Por que ler?

Ia colocar mais uma resenha, mas não adianta lhe dizer o que você deve ou não ler, se não explicar as vantagens desse hábito. Você tem muito mais a ganhar se o seu entretenimento for leitura em vez de televisão ou redes sociais, sabe por quê? Copio o que já escrevi aqui:

A leitura é uma espécie de “musculação” para o cérebro.  Seus neurônios fazem mais conexões, sua memória é estimulada, seu vocabulário se amplia e você desenvolve sua inteligência, mantendo o cérebro ativo e prevenindo doenças neurodegenerativas, como o Mal de Alzheimer. Além disso, temos uma ligação especial com a leitura: somos filhos do maior Escritor do universo, que escreveu o maior Best-seller de todos os tempos e tem grande interesse em nos ver desenvolvendo nossa inteligência. Ele é o maior incentivador da prática da leitura…

A leitura cria novas conexões neurais e reforça as que já existem, estimula seu raciocínio e desenvolve seu senso crítico, que é justamente o que Deus quer! “Vinde, pois, e arrazoemos, diz o Senhor”( Isaías 1:18).  Arrazoar significa apresentar razões, mas em inglês essa passagem está mais clara. O  que foi traduzido como “arrazoemos”, na verdade é “vamos raciocinar juntos”. Veja que máximo! Deus nos fazendo um convite a raciocinar!

É como se você precisasse trabalhar carregando sacos pesadíssimos. Se estiver habituado a fazer musculação, levantando pesos todos os dias, estará muito mais apto a fazer uso de seus músculos no trabalho. O cérebro não é um músculo, mas age como se fosse. Quando exercitado, trabalha melhor. Se exercitar sua inteligência diariamente, você estará mais habilitado a utilizá-la. Para ter uma ideia de como isso é forte, recebi testemunhos de pessoas que começaram a ler livros por causa desta coluna e que hoje têm mais facilidade até de ler (e entender) a Bíblia!

Apesar das últimas resenhas terem sido de livros cristãos (e talvez a maioria até seja), aviso: é importante ler de tudo*, desde que não vá contra a nossa fé. E eu te garanto que você encontra mais coisas que vão contra a nossa fé na estante de religião (evangélicos, inclusive) e filosofia do que em qualquer outra estante da livraria. Então, que ninguém se escandalize por eu ter falado mal de clássicos evangélicos como Bom dia, Espírito Santo, e bem de um romance narrado por um zumbi.  O que mais tenho aprendido com essas resenhas (sim, porque eu também aprendo com elas) é que o conteúdo é infinitamente mais importante do que a aparência.

Temos na IURD o que eu considero os livros de melhor conteúdo cristão (leitura leve, explicativa, clara e prática), extremamente completos. Temos o jornal impresso de maior tiragem do Brasil, a Folha Universal. Também temos blogs com um super conteúdo, textos que podem abrir seus olhos e sua mente. No entanto, vejo muita gente que só olha as figuras, lê o primeiro parágrafo e comenta sem ter lido até o final, ou sem ter lido com atenção. As pessoas no mundo fazem isso, mas nós temos de ser diferentes! Temos de ser um povo que pensa, que não tem preguiça, que tem autocontrole.

Conto com vocês para esse trabalho de ajudar outras pessoas a ler. Você vai doar umA Mulher V? Um Casamento Blindado? Um Nada a Perder? Ótimo, mas você tem de lê-los também. Quer fazer um comentário longo em um blog? Então leia todo o post. Como quer ser lido sem ler? Como quer que leiam o que você mesmo não leu? Como quer dar o que não está disposto a receber? Como quer receber o que não está disposto a dar?

* É importante ler de tudo – ficção, biografia, romances, livros técnicos, livros seculares em geral – mas tenha critérios, por favor, lembra desse texto aqui?

Vanessa Lampert

Para ler as resenhas arquivadas, Clique aqui. E para ler as recentes, clique aqui.

PS1: Se o seu problema é preguiça (ou falta de paciência) de ler, veja  o artigo: Como vencer a preguiça de ler.

PS2: Falando da Folha Universal, quando eu estava na faculdade, tivemos aula com um escritor e jornalista experiente, que odiava a IURD, e quando ele disse qual era o jornal de maior tiragem do Brasil, um colega meu disse: “Ah, mas se é da Universal, deve ser uma porcaria!”. Visivelmente contrariado, ele disse: “O pior é que não…tem muito mais qualidade do que a maioria dos grandes jornais de circulação diária que temos hoje”. :-DTudo o que fizermos tem de ser o melhor!

Originalmente publicado no blog Cristiane Cardoso. Para ver a postagem original, clique aqui.

Leitura democrática

Triste ver a pouca importância dada para o estímulo ao hábito da leitura …e não falo de governo, falo das pessoas, em geral, e jornalistas, em particular. Entre o grupo que parece desestimular o interesse em leitura, existem aqueles que não dão importância alguma e outros, que preferem que o hábito de leitura seja restrito a um pequeno grupo, então fazem análises críticas que levam o leitor comum a achar que ler é chato e coisa para intelectuais. A leitura não pode ser comparada com nenhum outro hobby, pois ela funciona quase como um medicamento para o cérebro! Como já escrevi neste texto, ler é o melhor exercício cerebral que existe.

Tenho recebido emails de pessoas que sabem da importância de ler, mas que acreditam na mentira que muitos repetem para si mesmos: “não gosto de ler”. Como também já escrevi no post anterior, não é “não gostar”, é não ter o hábito. A televisão é um entretenimento muito mais fácil da nossa mente digerir, porque não exige nenhum esforço intelectual, então muitas vezes nos acomodamos a esse tipo de passatempo e achamos chato qualquer coisa diferente disso.

Infelizmente o espaço destinado à literatura na em revistas e jornais é muito mal aproveitado. Falar de literatura para pessoas “normais” é mal visto, e a “elite intelectual” quer mantê-la longe do acesso dos “menos favorecidos”. Literatura estimula a inteligência e se outras pessoas pensarem tanto quanto eles pensam, talvez descubram que ser “intelectual” não é tão elitizante assim, não te faz um ser superior.

Sou a favor da democratização da leitura e de ajudar as pessoas a manejar essa ferramenta com sabedoria. Isso não é papel do governo, exclusivamente, é papel de todos nós. Por falta de um espaço democrático na mídia convencional, os blogs de leitores crescem com suas resenhas pessoais, e a internet, mais uma vez, preenche uma lacuna deixada pela mídia, cada vez mais obsoleta.

Ler é um hábito saudável, como outro qualquer. É escovar os dentes pela manhã, é tomar um copo d’água, é fazer uma caminhada, é lavar o rosto antes de dormir. Ler é tomar suas vitaminas, é fazer a barba, é passar batom. Não é um bicho de sete cabeças, nem algo reservado a poucos escolhidos. É algo que pode abrir seus horizontes, ou fechar suas janelas. Ler é uma caixinha de surpresas, uma ferramenta extraordinária, mas que precisa ser bem manejada. Ao invés de mantê-la fora do alcance de qualquer cidadão, deveríamos apresentá-la da melhor maneira possível, da maneira mais natural e desprovida de frescura.


Como vencer a preguiça de ler

Texto originalmente postado na seção Livros, no site de Cristiane Cardoso. (Clique aqui para ver a postagem original)

Ao responder à pergunta que minha nova amiga Sandra, de Moçambique, me enviou pelo Twitter, imaginei que poderia ser a dúvida de muitas leitoras e achei que valia um post nesta coluna. Eis a pergunta:

“Olá minha querida. Eu detesto ler, tenho preguiça mas SEI que preciso mudar isso. Me diga, que faço para contrariar isto?”

Minha resposta: A mesma coisa que a gente faz quando sabe que precisa fazer algo, mas não tem vontade: sacrifício. Coloque um livro na bolsa e se determine a ler todo dia um pouco. No começo vai ser difícil, pois é uma luta contra sua vontade.  Só tire da cabeça que você não gosta. Não é não gostar, é não ter o hábito. Quando desenvolver o hábito, vai amar :-)

Pelo que ela me explicou, sabe que precisa ler alguns livros que farão a diferença na vida dela (você também sabe, não é?), mas a preguiça e a falta de hábito a fizeram acreditar que não gosta de ler. Quando você acredita que não gosta de ler, qualquer leitura se torna uma tortura.

O hábito de leitura é como um músculo que precisa ser desenvolvido. Se você não usar seus braços ou suas pernas por meses e depois disso tentar fazer um movimento com os músculos atrofiados, vai sentir dor, incômodo, exaustão…será chato pra caramba. Aí você vira para mim e diz: “Eu não gosto de me mexer!” Não é verdade. É incômodo pela falta de exercício, mas se você se sacrificar e ignorar o incômodo com o foco no objetivo maior, terá uma super recompensa ao final do esforço.

Tem outra coisa: livro é amigo. A-mi-go. Você tem se sentir à vontade com seu amigo. Coloque dentro da bolsa, não se preocupe em não amassar…claro, você não vai detonar o livro e pisar em cima, mas se tiver de se preocupar em não dobrar aqui, não amassar ali, é complicado se sentir à vontade. Posso estar errada, sei lá, mas essa é a minha teoria.

A principal dica é mesmo o sacrifício. Não importa se você está lendo um livro, um artigo de jornal ou um post em um blog: quando cansar de ler, pare um pouco, mas não abandone a leitura. Não pense em como se sente ao ler, mas no quanto você vai saber mais depois de terminar de ler. Tome um café, brinque com o cachorro, com o gato ou vá ao banheiro, depois volte e continue a leitura, tentando entender o que está escrito. Qualquer texto é o autor conversando contigo, então é falta de educação abandonar a leitura e não voltar para concluir, é como se deixasse alguém falando sozinho ou desligasse na cara da pessoa.  Se for um blog, só comente depois de ter lido todo o post, pois às vezes a resposta à sua pergunta está no que você não teve paciência de ler.

Impaciência e ansiedade são emoções, e emoções devem receber pouquíssimo alimento. Ceder a elas é alimentá-las até que fiquem fortes e tentem te estrangular. Emoções são como Gremlins, lembra daquele filme trash horroroso? Gizmo era um bichinho fofinho, mas se alimentado após a meia-noite ou molhado, gerava monstrinhos verdes destrutivos. Emoções são Gizmos necessários. Precisamos delas, mas bem domesticadinhas e pouco alimentadas. Já nosso espírito (que é nossa inteligência) precisa ser alimentado para ficar forte o suficiente para controlar os Gizmos. O melhor alimento para fortalecer o espírito chama-se sacrifício.

Deixar de fazer aquilo que você tem vontade para fazer aquilo que você não tem vontade, mas sabe que precisa, é a única maneira de desenvolver sua mente, crescer e se tornar uma pessoa melhor. Deus pede isso da gente o tempo todo, até porque a vida exige isso para não se tornar um fardo.  Fazer só o que você gosta e tem vontade é receita para a frustração, já que os Gremlins nunca se fartam, sempre querem mais e mais e mais…nada é suficiente para satisfazer a vontade humana. Então a partir de hoje em sua vida, seja na leitura ou em qualquer outra coisa que esteja difícil por não ter se tornado um hábito, decida sacrificar sua vontade e fazer o esforço. A recompensa vale o sacrifício! Você vai ver o quanto vai ganhar não apenas por ler, mas por se dispor a sacrificar.

PS: Eu não sou um “super ser” por ler bastante e gostar de escrever. Eu só me dediquei a essas duas coisas até que se tornassem parte da minha vida.

PS2: A gatinha da foto é a Ricota, ela tem 7 anos e está pensando se vale a pena ler esses dois livros… :)

Vanessa Lampert

Meu Blog:

http://www.lampertop.com.br

Você também me encontra no Twitter

E no Facebook

Livros!

Ia postar aqui a resenha de um livro que li e então veio a ideia de colaborar com o site da Cristiane Cardoso, com resenhas literárias, já que consigo ler um livro inteiro no tempo em que alguém leva para assistir a “Titanic”.  A resenha já estava pronta, mas o post de hoje foi minha apresentação às leitoras do site. Como o texto ficou assim…pequenininho…preferi postar uma coisa de cada vez.

Além das resenhas…bem, vocês sabem como eu sou, pretendo estimular o hábito de ler, mostrando o quão divertido ele pode ser. E a quem já gosta de ler…bem, a seção será muito útil, com certeza.

Você pode ler o primeiro post clicando aqui.

Fique à vontade por lá também. :)

.