Os ideais

Meu texto sobre as eleições foi publicado no blog do Bispo Macedo. Fiquei feliz, pois mais pessoas poderiam se identificar com ele, o que de fato aconteceu. Estranhamente, em um primeiro momento não houve o chilique público, talvez pelo post ser assinado. Depois, começaram os comentários. Um me pergunta: “Quanto o Edir Macedo está lhe pagando?”

Não, eu não  vou te convencer de que o Bispo Macedo não é como você pensa que ele é, nem que ele realmente acredita e vive tudo o que ele prega (apesar de eu poder te garantir isso. Ele realmente acredita e vive o que prega).  Não vou te convencer de que a mídia manipula a opinião pública sobre a IURD há 20 anos.  Não vou te convencer de que eu acredito em tudo o que escrevo. Não vou te convencer de que eu sempre defendi aquilo em que acredito. Se você não me conhece, nada do que eu disser terá algum peso, não é mesmo? Não me importa. Não é disso que eu quero falar.

O que achei estranho nessa história toda é que a sociedade está predisposta a dois pensamentos que, em minha opinião, são igualmente tristes:

1 – Se a pessoa escreve com convicção alguma coisa com a qual o leitor não concorde, já se imagina que ela foi paga para isso. Trocou sua opinião por dinheiro.

2 – Se ela não recebeu dinheiro em troca, ela é idiota. Ingênua, ignorante.

Afinal de contas,  é errado o que vende suas convicções, mas se é idiota o que defende suas convicções de graça, o certo é o quê? Não ter convicções? Ou não defender aquilo em que acredita?

As pessoas vivem tão mergulhadas em tantas dúvidas, medos, receios e desconfianças, que é impossível ter uma convicção verdadeira. As convicções verdadeiras são fruto de raciocínio e de certeza, e só assim tornam-se suficientemente fortes para serem defendidas com segurança.  Quem não tem segurança dentro de si, vai buscá-la do lado de fora.

Esse é o trabalho que a indústria do entretenimento e a mídia têm feito em conjunto há muitos anos. Ao mesmo tempo em que trabalham para tirar de seu público as certezas pessoais e enchê-lo de dúvidas e desconfiança, lhe oferecem as certezas pré-fabricadas de que ele precisa.  Não é de se espantar que as pessoas digam as mesmas coisas, ajam da mesma forma, repitam as mesmas frases, as mesmas acusações, como uma manada, como um exército de autômatos que nos acusa de ser um exército de autômatos.

Vivem interessados no que vai acontecer na novela, cantando as músicas que a TV lhes diz para cantar, usando as roupas que a novela lhes diz para usar, repetindo os bordões dos personagens, emprestando a linha de raciocínio retirada dos telejornais, dos jornais impressos, da Veja, absorvendo a lógica da mídia como se fosse a verdade absoluta que lhes sirva de base para toda e qualquer argumentação. E nós é que somos os manipulados.

As pessoas (muitas pessoas de boa índole, inclusive), acreditando que estão impedindo uma catástrofe, permitirão uma catástrofe ainda maior* (aliás, isso é bíblico).

Os seres humanos são idealistas por natureza. Se estiverem preenchidos de cinismo e rejeitarem os ideais verdadeiros, abraçarão qualquer ideal que lhes for apresentado. Aí quem lhes apresentou esse ideal terá material humano para fazer o que quiser. Então você vê uma multidão revanchista, com ideais negativos (que, no entanto, têm uma justificativa positiva, e por isso atraem até muita gente boa) e discursos raivosos contra aqueles que defendem positivamente suas causas, de uma maneira racional e equilibrada.

Por isso prefiro me manter com alienígena neste mundo. Desconectada da Matrix, querendo desconectar outras pessoas (afinal, para isso fomos chamados…faz parte do cristianismo oferecer essa libertação aos que nem sabem que estão cativos. Há uma ordem expressa na Bíblia.), mas sabendo que não posso obrigar ninguém a raciocinar. Tomar a pílula vermelha é escolha de cada um. Em um primeiro momento, é mais confortável não tomar e seguir a corrente. O problema é aonde essa corrente irá levar.

*Em muito menor escala, foi o que aconteceu nessas eleições municipais. Eleitores sedentos por um ideal verdadeiro, abraçaram o ideal da mídia “vou votar no Serra/Haddad só para impedir a vitória do Russomano”, acreditando sinceramente que estavam atrapalhando uma espécie de golpe de estado religioso.

PS: Ainda sobre eleições, esse excelente texto do João da Paz (clique para ler) mostra o estilo de jornalismo da Folha de São Paulo, durante as eleições municipais. Claro que não foi apenas a Folha, quem viu a entrevista de Russomano à César Tralli, na Globo, percebeu que seguia a mesma linha. Não era interesse da velha mídia que Russomano tomasse o lugar do candidato do PSDB no segundo turno, e conseguiram manipular toda a máquina nesse sentido. Se o Serra ganhar, darei os parabéns ao PT.

Última palavra sobre as eleições

Quando vejo o tom da campanha de Haddad às vésperas da eleição, percebo que fiz a opção certa quando decidi que ele não teria meu voto. Como todo mundo sabe, tenho simpatia pelo PT, participei das últimas campanhas presidenciais, mas a minha militância nunca foi cega.
Pelo contrário, o que eu sempre achei bacana foi o espaço para o livre pensamento dentro do Partido dos Trabalhadores. Até nos blogs, em sua maioria, os textos sempre foram coerentes e lógicos, muito mais inteligentes do que os raivosos da oposição.
A campanha municipal em São Paulo começou assim. Como Haddad não me pareceu uma boa escolha do partido, fiquei feliz quando soube que Russomano seria candidato pelo PRB, partido que vi nascer. O maior problema veio quando Haddad ameaçava terminar em terceiro lugar. Perdeu o tom.
Aquilo que eu esperava do Serra (e que o PSDB também está fazendo, principalmente através da mídia), veio da campanha de Haddad.  Ligaram a metralhadora giratória. Agora começaram a usar depoimento de ex-obreira, atacar a IURD com os mesmíssimos argumentos da velha mídia.
Estou na IURD há quase treze anos e refuto veementemente qualquer acusação de manipulação e de que sejamos impedidos de pensar. Muito pelo contrário! Não conheço outro lugar que incentive tanto a pensar com a própria cabeça! Conheço a Igreja Universal, sei como funciona e posso garantir que todo mundo tem livre escolha e eu penso muito bem, obrigada.
Claro que temos interesses em comum, entre eles o de não ter um governo comprometido com a velha mídia que tanto nos odeia. Somos unidos e militamos pelos nossos ideais, raciocinamos e entendemos bem o que estamos fazendo. Sabemos que Russomano não é da IURD e não tem compromisso nenhum conosco, mas acreditamos que ele é a melhor opção para São Paulo e temos esse direito.
Política é um assunto de todos os cidadãos, estejam eles vinculados ou não a uma igreja. Porque fazemos parte de uma igreja temos de ser excluídos da sociedade? O fato de um candidato ser de um partido que tem membros de uma determinada igreja, não significa que aquela igreja irá participar do mandato! Se a igreja de vocês faria isso, me desculpe, a minha não faz. Como qualquer grupo, temos interesses em comum, mas nenhum deles é o de dominar o mundo, impor o cristianismo goela abaixo ou qualquer asneira que se diga por aí.
Eu garanto que conheço mais a IURD do que a tal ex-obreira. Garanto que entendo mais de como ela funciona do que qualquer crítico de sofá. Mas não estou aqui para defender a IURD ou dizer o óbvio: que Russomano é tão fantoche do Bispo Macedo quanto Dilma era um poste (e todos nós vimos que Dilma jamais foi um poste). O que preciso dizer, e que está entalado na minha garganta é: é correto usar as armas do inimigo para vencer?
Nós ajudamos a reeleger o Lula (inclusive o vice-presidente José Alencar se filiou ao PRB em 2005), ajudamos a eleger a Dilma e o PRB faz parte da base aliada do governo federal. Esse papel do denuncismo irresponsável não se encaixa no PT.
Esperava coerência. Porque quando o Serra e o PIG (Partido da Imprensa Golpista) faziam isso contra a Dilma, o Lula e o PT, pegando “ex isso” e “ex aquilo” para dar depoimento, acreditando em qualquer coisa que lhes diziam, espalhando hoax a torto e a direito a gente dizia que era errado, que não se podia acusar sem provas, e falava do horror que é trabalhar uma campanha eleitoral baseada no medo. Lembro que os olhos de todos estavam bem abertos a isso naquele tempo. Por que agora se fecharam?
Esperava esse tipo de baixaria do Serra, jamais do PT! Usar o medo e o preconceito que o povo tem contra a IURD (medo e preconceito esses gerados e alimentados pelo PIG há vinte anos)para tentar barrar a candidatura de Russomano é ridículo! Dar trela para “ex” qualquer coisa é estilo de jornalismo de Veja. Sério mesmo, estou decepcionada.
Quando o PRB apoiou a eleição da Dilma alguém disse que ela era fantoche do Bispo Macedo? A não ser a imprensa, que a acusou de fantoche de todo mundo. Quando o Bispo escreveu em seu blog contra as mentiras que jogavam contra Dilma e a oposição acusou o governo de favorecer a IURD, todos do PT sabiam que não era verdade. Quando José Alencar foi para o PRB (do qual foi presidente de honra) ninguém disse que o Bispo Macedo seria vice-presidente e Alencar era um fantoche. Por que agora o raciocínio não pode ser o mesmo? Por que aceitar a agenda do PIG?
Falem das propostas, mostrem o seu candidato, convençam os eleitores sem vender a alma por desespero. Não é possível que não saibam que estão trabalhando com a estratégia do medo, pois foram vítimas disso, têm sido vítimas disso há algumas eleições.
Só falta agora a Regina Duarte na campanha do Haddad dizendo que tem medo do Russomano.
Tinha que registrar minha indignação e minha decepção com quem compra mentiras e faz o jogo do denuncismo irresponsável, apelando para o tapetão. Eu me recuso a julgar o partido inteiro pela irresponsabilidade de um candidato. E continuarei apoiando o PT quando ele for injustiçado, e quando tiver candidatos melhores. Espero que não destruam o respeito que ainda tenho pelo PT e por sua militância aderindo ao modus operandi de José Serra no segundo turno.

Quando vejo o tom da campanha de Haddad às vésperas da eleição, percebo que fiz a opção certa quando decidi que ele não teria meu voto. Como todo mundo sabe, tenho simpatia pelo PT, participei das últimas campanhas presidenciais, mas a minha militância nunca foi cega.

Pelo contrário, o que eu sempre achei bacana foi o espaço para o livre pensamento dentro do Partido dos Trabalhadores. Até nos blogs, em sua maioria, os textos sempre foram coerentes e lógicos, muito mais inteligentes do que os raivosos da oposição.

A campanha municipal em São Paulo começou assim. Como Haddad não me pareceu uma boa escolha do partido, fiquei feliz quando soube que Russomano seria candidato pelo PRB, partido que vi nascer. O maior problema veio quando Haddad ameaçava terminar em terceiro lugar. Perdeu o tom.

Aquilo que eu esperava do Serra (e que o PSDB também está fazendo, principalmente através da mídia), veio da campanha de Haddad.  Ligaram a metralhadora giratória. Agora começaram a usar depoimento de ex-obreira, atacar a IURD com os mesmíssimos argumentos da velha mídia.

Estou na IURD há quase treze anos e refuto veementemente qualquer acusação de manipulação e de que sejamos impedidos de pensar. Muito pelo contrário! Não conheço outro lugar que incentive tanto a pensar com a própria cabeça! Conheço a Igreja Universal, sei como funciona e posso garantir que todo mundo tem livre escolha e eu penso muito bem, obrigada.

Claro que temos interesses em comum, entre eles o de não ter um governo comprometido com a velha mídia que tanto nos odeia. Somos unidos e militamos pelos nossos ideais, raciocinamos e entendemos bem o que estamos fazendo. Sabemos que Russomano não é da IURD e não tem compromisso nenhum conosco, mas acreditamos que ele é a melhor opção para São Paulo e temos esse direito.

Política é um assunto de todos os cidadãos, estejam eles vinculados ou não a uma igreja. Porque fazemos parte de uma igreja temos de ser excluídos da sociedade? O fato de um candidato ser de um partido que tem membros de uma determinada igreja, não significa que aquela igreja irá participar do mandato! Se a igreja de vocês faria isso, me desculpe, a minha não faz. Como qualquer grupo, temos interesses em comum, mas nenhum deles é o de dominar o mundo, impor o cristianismo goela abaixo ou qualquer asneira que se diga por aí.

Eu garanto que conheço mais a IURD do que a tal ex-obreira. Garanto que entendo mais de como ela funciona do que qualquer crítico de sofá. Mas não estou aqui para defender a IURD ou dizer o óbvio: que Russomano é tão “fantoche do Bispo Macedo” quanto Dilma era um poste (e todos nós vimos que Dilma jamais foi um poste). O que preciso dizer, e que está entalado na minha garganta é: é correto usar as armas do inimigo para vencer?

Nós ajudamos a reeleger o Lula (inclusive o vice-presidente José Alencar filiou-se ao PRB em 2005), ajudamos a eleger a Dilma e o PRB faz parte da base aliada do governo federal. Esse papel do denuncismo irresponsável não se encaixa no PT.

Esperava coerência. Porque quando o Serra e o PIG (Partido da Imprensa Golpista) faziam isso contra a Dilma, o Lula e o PT, pegando “ex isso” e “ex aquilo” para dar depoimento, acreditando em qualquer coisa que lhes diziam, espalhando hoax a torto e a direito a gente dizia que era errado, que não se podia acusar sem provas, e falava do horror que é trabalhar uma campanha eleitoral baseada no medo. Lembro que os olhos de todos estavam bem abertos a isso naquele tempo. Por que agora se fecharam?

Esperava esse tipo de baixaria do Serra, jamais do PT! Usar o medo e o preconceito que o povo tem contra a IURD e o Bispo Macedo (medo e preconceito esses gerados e alimentados pelo PIG há vinte anos)para tentar barrar a candidatura de Russomano é ridículo! Dar trela para “ex” qualquer coisa é estilo de jornalismo de Veja. Sério mesmo, estou decepcionada.

Quando o PRB apoiou a eleição da Dilma alguém disse que ela era fantoche do Bispo Macedo? A não ser a imprensa, que a acusou de fantoche de todo mundo. Quando o Bispo escreveu em seu blog contra as mentiras que jogavam contra Dilma e a oposição acusou o governo de favorecer a IURD, todos do PT sabiam que não era verdade. Quando José Alencar foi para o PRB (do qual foi presidente de honra) ninguém disse que o Bispo Macedo seria vice-presidente e Alencar era um fantoche. Por que agora o raciocínio não pode ser o mesmo? Por que aceitar a agenda do PIG?

Falem das propostas, mostrem o seu candidato, convençam os eleitores sem vender a alma por desespero. Não é possível que não saibam que estão trabalhando com a estratégia do medo, pois foram vítimas disso, têm sido vítimas disso há algumas eleições.

Só falta agora a Regina Duarte na campanha do Haddad dizendo que tem medo do Russomano.

Tinha que registrar minha indignação e minha decepção com quem compra mentiras e faz o jogo do denuncismo irresponsável, apelando para o tapetão. Eu me recuso a julgar o partido inteiro pela irresponsabilidade de um candidato. E continuarei apoiando o PT quando ele for injustiçado, e quando tiver candidatos melhores. Espero que não destruam o respeito que ainda tenho pelo PT e por sua militância aderindo ao modus operandi de José Serra no segundo turno.

PS: Temos uma causa: a causa do evangelho. Se alguém começa a nos atacar, eu entendo que vai nos atrapalhar quando chegar ao poder e jamais terá meu apoio. Ninguém está buscando ajuda de governo, até porque isso não nos interessa. Ter rabo preso com governo não ajuda a causa. O que procuramos é um governo que não nos atrapalhe enquanto fazemos nosso trabalho. E qual é o nosso trabalho? Ajudar pessoas, transformar vidas. Esse vídeo é um resumo (bem resumido) do que fazemos: clique para assistir. Isso é o que você nunca vai ver na Globo.

Carta de afronta da Folha de São Paulo

Na Folha Universal desta semana, na coluna “Ponto de Vista”, Carlos Oliveira fala sobre o bico de Tucano da Folha de São Paulo (clique aqui para ler). Gostei muito do texto e despertou em mim uma revolta, mais especificamente o seguinte parágrafo: “Em sua edição de número 30.455, de 20 de agosto, o famigerado jornal estampa propositalmente em sua capa a seguinte chamada: “Russomano é o Davi que perderá para dois Golias – O desafio de Russomano (PRB) de chegar ao segundo turno em São Paulo é o de Davi contra Golias. Davi, do partido divino, venceu. Contra PT e PSDB, na realidade de uma democracia em maturação, Deus não vai resolver.” (Outro post a respeito, de Assis Araújo, mostra o texto da Folha de São Paulo na íntegra, com a chamada de capa! Clique aqui para ler.)
Primeira consideração: Agora o PT é um gigante, para a Folha de São Paulo? Agora admite que é um partido forte? Quando convém à Folha ela enxerga o Partido dos Trabalhadores? O medo da Folha reflete o medo da velha mídia em geral: Russomano está à frente de Serra. Haddad ainda está longe o suficiente, mas pelo visto os tucanos prefeririam lutar contra o PT do que enfrentar Davi, afinal de contas, já são anos e anos forjando denúncias e provas contra o partido de Haddad, inventar algo contra Russomano e o PRB agora daria muito trabalho e não convenceria tão bem. Os interesses eleitoreiros ficariam óbvios (não que deixem de fazer por causa disso).
Mesmo que Russomano esteja na liderança e não tenha o alto índice de rejeição que Serra tão arduamente lutou para conquistar, a Folha sentencia: “Russomano é o Davi que perderá para dois Golias” Baseando-se em quê a Folha faz essa afirmação? Em sua profunda vontade, é claro. E no esforço que fará para que isso se concretize, ao tentar – como sempre fez – manipular as informações e a mente de seus leitores.
A velha mídia ignora que o povo Brasileiro não come mais em sua mão. As pessoas têm aberto os olhos para as mentiras e manipulações da mídia tendenciosa. E esse processo não vai parar, não tem como parar. A velha mídia se debate como o náufrago prestes a se afogar. Só isso explica a declaração do editorial absurdo da Folha. “Deus não vai resolver” é um convite explícito à revolta de todos aqueles que não apenas acreditam em Deus, mas têm grande respeito por Ele e lutam Suas causas. A Folha desperta, assim, o “Exército do Deus Vivo”, por quem Davi se revoltava.
Isso me fez lembrar uma outra passagem bíblica, em que Senaqueribe, rei da Assíria manda uma carta de afronta para o Rei Ezequias, dizendo que o Deus de Israel não era capaz de livrá-lo de suas mãos. Ezequias, então, leva a carta até a Casa de Deus, a estende perante o Senhor e ora, revoltado com aquela afronta feita a Deus (2Reis 19:14-19).  Preciso dizer de quem foi a vitória?  A mesma revolta manifestou Davi diante de Golias, “Quem é, pois, esse incircunciso filisteu, para afrontar o exército do Deus vivo?” (I Samuel 17:26)
Carlos Oliveira traz a carta de afronta da Folha de São Paulo, estendendo como fez Ezequias, com a mesma indignação. Eis que milhares de anos depois de Golias, a Folha de São Paulo vem afrontar não apenas o exército do Deus vivo, mas o próprio Deus, dizendo que Ele não é capaz de livrar a cidade de São Paulo das mãos dos tucanos. Pensando assim, comparando o PSDB com Golias, a Folha assume que o partido é realmente tão ruim e pernicioso quanto eu acredito que seja. E o PT não merece a comparação com o gigante derrotado, a que faz jus o histórico do candidato José Serra e de seu partido.
Sim, Celso Russomano é Davi. O PRB é Davi. Pequeno, desprezado, mas valente e corajoso. Davi não apenas venceu Golias, como também foi o rei mais amado de Israel. Popularidade que os tucanos há muito tempo não se esforçam para ver.
Deus foi duro com Senaqueribe: “Por causa do teu furor contra mim e porque a tua arrogância subiu até aos meus ouvidos, eis que porei o meu anzol no teu nariz e o meu freio na tua boca e te farei voltar pelo caminho por onde vieste” (2 Reis 19:28)
Depois dessa, sinceramente, se eu não fosse votar em Celso Russomano, se ainda estivesse em dúvida, não teria mais dúvida nenhuma. Obrigada, Folha de São Paulo, por nos mostrar tão claramente quem é quem.

afrontaNa Folha Universal desta semana, na coluna “Ponto de Vista”, Carlos Oliveira fala sobre o bico de Tucano da Folha de São Paulo (clique aqui para ler). Gostei muito do texto e despertou em mim uma revolta, mais especificamente o seguinte parágrafo: “Em sua edição de número 30.455, de 20 de agosto, o famigerado jornal estampa propositalmente em sua capa a seguinte chamada: “Russomano é o Davi que perderá para dois Golias – O desafio de Russomano (PRB) de chegar ao segundo turno em São Paulo é o de Davi contra Golias. Davi, do partido divino, venceu. Contra PT e PSDB, na realidade de uma democracia em maturação, Deus não vai resolver.” (Outro post a respeito, de Assis Araújo, mostra o texto da Folha de São Paulo na íntegra, com a chamada de capa! Clique aqui para ler.)

Primeira consideração: Agora o PT é um gigante, para a Folha de São Paulo? Agora admite que é um partido forte? Quando convém à Folha ela enxerga o Partido dos Trabalhadores? O medo da Folha reflete o medo da velha mídia em geral: Russomano está à frente de Serra. Haddad ainda está longe o suficiente, mas pelo visto os tucanos prefeririam lutar contra o PT do que enfrentar Davi, afinal de contas, já são anos e anos forjando denúncias e provas contra o partido de Haddad, inventar algo contra Russomano e o PRB agora daria muito trabalho e não convenceria tão bem. Os interesses eleitoreiros ficariam óbvios (não que deixem de fazer por causa disso).

Mesmo que Russomano esteja na liderança e não tenha o alto índice de rejeição que Serra tão arduamente lutou para conquistar, a Folha sentencia: “Russomano é o Davi que perderá para dois Golias” Baseando-se em quê a Folha faz essa afirmação? Em sua profunda vontade, é claro. E no esforço que fará para que isso se concretize, ao tentar – como sempre fez – manipular as informações e a mente de seus leitores.

A velha mídia ignora que o povo Brasileiro não come mais em sua mão. As pessoas têm aberto os olhos para as mentiras e manipulações da mídia tendenciosa. E esse processo não vai parar, não tem como parar. A velha mídia se debate como o náufrago prestes a se afogar. Só isso explica a declaração do editorial absurdo da Folha. “Deus não vai resolver” é um convite explícito à revolta de todos aqueles que não apenas acreditam em Deus, mas têm grande respeito por Ele e lutam Suas causas. A Folha desperta, assim, o “Exército do Deus Vivo”, por quem Davi se revoltava.

Isso me fez lembrar uma outra passagem bíblica, em que Senaqueribe, rei da Assíria manda uma carta de afronta para o Rei Ezequias, dizendo que o Deus de Israel não era capaz de livrá-lo de suas mãos. Ezequias, então, leva a carta até a Casa de Deus, a estende perante o Senhor e ora, revoltado com aquela afronta feita a Deus (2Reis 19:14-19).  Preciso dizer de quem foi a vitória?  A mesma revolta manifestou Davi diante de Golias, “Quem é, pois, esse incircunciso filisteu, para afrontar o exército do Deus vivo?” (I Samuel 17:26)

Carlos Oliveira traz a carta de afronta da Folha de São Paulo, estendendo como fez Ezequias, com a mesma indignação. Eis que milhares de anos depois de Golias, a Folha de São Paulo vem afrontar não apenas o exército do Deus vivo, mas o próprio Deus, dizendo que Ele não é capaz de livrar a cidade de São Paulo das mãos dos tucanos. Pensando assim, comparando o PSDB com Golias, a Folha assume que o partido é realmente tão ruim e pernicioso quanto eu acredito que seja. E o PT não merece a comparação com o gigante derrotado, a que faz jus o histórico do candidato José Serra e de seu partido.

Sim, Celso Russomano é Davi. O PRB é Davi. Pequeno, desprezado, mas valente e corajoso. Davi não apenas venceu Golias, como também foi o rei mais amado de Israel. Popularidade que os tucanos há muito tempo não se esforçam para ver.

Deus foi duro com Senaqueribe: “Por causa do teu furor contra mim e porque a tua arrogância subiu até aos meus ouvidos, eis que porei o meu anzol no teu nariz e o meu freio na tua boca e te farei voltar pelo caminho por onde vieste” (2 Reis 19:28)

Depois dessa, sinceramente, se eu não fosse votar em Celso Russomano, se ainda estivesse em dúvida, não teria mais dúvida nenhuma. Obrigada, Folha de São Paulo, por nos mostrar tão claramente quem é quem.

O que é um petista?

Já faz um tempinho que quero escrever a respeito disso. Pessoas tentam desqualificar meus argumentos (e os seus, também, provavelmente) dizendo que “vêm de uma petista”. Eis mais uma frase que faz com que o cérebro da criatura, aos meus olhos, encolha até se transformar em uma ervilha.

De uma vez por todas: uma coisa é votar na Dilma, ou no PT, outra completamente diferente é ser petista. Até onde eu sei, petista é uma pessoa filiada ao PT e com histórico de militância. Eu não sou filiada a partido político, e só participei da campanha, muito discretamente, em 2002, por conta própria, com minha irmã, porque queríamos tirar o PSDB do governo. Na era FHC, em 99/2000, eu estava na universidade federal e o governo não liberava verba para nada, a intenção era matar as universidades de fome, para forçar uma privatização. Só se falava nisso, e já nos preparávamos para começar a receber boletos de mensalidades. A parca verba que a UFMS recebia era concentrada na faculdade de Medicina e, o que sobrava, na de direito, e mesmo lá, faltava muita coisa.

Na faculdade de jornalismo, que eu fazia, não tinha verba para nada. Os computadores do laboratório de redação não davam para a metade da sala, não tinha verba nem para comprar papel higiênico, quem quisesse, levava de casa. A universidade vivia com mais da metade de suas luzes apagadas, para economizar, e também por causa do racionamento de energia. É uma região perigosa, e tivemos diversos casos de estupros e assaltos no campus. Não me lembro de ninguém na época que defendesse a continuidade daquele processo de depredação, embora a maioria realmente tivesse medo do Lula transformar o Brasil em uma ditadura comunista (coisa que ele teve 8 anos para fazer e não fez. Está, ao contrário, prestes a transformar o Brasil em uma potência capitalista), e outros torciam profundamente para que o Lula transformasse o Brasil em uma ditadura comunista, e devem ter se decepcionado profundamente…talvez hoje votem no PC do B ou no PSOL. Acabei, por conta disso, deixando a faculdade. Retomei o jornalismo em 2002, em uma universidade particular.

Desde que me conheço por gente, minha inclinação foi sempre para a esquerda, ou algo que se pode chamar de centro-esquerda. Sou protestante, o protestantismo é, em essência, revolucionário. Não existe possibilidade de extrema direita em meu contexto histórico. Hoje o PT é o que mais se aproxima de meu modo de ver as coisas, mas isso não me faz uma petista, acho que não tenho o direito de me denominar assim.

Vamos explicar também que “petista” não é ofensa, não é xingamento. Se você se deparar com um verdadeiro petista e chamá-lo de “petista” ele ficará bem feliz e lisonjeado. Eu acho que o elogio não me cabe, por isso não o aceito. E te acharei bastante imbecil por não saber a diferença entre um petista e um mero eleitor da Dilma. Eu sei a diferença entre um tucano e um mero eleitor do Serra, por exemplo. Ou o fato de você ter votado no Serra te transforma, automaticamente, em um tucano? Se você acha isso, está muito enganado.

As criaturinhas não perdem a oportunidade de nos chamar de “petistas” (como se fosse uma ofensa grave) só por declararmos voto à Dilma e combatermos o abuso e absurdo da manipulação do PSDB+Pig. Eu sei por quê. As pessoas gostam de criar rótulos e cada rótulo contém o título e uma descrição. Se te tascam um rótulo na testa, já automaticamente assumem que você se encaixa na descrição pré-concebida no rótulo.

Você vota na Dilma? É Petista! Acha que a Globo manipula? É Petista! Petista é quase que uma sub-espécie. Você deixa de ser humano e passa a ser meramente Petista. Então nada do que você diga é digno de crédito, afinal de contas, você é um Petista!  E se você é um petista – pensa a pessoa – eu não preciso me esforçar para pensar no que você diz e ver se faz sentido ou não. Simplesmente bloqueio tudo e não dou crédito, pois você é um petista.

Para mim isso é puro exercício de ignorância, de quem não admite que possa haver verdade em uma opinião contrária. Fecha os olhos, tapa os ouvidos e começa a cantar, bem alto: “lálálálálá-lá, você é petistaaaa, petistaaa”. Se você não votou na Dilma, e quando vê uma opinião contrária, já pensa: “é um petista!” Faça um favor à sua imagem pública: não externe esse tipo de pensamento.  Talvez no futuro você tenha a real noção do quão ignorante isso te faz parecer e se envergonhe. Melhor não deixar esse tipo de registro para a posteridade.


.

PS: A maioria do pessoal que eu conheço e que militou na internet a favor de Dilma não é petista. Assim como eu, grande parte dessa militância só se engajou na campanha depois de se indignar com a postura agressiva e manipuladora da imprensa contra Dilma. Se a campanha da oposição tivesse sido mais educada e com menos participação do PIG, eu teria votado na Dilma de qualquer maneira (provavelmente, já que noPSDB eu jamais votaria, e após pesquisar suficientemente, não votaria na Marina), mas pelo menos não teria feito campanha, nem me esforçado para conseguir votos. A oposição deu tantos tiros no pé, desde o começo, que nem sei como ainda consegue andar.

PS2: Minha luta nessa eleição foi principalmente contra parcela golpista da imprensa, e sempre deixei isso muito claro. É a minha tônica neste blog.

.

A semana bipolar de Veja

vejahisterica

Pelo visto a Veja realmente acreditava na “virada” de José Serra. A edição de sábado traz uma caricatura horrorosa e desrespeitosa de Lula, de cueca, com a faixa presidencial pintada no corpo. Essa edição é toda em tom golpista e manipulatório, é nela que encontra-se a indignante e tão comentada matéria sobre a qual escrevi há três posts. Segue a linha da edição anterior, a do grampo sem áudio (mais um para a coleção de Veja), e faz acusações e insinuações do começo ao fim. Com a eleição de Dilma, não teve como fugir de uma edição histórica, se rasgando em elogios à nossa presidente. As duas edições circulam simultaneamente esta semana. Veja perdeu a vergonha. Mas o que é perder a vergonha, para quem já perdeu a decência e a credibilidade?


PS: Dizem que entre a capa da direita e a capa da esquerda, a editora Abril teve muita vontade de publicar essa aqui: http://twitpic.com/32xyo5

PS2: Não reclamo. Se Veja resolver ser menos sensacionalista, menos tendenciosa e passar a falar a verdade e fazer jornalismo (ou seja, se acontecer um milagre), ficarei bem feliz. Meu problema, agora, são as duas edições em tons tão divergentes circulando ao mesmo tempo.

.

Vencemos

1004-OLULA-LULA-Brazil-Elections_full_380

Vencemos o preconceito, vencemos as mentiras, a manipulação, o jogo baixo. Agora é tentar conscientizar os que votaram no Serra por repulsa à Dilma e que neste momento, aguardam o Apocalipse. Espero que um dia eles percebam que compraram uma ideia equivocada e aprendam a não ir na onda de boataria, como foram.

Dilma entra para a história como a primeira presidente eleita do Brasil. Essa mulher, que suportou a tortura e a prisão na ditadura, conseguiu suportar a tortura psicológica desses dias de campanha. Agora as pessoas que tiverem interesse e boa vontade, poderão conhecer a verdadeira Dilma, não aquela dos videozinhos toscos editados e retirados de seu contexto, disponíveis no youtube só para endossar o preconceito. Também não aquela das edições da Globo, que ora quer mostrá-la como poste anencéfalo, ora quer mostrá-la como descontrolada, grossa e autoritária.

Agora, quem se interessar, poderá descobrir uma Dilma extremamente inteligente, com um raciocínio lógico afiadíssimo, bem humorada, um pouco tímida, mas forte, segura e firme em suas opiniões, ao mesmo tempo educada. Durante esse período em que me dediquei a pesquisar sobre ela, descobri uma pessoa de personalidade tão rica, que me parece uma estupidez tremenda alguém analisá-la de uma forma tão reducionista. Tão reducionista quanto analisam Lula, e o chamam de analfabeto só por ele não ter curso superior e por usar linguagem coloquial. Quando alguém me diz que Dilma não sabe falar (ou que Lula não sabe falar, ou que ele é analfabeto), logo me lembro de diversos pronunciamentos e entrevistas impecáveis que já assisti com eles e imediatamente a impressão que eu tenho é que o cérebro da pessoa, aos meus olhos, começa a encolher, encolher, até transformar-se em uma ervilha.

Essa campanha me fez repensar diversas coisas, ainda estou analisando tudo o que aconteceu. Vi o pior lado de algumas pessoas, mas também descobri que existe muito mais gente que gosta de pensar fora da caixa, que tem prazer em pesquisar e raciocinar, muito mais do que eu achava que tivesse. E isso me deu uma alegria incomensurável, uma esperança à qual me agarro: a de que nem tudo está perdido e que uma imprensa mais justa e informativa é possível. Valeu, Dilma. A luta continua. Não vou mudar de assunto tão cedo. Quem não gosta, que tire ferias do blog. Tem uma galera bem bacana conversando, e é com eles que quero continuar a falar.

Obrigada, Deus, por ter nos permitido essa vitória sobre as forças malucas do pior lado da direita, que se uniu para apoiar Serra.


PS: Dilma deu a primeira entrevista para a Record!!! Valorizou quem esteve ao lado da verdade, mostrou que é justa. AMEI! Adeus, PIG, recolha-se à sua insignificância.

.

Reavaliando o voto 13…

Recebi esse texto da Claudia Stella (não, ela não tem blog. Não que eu saiba, mas tem um site, o www.claudiastella.com.br ). Perfeito. Compartilho com vocês, para a posteridade…

Reavaliando o voto 13…

Claudia Stella

Estive pensando nestes últimos dias e resolvi que deveria reavaliar meu voto.

Porque eu votaria na Dilma e não no Serra?

Que me importa se as obras do metrô de São Paulo estão cheias de corrupção e se até a Suíça já sabe disso? Que importa realmente se o PSDB impediu que todos os pedidos de CPI prosperassem? Ou as obras do Rodoanel.

Ou se no governo tucano a Polícia Federal realizou, nos oito anos, 28 operações com 54 prisões e no governo do PT foram 1043 operações e presas 3971 pessoas por corrupção, crimes contra os cofres públicos,  lavagem de dinheiro, tráfico internacional de drogas, contrabando..que importa ?

Francamente não me importo se o governo do PT  tirou mais de 20 milhões de famílias da miséria, da fome – eu nunca passei fome mesmo. Ou se 35 milhões de famílias passaram para classe média? Eu já estava lá há muito tempo.

Não me importo se o governo do PT criou mais de  14 milhões de   empregos com carteira assinada e temos hoje a menor taxa de desemprego desde que ela começou a ser medida – eu já tenho o meu.

Não me interessa se o PT criou 14 universidades e 117 novas extensões e no governo tucano foram criadas apenas 1. Veja, no governo tucano foram criadas 11 escolas técnicas, que importa, realmente, se no governo do PT foram  214?

Ou de que me adianta se o PT criu o PROUNI que beneficia mais de 700 mil estudantes no país? Eu já me formei mesmo..

Mas eu também penso que não tem nada a ver pra eleição saber que, no governo tucano, os juros chegavam a 23,25% e hoje, no do PT não passa de 12,6%. Ou quem está preocupado se a inflação com os tucanos era de 12,56% e hoje de 4,49%?

Alguém, em seu juízo perfeito, tinha reparado que no governo tucano não existia SAMU e hoje são 1.347 cidades com esse serviço? Eu nunca me acidentei, passei mal que precisasse de ambulância mesmo.

Esse pessoal que vai votar na Dilma fica falando que no governo em que o Serra foi ministro tinham 19 mil equipes de saúde da família e hoje tem 30 mil equipes ; eu não preciso deles.

Ou que hoje são 12,6 milhões de famílias que recebem assistência social e o bolsa-família que no governo tucano apenas 3,6 milhões de famílias contavam com assistência social – eu não preciso disso.

Também, convenhamos, eles falam que aumentaram o salário mínimo que no governo tucano era de R 200,00 e aumentava de 10 em 10 reais e que agora fecha o ano em R$ 510,00 e com aumento real a cada ano – eu não recebo salário-mínimo.

Pra que eu quero saber se no governo tucano não foi destinado nem um centavo para programa habitacional para população de baixa renda poder comprar a casa-própria e no governo do PT foram 400 mil famílias beneficiadas com o subsídio – em dinheiro – do governo federal?

Ou o que, no fim das contas importa se o Serra tem a mesma opinião da Dilma sobre o aborto, tendo sido ele o único ministro da saúde que se dispôs a regulamentar a lei que facilita o acesso ao aborto nas redes do SUS? Ou se várias alunas afirmam que ouviram D. Mônica confessou dizer ter feito um aborto e agora chama Dilma de matadora de criancinhas? Ou que ele, na verdade, não é o pai dos genéricos, apenas regulamentou uma lei anterior – da mesma forma que fez com a do aborto?

Realmente, não para por aqui os motivos pelos quais eu me pergunto porque escolher a Dilma ao invés do Serra.

Mas o vídeo abaixo deixa tudo bem claro

http://www.youtube.com/watch?v=Ig9pE6qwzxw

Claudia Stella.

A lógica de Veja

A revista Veja extrapolou os limites do ridículo. A matéria “O grande imitador” começa assim:

“Como se sabe, a forma mais sincera de elogio é a imitação. Uma pesquisa fotográfica mostra que, por esse prisma, Lula é um elogio itinerante ao ditador Fidel Castro, sucessor do ditador Fulgencio Batista em Cuba”

Então segue uma galeria de fotos de Lula e Fidel em poses absolutamente comuns, para dizer que um é imitação do outro. Nassif fez um post sobre o ridículo da comparação, clique aqui para ler.

Leia trechos da coisa da Veja:

“O diretor de Laura, Anatomia de um Crime e O Cardeal prezava igualmente outra maneira de classificar os atores talentosos: há os que lapidam suas qualidades inatas por meio da imitação de outros melhores do que eles e os que escorregam pela vida e pela carreira impulsionados apenas pelos dons trazidos do berço. Lula e Fidel figuram também na primeira categoria de atores da tabela Preminger.

A imitação dos mestres é um método conhecido e aprovado para abrir um atalho na caminhada evolutiva em qualquer carreira. Cícero e Quintiliano, mestres romanos da oratória clássica, discordavam sobre muitos aspectos da retórica, mas estavam de acordo no aconselhamento a seus discípulos sobre a importância de começar pela imitação, deixando para desenvolver estilo próprio mais tarde, depois de firmada sua reputação. Deveria copiar-se principalmente o actio, ou seja, a entonação, o gestual, as expressões faciais, a linguagem corporal. Eles, muito mais do que as palavras, são, na visão dos mestres, os verdadeiros elementos da persuasão.


“Estas páginas foram ilustradas com gestos de Lula claramente copiados de Fidel Castro. “

É uma matéria maldosa e grotesca, que demonstra claramente o desprezo que Veja tem pela inteligência de seus leitores.   Sugere que simplesmente por colocar lado a lado fotos em situações semelhantes, Lula é  espelho de Fidel (“Clique aqui para ver as fotos” ). Pelo visto a Veja não tem o menor amor por sua credibilidade, já que a joga no lixo por tão pouco.Espero que no Brasil não existam pessoas tão burras e tão manipuláveis capazes de não se indignar ao ter sua inteligência subestimada por esta matéria, independente de sua posição política ou de seus preconceitos.

Então, seguindo a lógica de Veja, também fiz umas montagens de fotos lado-a-lado e aí vão fotos que comprovam que:

José Serra, o grande imitador, é um elogio itinerante a:


O ditador Fidel Castro

serraditador1

serraditador2

serraditador3


serraditador4

Hugo Chávez

serrachavez1


serrachavez2


Adolf Hitler (com sono)

serranazi

Juan e Evita Perón:


Serraperon


Stalin e  Collor:

serrastalincollor



O Homem Pálido, do Labirinto do Fauno:

serrahomempalido

*UPDATE* Serra, o grande imitador, não se cansa.

Segundo a lógica de Veja, sua personalidade seria uma colagem de todas essas figuras a quem ele constantemente presta infinitas homenagens. Como declarou Veja, “há os que lapidam suas qualidades inatas por meio da imitação de outros melhores do que eles “. A lista de “melhores do que ele” não para de crescer.

Serra também é um um elogio itinerante a:


Kim Jong il (com muito sono)

kim.serra


Saddam Hussein

serrahussein


Yasser Arafat

serraarafat


Fernando Henrique Cardoso (vulgo FHC)

serrafhc


FHC e Darth Vader

darthserrafhc


Diabo e Dalai Lama (segundo a lógica de Veja, esses dois são praticamente a mesma pessoa)

serradiabolama


Mickey

serramickey


Pateta

serrapateta2


serrapateta


É realmente esse o julgamento que a Veja faz da inteligência dos seus leitores?


PS: Depois, quando falamos de imprensa manipuladora e baixa, que não se importa verdadeiramente com notícia e informação, tem gente que critica.  Não é toda a imprensa que é maldosa, ruim, tendenciosa e manipuladora, mas alguns expoentes, sendo Veja o mais execrável deles. Veja e Serra se merecem.

PS2: Além do Nassif, o Brizola Neto também escreveu a respeito. Clique aqui para ler.

PS3: Cá entre nós: já pensou se fosse a Dilma que tivesse uma foto dessas, de arma em punho?

PS4: O Capitão Óbvio (clique aqui para conhecer o blog dele) montou um vídeo com as imagens deste post. Valeu! Segue o vídeo:

PS5: Amei este post (clique para ler), de um eleitor de FHC e Serra que também se sentiu ofendido com a reportagem ridícula da Veja.

.

.

Serra e os valores cristãos

José Serra se reuniu com alguns membros e pastores da Assembléia de Deus  esses dias. Também se reuniu com católicos. Por que então ele não fez o discurso que fez hoje em Minas Gerais para simpatizantes do PSDB? Imagine só ele, que se diz tão defensor de princípios cristãos, pediu, como explica melhor o Brizola Neto, em seu blog,” Em lugar de pedir que lhe conquistassem votos com argumentos e conversas políticas, sugeriu que elas fizessem um leilão de seus atributos físicos.”

Serra disse (e sim, era a sério, levantando estratégias para angariar votos na reta final): “Se você é uma menina bonita, tem que conseguir 15 votos. Pegue a lista de pretendentes e mande um e-mail. Fale que quem votar em mim tem mais chance com você”

E acabei lendo um comentário em outro blog que me lembrou de outra opinião que Serra poderia ter emitido na reunião com a Assembléia de Deus:

“Ontem, foi apresentado nosso Índio para a vice-presidência, um homem jovem, preparado, com experiência, que vai crescer muito e ter muita responsabilidade (…) Tem uma namorada e, me disse por telefone: ‘não tenho amantes”. Eu até disse: ‘também não precisa exagerar. O que tem que ser é uma coisa discreta””

Serra é assim, dissimula seu discurso e chega com cara de santo em reunião da Assembléia de Deus, saudando os irmãos com “a paz do Senhor”, que Malafaia deve tê-lo ensinado. Vocifera contra o aborto e não conta que sua mulher já fez um aborto. Posa de santo e acha adultério uma coisa normal e fidelidade um exagero, a ponto de aconselhar um rapaz que se disse fiel a não exagerar na fidelidade.

Quem é do bem, não precisa dizer, mostra com suas atitudes. Não é o que esse senhor tem feito.

PS: Clique aqui para ler o que Serra disse sobre traição e clique para ver o vídeo no Youtube

PS2: Sobre o assunto da cafetinagem eleitoral, clique aqui e aqui

PS3: Isso sem esquecer do Paulo Preto…


.

Marina quase sai do muro

Copio do blog da Maria Frô: http://mariafro.com.br/wordpress/?p=21137

Depois da Xuxa passar um pito no José Serra, agora é a vez de Marina Silva.

Vi em blogs tucanos um matéria do Estadão, de agosto, ou seja, quando a candidata Marina Silva ainda estava na disputa, vendida como se fosse uma matéria de agora. A pilantragem estava em descontextualizar a fala de Marina proferida em campanha eleitoral do primeiro turno como se fosse recente. Marina deveria se posicionar também das grotescas ações tucanas no twitter envolvendo seu nome, dos adesivos e cartazes espalhados pelo Brasil afirmando que ela apóia Serra. Faria um grande bem repudiar todas as estratagemas desta campanha baixa da turma do contra.

“Não usem meu nome para o vale-tudo eleitoral”, repreende Marina

Do Blog da Marina

27/10/2010

A senadora Marina Silva (PV-AC) criticou, hoje, duramente os setores do PSDB que promoveram iniciativas fraudulentas de envolvê-la em ações de apoio à candidatura de José Serra.

“Não usem meu nome para o vale-tudo eleitoral”, advertiu Marina ao tomar conhecimento de um endereço de e-mail falso (marina@pv.gov.br) e de um post do blog Eu Vou de Serra 45 que manipula declarações dadas por ela durante a campanha do primeiro turno.

“Infelizmente, muitos não aprenderam nada com os resultados das urnas e continuam a promover a política de mais baixo nível ao usar estratagemas banais para buscar votos”, declarou a ex-presidenciável do PV.

O e-mail com o remetente marina@pv.gov.br é direcionado aos simpatizantes de Marina e contém mensagem em nome da senadora e do PV com pedido para que se unam em torno da candidatura de Serra.

Por sua vez, o blog da militância tucana lança mão de declaração da então candidata verde à Presidência de forma descontextualizada para fazer seu proselitismo eleitoral. “Marina se posiciona: Brasil não pode ser entregue a quem conhece”, afirma inadvertidamente a divulgação dos defensores do ex-governador de São Paulo.

“Estamos no final do segundo turno, e os brasileiros já tiveram acesso a muitas informações sobre os candidatos à Presidência. Não há mais desconhecidos. O eleitor vai às urnas consciente da sua escolha e não sujeitará a formação de sua opinião àqueles que usam artifícios ingênuos para distorcer a realidade”, afirmou Marina.

A senadora voltou a manifestar o posicionamento que ela e o Partido Verde tornaram público desde o último dia 17 de outubro sobre a fase final da disputa presidencial: independência em relação a Dilma e Serra.

“Os quase 20 milhões de brasileiros que endossaram meu projeto e o de Guilherme Leal no primeiro turno sabem que o respeito ao eleitor é um princípio inquestionável na nossa prática política, o que nos diferencia daqueles que querem o poder pelo poder”, concluiu Marina Silva.

Depois da Xuxa passar um pito no José Serra, agora é a vez de Marina Silva.

Vi em blogs tucanos um matéria do Estadão, de agosto, ou seja, quando a candidata Marina Silva ainda estava na disputa, vendida como se fosse uma matéria de agora. A pilantragem estava em descontextualizar a fala de Marina proferida em campanha eleitoral do primeiro turno como se fosse recente. Marina deveria se posicionar também das grotescas ações tucanas no twitter envolvendo seu nome, dos adesivos e cartazes espalhados pelo Brasil afirmando que ela apóia Serra. Faria um grande bem repudiar todas as estratagemas desta campanha baixa da turma do contra.

“Não usem meu nome para o vale-tudo eleitoral”, repreende Marina

Do Blog da Marina

27/10/2010

A senadora Marina Silva (PV-AC) criticou, hoje, duramente os setores do PSDB que promoveram iniciativas fraudulentas de envolvê-la em ações de apoio à candidatura de José Serra.

“Não usem meu nome para o vale-tudo eleitoral”, advertiu Marina ao tomar conhecimento de um endereço de e-mail falso (marina@pv.gov.br) e de um post do blog Eu Vou de Serra 45 que manipula declarações dadas por ela durante a campanha do primeiro turno.

“Infelizmente, muitos não aprenderam nada com os resultados das urnas e continuam a promover a política de mais baixo nível ao usar estratagemas banais para buscar votos”, declarou a ex-presidenciável do PV.

O e-mail com o remetente marina@pv.gov.br é direcionado aos simpatizantes de Marina e contém mensagem em nome da senadora e do PV com pedido para que se unam em torno da candidatura de Serra.

Por sua vez, o blog da militância tucana lança mão de declaração da então candidata verde à Presidência de forma descontextualizada para fazer seu proselitismo eleitoral. “Marina se posiciona: Brasil não pode ser entregue a quem conhece”, afirma inadvertidamente a divulgação dos defensores do ex-governador de São Paulo.

“Estamos no final do segundo turno, e os brasileiros já tiveram acesso a muitas informações sobre os candidatos à Presidência. Não há mais desconhecidos. O eleitor vai às urnas consciente da sua escolha e não sujeitará a formação de sua opinião àqueles que usam artifícios ingênuos para distorcer a realidade”, afirmou Marina.

A senadora voltou a manifestar o posicionamento que ela e o Partido Verde tornaram público desde o último dia 17 de outubro sobre a fase final da disputa presidencial: independência em relação a Dilma e Serra.

“Os quase 20 milhões de brasileiros que endossaram meu projeto e o de Guilherme Leal no primeiro turno sabem que o respeito ao eleitor é um princípio inquestionável na nossa prática política, o que nos diferencia daqueles que querem o poder pelo poder”, concluiu Marina Silva.

O terrível ataque da bolinha de papel

Quem se interessa pela verdade, veja o vídeo do SBT, que deixa bem claro o que atingiu o Serra: uma bolinha de papel (um objeto mais pesado JAMAIS faria tal trajetória, sem impacto algum). O vídeo ainda mostra que Serra andou mais vinte minutos, até receber um telefonema no celular. Após desligar o celular, esperou alguns (poucos) instantes e levou a mão à cabeça, para ser fotografado, provavelmente. E daí veio toda a encenação, com direito a TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA por ter sido atingido por uma…bolinha de papel! Alguém sabe quanto custa uma tomografia? Quem pagou? Paulo Preto?

Segundo a CBN (que agora esqueceu que transmitia o tumulto ao vivo), os manifestantes começaram a perguntar quem era Paulo Preto, ao que o pessoal do PSDB se irritou e partiu para cima, foi como começou o tumulto. Em hipótese alguma atos de violência devem ser apoiados ou incentivados, violência é inaceitável e injustificável, no entanto, em hipótese alguma simulação deve ser apoiada ou incentivada, pois também é inaceitável e injustificável, por isso a atitude de Serra está sendo ridicularizada, com razão. Ele está fazendo uma campanha baseada em mentiras, distorções da verdade, factóides e simulação!! Deus me livre de ter esse homem como presidente da república! Se faz isso como candidato, imagine como presidente!

Em minha opinião, ele deveria ter pego a bolinha de papel, aberto e lido, talvez fosse um bilhete.

Depois eu soube (já que não assisto à Globo minhas informações vêm por terceiros) que a Globo dedicou um tempo considerável para tentar provar que serra foi atingido por uma bobina de durex…impossível, uma bobina de durex é suficientemente pesada para causar um reflexo de levar a mão à cabeça no instante do impacto (e não VINTE MINUTOS depois). Violência é injustificável, mas simulação também é. E subestimar a inteligência da população, idem. A inteligência de todos – inclusive dos eleitores do Serra – foi subestimada nesse episódio, e quem não se indignou com esse teatro não tem nenhum senso crítico, nem respeito próprio. A Globo está desesperada, o Serra está desesperado. Mas me admirou um médico aceitar a criatura atacada por uma bolinha de papel e ainda submetê-lo a uma tomografia, dizendo que poderia ter causado um edema cerebral (será que o cérebro de Serra é tão frágil assim que pode edemaciar pelo impacto de uma bolinha de papel?). Então encontrei uma informação sobre o tal médico, que explica tudo, clique aqui para ler na íntegra.

“Em maio de 1998, após ser eleito membro da Academia Nacional de Medicina, passou a ocupar a cadeira nº 26 na Seção de Cirurgia. Em setembro do mesmo ano, foi nomeado diretor-geral do INCA pelo Ministro da Saúde.
Quem era o Ministro da Saúde em 1998? Quem nomeou o Dr. Kligerman diretor-geral do INCA? Sim, Serra! O que será que ele prometeu desta vez, em troca de uma tomografia e um laudo fake? “Em janeiro de 2003, no governo Lula, o Dr. Jacob Kligerman foi substituído pelo Dr. Jamil Haddad no cargo de diretor-geral. ” Jamil Haddad, o verdadeiro pai dos genéricos (que o Serra gosta de dizer que foi ele quem criou), substituiu Dr. Kligerman quando o PSDB perdeu as eleições.

Depois do papelão da bolinha de papel, Serra virou – com razão – piada no Twitter. Criaram a Tag #SerraRojas, que continua fazendo o maior sucesso, ao comparar o fiasco protagonizado pelo presidenciável ao lendário episódio em que o goleiro chileno Rojas fingiu ser atingido por um sinalizador, cortou o próprio rosto (faltou a Serra coragem para tal) na tentativa de tirar o Brasil da copa de 1990. O duro é que a campanha do PSDB e a Rede Globo esqueceram de como terminou esse incidente…

.


PS: SBT reafirma que única agressão foi a bolinha de papel, não houve “objeto pesado”  clique aqui para ver.


PS2: Clique aqui para ler artigo em que professor de jornalismo gráfico desmascara farsa pró-Serra do Jornal Nacional (que, acintosamente, chamou Molina, o perito mais suspeito da galáxia, para “atestar” a “agressão”. Molina, para quem não se lembra, foi contratado recentemente pelo casal Nardoni para contestar os laudos oficiais. Também defendeu Daniel Dantas e aceita qualquer caso que seja bem remunerado).


PS3: Tem uma ótima sequência de posts elucidativos no blog do Ed Ondo:

http://blogedondo.blogspot.com/2010/10/tira-teima.html

http://blogedondo.blogspot.com/2010/10/o-jornal-nacional-na-noite-de-21-de.html

http://blogedondo.blogspot.com/2010/10/jogo-do-grande-erro.html

.

Os demônios incontroláveis de Serra

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso havia dito em 98 ao Jornal do Brasil que o problema do Serra era “aquele demoniozinho que ele tem dentro de si”, pelo visto, agora o tal demoniozinho já tem companhia, pois na Isto é desta semana, na coluna do Boechat, página 32, encontrei a seguinte frase, atual, do FHC: “O Serra tem uns demônios dentro dele que, às vezes, nem ele mesmo controla”.

Essa frase para mim resume minha impressão a respeito de José Serra. Se você só conhece o Serra das edições do jornalismo da Globo, provavelmente achará que estou falando bobagem, mas se você se interessar em pesquisar sobre quem realmente é José Serra, sua personalidade descontroladamente explosiva, sua megalomania, sua opção pela mentira como primeira escolha em qualquer situação, irá me dar razão.

Serra é conhecido por ser realmente grosseiro e arrogante com jornalistas que fazem perguntas a que ele não quer responder (e não responde) e, no dia seguinte, telefonar para o patrão do tal jornalista, pedindo que o demita. Marina Silva lembrou disso nos momentos finais do primeiro turno, mas nós já sabíamos. Serra agora quer degolar qualquer um que ouse citar o nome de “Paulo Preto” perto dele. E a sociedade brasileira ficará sem a explicação sobre o caixa 2 e os desvios de recursos, pois isso prejudicaria a campanha (ao menos foi o que disse o PSDB à revista Isto é desta semana).

Os demônios incontroláveis de Serra o convenceram a reunir os líderes religiosos mais hipócritas que conseguisse encontrar (lembremos que líderes religiosos hipócritas foram utilizados por seus próprios demônios incontroláveis para perseguirem Jesus) para melhor manipular a massa de cristãos que o PSDB acredita ser suficientemente ignorante para isso. Os demônios incontroláveis de Serra são a melhor explicação para a baixaria em que ele transformou a campanha eleitoral. Baixaria da qual Dilma não pode sair, pois tentou manter-se distante no primeiro turno e não foi uma boa estratégia. Agora, ela tem de se defender.

Ficamos sem o debate de propostas, no entanto, sabemos a proposta de Dilma, que é de continuidade do modelo de crescimento do governo Lula. A proposta de Serra, até que ele prove o contrário (coisa que não parece querer) é ser um déspota cortador de pescoços de jornalistas e leiloeiro de todo o patrimônio que nos restou após a dilapidação feita por FHC (até hoje eu sofro ao ver propaganda da Vale do Rio Doce…).

PS: Tem gente que acha que votarei em Dilma porque o líder da minha igreja declarou apoio a ela, é uma tentativa de desqualificar minha escolha. Eu tinha vários motivos para votar em Dilma, tinha e ainda tenho, mas no momento o mais importante deles é: evitar a volta do PSDB e – sobretudo – não permitir que os “demônios incontroláveis” controlem nossa nação. Meu voto em Dilma é anti-Serra, anti-Globo, anti-imprensa corrupta, a favor da democracia e da verdadeira liberdade de imprensa, onde seu chefe não recebe um telefonema de político pedindo sua cabeça por uma opinião contrária.

.

A discussão sobre descriminalização do aborto

Povo indignado porque Dilma se declara pessoalmente contra o aborto, mas favorável à descriminalização do aborto,  acha que ela está sendo contraditória. Não está. Não se trata de dizer se o aborto é CERTO ou ERRADO, não é isso o que está sendo discutido. Ser contra o aborto é achá-lo errado, mas ser a favor da descriminalização do aborto é não concordar com o fato de que as milhares de mulheres que fazem aborto hoje na clandestinidade sejam tratadas como criminosas. Tem muita coisa errada que não é crime, mas nem por isso deixa de ser errado.

Resolvi exemplificar de uma forma gráfica e bem simples, para ver se me faço entender:

aborto2

.

Explicando a posição de Dilma e a minha, quando digo que não entendo a celeuma em torno do assunto:

presidente3

.

Aborto, religião e saúde pública

Respondi  a um email de um religioso e o publicarei aqui, pois a dúvida desta pessoa pode ser a de muitas outras:

“Marque V ou F:
1. [ F  ] Descriminalização do aborto = Legalização do aborto”

Não necessariamente, depende da lei a ser proposta e aprovada. Pode deixar de ser crime, só isso. Ou pode deixar de ser crime e passar a ser feito nos hospitais, por médicos, com acompanhamento psicológico.

“2. [  F ] Legalização do aborto ==> Aumento no nº de assassinatos de bebês”

Não mesmo. Legalizar o aborto fará com que ele saia da clandestinidade e será possível aos hospitais fazerem o atendimento dessas mulheres, inclusive com triagem psicológica ou por assistente social. Só isso já aumenta – e muito – a probabilidade de a mulher mudar de ideia, pois na maioria das vezes o aborto é feito por desespero. E diminuirá a mortalidade materna em decorrência do aborto. Ou seja, não apenas menos bebês serão mortos como também menos mulheres serão mortas. Bebês vão para o céu. Mulheres adultas que não estiverem salvas, vão para o inferno. Estou certa de que para Deus o mais importante é que elas não morram, para que tenham chance de serem salvas. Ou a vida só vale antes de nascer?

“3. [ F  ] Legalização do aborto ==> Médicos serão obrigados oficialmente a matar bebês”

Médicos serão AUTORIZADOS a matar bebês que já seriam mortos de qualquer maneira, evitando a morte das mães (e provavelmente, evitando maior sofrimento para o feto). Assim como podem se negar a efetuar qualquer procedimento, poderão se negar a efetuar um aborto, e passá-lo para um colega.


“E daí, como fica aquele mandamento: “Não Matarás”?”

Quando o cristão despreza a vida de milhares de mulheres que morrem por não ter conseguido fazer a escolha certa, está sendo conivente com a morte delas. Quando prefere defender a vida do feto  e fecha os olhos para a morte das mães, está pegando em pedras e atirando contra aquelas a quem deveria ajudar. Julga, sem um pingo de amor, e assim se torna cúmplice do sangue daquela mulher. No momento estamos, enquanto sociedade, matando fetos e mães. Se o aborto deixar de ser crime, haverá menos mortes de fetos e de mães. Muitos cristãos são contra isso. E onde fica aquele mandamento “não matarás?” Aliás, falando em mandamento, acho engraçado que quando a gente diz: “olha, não diga isso, que isso é mentira”, as pessoas fecham os ouvidos e continuam espalhando emails maldosos que recebem. Onde ficam, então, esses mandamentos:

“Não espalharás notícias falsas, nem darás mão ao ímpio, para seres testemunha maldosa. ”  Êxodo 23:1

“não dirás falso testemunho contra o teu próximo”  Êxodo 20:16

Ou um mandamento é mais importante do que o outro? Os cristãos deveriam estar revoltados contra aqueles que querem manipulá-los e que jogam na rede textos falsos, textos fora de contexto, distorcidos, maliciosos. Te garanto que Deus está bem menos preocupado com descriminalização do aborto do que com cristãos que agem com hipocrisia, achando que têm o direito de julgar alguém, de condenar as pessoas, de usar de palavras maldosas e carregadas de preconceito. Só para que você tenha ideia do grau de importância que Deus dá para cada uma dessas coisas (e que nós também deveríamos seguir):

“Seis coisas o Senhor aborrece, e a sétima a sua alma abomina”

Quais são essas seis coisas que ele aborrece?

“olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras”

Veja que ele colocou tudo no mesmo saco: para nós, pior seria quem derrama sangue inocente do que língua mentirosa, não é mesmo? Mas para ele, é tudo a mesma coisa. E não é mentira grande, é qualquer mentira, pois ele não especifica. Mas a sétima, ele não apenas aborrece, sua alma ABOMINA:

“o que semeia contendas entre irmãos”

(Provérbios 6:16-19)

Para Deus é abominável não o que derrama sangue inocente, mas o que semeia contendas entre irmãos. Deus não vê como vê o homem, seus pensamentos são diferentes dos nossos (ainda bem). Se fôssemos julgar Deus como um humano, incorreríamos no mesmo erro dos fariseus, que se achavam nesse direito. E, lendo a Bíblia, a gente percebe que o que ele mais despreza é aquele que conhece a Palavra, mas se porta contra ela (se dizendo a favor), se agarrando a picuinhas, olhando tudo com maus olhos, enchendo o coração de malícias, se achando mais santo do que os outros.


Não quero discutir teorias sobre o aborto, o que está em discussão não é se ele é CERTO ou se ele é ERRADO (isso é ÓBVIO), mas se deve ser considerado CRIME ou não. Não é uma questão religiosa, não é discutir se a vida começa no momento da implantação do embrião no útero ou não, mas a discussão é: o que fazer com a situação que já existe? São MILHARES de mulheres que morrem por conta de abortos clandestinos no país. E muitas das que não morrem, se arrependem depois, mas não tiveram a chance de um acompanhamento profissional antes do procedimento. É isso o que está sendo discutido. Mas as pessoas não estão entendendo isso. Ou não querem entender.

PS: Clique aqui para ler quantas mulheres são internadas no SUS em consequência de abortos clandestinos mal feitos.

PS2: Clique aqui para ler: aborto é causa de 10% dos casos de mortalidade materna, e em alguns estados é a principal causa.