Reavaliando o voto 13…

Recebi esse texto da Claudia Stella (não, ela não tem blog. Não que eu saiba, mas tem um site, o www.claudiastella.com.br ). Perfeito. Compartilho com vocês, para a posteridade…

Reavaliando o voto 13…

Claudia Stella

Estive pensando nestes últimos dias e resolvi que deveria reavaliar meu voto.

Porque eu votaria na Dilma e não no Serra?

Que me importa se as obras do metrô de São Paulo estão cheias de corrupção e se até a Suíça já sabe disso? Que importa realmente se o PSDB impediu que todos os pedidos de CPI prosperassem? Ou as obras do Rodoanel.

Ou se no governo tucano a Polícia Federal realizou, nos oito anos, 28 operações com 54 prisões e no governo do PT foram 1043 operações e presas 3971 pessoas por corrupção, crimes contra os cofres públicos,  lavagem de dinheiro, tráfico internacional de drogas, contrabando..que importa ?

Francamente não me importo se o governo do PT  tirou mais de 20 milhões de famílias da miséria, da fome – eu nunca passei fome mesmo. Ou se 35 milhões de famílias passaram para classe média? Eu já estava lá há muito tempo.

Não me importo se o governo do PT criou mais de  14 milhões de   empregos com carteira assinada e temos hoje a menor taxa de desemprego desde que ela começou a ser medida – eu já tenho o meu.

Não me interessa se o PT criou 14 universidades e 117 novas extensões e no governo tucano foram criadas apenas 1. Veja, no governo tucano foram criadas 11 escolas técnicas, que importa, realmente, se no governo do PT foram  214?

Ou de que me adianta se o PT criu o PROUNI que beneficia mais de 700 mil estudantes no país? Eu já me formei mesmo..

Mas eu também penso que não tem nada a ver pra eleição saber que, no governo tucano, os juros chegavam a 23,25% e hoje, no do PT não passa de 12,6%. Ou quem está preocupado se a inflação com os tucanos era de 12,56% e hoje de 4,49%?

Alguém, em seu juízo perfeito, tinha reparado que no governo tucano não existia SAMU e hoje são 1.347 cidades com esse serviço? Eu nunca me acidentei, passei mal que precisasse de ambulância mesmo.

Esse pessoal que vai votar na Dilma fica falando que no governo em que o Serra foi ministro tinham 19 mil equipes de saúde da família e hoje tem 30 mil equipes ; eu não preciso deles.

Ou que hoje são 12,6 milhões de famílias que recebem assistência social e o bolsa-família que no governo tucano apenas 3,6 milhões de famílias contavam com assistência social – eu não preciso disso.

Também, convenhamos, eles falam que aumentaram o salário mínimo que no governo tucano era de R 200,00 e aumentava de 10 em 10 reais e que agora fecha o ano em R$ 510,00 e com aumento real a cada ano – eu não recebo salário-mínimo.

Pra que eu quero saber se no governo tucano não foi destinado nem um centavo para programa habitacional para população de baixa renda poder comprar a casa-própria e no governo do PT foram 400 mil famílias beneficiadas com o subsídio – em dinheiro – do governo federal?

Ou o que, no fim das contas importa se o Serra tem a mesma opinião da Dilma sobre o aborto, tendo sido ele o único ministro da saúde que se dispôs a regulamentar a lei que facilita o acesso ao aborto nas redes do SUS? Ou se várias alunas afirmam que ouviram D. Mônica confessou dizer ter feito um aborto e agora chama Dilma de matadora de criancinhas? Ou que ele, na verdade, não é o pai dos genéricos, apenas regulamentou uma lei anterior – da mesma forma que fez com a do aborto?

Realmente, não para por aqui os motivos pelos quais eu me pergunto porque escolher a Dilma ao invés do Serra.

Mas o vídeo abaixo deixa tudo bem claro

http://www.youtube.com/watch?v=Ig9pE6qwzxw

Claudia Stella.

ELEIÇÕES 2010 E OS APROVEITADORES DA BOA FÉ E DA CREDULIDADE EVANGÉLICA

Texto original no site da segunda igreja Presbiteriana de Belo Horizonte: http://www.segundaigreja.org.br/noticias_view.asp?id=340

Rev. Sandro Amadeu Cerveira (02/10/10)


Talvez eu tenha falhado como pastor nestas eleições. Digo isso porque estou com a impressão de ter feito pouco para desconstruir ou no pelo menos problematizar a onda de boataria e os posicionamentos “ungidos” de alguns caciques evangélicos. [1]

Talvez o mais grotesco tenham sido os emails e “vídeos” afirmando que votar em Dilma e no PT seria o mesmo que apoiar uma conspiração que mataria Dilma (por meios sobrenaturais) assim que fosse eleita e logo a seguir implantaria no Brasil uma ditadura comunista-luciferiana pelas mãos do filho de Michel Temer. Em outras o próprio Temer seria o satanista mor. Confesso que não respondi publicamente esse tipo de mensagem por acreditar que tamanha absurdo seria rejeitada pelo bom senso de meus irmãos evangélicos. Para além da “viagem” do conteúdo a absoluta falta de fontes e provas para estas “notícias” deveria ter levado (acreditei) as pessoas de boa fé a pelo menos desconfiar destas graves acusações infundadas. [2]

A candidata Marina Silva, uma evangélica da Assembléia de Deus, até onde se sabe sem qualquer mancha em sua biografia, também não saiu ilesa. Várias denominações evangélicas antes fervorosas defensoras de um “candidato evangélico” a presidência da república simplesmente ignoraram esta assembleiana de longa data.

Como se não bastasse, Marina foi também acusada pelo pastor Silas Malafaia de ser “dissimulada”, “pior do que o ímpio” e defender, (segundo ele), um plebiscito sobre o aborto. Surpreende como um líder da inteligência de Malafaia declare seu apoio a Marina em um dia, mude de voto três dias depois e à apenas 6 dias das eleições desconheça as proposições de sua irmã na fé.

De fato Marina Silva afirmou (desde cedo na campanha, diga-se de passagem) que “casos de alta complexidade cultural, moral, social e espiritual como esses, (aborto e maconha) deveriam ser debatidos pela sociedade na forma de plebiscito” [3], mas de fato não disse que uma vez eleita ela convocaria esse plebiscito.

O mais surpreendentemente, porém foi o absoluto silêncio quanto ao candidato José Serra. O candidato tucano foi curiosamente poupado. Somente a campanha adversária lembrou que foi ele, Serra a trazer o aborto para dentro do Sistema Único de Saúde (SUS) [4]. Enquanto ministro da saúde o candidato do PSDB assinou em 1998 a norma técnica do SUS ordenando regras para fazer abortos previstos em lei, até o 5º mês de gravidez [5]. Fiquei intrigado que nenhum colega pastor absolutamente contra o aborto tenha se dignado a me avisar desta “barbaridade”.

Também foi de estranhar que nenhum pastor preocupado com a legalização das drogas tenha disparado uma enxurrada de-mails alertando os evangélicos de que o presidente de honra do PSDB, e ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso defenda a descriminalização da posse de maconha para o consumo pessoal [6].

Por fim nem Malafaia, nem os boateiros de plantão tiveram interesse em dar visibilidade a noticia veiculada pelo jornal a Folha de São Paulo (Edição eletrônica de 21/06/10) nos alertando para o fato de que “O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, afirmou nesta segunda-feira ser a favor da união civil e da adoção de crianças por casais homossexuais.” [7]

Depois de tudo isso é razoável desconfiar que o problema não esteja realmente na posição que os candidatos tenham sobre o aborto, união civil e adoção de crianças por homossexuais ou ainda a descriminalização da maconha. Se o problema fosse realmente o comprometimento dos candidatos e seus partidos com as questões acima os líderes evangélicos que abominam estas propostas não teriam alternativa.

A única postura coerente seria então pregar o voto nulo, branco ou ainda a ausência justificada. Se tivessem realmente a coragem que aparentam em suas bravatas televisivas deveriam convocar um boicote às eleições. Um gigantesco protesto a-partidário denunciando o fato de que nenhum dos candidatos com chances de ser eleitos tenha realmente se comprometido de forma clara e inequívoca com os valores evangélicos. Fazer uma denuncia seletiva de quem esta comprometido com a “iniqüidade” é, no mínimo, desonesto.

Falar mal de candidato A e beneficiar B por tabela (sendo que B está igualmente comprometido com os mesmo “problemas”) é muito fácil. Difícil é se arriscar num ato conseqüente de desobediência civil como fez Luther King quando entendeu que as leis de seu país eram iníquas.

Termino dizendo que não deixarei de votar nestas eleições.

Não o farei por ter alguma esperança de que o Estado brasileiro transforme nossos costumes e percepções morais em lei criminalizando o que consideramos pecado. Aliás tenho verdadeiro pavor de abrir esse precedente.

Não o farei porque acredite que a pessoa em quem votarei seja católica, cristã ou evangélica e isso vá “abençoar” o Brasil. Sei, como lembrou o apóstolo Paulo, que se agisse assim teria de sair do mundo.

Votarei consciente de que os temas aqui mencionados (união civil de pessoas do mesmo sexo, descriminalização do aborto, descriminalização de algumas drogas entre outras polêmicas) não serão resolvidos pelo presidente ou presidenta da república. Como qualquer pessoa informada sobre o tema, sei que assuntos assim devem ser discutidos pela sociedade civil, pelo legislativo e eventualmente pelo judiciário (como foi o caso da lei de biossegurança) [8] com serenidade e racionalidade.

Votarei na pessoa que acredito representa o melhor projeto político para o Brasil levando em conta outras questões (aparentemente esquecidas pelos lideres evangélicos presentes na mídia) tais como distribuição de renda, justiça social, direitos humanos, tratamento digno para os profissionais da educação, entre outros temas. (Ver Mateus 25: 31-46) Estas questões até podem não interessar aos líderes evangélicos e cristãos em geral que já ascenderam à classe média alta, mas certamente tem toda a relevância para nossos irmãos mais pobres.

______________________

NOTAS

[1] As afirmações que faço ao longo deste texto estão baseadas em informações públicas e amplamente divulgadas pelos meios de comunicação. Apresento os links dos jornais e documentos utilizados para verificação.

[2] http://www.hospitaldalma.com/2010/07/o-cristao-verdadeiro-nao-deve-votar-na.html

[3]http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoes/marina+rebate+declaracoes+de+pastor+evangelico+silas+malafaia/n1237789584105.html


Ver também

http://www1.folha.uol.com.br/poder/805644-lider-evangelico-ataca-marina-e-anuncia-apoio-a-serra.shtml


[4]http://blogdadilma.blog.br/2010/09/serra-e-o-unico-candidato-que-ja-assinou-ordens-para-fazer-abortos-quando-ministro-da-saude-2.html

[5] http://www.cfemea.org.br/pdf/normatecnicams.pdf

[6] http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=856843&tit=FHC-e-intelectuais-pedem-legalizacao-da-maconha

[7] http://www1.folha.uol.com.br/poder/754484-serra-se-diz-a-favor-da-uniao-civil-e-da-adocao-de-criancas-por-gays.shtml

[8] http://www.eclesia.com.br/revistadet1.asp?cod_artigos=206

Fonte: Segunda Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte

2/10/2010

PS: Não se esqueçam de divulgar a lista de emails falsos contra a Dilma, com os links para os textos que provam que são falsos, estou atualizando à medida em que recebo novos hoaxes. Clique aqui para ver

PS2: Também deixo a minha carta aos evangélicos, explicando que ainda que você acredite abortar é pecado e quem faz vai para o inferno ou que casamento homossexual é pecado e aceitá-lo é contra os princípios cristãos, e ainda se Dilma fosse a favor de implementar tudo isso, não seria motivo para celeuma ou para não votar nela. Clique aqui para entender o porquê.


PS3:Votar nulo ou em branco não é opção, é omissão. Você está entregando o país à escolha dos outros, e sofrerá as consequências da escolha alheia. Seja consciente.

PS4: Amigo Cristão, peça orientação de Deus e não olhe Dilma com maus olhos por causa das mentiras que ouviu. Não seja preconceituoso. Se você não tem certeza se as mentiras são verdade ou não, presuma inocência, aja e pense nela como inocente. Isso é ter bons olhos. E Jesus disse (está escrito) que se teus olhos forem bons, todo teu corpo será luminoso,; se teus olhos forem maus, todo teu corpo andará em trevas. Quem quer fazer teus olhos maus quer que teu corpo ande em trevas.

.

Texto mais do que oportuno

Por que apoiamos Dilma

Mino Carta1 de outubro de 2010 às 10:04h

CartaCapital desta semana estará nas bancas apenas na segunda. Republicamos o editorial de Mino Carta, da edição 603, de julho, em que é explicitada a posição da revista nestas eleições. Foto: Celso Junior/AE

CartaCapital desta semana estará nas bancas apenas na segunda. Republicamos o editorial de Mino Carta, da edição 603, de julho, em que é explicitada a posição da revista nestas eleições

Guerrilheira, há quem diga, para definir Dilma Rousseff. Negativamente, está claro. A verdade factual é outra, talvez a jovem Dilma tenha pensado em pegar em armas, mas nunca chegou a tanto. A questão também é outra: CartaCapital respeita, louva e admira quem se opôs à ditadura e, portanto, enfrentou riscos vertiginosos, desde a censura e a prisão sem mandado, quando não o sequestro por janízaros à paisana, até a tortura e a morte.

O cidadão e a cidadã que se precipitam naquela definição da candidata de Lula ou não perdem a oportunidade de exibir sua ignorância da história do País, ou têm saudades da ditadura. Quem sabe estivessem na Marcha da Família, com Deus e pela Liberdade há 46 anos, ou apreciem organizar manifestação similar nos dias de hoje.

De todo modo, não é apenas por causa deste destemido passado de Dilma Rousseff que CartaCapital declara aqui e agora apoio à sua candidatura. Vale acentuar que neste mesmo espaço previmos a escolha do presidente da República ainda antes da sua reeleição, quando José Dirceu saiu da chefia da Casa Civil e a então ministra de Minas e Energia o substituiu.

E aqui, em ocasiões diversas, esclareceuse o porquê da previsão: a competência, a seriedade, a personalidade e a lealdade a Lula daquela que viria a ser candidata. Essas inegáveis qualidades foram ainda mais evidentes na Casa Civil, onde os alcances do titular naturalmente se expandem.

E pesam sobre a decisão de CartaCapital. Em Dilma Rousseff enxergamos sem a necessidade de binóculo a continuidade de um governo vitorioso e do governante mais popular da história do Brasil. Com largos méritos, que em parte transcendem a nítida e decisiva identificação entre o presidente e seu povo. Ninguém como Lula soube valerse das potencialidades gigantescas do País e vulgarizá-las com a retórica mais adequada, sem esquecer um suave toque de senso de humor sempre que as circunstâncias o permitissem.

Sem ter ofendido e perseguido os privilegiados, a despeito dos vaticínios de alguns entre eles, e da mídia praticamente em peso, quanto às consequências de um governo que profetizaram milenarista, Lula deixa a Presidência com o País a atingir índices de crescimento quase chineses e a diminuição do abismo que separa minoria de maioria. Dono de uma política exterior de todo independente e de um prestígio internacional sem precedentes. Neste final de mandato, vinga o talento de um estrategista político finíssimo. E a eleição caminha para o plebiscito que a oposição se achava em condições de evitar.

Escolha certa, precisa, calculada, a de Lula ao ungir Dilma e ao propor o confronto com o governo tucano que o precedeu e do qual José Serra se torna, queira ou não, o herdeiro. Carregar o PSDB é arrastar uma bola de ferro amarrada ao tornozelo, coisa de presidiário. Aí estão os tucanos, novos intérpretes do pensamento udenista. Seria ofender a inteligência e as evidências sustentar que o ex-governador paulista partilha daquelas ideias. Não se livra, porém, da condição de tucano e como tal teria de atuar. Enredado na trama espessa da herança, e da imposição do plebiscito, vive um momento de confusão, instável entre formas díspares e até conflitantes ao conduzir a campanha, de sorte a cometer erros grosseiros e a comprometer sua fama de “preparado”, como insiste em afirmar seu candidato a vice, Índio da Costa. E não é que sonhavam com Aécio…

Reconhecemos em Dilma Rousseff a candidatura mais qualificada e entendemos como injunção deste momento, em que oficialmente o confronto se abre, a clara definição da nossa preferência. Nada inventamos: é da praxe da mídia mais desenvolvida do mundo tomar partido na ocasião certa, sem implicar postura ideológica ou partidária. Nunca deixamos, dentro da nossa visão, de apontar as falhas do governo Lula. Na política ambiental. Na política econômica, no que diz respeito, entre outros aspectos, aos juros manobrados pelo Banco Central. Na política social, que poderia ter sido bem mais ousada.

E fomos muito críticos quando se fez passivamente a vontade do ministro Nelson Jobim e do então presidente do STF Gilmar Mendes, ao exonerar o diretor da Abin, Paulo Lacerda, demitido por ter ousado apoiar a Operação Satiagraha, ao que tudo indica já enterrada, a esta altura, a favor do banqueiro Daniel Dantas. E quando o mesmo Jobim se arvorou a portavoz dos derradeiros saudosistas da ditadura e ganhou o beneplácito para confirmar a validade de uma Lei da Anistia que desrespeita os Direitos Humanos. E quando o então ministro da Justiça Tarso Genro aceitou a peroração de um grupelho de fanáticos do Apocalipse carentes de conhecimento histórico e deu início a um affair internacional desnecessário e amalucado, como o caso Battisti. Hoje apoiamos a candidatura de Dilma Rousseff com a mesma disposição com que o fizemos em 2002 e em 2006 a favor de Lula. Apesar das críticas ao governo que não hesitamos em formular desde então, não nos arrependemos por essas escolhas. Temos certeza de que não nos arrependeremos agora.

Mino Carta

Mino Carta é diretor de redação de CartaCapital. Fundou as revistas Quatro Rodas, Veja e CartaCapital. Foi diretor de Redação das revistas Senhor e IstoÉ. Criou a Edição de Esportes do jornal O Estado de S. Paulo, criou e dirigiu o Jornal da Tarde. redacao@cartacapital.com.br

Desvendando a lista de emails falsos sobre Dilma

A lista original copiei do site SejaDitaVerdade e adicionei mais alguns do post anterior e conforme descobrir outros, vou atualizando:

Compilação dos emails falsos que circulam nesta campanha sobre Dilma Rousseff e seus respectivos desmentidos. Cada link remete ao leitor ao texto em questão, clique para ler a verdade sobre cada um deles. Espalhem, é importante:

Se desejar, copie e cole em seu e-mail e peça para repassarem para o maior número de pessoas possível  😀


A morte de Mário Kosel Filho:http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=593

A Ficha Falsa de Dilma Rousseff na ditadura http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=650

O porteiro que desistiu de trabalhar para receber o Bolsa-Família

Marília Gabriela desmente email falso

Dilma não pode entrar nos Estados Unidos

Foto de Dilma ao lado de um fuzíl é uma montagem barata
.
Lula/Dilma sucatearam a classe média (B) em 8 anos:

Email de Dora Kramer sobre Arnaldo Jabor é montagem

Matéria sobre Dilma em jornais canadenses é falsa:http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2023

Declarações de Dilma sobre Jesus Cristo – mais um email falso

Fraude nas urnas com chip chinês conspiração – falsidade que beira o ridículo:

Vídeo de Hugo Chaves pedindo votos a Dilma é falso:

Matéria sobre amante lésbica de Dilma é invenção:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2031


PowerPoint sobre fazenda comprada por filho de Lula: “Novo Milionário Brasileiro – a fazenda que Lulinha (não) comprou”

Carta ao Lula:Dra. Marise Valéria Santos (que non ecziste)

Michel Temer é satanista? Michel Temer é Satanista?

http://www.gospelprime.com.br/michel-temer-e-satanista-teologo-diz-que-e-boato/

http://oguardadeisrael.blogspot.com/2010/07/afinal-michel-temer-e-mesmo-satanista.html

Blog de Adriana Vandoni censurado por Lula http://incautosdoontem.opsblog.org/2010/01/24/lula-o-censurador-e-a-preguica/

Esclarecimentos sobre o PNDH-3

http://lampertop.com.br/?p=742


E-mail da dra. Marise Valéria Santos é falso e antigo:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2576

E-mail falso sobre “os mortos de Dlma”:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2566

Matéria sobre saúde de Dilma é mentirosa:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2558

E-mail “Se…” é recheado de mentiras

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2551

Email sobre ajuda ao povo palestino trabalha com hipocrisia e meias-verdades:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2540

Boatos contra Dilma são rastreados:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2562

Email cita Carlos Alberto Brilhante Ustra como fonte isenta e confiável:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2585

Denúncias atribuídas a entrevista de ex-marido de Dilma são falsas:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2472

A profecia de Neila Alckmin (que já morreu há muitos anos…)

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2468

Vídeo do mensalão é uma falsificação grosseira:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2456

Dilma no conselho da Petrobras: email induz eleitor a erro:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2348

Lula quer garantir conforto próprio como ex-presidente:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2273

Dilma processa o Estado Brasileiro:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2416

Email diz que Dilma não é brasileira:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2808

http://www.quatrocantos.com/LENDAS/487_dnevnik_dilma_roussef.htm

A lista da Central de Boatos do Seja Dita Verdade não para por aí:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2091


Para denunciar um email falso:

http://www.sejaditaverdade.net/blog2/?p=2398

Saiba as origens da campanha de boataria do Serra na internet (descobri para que servia o “guru indiano” que veio para ser o  “responsável pela campanha de Serra na internet” ):

http://politica-santoandre.blogspot.com/2010/10/americanizacao-da-eleicao-brasileira.html


Espalhar mentira contra um candidato é crime eleitoral! Ao repassar a mensagem, você pode ser punido, mas o responsável por colocá-la na internet, como não se identificou, pode ficar ileso, ou seja, está usando VOCÊ. Se alguém for se prejudicar, não vai ser peixe grande, mas você, estão se aproveitando de suas boas intenções de “justiça”.

NÃO ACEITE SER USADO, NÃO REPASSE EMAILS FALSOS

.

Ressuscitadores de hoax

Costumo ser uma criatura bem calma, mas essas últimas semanas de eleições têm enchido o saco. Seguidamente recebo hoaxes por email, em Power Point ou textos alarmistas ligando Dilma, Lula, PT e Temer às piores forças do universo, ou discorrendo sobre “escândalos” que nunca existiram, conclamando o povo a se unir para evitar a desgraça que se aproxima. Teorias conspiratórias e acusações sem provas, documentos falsificados (como a tal ficha de Dilma e a fotografia com fuzil mal inserido por photoshop).

Teve um hoax antiguinho que se tornou recorrente: eu recebi, meu marido recebeu e já li várias pessoas indignadas por aí, falando dele como se fosse verdade. Meu marido fez uma pesquisa básica e descobriu o óbvio: era mentira. Trata-se do Continuar lendo

O Golpe natimorto

Clique aqui para ler: TSE arquiva pedido do PSDB para anular candidatura de Dilma. Aldir Passarinho Júnior foi bem sensato:considerou que as provas mostradas na representação não indicavam uma ligação direta nem beneficiaram a candidatura petista. Também entendeu que o caso não causou desequilíbrio na disputa eleitoral.”

Até porque essa disputa já está mais do que desequilibrada. Dilma disparada na frente e o Serra, desequilibrado, vai terminar em terceiro. E se não ficar quieto, é capaz de perder até do Plínio. Se ele fosse esperto, ficaria bem quietinho e aceitaria – com resignação e dignidade – a derrota, para tentar salvar o que lhe resta de futuro politico. Fecha-se mais um capítulo.

Na Agência de Notícias do TSE:

http://agencia.tse.gov.br/sadAdmAgencia/noticiaSearch.do?acao=get&id=1327484

E agora? Será que vão ligar o dossiê ao PSDB antes das eleições, para encerrar a candidatura do Serra ad infinitum?

.

Dilma assassina e terrorista?

dilma

Confesso que não estava muito por dentro da campanha eleitoral, sempre acompanhando muito por cima – quando acompanhava. Até receber de uma amiga recente (que ainda não conhece muito bem minha ojeriza por mensagens com tom emocional/manipulatório encaminhadas em Power Point) um email com o assunto: “Desabafo de um pai” e no corpo do email um convite para ver “o que a Dilma fez no passado”. Minha curiosidade felina ainda não está completamente domesticada. Lá fui eu clicar no troço. Era pior do que eu pensava. Escrevi uma resposta, mas acabei por deixá-la incompleta de propósito, para não enviar de cabeça quente. Segue o que escrevi:

Não dá para assumir algo como verdade absoluta sem levar em consideração o contexto da época. A ditadura matou muito mais gente (e de maneira muito mais cruel) do que o outro lado, e em sua maioria, jovens e adolescentes idealistas, com uma vida toda pela frente. Civis.  Esse power point que você mandou foi escrito de maneira tendenciosa, manipuladora e um tanto quanto distorcida (e eu sinceramente duvido que tenha sido escrito pelo pai do rapaz), então eu resolvi pesquisar a respeito e encontrei esse texto:

http://sejaditaverdade.com/2010/06/16/a-morte-de-mario-kosel-filho-a-verdade-sobre-a-participacao-de-dilma/

uma parte bem esclarecedora do texto:


– Número 1: como já citado, a camionete + 10 integrantes + 50 quilos de dinamite, algo inconsistente até para uma Pajero dos dias atuais.

– Número 2: A revista VEJA (uma publicação que, como todos nós sabemos, não “morre de amores” nem por Lula, Dilma ou o PT) na matéria O cérebro do roubo ao cofre isenta textualmente Dilma Rousseff das operações de campo: “A Dilma era tão importante que não podia ir para a linha de frente. Ela tinha tanta informação que sua prisão colocaria em risco toda a organização. Era o cérebro da ação”, diz o ex-sargento e ex-guerrilheiro Darcy Rodrigues.

– Número 3: Como afirma o Site Uol ao narrar a biografia de Dilma, a VPR, Vanguarda Popular Revolucionário, uma organização nascida da divisão da antiga VAR-Palmares, surgiu apenas em 1969, apenas 1 ano depois da morte de Mário Kosel Filho. Dilma ficou na VAR-Palmares, mais ligada a trabalhos de base. Lamarca foi para a VPR, adepta de ações de guerrilha. Em 1968 Dilma pertencia à Colina, Comando da Libertação Nacional.”

Eu simplesmente ABOMINO textos escritos de maneira manipulatória, para me fazer ter uma determinada opinião, apelando para os meus sentimentos. Quando percebo que o texto está se encaminhando para isso, ele perde a minha atenção automaticamente. Este Power Point foi escrito para manipular a sua opinião e te fazer ficar horrorizada, para te impelir a repassá-lo a outras pessoas e, assim, ajudar quem escreveu a alcançar seu objetivo que é meramente ELEITORAL. Isso é muito baixo e me empurra mais a votar nela do que contra ela.

Não pense que estou em campanha pela Dilma ou por qualquer outro candidato. Eu nem tenho candidato ainda, estou analisando as opções, mas sei que o Brasil está alcançando um nível de desenvolvimento nessa administração que era impensável até pouco tempo atrás. Eu não quero que haja retrocesso, voltando à administração anterior (aí já elimino um candidato). A gente não pode escolher candidato pensando em “pessoas”. É muito mais do que isso. Não pode ser “ah, eu vou com a cara de fulano, então voto nele”, porque fulano não vai estar lá sozinho. O crescimento do mercado imobiliário, por exemplo, se deve à atual administração e para que haja continuidade nisso, acredito que não tenhamos muitas opções. Acredito que a Dilma não seja a pessoa com mais carisma dentro do PT  (Nota aos leitores do blog: eu mudei de idéia a esse respeito, hoje acho que ela foi a melhor escolha, sim) e que talvez por isso ela não tenha sido boa escolha (já que muita gente escolhe candidato da maneira errada, como falei), mas eu me lembro bem de como estava o Brasil há dez, doze anos e, sinceramente, não quero aquilo de volta.”

Depois de escrever isso, deixei que esse email descansasse em minha superpopulosa pasta de rascunhos, até que eu o esquecesse, o que sempre acontece. Esqueci. Ontem, porém, caminhando pelo Bourbon (shoppingzinho perto da minha casa), vi na capa da Época uma foto 3×4 p&b de uma Dilma jovenzinha, de óculos, e a manchete: “O passado de Dilma”, “documentos inéditos revelam uma história que ela não gosta de lembrar: seu papel na luta armada contra o regime militar”. Então todo o raciocínio que me veio à mente quando recebi o tal email voltou, exigindo algumas explicações. Como sempre acontece com meus raciocínios, ele começou perguntando: “Como assim???”

De súbito, me senti dentro de um universo paralelo. Será que escorreguei por um buraco de minhoca e não percebi? Lembrei dos textos pelos quais passei quando fiz a pesquisa para descobrir quem era o tal do “soldado-vítima” do inverossímil Power Point, que chamavam Dilma de terrorista, assassina e assaltante (essa última acusação certamente por causa dos assaltos a banco que alguns grupos de resistência fizeram para conseguir dinheiro, já que não podiam trabalhar, pois viviam escondidos para não serem mortos). Deu tilt na cabeça. Cresci ouvindo que os militares eram os malvados e que os estudantes eram os heróis. Os militares impuseram uma ditadura que cerceou a liberdade da população. Se você fosse um bom robozinho, sua vida seria feliz, mas se ousasse pensar por conta própria e discordar dos malucos fardados, era taxado de subversivo e já era, colega.

Muitos estudantes se mobilizaram em passeatas contra a repressão. No entanto, quando a coisa apertou e começaram a ser arrastados para a prisão, torturados, estuprados e mortos, pouca gente teve coragem de assumir posição e participar da resistência. A ditadura não queria saber se quem estava ali era um bando de adolescentes e jovens civis, eles eram vistos como “terroristas” que tentavam subverter a ordem e que deveriam ser parados a qualquer custo. E muito além disso: a ditadura também prendeu, torturou e matou muita gente que não tinha nada a ver com o pato. Não era gente envolvida em luta armada, nem em militância de resistência, mas simplesmente pessoas que ousaram discordar. Falar contra o governo era correr risco de morte. Os militares, paranóides, viam subversão em qualquer coisa, em qualquer lugar, como os inquisidores na Idade das Trevas. Essa foi a Idade das Trevas do Brasil. Li a reportagem da Época na internet e é uma baita propaganda enganosa. Nenhuma informação “inédita”, muito blá-blá-blá e disse-me-disse, como Época bem gosta de fazer. E sempre fez.

Só não entendi uma coisa: a globo (com letra minúscula mesmo, pois ela não merece maiúscula) esqueceu que até pouco tempo disfarçava seu apoio à ditadura enaltecendo o heroísmo dos jovens que resistiram a ela? Não foi a Globo que nos brindou com a minissérie Anos Rebeldes, em 1992, tocando “Alegria, Alegria” na voz de Caetano em uma abertura psicodélica? Mostrou ali o quê? Não foi a luta armada contra a ditadura? Nos emocionou com a inesquecível cena da morte de Heloísa, vivida por Claudia Abreu, deixando clara a covardia militar e a ingenuidade idealista da resistência? Clique aqui para assistir à cena. Eles foram tratados como Heróis na redemocratização, não como “terroristas”, “guerrilheiros”, “bandidos”, “assaltantes”, “criminosos”. Quem achava isso deles era – e com razão – a ditadura, ameaçada por aquele bando de moleques insolentes e arruaceiros, que merecia a morte.

Lembro do documentário “O Êxodo Decifrado” que mostra uma anotação sobre o êxodo dos hebreus, sob o ponto de vista dos Egípcios. O texto os chama de “Os Malignos” e faraó é o coitadinho, a vítima. Os hebreus eram escravos e as pragas só aconteceram porque faraó se recusou a deixá-los sair, mas isso é irrelevante. Contexto? Nah, para quê? . Tudo sempre depende do ponto de vista, de quem é que está contando a história, se leva o contexto em consideração ou o omite. Claro que, na visão da ditadura militar, Dilma era uma “terrorista, assaltante”, etc. e eles, as vítimas, que só queriam um país subserviente. Que mal há nisso? O estranho é encontrarem eco hoje em dia.

Então me lembro de “O que é isso, companheiro?” do Gabeira, que deu origem a um filme estrelado por atores globais. Tantas e tantas reportagens no Fantástico, no Jornal Nacional, sobre os heróis que lutaram contra o totalitarismo, contra a covardia, pela liberdade, pelo direito de votar, pelo direito de expressar suas opiniões sem ser, por isso, perseguidos ou punidos pelo Estado. Pessoas que deram suas vidas por um ideal, famílias que foram destruídas, muitos corpos até hoje não foram localizados. Outros foram fotografados e as marcas da barbárie ficaram registradas para a posteridade.

No entanto, a posteridade não está nem aí. Engole qualquer bobagem que lhe é dita pela TV ou enviada por email, em um Power Point meloso qualquer. A posteridade não pensa, passa pela vida simplesmente existindo e repetindo feito papagaio o que escuta no jornal. A coisa chega a um ponto tão ridículo que os argumentos são exatamente os mesmos, com as mesmas palavras, como se fosse um exército de robôs, com gravadores -com o botão “play” pressionado- em lugar das cordas vocais. Existe uma fonte inesgotável de ignorância alimentando o senso comum e está tão entranhada em nosso dia-a-dia que de vez em quando a gente se pega repetindo alguma bobagem não pensada, mesmo lutando há anos para ter pensamentos próprios. Mas daí a distorcer a história nesse nível e chamar civis que ousaram resistir a um sistema totalitário de “terroristas” já descamba para a burrice.

Eu imagino o que essas pessoas esperariam que acontecesse? Regime totalitário, ditadura, se você abre a boca, tem de ser para dizer o que o governo quer que você diga. E não pode dizer nada que possa ser interpretado por um maluco fardado qualquer como contrário ao pensamento do governo. Ou seja, você vive neurótico tentando pensar com a cabeça dos caras. Aí os críticos de Dilma imaginam que o correto seria, já que eles estavam descontentes, criar um grupo para, através do diálogo com o governo, alterar aquela situação. Hein???? Imagino o rebeldezinho indo conversar com o general: “Oi, tudo bem? Poderíamos conversar a respeito de uma maneira de ampliar a liberdade de opinião da população em geral?” Como ele seria recebido? Acho engraçado também falarem dos “crimes” cometidos: “falsidade ideológica”. Lembro de quando acusavam José Dirceu disso também, e por ele ter feito plástica para modificar o rosto, o bandido. Com certeza o correto seria manter sua própria identidade e, de preferência, telefonar para o governo, dizendo: “oi, eu sou Dilma Rousseff, sabe, aquela que vocês estão procurando? Pois é, não venham atrás de mim, só queria passar o endereço de onde estou, porque quero que este seja um processo transparente”. Retirar o contexto da situação, analisar os fatos ocorridos durante a ditadura militar  como se estivessem ocorrendo hoje, em tempo de paz, em uma democracia, com diversas liberdades que não existiam naquela época, é – isto sim – um crime.

Se tem algo que eu detesto é que subestimem minha inteligência para tentar manipular minha opinião. Isso já me deixou indignada com a globo, com a Época e com a Folha de São Paulo, que teve a cara-de-pau de veicular uma ficha falsa de Dilma em uma matéria totalmente tendenciosa. E não teve a dignidade de publicar a carta que Dilma escreveu, se defendendo. Então, como tiro de misericórdia, me deparo com o programa eleitoral de Serra, com o apelativo Jingle: “Sai o Silva e entra o Zé”. Hein??? O PSDB, partido que nunca escondeu sua predileção pela classe média alta, tenta, em um esforço vergonhoso, se aproximar da classe pobre, com uma cara de “nojinho”. Favela cenográfica, pasteurizada e estereotipada, jingle de pagodinho, churrasqueira a gás (#Fail). Posso dizer que as (des) organizações globo e a campanha de Serra se empenharam tanto, mas tanto, que acabaram conseguindo fazer com que eu decidisse meu voto. A cada ataque descabido que recebia, Dilma ganhava minha simpatia e eu me interessava mais por ela.

Resolvi pesquisar, ler, ouvir o que ela tinha a dizer, assisti a várias entrevistas, li muita coisa contra e a favor, para poder formar a minha opinião. Quanto maior o ataque da mídia, mais ficava claro para mim: “se a globo está se esforçando tanto para a Dilma não ser eleita, é porque deve ser a melhor opção para o país”. Li Paulo Henrique Amorim se referir a esse tipo de imprensa como PIG (Partido da Imprensa Golpista), o que para mim parece mais correto do que se referir apenas à globo. O PIG quer que o povo brasileiro se esqueça de quem era quem durante o regime militar. Quer nos convencer de que nenhum dos dois lados estava certo, mas que o menos certo era o lado daqueles estudantes intrometidos, que não tinham que mexer com quem estava quieto. E, aos poucos, nos coloca em uma situação de simpatia com o regime militar…”pelo menos o país não era essa bagunça”.

No fundo, no fundo, agora a globo começa a assumir sua posição, que é a mesma desde o início, nunca mudou: favorável à ditadura e frustrada com a redemocratização. Conseguiu manipular o povo por muito tempo, até que mexeu com uma força maior do que a dela, e deu início à sua decadência. Hoje acabou a hegemonia, a Record cresce a ponto de poder veicular reportagens especiais para trazer à memória da população quem eram os assassinos e quem eram as vítimas. Até pouco tempo nenhuma rede de televisão ousaria. A internet cresce em força de opinião, formando uma “imprensa paralela” e trazendo as informações a que o PIG não quer que tenhamos acesso, coisa que JAMAIS aconteceria em tempos de ditadura militar.

O fim da ditadura militar e o início de uma nova democracia foi o grito de esperança abafado, durante quase duas décadas, por uma nova ditadura, a da imbecilização, promovida pela Rede Globo. Há cerca de dez anos, porém, demos início à verdadeira redemocratização, com a quebra de hegemonia da globo e o início de uma verdadeira força popular, pela libertação das mentes. Serra e a globo me convenceram que esse processo não pode parar. A ignorância ainda é muito grande, mas aos poucos o Brasil desperta da maldição de seu sono eterno em berço esplêndido. Obrigada Serra, obrigada rede globo, folha de são paulo, PSDB e simpatizantes, pois me levaram a conhecer uma Dilma que eu não conhecia: uma mulher que luta pelo que acredita e que foi capaz de arriscar a vida por amor ao seu país e que hoje é vítima de uma perseguição injusta por parte de quem não tem o menor escrúpulo de tentar apagar a memória de um país que levou tanto tempo para construir sua identidade. Se não fosse por isso, talvez eu ainda estivesse indecisa.


Ps1: Links:

Clique aqui para ler a carta de Dilma à Folha de São Paulo, sobre a tal ficha falsa.

Clique aqui para ler o comentário de Paulo Henrique Amorim sobre a reportagem de Época.

Clique aqui para ler o ótimo “Por que votarei em Dilma Rousseff”, do Celso Barros. E clique aqui para ler o blog do Celso Barros.


Clique aqui para ver o primeiro programa eleitoral de Dilma na TV, dizendo, com muito orgulho, que participou ativamente da resistência à ditadura. E Época realmente quer que acreditemos que ela “evita falar a respeito”? Ela evita falar com Época. No que faz muito bem.

Clique aqui se você mora em Porto Alegre, gosta de bombom e vai votar no Serra, procure esse pessoal no centro de Porto Alegre, antes que eles sejam presos.

Clique aqui para ver a primeira parte e aqui para ver a segunda parte da esclarecedora entrevista de FHC ao programa Hard Talk, deixando claro que sua preocupação é com a classe média “que tem acesso à informação”. “Normal citzen” não conta. O que conta é “abnormal citzen”, decerto…risos… Aliás, depois dessa entrevista, FHC deve ter demitido quem quer que o tenha convencido a participar desse programa.

Clique aqui para ler o ótimo “dez falsos motivos para não votar em Dilma”, de Jorge Furtado.

Clique aqui para ler o texto em que Brizola Neto fala da propaganda eleitoral de Serra no rádio, que ataca Dilma e usa o áudio de um elogio feito por alguém que imita a voz do presidente Lula!! Isso merecia um processo!

Clique aqui para ler a excelente análise dessa reportagem da Época.



PS2: Recado aos para-quedistas: Sei que o texto é longo, mas ele deve ser lido na íntegra e bem compreendido. Não faça uma leitura superficial, ou eu vou te mandar ler novamente e você vai ficar bravo comigo. Não comente antes de concluir a leitura, respire fundo e continue a ler até o final. Os comentários deste blog são moderados para evitar spam, então comentar por impulso para ver sua opinião publicada não surtirá efeito e você ficará frustrado. Nesse caso, escreva um texto no seu blog.


UPDATE: Não se esqueçam de divulgar a lista de emails falsos contra a Dilma, com os links para os textos que provam que são falsos, estou atualizando à medida em que recebo novos hoaxes. Clique aqui para ver Quer votar em outro candidato? Fique à vontade, mas vote por motivos verdadeiros, e não pelas mentiras.

Deixo também esse vídeo: