem contra a IURD e o Bispo Macedo (medo e preconceito esses gerados e alimentados pelo PIG há vinte anos)para tentar barrar a candidatura de Russomano é ridículo! Dar trela para “ex” qualquer coisa é estilo de jornalismo de Veja. Sério mesmo, estou decepcionada.

Quando o PRB apoiou a eleição da Dilma alguém disse que ela era fantoche do Bispo Macedo? A não ser a imprensa, que a acusou de fantoche de todo mundo. Quando o Bispo escreveu em seu blog contra as mentiras que jogavam contra Dilma e a oposição acusou o governo de favorecer a IURD, todos do PT sabiam que não era verdade. Quando José Alencar foi para o PRB (do qual foi presidente de honra) ninguém disse que o Bispo Macedo seria vice-presidente e Alencar era um fantoche. Por que agora o raciocínio não pode ser o mesmo? Por que aceitar a agenda do PIG?

Falem das propostas, mostrem o seu candidato, convençam os eleitores sem vender a alma por desespero. Não é possível que não saibam que estão trabalhando com a estratégia do medo, pois foram vítimas disso, têm sido vítimas disso há algumas eleições.

Só falta agora a Regina Duarte na campanha do Haddad dizendo que tem medo do Russomano.

Tinha que registrar minha indignação e minha decepção com quem compra mentiras e faz o jogo do denuncismo irresponsável, apelando para o tapetão. Eu me recuso a julgar o partido inteiro pela irresponsabilidade de um candidato. E continuarei apoiando o PT quando ele for injustiçado, e quando tiver candidatos melhores. Espero que não destruam o respeito que ainda tenho pelo PT e por sua militância aderindo ao modus operandi de José Serra no segundo turno.

PS: Temos uma causa: a causa do evangelho. Se alguém começa a nos atacar, eu entendo que vai nos atrapalhar quando chegar ao poder e jamais terá meu apoio. Ninguém está buscando ajuda de governo, até porque isso não nos interessa. Ter rabo preso com governo não ajuda a causa. O que procuramos é um governo que não nos atrapalhe enquanto fazemos nosso trabalho. E qual é o nosso trabalho? Ajudar pessoas, transformar vidas. Esse vídeo é um resumo (bem resumido) do que fazemos: clique para assistir. Isso é o que você nunca vai ver na Globo.

A excelência da sabedoria

Durante o Jejum de Daniel, minha mãe atacou todos os livros de sua estante e começou a desenterrar alguns que eu nem me lembrava que existiam. Em uma semana ela tinha lido uns seis livros, então cada dia que conversávamos ao telefone (ela mora em Campo Grande – MS e eu em São Paulo), ela tinha uma novidade para me contar. Sobre esse livro o entusiasmo dela foi tão grande e genuíno que me convenceu: “Ele é curtinho, mas super completo, maravilhoso, você tem que ler!” (Agora você sabe de quem puxei o dom de convencer os outros a ler.) Ela tem razão! “A excelência da sabedoria” (Editora Unipro), do Bispo Macedo, tem 74 páginas, é muito fininho e a leitura é bem agradável. O conteúdo é bem objetivo, prático e dinâmico, ele pula de um assunto para o outro com grande facilidade, mas você não se perde, acompanha o raciocínio também facilmente. E é muito raciocínio, amigos! Naquelas 74 páginas cabe tanta coisa!

“A excelência da sabedoria” faz uma análise cuidadosa dos primeiros capítulos do livro de Provérbios, com lições para absolutamente todas as áreas da vida: fala de vida espiritual, de sabedoria (é claro), de fé inteligente, de finanças, de vida sentimental, de família, de saúde…acho que não ficou um assunto sem ser abordado. E, melhor de tudo: como é comum nos livros do Bispo Macedo, este livro tem uma linguagem simples e de fácil compreensão.

Apesar de ser estudo de Provérbios, ele passeia por toda a Bíblia, conversando com o leitor, eu achei isso muito legal! Porque ele pegava um versículo de Provérbios, começava a meditar e ligava a outro versículo lá do Novo Testamento, por exemplo.  Sabe em que eu acho que isso ajuda? A nos ensinar a como meditar na Palavra de Deus, fazendo uma leitura pausada e profunda. Quando você vê, está continuando o raciocínio, meditando na meditação feita. Da próxima vez que pegar um versículo bíblico para ler, perceberá quanta riqueza existe naquelas poucas linhas.

Fui ensinada na igreja tradicional a decorar versículos. Nada contra você ler tanto que acabe  sabendo de cor, mas não era o que fazíamos. Decorávamos mesmo, ainda crianças, sem sequer entender o que estávamos dizendo. E o versículo caía no solo estéril do compartimento religioso da mente humana, para nunca mais ser compreendido. É por isso que muitos religiosos depois se aplicam aos estudos teológicos mais malucos, para tentar trazer compreensão ao que decoraram, mas a Palavra de Deus é tão simples!

Ela é rica, cheia de detalhes, mas simples de entender, acessível a qualquer ser humano. Peça ao Espírito Santo que guie seu entendimento e medite, pense.

Um trecho do livro diz: “É impossível que alguém que pratique a Palavra de Deus seja infeliz, viva em depressão.” Concordo plenamente. É impossível! Se todo mundo praticasse a Palavra de Deus, a indústria de antidepressivos e ansiolíticos teria de vender vitaminas.

A Palavra de Deus praticada transforma, de dentro para fora. Para isso você tem de tirar da sua cabeça a ideia equivocada de que a Bíblia é um livro difícil. Não é! Pessoas menos inteligentes do que você conseguem entendê-la, eu te garanto. Pessoas mais inteligentes também. Ela é para todos. Deus não seria justo se reservasse o entendimento de sua Palavra apenas aos sábios deste mundo. Pelo contrário! Ele diz que ocultou aos sábios deste mundo e a revelou aos humildes.

Este é o maior segredo desse livro: se você for suficientemente humilde para ler e absorver o Espírito dessas palavras, colocando em prática tudo o que aprender, pode ter certeza de que terá muito mais do que qualidade de vida.

Vanessa Lampert

Para ler as resenhas arquivadas, Clique aqui. E para ler as recentes, clique aqui.

PS: Desta vez fizemos o caminho inverso.  O filhotinho desta resenha saiu esta semana na Folha Universal. Então se der uma sensaçãozinha de déjà vu, foi lá que você viu.  :-)

PS2: Faz tempo que não encontro esse livro na IURD. Infelizmente, você ainda não o encontra em livrarias. O jeito é comprar no Arca Center ou pelo televendas: http://www.arcacenter.com.br

Originalmente publicado no blog Cristiane Cardoso. Clique aqui para ver a postagem original.

Líderes evangélicos se posicionam a respeito dos hoaxes sobre Dilma

Bispo Macedo publicou hoje o seguinte texto em seu blog (clique aqui para ler o texto diretamente no blog do Bispo), dirigido aos membros da IURD:

“Dilma é vítima de mentiras espalhadas pela internet

Bispo Edir Macedo

Recebi recentemente um e-mail, destes que em princípio parecem ter o nobre intuito de nos alertar para algo grave. A mensagem dizia que a candidata à Presidência da República, Dilma Roussef, teria afirmado: “Nem mesmo Cristo querendo, me tira essa vitória”. O spam, com texto pobre, dizia: “Após a inauguração de um comitê em Minas, Dilma é entrevistada por um jornalista local…” Como as informações eram muito vagas (um comitê em Minas; um jornalista local), saí em busca de algo mais consistente, como um vídeo da suposta declaração ou ao menos uma gravação em áudio, mas não encontrei nada. Assim, tive certeza que se tratava de mais uma mentira.

Se os cristãos fossem tão ágeis e eficientes para usar as ferramentas modernas da comunicação na pregação do Evangelho, assim como parecem ser para disseminar boatos, certamente muitas almas seriam ganhas para o Senhor Jesus.

Quem pensa que está prestando algum serviço ao Reino de Deus, espalhando uma informação sem ter certeza de sua veracidade, na verdade, está fazendo o jogo do diabo.

O Senhor Jesus não precisa de advogados, nem de assessores de comunicação que saiam em “defesa” de Seu Nome. Ele precisa de verdadeiros cristãos, que entendam, vivam e preguem a Verdade.

Devemos observar que pessoas mal intencionadas têm procurado confundir muitos cidadãos com mentiras mal elaboradas, a fim de atrapalhar o trabalho sério de alguns candidatos. Pense nisto.

Nestes dias que antecedem as eleições, devemos observar se a plataforma dos candidatos em quem pretendemos votar, não pode vir a prejudicar a Igreja. Use seu voto de forma consciente e responsável.

Veja também:

Boatos tentam desestabilizar reta final da campanha de Dilma
Dilma desmente boatos que circulam na internet ”


—-

Mas ele não está sozinho nessa opinião. Temos uma carta mais formal e oficial em nome das assembléias de Deus (aliás, denominação da Marina Silva, não?)
http://www.conamad.com.br/portals/13/cartaanacaobrasileira.pdf

E se o seu negócio não é pentecostal, é mais tradicional (muitos cristãos têm preconceito contra pentecostais e neopentecostais), então vejamos o pronunciamento da Aliança Batista:
http://www.aliancadebatistas.com.br/page/modules/smartsection/item.php?itemid=28

PS: Não se esqueçam de divulgar a lista de emails falsos contra a Dilma, com os links para os textos que provam que são falsos, estou atualizando à medida em que recebo novos hoaxes. Clique aqui para ver Quer votar em outro candidato? Fique à vontade, mas vote por motivos verdadeiros, e não pelas mentiras. Além desses do link, ainda falta inserir o link do hoax sobre as leis contra evangélicos (sim, também é mentira) e farei isso assim que possível.  Também deixo a minha carta aos evangélicos, explicando que ainda que você acredite abortar é pecado e quem faz vai para o inferno ou que casamento homossexual é pecado e aceitá-lo é contra os princípios cristãos, e ainda se Dilma fosse a favor de implementar tudo isso, não seria motivo para celeuma ou para não votar nela. Clique aqui para entender o porquê.

PS2: E para quem acredita que Marina é boa opção por ser evangélica e por não ser PT, nem PSDB, aguarde o post de amanhã (em tempo: esse último argumento é estranho, já que ela disse que vai chamar PT e PSDB para governar com ela, se for eleita).

.

Divulgar hoax como se fosse notícia é jornalismo?

Mais uma vez a Globo cria factóides para alimentar o ódio de seus telespectadores contra a IURD e seu fundador. Isso só mostra bem o tipo de jornalismo que essa emissora sabe fazer: mentiras e distorções da verdade (mostrar fachada da casa de Campos do Jordão* e o interior de um suntuoso palácio  como se fossem o mesmo lugar. Obviamente não foi sem querer, já que tiveram o cuidado de usar a fachada verdadeira) com o intuito de manipular a opinião pública.

Ano passado recebemos um e-mail encaminhado com aquelas fotos. Após pesquisar no Google, para descobrir de quem, de fato, era a mansão, descobri que o Bispo não foi o único sorteado a ser o pretenso proprietário de tal palácio. Ele terá de dividir a propriedade de tão bregamente decorado local com pelo menos seis indivíduos, incluindo uma atriz indiana e o presidente do Zimbabwe.

* Sobre a casa de Campos do Jordãoveja este vídeo (clique aqui para ver).

Respondi, então com o seguinte texto:


A Mansão de Edir Macedo

Vanessa Lampert

A mansão, na verdade, é uma casa que está disponível para servir como locação de filmes publicitários e de entretenimento, localizada em Bel Air, em Los Angeles, sendo divulgada, inclusive, no website da  Toni Maier-On Location.

Hoax-Slayer é um clássico da web, desmascara hoaxes desde 2003 e diz claramente que existem diversas versões deste mesmo e-mail, com essas mesmas fotos, uma versão dizendo que ela pertence ao presidente Pervaiz Musharraf, do Paquistão, outra que diz que a mansão é do nigeriano Ibrahim Babangida, outra diz que é do ex-secretário de saúde do Arzebaijão e até mesmo da atriz de Bollywood, Shahrukh Khan.  A versão apresentada no link, de que a mansão pertence a Robert Mugabe, presidente do Zimbabwe tem trechos idênticos à versão que circula como sendo do Bispo Macedo, ou seja, a pessoa fez a tradução e propositalmente trocou o nome pelo do Bispo, consciente de que estava construindo uma denúncia falsa. Deve haver mais uma tonelada de versões, já que como o Hoax-Slayer não cita essa do Bispo Macedo, também deve desconhecer diversas outras. Ou seja, mais uma vez, vale a pena pensar e pesquisar antes de sair abraçando e engolindo qualquer “notícia bombástica” que recebamos por e-mail ou vejamos na Rede Globo.

“In fact, the very same set of photographs has also circulated in protest messages decrying the opulent lifestyles of other political leaders and celebrities. One version claims that the home belongs to President Pervaiz Musharraf of Pakistan. Another claims that the mansion is the home of former Nigerian ruler Ibrahim Babangida. Yet another version suggests that the photographs show the home of former Secretary of Health Care of Azerbaijan, Russia. And, finally, many references, including a YouTube video, claim that the home belongs to Bollywood superstar, Shahrukh Khan.”

(…)

“The mansion in the photographs is actually a home located in the wealthy community of Bell Air, Los Angeles. The mansion is available as a location for film, television and commercial shoots and is featured as such on the website of location manager, Toni Maier. Thus, there is no truth in the story that the mansion in the photographs belongs to Mugabe. “

Fotos no site de Toni Maier, o agente que negocia a locação dessas mansões:

http://www.onlocation.com/displayimage.php?searchtype=blueid&blueid=1662

PS: A Rede Globo mais uma vez subestima a inteligência do povo Brasileiro e vai além: nos chama de criaturas completamente desprovidas de massa encefálica, ao tentar enfiar goela abaixo um hoax super conhecido, como se fosse um grande “furo jornalístico”, em uma risível tentativa de desviar a atenção do que realmente queremos saber: O que a Rede Globo tem a dizer a respeito das denúncias sérias que foram feitas no Repórter Record de domingo? Qual é a defesa cabível?

* A casa de Campos do Jordão não é do Bispo, é da Igreja Universal e serve como local de reuniões e lazer para os Bispos da igreja, veja este vídeo (clique aqui para ver).
.